NOS Alive

Música, Rock e indie
0 Gostar
Guardar
NOS Alive
©NOS Alive
Não queremos ser indelicados, mas se não tem bilhete pode parar de ler aqui. É que o NOS Alive está esgotado há que tempos (e a verdade é que todos os anos é a mesma coisa). A 11ª edição do festival que decorre no Passeio Marítimo de Algés traz nomes de peso à cidade. Vamos por partes. 
A 6 de Julho, primeiro dos três dias de música (e um ou dois pirolitos de poeira) a Everything is New, promotora do evento, deu a machadada final nos rivais quando anunciou The Weeknd: o canadiano mais desejado do mundo (o Drake que nos desculpe) traz o r&b meloso ao Palco NOS. Por onde também vai passar o amor quando manifestado electronicamente, com os The xx ou o rock experimental dos Alt-J. Com os Phoenix já sabemos: só não vale estar de mau humor, até porque a sua synthpop (há quem lhe prefira chamar light indie rock) não o permite. No Palco Heineken, no mesmo dia, Ryan Adams (um dos mais incríveis escritores de canções dos últimos anos, cujo disco Prisoner tem tocado insistentemente nas rádios e nos nossos corações) e a melancolia electrónica de Bonobo (live) são duas actuações a não perder. 
Sucedem-lhes, dia 7 de Julho, os senhores aqui de cima na fotografia: Foo Fighters. Concerto que por norma acaba com os fãs a pedirem cantigas de Nirvana. O rock’n’roll dos Kills (Palco NOS) e a pop onírica das sempre bem-vindas Warpaint (Palco Heineken). Mas há mais: as donas de um noise bastante particular Savages também passam pelo segundo palco do NOS Alive. 
Para dia 8 de Julho, temos um regresso: os míticos Depeche Mode. Os britânicos devem garantir uma afluência de gente que já não tem idade para festivais, mas que, ainda assim, vai ignorar a idade e fazer a festa. Sobra ainda Cage The Elephant, que tiram o rock da garagem para o Palco Heineken. Num elenco incrível por onde também passam Peaches, Spoon, Fleet Foxes, The Avalanches (se perder estes australianos vintage vai ter muito boa gente a dar-lhe na cabeça, vá por nós), Benjamin Booker e Floating Points (live). 
Se chegou até esta parte do texto e não tem bilhete estamos extremamente agradecidos. 

Publicado:

Website Evento http://nosalive.com/

Average User Rating

4 / 5

Rating Breakdown

  • 5 star:0
  • 4 star:1
  • 3 star:0
  • 2 star:0
  • 1 star:0
LiveReviews|1
1 person listening
tastemaker

Chega aquela altura do ano em que o modo festivaleiro assola muitos portugueses. O Rio Tejo já está preparado para receber O festival do ano, o NOS Alive (enganem-se aqueles que acham que é apenas mais "um"). O frenesim à volta do evento começa cedo, por isso antecedência na compra de bilhete foi essencial. De ano para ano, a música deixou de ser a estrela e tem partilhado atenções com outras atracções como a moda (ah sim, a roupa que levamos é bastante relevante), a comédia (com direito a palco próprio e tudo) e muitas e muitas marcas a fazer activação dos seus produtos/serviços. Lembro-me dos primórdios deste festival (fui aos primeiros) e posso dizer que mudou radicalmente. Mesmo o estilo de bandas convidadas evoluiu com o tempo (mudam-se os tempos, mudam-se as vontades). A componente de restauração foi reforçada e diversificada (até sushi já podemos comer!) - uma coisa é certa, não passamos fome. Mesmo as próprias condições do festival isolam-no de todos os outros: bons acessos, organização e até casas de banho sem serem portáteis. 

Este ano, o foco vai todo para Foo Fighters (ansiosa por vê-los em horas e horas de concerto) mas, e sendo um festival, é um crime não passar por todos os palcos e conhecer novos artistas e bandas!