Global icon-chevron-right Portugal icon-chevron-right Lisboa icon-chevron-right Festa do Avante!: seis concertos a não perder

Festa do Avante!: seis concertos a não perder

A Festa do Avante! é especial. Um festival político e politizado, mas aberto a toda a gente. Destacamos seis concertos

sérgio godinho
Fotografia: Arlindo Camacho
Publicidade

É a grande festa da rentrée política. E um dos mais antigos festivais de Verão portugueses. Com um cartaz abrangente onde política, cinema, teatro e uma oferta gastronómica vasta coexistem com muita e boa música ao vivo. Este ano, além do concerto "Em Louvor do Homem. Nos duzentos anos do nascimento de Karl Marx", pela Orquestra Sinfonietta de Lisboa, dirigida pelo maestro Vasco Pearce de Azevedo, e o Coro Sinfónico Lisboa Cantat, às ordens de Jorge Alves, destacam-se as actuações de Os Tubarões, Sérgio Godinho, Boss AC (com Matay, Supa Squad e Ella Nor), Carlão (com António Zambujo e Manel Cruz) e Jorge Palma (com Tim e Camané).

Recomendado: Concertos em Lisboa

Festa do Avante!: seis concertos a não perder

Coro Sinfónico Lisboa Cantat
©DR

Concerto em Louvor do Homem no Bicentenário de Karl Marx

O tradicional concerto sinfónico da Festa do Avante! este ano celebra o bicentenário de Karl Marx. O programa junta a Fanfarra Para o Homem Comum, de Aaron Copland, e Danças Sinfónicas de West Side Story, de Leonard Bernstein (dois compositores norte-americanos com conhecidas simpatias comunistas que chegaram a ser investigados durante macartismo) a peças de Mendelssohn, Tchaikovsky e Beethoven. A interpretação fica a cargo da Orquestra Sinfonietta de Lisboa, dirigida por Vasco Pearce de Azevedo, e do Coro Sinfónico Lisboa Cantat, com o maestro Jorge Alves.

Palco 25 de Abril. Sexta-feira.

Os Tubarões
©DR

Os Tubarões

São verdadeiros sábios da ginga e um nome fulcral da música cabo-verdiana. Cultores de um funaná solar e benigno, aberto desde sempre a todo o tipo de influências externas (e não só), Os Tubarões juntaram-se em 1969 e gravaram discos históricos entre 1976 e 1994 – chegaram a tocar na Festa do Avante! em 1980, à boleia do álbum Tabanca. Mas a sua história, como todas, chegou ao fim. Ou pareceu chegar. Regressaram nesta década, quando já ninguém esperava por eles, sem o vocalista Ildo Lobo, entretanto falecido, mas com uma genica tremenda.

Auditório 1.º de Maio. Sexta-feira.

Publicidade
sérgio godinho
Fotografia: Manuel Manso

Sérgio Godinho

Sérgio Godinho celebrou 73 anos em palco, na semana passada, no Festival F, em Faro. E a festa continua este sábado, no Palco 25 de Abril. O icónico escritor de canções, que desde antes do 25 de Abril ajuda a escrever e a cantar a história e as histórias de Portugal, continua a apresentar o álbum Nação Valente, lançado no início deste ano. Composto maioritariamente por músicos mais jovens, como Nuno Rafael, Hélder Gonçalves (Clã), Filipe Raposo, Pedro da Silva Martins (Deolinda), David Fonseca e Márcia, a quem se juntaram José Mário Branco e o próprio Sérgio Godinho, é um dos mais inspirados e bem conseguidos ramalhetes de canções a que ele emprestou a voz neste século. Ouvi-las nunca é de mais.

Palco 25 de Abril. Sábado.

Boss AC

Boss AC com Matay, Supa Squad e Ella Nor

Boss AC é uma das mais importantes vozes do hip-hop português. Entrou na clássica compilação Rapública, em 1994, e nos anos que se seguiram foi colaborando com figurões como General D, Da Weasel ou os Black Company e mostrando que tinha muito para dar. Se tinha. O primeiro álbum a solo, o igualmente clássico Manda Chuva, saiu em 1998, e de então para cá transcendeu os limites do hip-hop e impôs-se no campo da pop. Regressou aos discos este ano, com o EP Patrão, e diz-se que vai lançar um registo longo antes de 2018 chegar ao fim. Talvez dê a ouvir o que nos espera na Quinta da Atalaia, mas, mesmo que não o faça, o concerto vai ser especial.  Afinal, Ângelo Firmino vai partilhar o palco com o cantor de soul Matay, o duo de dancehall Supa Squad e a cantora de electro-pop Ella Nor.

Palco 25 de Abril. Sábado

Publicidade
Carlão

Carlão com António Zambujo e Manel Cruz

À primeira vista, juntar Carlão, António Zambujo e Manel Cruz não faz muito sentido. O primeiro é um veterano do hip-hop português que, desde o final dos Da Weasel, se desdobrou por uma série de projectos e molhou o pé em diferentes correntes musicais. António Zambujo, por outro lado, é um fadista que ao longo dos anos se deixou inspirar pelo Alentejo, pelo Brasil e pela pop, e hoje é uma figura de proa da canção popular portuguesa. Já Manel Cruz é um dos grandes nomes do rock alternativo nacional, ainda recordado pelo trabalho desenvolvido com os Ornatos Violeta. Julgando por estas linhas, lá está, não parecem ter nada em comum. O que não está escrito é que todos eles são, à sua maneira, influentes escritores de canções em português. Tratam a língua de maneiras diferentes, mas respeitam-na por igual. É isso que os une e que nos faz querer vê-los juntos no mesmo palco no próximo domingo.

Palco 25 de Abril. Domingo.

JORGE PALMA
©DR

Jorge Palma com Tim e Camané

Há dois anos, Sérgio Godinho e Jorge Palma estiveram juntos na Quinta da Atalaia. Este ano está cada um para seu lado, mas se Sérgio Godinho se apresenta sozinho, no sábado, Jorge Palma traz convidados no domingo. Vai recordar os melhores momentos de uma carreira discográfica a solo iniciada em 1972, acompanhado por Tim e Camané. O primeiro dispensa apresentações: é o líder dos Xutos & Pontapés e ao longo dos anos cruzou-se com Palma em bandas como os Rio Grande ou os Tais Quais. O segundo é um dos mais importantes fadistas portugueses em actividade, ponto. Além destes convidados, estarão em palco Pedro Vidal, na direcção musical e guitarras, Vicente Palma, na voz, na guitarra e nas teclas, Nuno Lucas no baixo, e João Correia na bateria.

Palco 25 de Abril. Domingo.

Mais concertos

Música

Concertos em Lisboa em Setembro

Setembro é um mês muito peculiar. Por um lado, queimam-se os últimos cartuchos do Verão. Por outro, é a altura da rentrée, do regresso à rotina que é também o regresso dos concertos em Lisboa. E há uns quantos concertos que valem mesmo a pena, como os de Feist, Beach House, Mercury Rev ou Low. Mas nada que chegue aos calcanhares das duas datas, esgotadíssimas, dos U2 na Altice Arena. A mais institucional banda rock do mundo vem apresentar o álbum do ano passado, Songs of Experience.

mallu magalhães
©Gonçalo F. Santos
Música

Concertos em Lisboa em Outubro

As temperaturas começam a baixar, as folhas começam a cair e os concertos sucedem-se. O  Verão que nos perdoe, mas não há nada como ver concertos em Lisboa no Outono. De preferência dentro de uma boa sala.  Além do OUT.FEST, logo no início do mês, destacam-se os concertos do cantor e compositor indie-folk sueco José González com The String Theory, a brasileira Mallu Magalhães ou os Kodaline, todos no Coliseu dos Recreios. Ainda há Xavier Rudd ou Unknown Mortal Orchestra, ambos na Aula Magna. Ou, entre outros, Anna Calvi, Kurt Vile & The Violators e Fausto Bordalo Dias.

Publicidade
ryley walker band
©DR
Música

Concertos em Lisboa em Novembro

O festival Super Bock em Stock (outrora Vodafone Mexefest) é o principal destaque da agenda musical do mês de Novembro, mas há outras coisas boas para ver e ouvir. Como Ryley Walker, que tem um disco novo para mostrar na Zé dos Bois. Ou Rodrigo Leão, que celebra "O Aniversário" (o espectáculo chama-se mesmo assim; são 25 de carreira) com duas datas no Coliseu dos Recreios. Ou David Fonseca, que apresenta finalmente o álbum Radio Gemini no Coliseu. Ou ainda a fadista Maria Emília, nascida no Brasil mas devota de um fado tradicional e com carreira feita em casas de fado alfacinhas.

Publicidade