Na Sombra da Lei

Filmes, Suspense
4 /5 estrelas
Na Sombra da Lei

A Time Out diz

4 /5 estrelas

Brett Ridgeman (Mel Gibson) e Anthony Lurasetti (Vince Vaughn), os dois polícias da cidade fictícia de Bulwark de
 Na Sombra da Lei, de S. Craig Zahler, ainda não perceberam que vivem num mundo em acelerada mudança, e não podem continuar a comportar-se em serviço como há 10 ou 20 anos.

Quando prendiam um traficante de droga em sua casa, o veterano Brett e o mais jovem Tony recorreram àquilo a que o Departamento de Polícia considera “excesso de força” (um
 pé assente no pescoço do criminoso, que estava deitado no chão e algemado). Foram filmados por um vizinho com um telemóvel 
e as imagens acabaram na televisão. Como
 o traficante era latino, a coisa ficou ainda
 mais feia e o par de polícias foi acusado de “racismo”.

Brett e Tony vêem-se assim alvo de uma investigação interna e suspensos sem vencimento por seis semanas. E não podem passar sem o dinheiro, porque Brett precisa urgentemente de tirar a mulher, uma ex-polícia que sofre de esclerose múltipla,
 e a filha adolescente, que é regularmente assaltada, do bairro problemático onde moram; e Tony encomendou um anel caro para pedir a namorada em casamento. Por isso, decidem assaltar um outro traficante de droga. Só que quando o estão a perseguir, descobrem que ele vai roubar um banco, e decidem persegui-lo, e aos cúmplices, até ao seu esconderijo.

Há um terceiro protagonista em Na Sombra da Lei, que vai cruzar o seu destino com os de Brett e Tony. Ele é Henry Johns (Tory Kittles), um jovem negro e pequeno delinquente acabado de sair da cadeia, que precisa tanto de dinheiro como os dois polícias, já que tem um irmão mais novo deficiente motor e uma mãe que se prostitui. Por isso, Henry vai ceder a um amigo e bandido local, e fazer parte, como vigia, do grupo que o traficante de droga seguido por Brett e Tony formou para o assalto ao banco.

Quem viu os dois filmes anteriores escritos e realizados por S. Craig Zehler – Bone Tomahawk (um western em que um xerife enfrenta uma tribo de trogloditas canibais) e Rixa no Bloco 99 (um homem chantageado pelos bandidos que lhe raptaram a mulher, e o filho tem de matar um criminoso preso na mesma penitenciária que ele) – sabe que, no território cinematográfico do realizador, não há lugar para rodriguinhos, punhos de renda, belos sentimentos nem piedades consoladoras. Muito menos para ilusões sobre a natureza humana.

Na Sombra da Lei remete, na caracterização das personagens, no desenho dassituaçõesenaeconomiadosdiálogos,na secura e eficácia estilística, na representação sem floreados nem idealismos do mundo em que os protagonistas vivem e se movimentam, no predomínio da força bruta e no realismo directo, pragmático e empedernido, bem como no fatalismo grave que paira sobre ele, um certo cinema policial e de acção americano dos anos 70 e 80. E de que alguém como Robert Aldrich foi um dos principais representantes.

Zahler não desperdiça um só minuto dos 159 que Na Sombra da Lei dura (o realizador recusou a exigência da produtora Lionsgate para o reduzir a 130 minutos, e o filme acabou por ter uma estreia muito restrita nos EUA) e Gibson, Vaugh e Kittles interpretam as suas personagens com o mesmo tenso, soturno e contido dramatismo que domina a narrativa. Absolutamente a não perder por quem tinha saudades de fitas destas, feitas com esta qualidade.

Por Eurico de Barros

Por Eurico de Barros

Publicado:

Detalhes

Detalhes da estreia

Elenco e equipa

Realização
S. Craig Zahler
Argumento
S. Craig Zahler
Elenco
Vince Vaughn
Mel Gibson
Michael Jai White
Jennifer Carpenter

A vossa opinião

0 comments