Global icon-chevron-right Portugal icon-chevron-right Lisboa icon-chevron-right The Black Mamba e Neev entre os intérpretes do Festival da Canção
Neev
©Rita Carmo Neev

The Black Mamba e Neev entre os intérpretes do Festival da Canção

O Festival da Canção regressa à RTP em Fevereiro, com as semifinais previstas para os dias 20 e 27. Já foram revelados os intérpretes das 20 canções que irão a concurso.

Publicidade

A RTP anunciou várias novidades sobre a edição deste ano do Festival da Canção, que irá decorrer entre Fevereiro e Março. Dos 20 compositores convidados, apenas nove escolheram outros artistas para dar voz aos respectivos temas. Entre os intérpretes, encontram-se nomes como Da Chick, Neev, Joana Alegre, Carolina Deslandes, Irma e The Black Mamba.

Nesta edição há mais canções a concorrer (são 20 em vez das habituais 16 e já podem ser ouvidas no canal de Youtube do festival), tendo ainda sido batido um recorde — no concurso de livre submissão houve mais de 690 candidaturas, revelou Inês Lopes Gonçalves, que estará responsável pelas emissões a partir da “Green Room” durante todo o festival.

O modelo será semelhante ao de anos anteriores, com duas semifinais, a 20 e 27 de Fevereiro, e uma final, a 6 de Março, com nomes já familiares da história recente do festival a assegurar a apresentação dos três programas: Sónia Araújo e Jorge Gabriel, Tânia Ribas de Oliveira e José Carlos Malato, e Filomena Cautela e Vasco Palmeirim. Todos os programas vão ser realizados em estúdio e será possível acompanhar em directo na RTP1, RTP Play e RTP Internacional, bem como na Antena 1, que terá a habitual emissão especial dedicada ao festival.

Na primeira semifinal, haverá dez actuações: Nadine (com “Cheguei Aqui”, de Anne Victorino d’Almeida), Fábia Maia (com “Dia Lindo”), Sara Afonso (com “Contramão”, de Filipe Melo), Valéria (com “Na Mais Profunda Saudade”, de Hélder Moutinho), IAN (com “Mundo”), Irma (com “Livros”), Karetus e Romeu Bairos (com “Saudade”, de Karetus), Miguel Marôco (com “Girassol”), Mema (com “Claro Como Água”, de Stereossauro), e The Black Mamba (com “Love Is On My Side”, de Tatanka).

Na segunda, mais dez: Carolina Deslandes (com “Por um Triz”), Da Chick (com “I Got Music”), Joana Alegre (com “Joana do Mar”), Graciela (com “A Vida sem Acontecer”, de João Vieira), Neev (com “Dancing In The Stars”), Eu.Clides (com “Volte-Face”, de Pedro da Linha), Pedro Gonçalves (com “Não Vou Ficar”), Tainá (com “Jasmim”), Ariana (com “Mundo Melhor”, de Virgul), e Ana Tereza (com “Com um Abraço”, de Viviane).

As cinco canções mais pontuadas em cada semifinal passam à final agendada para 6 de Março. A votação seguirá o modelo habitual, cabendo metade da pontuação a um júri profissional e outra metade ao público.

Apesar do cancelamento da 65.ª edição do Festival Eurovisão da Canção, que deveria ter acontecido em Maio de 2020 em Roterdão, não há risco do concurso não acontecer este ano, uma vez que a União Europeia de Radiodifusão foi forçada a repensar as regras e a antecipar vários cenários em função das medidas que a saúde pública possa levantar. É por esta razão que as actuações vão ser gravadas nos países dos concorrentes, para que possam ser usadas caso o intérprete não possa viajar para Roterdão devido à pandemia, ou no caso de, já nos Países Baixos, ter de ficar em quarentena.

Portugal participou no Festival Eurovisão da Canção pela primeira vez em 1964 e venceu pela primeira vez em 2017, com o tema “Amar pelos dois”, composto por Luísa Sobral e interpretado por Salvador Sobral. Na sequência da vitória, Lisboa acolheu o concurso no ano seguinte.

+ Music Feeds: festival online e solidário junta artistas de vários países

+ Leia já, grátis, a edição digital da revista Time Out Portugal desta semana

Share the story
Últimas notícias
    Publicidade