Sete livrarias no Minho que tem de conhecer

Saiba aqui quais são as sete mais maravilhosas livrarias minhotas

©DR

O mundo precisa de mais livrarias. Já não existem muitos livreiros e alfarrabistas no Minho, mas os que sobrevivem merecem uma (ou várias, merecem várias) visitas. 

Sete livrarias no Minho que tem de conhecer

Livraria Fernando Santos – Braga

É uma livraria que impõe respeito – tem estantes tão altas que os livros tocam 
no tecto. Escondida como o melhor dos tesouros, passa despercebida na Rua dos Chãos, em Braga. Fernando Santos abriu estas portas há 34 anos. É o último alfarrabista resistente na cidade, com a teimosia de quem sabe que o que faz é importante. Nas estantes encontram-se livros de temáticas e preços variados, alguns bastante raros, como um soneto de Camilo Castelo Branco (600€) ou um atlas da Society for the Diffusion of Useful Knowledge (4500€).

Grande Porto

Banco de Livros – Vila Praia de Âncora

Rafael Capela criava artesanato e restaurava móveis. Muitas vezes os móveis que comprava vinham com livros, o que o motivava a fazer exposições e vendas.
 Foi acumulando em casa um depósito literário onde brilham as suas duas paixões: a literatura regional (sobretudo do Alto Minho) e a literatura portuguesa do século XX (com destaque para o seu inspirador Miguel Torga). Em 2014 levou os livros para um pequeno espaço em Vila Praia de Âncora, ao lado da passagem de nível. Se estiver à espera que o comboio passe, já sabe como se entreter.

Grande Porto
Publicidade

Centésima Página – Braga

É tão bonita e tranquila, uma livraria verdadeiramente especial. Quando se está lá dentro, o mundo fica lá fora. Quem entra, fica à vontade entre os livros, a imaginar outros mundos. Ocupa o piso inferior da Casa Rolão, uma 
jóia do Barroco, tem uma zona de cafetaria e programação cultural regular. As crianças têm uma área só para elas – ao fundo, onde a luz mais entra. Lá fora um jardim abre ainda mais espaço para ler e brincar. É um projecto de vida, é uma casa de cultura e é uma livraria a sério, com livros para todo o tipo de leitores.

Grande Porto

Almanaque 23 – Guimarães

David Bowie ainda está vivo no gira-discos e Florbela Espanca continua a recitar poemas pelas paredes. Dentro da Almanaque 23 nenhum artista morre, o seu legado cultural é celebrado e mantido vivo. Aberta há mais de um ano, a meio da Viela dos Caquinhos, a loja vende livros usados, BD de autor, ilustrações e vinis. Acolhe um pequeno espólio da livraria Snob, com destaque para a poesia e para o teatro. Em breve vai mudar para um espaço maior e com condições para abrir os livros a eventos como apresentações e ateliês.


Grande Porto
Publicidade

Loja do Júlio

Desde miúdo que Júlio de Castro ficava encantado com as histórias da banda desenhada. O gosto pelos livros cresceu com ele e, após trabalhar
 30 anos como escriturário, estabeleceu-se como alfarrabista. Em 1996 ocupou o número 77 da Rua da Rainha, uma loja que privilegiava as raridades do mundo livreiro.
 A incessante procura de livros aguçou a necessidade de
 um espaço maior para fazer conviver os livros e as pessoas. Hoje, com Hugo Castro ao leme da loja do pai, ocupa quatro salas no número 145 da mesma rua.

Grande Porto

Snob

Foi criada por antigos funcionários de uma multinacional que quiseram fugir à lógica dos grandes mercados. Existiu como residente em Guimarães, mas agora a Snob está na internet e
 um pouco por todo o país,
 nas feiras do livro. Colabora 
com um espaço na terra natal (Almanaque 23), no Porto (ªSede) e em Braga, na B Concept Store. Além de livraria, é agora uma editora que quer dar a conhecer autores desconhecidos. O Grande Baro e Outras Histórias de Virgílio Piñera, nunca publicado em Portugal, é o primeiro livro Snob.

Grande Porto
Publicidade

Livraria Pinto dos Santos

Nem parece uma livraria. Povoada por livros e gatos, aconchegada por sofás e um piano, tem o conforto de uma casa. Foi fundada por Luís Pinto dos Santos, ex-gerente da defunta Livraria Lemos, a maior de Guimarães antes da eucaliptização das Fnacs, e é agora dirigida pelo seu irmão Guilherme Pinto dos Santos. As estantes têm escolhas criteriosas de quem ama os livros, com títulos de editoras como a Quetzal, Tea For One e Orfeu Negro. As traseiras abrem para um jardim onde se ouve música e se lêem livros.

Grande Porto

Comentários

1 comments
Fernando P

Parece que se esqueceram da "Angels Formula - Alfarrabistas", em Braga, na Praça do Comércio...