A Time Out na sua caixa de entrada

Life Drawing
Life Drawing

Life Drawing: em Cascais, os domingos são para desenhar em comunidade

Durante o Inverno e a Primavera, aficinados do desenho juntam-se em diversas galerias de Cascais para criar. Life Drawing é o projecto de uma britânica licenciada em Artes que tem vindo a crescer.

Escrito por
Ricardo Farinha
Publicidade

Foi há três anos que Sophia Nicholson teve a ideia de formar uma comunidade criativa em Cascais. Licenciada em Artes, a britânica mudou-se para a vila depois de conhecer o namorado português. Já vive por cá há seis anos. Durante a pandemia, obrigada a passar muito tempo em casa, procurou fazer algo que fosse tão produtivo quanto artístico

“Comecei a dar aulas online de life drawing”, conta, referindo-se aos desenhos de figuras humanas, geralmente modelos nus, onde se explora as formas e as silhuetas de um corpo vulnerável. “Depois, decidi começar a organizar umas aulas em Cascais, quando encontrei um espaço. E tornou-se rapidamente popular, tivemos imensas pessoas interessadas, por isso comecei a fazer aulas regulares.”

A dificuldade era ter um espaço sempre disponível para as sessões, então Sophia começou a visitar outros locais – e gostou desse modelo itinerante. “Ajudou-me a abrir uma rede e a fazer crescer a comunidade, a conhecer outros espaços que estavam interessados em acolher estes eventos. Por isso agora faço sempre em sítios distintos e, mais do que aulas, tornaram-se encontros de networking para artistas, onde diferentes criadores se podem conhecer. Ao mesmo tempo, é uma óptima forma de destacar galerias fixes e espaços que talvez as pessoas não conheçam.”

Nesta fase, o Life Drawing Cascais funciona durante o Inverno e a Primavera, com sessões mensais. Qualquer pessoa pode participar, independentemente da experiência. Porém, há vários artistas com alguma obra feita que recorrem a este projecto para aperfeiçoarem e treinarem a sua técnica. 

Life Drawing
Life Drawing

Sophia vai dando conselhos, e a ideia é que seja um formato relativamente flexível. Mas normalmente as sessões começam com alguns exercícios rápidos, para “desbloquear os músculos do desenho”, que são seguidos de um curto intervalo onde os participantes se podem conhecer, para finalmente haver o momento de uma hora a desenhar um modelo. Nalgumas ocasiões até servem um copo de vinho para acompanhar.

“Os telefones das pessoas estão desligados, não há distracções, existe silêncio, é muito um processo de estar no momento, acho que também é disso que as pessoas gostam”, explica a empreendedora. “É uma óptima altura da semana, quando estás a fazer o reset. Tens um momento sossegado antes do início da semana seguinte. No final de cada sessão as pessoas costumam mostrar os seus desenhos, e nós ajudamos e vemos os trabalhos de cada um.”

“Adoro ir às sessões de desenho”, conta uma das participantes regulares, Madelene Lundh. “Até lhes chamo os meus domingos sagrados. É um espaço seguro a todos os níveis, com modelos profissionais e organizadores excelentes.” Outra participante, Cláudia Ferro, explica como foi desenhar pela primeira vez uma modelo ao vivo. Para si, foi um processo de muitos “traços, correcções, ajustes, intervalos das posturas e da sessão, o degustar do vinho e uma troca de olhares e de impressões com os parceiros de desenho, com uma grande cumplicidade”. No final, foi com curiosidade que observou os desenhos dos outros participantes: "O toque pessoal imprimido em cada um, a escolha de material diverso, as cores e a forma do corpo retratada, as próprias poses da modelo alteradas pela perspectiva do ângulo de visão… Um mesmo corpo e várias realidades criadas em papel.”

Life Drawing
Life Drawing

Sophia Nicholson distribui materiais básicos, como lápis, carvão e papel bem como os cavaletes mas qualquer pessoa é livre de levar os seus próprios materiais. E há muitos que o fazem. 

A próxima sessão acontece já este domingo, 18 de Fevereiro, pelas 18.00, na galeria de Gizela N e Cláudia Afonso, que fica na Cidadela de Cascais. Os bilhetes custam 25€. Também já está agendado o encontro de Março, que será no dia 24, no mesmo horário, na House of Zen. Será para intercalar o desenho com alguns momentos de meditação e alongamentos. Nesse caso, as inscrições ficam por 22,57€. O limite de participantes está sempre sujeito à lotação de cada espaço.

A ideia de Sophia passa por organizar uma exposição com algumas das obras dos participantes regulares no final deste ciclo de sessões, algures no Verão, provavelmente em parceria com uma das galerias que os acolheram. Além disso, diz que gostaria de, eventualmente, idealizar um “curso estruturado”, com uma vertente de “ensino mais activo”. Por enquanto, continua a ser sobretudo um hobbie, de e para quem ama desenhar.

+ Os melhores museus em Cascais

+ As melhores coisas para fazer em Cascais em Fevereiro

Últimas notícias

    Publicidade