A Time Out na sua caixa de entrada

Pinóquio
© Artfeist

Pinóquio chega ao Casino Estoril e, entre verdades e mentiras, chama toda a família

Com encenação de Valter Mira, direcção artística de Henrique Feist e canções de FF, o musical pode ser visto aos fins de semana à tarde nos próximos meses.

Escrito por
Ricardo Farinha
Publicidade

Pinóquio, o rapaz de madeira criado por Gepetto que só queria ser um menino de verdade, foi inventado nos livros por Carlo Collodi em 1883, e popularizou-se no cinema com a Disney a partir de 1940. Agora, Pinóquio - Uma Aventura Musical está no auditório do Casino Estoril com uma nova vida, pelas mãos do encenador Valter Mira. O espectáculo estreou a 28 de Outubro e mantém-se em cena até 7 de Janeiro, aos sábados e domingos, sempre pelas 15.30.

Esta é uma versão actualizada do clássico, numa performance a pensar nas famílias e, sobretudo, nos miúdos. “Há sempre uma moral nestas histórias. O que o Valter mudou aqui foi que a história é apresentada de uma forma mais moderna”, explica à Time Out o director artístico da peça, Henrique Feist. “Mas a essência está lá: quando erramos, devemos pedir desculpa ou assumir as mentiras.”

Para Henrique Feist, trata-se de uma mensagem intemporal e particularmente “pertinente” tendo em conta aquilo que se passa hoje no mundo. “Com as guerras, com o que se está a passar entre Israel e o Hamas, entre a Rússia e a Ucrânia, esta coisa da verdade e da mentira, da moral certa e errada… É cada vez mais pertinente. Porque cada vez estamos mais rodeados de mentiras, com o objectivo de manipular as pessoas”, defende.

A ideia, portanto, passa por transmitir uma mensagem através do entretenimento. “É importante que as crianças se revejam nesta moral, que não será muito diferente da que recebem em casa. E apesar de serem morais de berço, não as deveríamos perder quando chegamos a adultos.”

As canções foram compostas por Fernando Fernandes, mais conhecido como FF, com orquestrações de Miguel Amorim. “Quando recebi o desafio para compor um musical de raiz, para esta adaptação, disse logo que sim!”, conta FF à Time Out. “Depois entrei um bocado em pânico porque comecei a pensar que era uma responsabilidade enorme, e juntei uma peça fundamental que é o Miguel Amorim, que me ajudou a materializar e a concretizar todas as ideias que ia tendo. Acabámos por trabalhar a meias e foram quase três meses de construção.”

Um dos principais desafios para FF foi compor a pensar nos miúdos. “Ao contrário dos adultos, são aquele público que não tem de fazer um frete ou fingir de que está a gostar. Se eles não gostam, desligam.” Portanto, era importante que existissem estímulos constantes, por vezes com elementos “inesperados”, para que fosse possível “cativar” a sua atenção.

FF sentiu a “pressão” de pegar nesta história tão clássica, mas o artista gostou logo da abordagem de Valter Mira e Henrique Feist à narrativa, até por trazerem uma “mensagem muito humanista” para o palco. “Durante muitos anos, associámos a história do Pinóquio à ideia de: se mentirmos, somos castigados. E existe um castigo físico associado à mentira. O que é bastante duro, se imaginarmos por essa perspetiva. A ideia de um nariz crescer sempre que se conta uma mentira é uma ideia de punição física em relação ao erro. E aqui o que tentamos transmitir é que errar faz parte e conseguimos aprender alguma coisa com isso. Querer ser um menino de verdade, muito mais do que estar na sua imagem ou na matéria de que é feito, está naquilo que habita dentro desta personagem. E isso é muito bonito.”

O elenco de "Pinóquio - Uma Aventura Musical" inclui nomes como Joana Brito Silva, JP Costa, Sara Brás e Pedro Simões. O espectáculo dura cerca de 70 minutos.

Avenida Dr. Stanley Ho, Estoril. 28 Out-7 Jan. Sáb-Dom 15h30. 12,50€

+ O Pátio das Antigas: a primeira incarnação do Casino Estoril

Últimas notícias

    Publicidade