Global icon-chevron-right Portugal icon-chevron-right Porto icon-chevron-right Três exposições para ver na primeira Bienal de Fotografia do Porto

Três exposições para ver na primeira Bienal de Fotografia do Porto

A primeira Ci.CLO - Bienal de Fotografia do Porto vai falar de sustentabilidade. A partir de quinta 16, há 45 artistas para ver em 14 espaços da cidade de forma gratuita. Eis o que não pode perder.

Fotografia de Mandy Barker
© Mandy Barker
Por Maria Monteiro |
Publicidade

Aves envoltas no negrume de um habitat contaminado por petróleo no Golfo do México, ursos escanzelados à procura de comida no gelo derretido do Ártico ou um mergulhador a nadar num mar atulhado de plástico em Bali. Todos os anos nos passam diante dos olhos imagens de um planeta ligado às máquinas, mas depressa o choque se perde no caos informativo e se transforma em indiferença. É para fomentar novas formas de acção e consciencialização perante uma das maiores ameaças do século que surge a primeira Ci.CLO – Bienal de Fotografia do Porto, sob o tema Adaptação e Transição. “Estamos preocupados com a crise ambiental e social que vivemos e os hábitos insustentáveis que promovemos”, afirma o director artístico e curador Virgílio Ferreira. 

O mapa de exposições patentes até 2 de Julho inclui espaços como o Palacete dos Viscondes de Balsemão, Casa do Infante, Casa Tait, Reitoria da Universidade do Porto, Escola Superior Artística do Porto e Faculdade de Belas Artes. Sem esquecer as estações de metro dos Aliados e de São Bento, que acolhem um dos projectos-satélite do evento, o Visual Spaces of Change, projecto de vídeo-projecção no espaço público realizado pela Faculdade de Arquitectura. Para que não se perca entre um programa tão preenchido, escolhemos três exposições que não pode perder nesta bienal.

 Relacionado: 16 obras de arte para ver no Porto

Três exposições para ver na primeira Bienal de Fotografia do Porto

jardim palácio de cristal
©Ana Matos
Atracções, Parques e jardins

Adaptação e Transição

icon-location-pin Massarelos

Partindo dos jardins como espaço verde e lugar de passagem, apresenta-se o trabalho especulativo de dez artistas portugueses e estrangeiros. A centralidade do espaço quer torná-lo numa “extensão inclusiva que sirva de ramificação para as outras exposições”. As fotografias estão susceptíveis ao próprio clima, numa efemeridade que dá um efeito circular à mostra com curadoria de Virgílio Ferreira.

Jardins do Palácio de Cristal Seg-Dom 8.00-19.00

Lucas Foglia
© Lucas Foglia
Atracções, Edifícios e locais históricos

Stories on Earthly Survival

icon-location-pin Baixa

De Itália a Alemanha, dos Estados Unidos ao Bangladesh, a exposição com curadoria de Krysztof Candrowicz e Emma Bowkett inclui obras de reputados artistas ligados às questões ambientais. Destacam-se o italiano Lucas Foglia, o alemão Claudius Schulze e a britânica Mandy Barker, “que se foca na poluição dos oceanos e contextualiza a fotografia com texto e dados científicos”, diz Krysztof Candrowicz.

Centro Português de Fotografia Ter-Sex 10.00-18.00 Sáb-Dom 15.00-19.00

Publicidade
Obra de Dinis Santos
© Dinis Santos
Arte, Galerias

Exílio da Paisagem

icon-location-pin Campanhã

O visitante vai embarcar numa viagem no tempo através da “fotografia expandida”, nota o curador José Maia. O presente é retratado por Dinis Santos através de uma série de trabalhos impressos sob material transparente e recorrendo ao uso de estanho. Já Chana de Moura vai a um futuro pós-catástrofe e traz os vestígios da visita a um planeta abandonado como fotografias analógicas, textos, objectos e um filme.

Espaço Mira Ter-Sáb 15.00-19.00

As galerias de arte que tem de descobrir

Show Me - Design & Art Gallery
©DR
Arte, Design

Show Me – Design & Art Gallery

icon-location-pin Grande Porto

No meio do nada brotam algumas das mais singulares peças de design contemporâneo. A Show Me nasceu em 2009 no centro urbano de Braga e mudou-se para o verde rural de Barcelos em 2012. Numa adega onde antes se guardavam pipas de vinho verde estão hoje peças que mostram novas formas de entender a arte e
 o design. A Show Me é uma das raras galerias nacionais dedicadas ao design contemporâneo. Com peças e instalações únicas, edições limitadas e protótipos, as exposições cruzam a funcionalidade do design industrial com a liberdade criativa da arte, apostando em sangue novo e franjas mais experimentais.

Visitas através de marcação: 916 216 121

Galeria Mario Sequeira
©DR
Arte, Galerias

Galeria Mário Sequeira

icon-location-pin Grande Porto

A própria galeria é uma obra de arte 
– arquitectónica e paisagística. A seis quilómetros do centro de Braga, foi fundada pelo médico Mário Sequeira em 1994 e cedo se tornou um espaço de referência da arte contemporânea em território nacional. No ano 2000 foi o palco da primeira exposição em Portugal dedicada a Andy Warhol e tem acolhido artistas como Richard Long, Gerhard Richter, Julian Opie e Rachel Whiteread. É uma galeria viva, rodeada de tapetes de verde onde pode visitar um parque de esculturas. E continua em expansão – este ano foi erguido um novo edifício para acervo e showroom.

Publicidade
Ala da Frente
©DR
Arte, Galerias

Ala da Frente

icon-location-pin Grande Porto

Na ala da frente do edifício do Museu Bernardino Machado abriu em 2015 
a galeria municipal de Famalicão.
 Um passo de gigante para incentivar
a descentralização cultural, que tem levado ao interior do Minho um balão de oxigénio de arte contemporânea. Por aqui já se mostraram exposições de Alberto Carneiro, Pedro Cabrita Reis, José Pedro Croft, João Queiroz, Rui Chafes e Jorge Molder, cada uma delas acompanhada da edição de um livro. Com curadoria de António Gonçalves, a galeria Ala da Frente continua a mostrar valores de referência da criação artística nacional.

Centro Internacional das Artes José de Guimarães, Guimarães
©DR
Arte, Centros de artes

Centro Internacional das Artes José de Guimarães

icon-location-pin Grande Porto

Está integrado na premiada Plataforma das Artes, a maior e mais dispendiosa obra (17 milhões de euros) da Capital Europeia da Cultura 2012, desdobrada em laboratórios criativos, salas de espectáculos e um centro de arte baptizado com o nome do artista José de Guimarães, que aqui depositou as suas colecções e acervo. As 13 salas de exposição do CIAJG acolhem mostras dedicadas à arte contemporânea em diálogo com artes e culturas de outras épocas, com a curadoria de Nuno Faria.


Publicidade
Shairart
©Wapa
Arte, Galerias

Galeria Shairart

icon-location-pin Grande Porto

É o melhor sítio para descobrir os talentos emergentes da arte contemporânea. Desde 2014 que a Shairart anda a democratizar o acesso à arte através da articulação entre uma plataforma online e uma galeria em Braga. Logo 
à entrada, um café-bar convida a entrar. Lá dentro,
 o espaço convida 
a ficar, por entre salas de exposições e actividades como workshops e aulas de pintura e desenho gratuitos. Com a curadoria de Helena Mendes Pereira, mostra-se o que de novo se produz em pintura, ilustração, desenho, escultura e fotografia. Todas as obras estão disponíveis para aquisição no site.

Publicidade