Vingadores: Endgame

Filmes
4 /5 estrelas
Vingadores: Endgame

A Time Out diz

4 /5 estrelas

Estreando-se com um ímpeto que só 21 blockbusters anteriores podem providenciar, Vingadores: Endgame é o culminar turbulento e curiosamente emocional do Universo Cinematográfico Marvel (UCM) – pelo menos até ao próximo capítulo. Sabemos que será longo (três horas, mas desta não é necessário ficar até depois dos créditos); sabemos que mesmo o mais acérrimo dos fãs levará trabalho de casa de alto nível. Mas não sabíamos quão profundamente envolvidos estávamos com estes 11 anos de filmes. Endgame presta tributo a si próprio em diversos momentos, o que é fascinante e lhe dá seriedade. A narrativa, com destruição e renascimento ao estilo Fénix, é idêntica à que os comics fazem tão bem.

A partir de um intrincado argumento escrito por Christopher Markus e Stephen McFeely, que consegue abrir espaços de calmaria dentro da tempestade, o filme começa exactamente como todo o UCM foi inaugurado: com o neurótico Tony Stark às voltas com as suas responsabilidades. Robert Downey Jr. é o actor com que o franchise foi lançado em 2008 com Homem de Ferro, e há uma certa simetria em torná-lo o centro deste trecho inicial impregnado de desalento – quando é um drama operático em que meio mundo se esfumou. É radical que um filme deste calibre se foque na culpa do sobrevivente. Entre o “desaparecimento” de monumentos a lembrar as Torres Gémeas e os monólogos lamentosos das personagens principais, ficamos a pensar se os realizadores Joe e Anthony Russo, baluartes do franchise, não estão a apontar o dedo àqueles que puseram toda a sua esperança apenas nos super-heróis (ou seja, os próprios fãs). Felizmente, o Homem-Formiga (Paul Rudd) aparece com um plano para usar mecânica quântica e isso abre portas a uma renovação cósmica, juntamente com as gargalhadas que se esperam da Marvel.

É quase uma pena que a experiência plurianual de Os Vingadores chegue ao fim quando encontra a sua base dramática. Endgame é suficientemente quadrado para acabar com uma dança lenta, mas isso também significa que o seu coração estava, em grande medida, no sítio certo. Talvez venhamos a ter saudades.

Por Joshua Rothkopf

Detalhes

Detalhes da estreia

Elenco e equipa

Realização
Joe Russo, Anthony Russo
Argumento
Stephen McFeely, Christopher Markus
Elenco
Robert Downey Jr.
Scarlett Johansson
Josh Brolin
Chris Hemsworth
Chris Evans

A vossa opinião

LiveReviews|0
1 person listening