Bach e Gordon

Música, Clássica e ópera
Paul Hillier
©Ditte Capion Maestro Paul Hillier

A Time Out diz

Atenção, continuamos a tentar dar-lhe a informação mais actualizada. Mas os tempos são instáveis, por isso confirme se os eventos continuam agendados.

Entre os antepassados de Johann Sebastian Bach
que exerceram o mister da composição, o moteto foi género regularmente visitado, mas no início do século XVIII entrara em franco declínio, superado pelo concerto sacro e, depois, pela cantata. J.S. Bach, cuja abertura a inovações musicais não excluía a devoção pelas tradições ancestrais, não podia deixar de aplicar
o seu talento a este molde “antiquado” e relativamente austero – essencialmente
coral, sem lugar para intervenções solistas e com acompanhamento instrumental reduzido ao baixo contínuo – e deixou-nos sete motetos
ao velho estilo seiscentista germânico. Claro que, sendo Bach um génio, os seus motetos não são apenas um exercício de revivalismo e pulsam com vida e invenção, como poderá atestar-se pela audição de Singet dem Herrn Ein Neues Lied (“Cantai ao Senhor um novo cântico”) e Jesu Meine Freude (“Jesus, minha alegria”).

Neste concerto do Coro Casa da Música, com direcção de Paul Hillier, os dois mais famosos motetos de Bach têm a companhia de A Western, de Michael Gordon (fundador do colectivo nova-iorquino Bang on a Can), uma encomenda Casa da Música/Theatre of Voices, que terá aqui a sua estreia nacional.

Por José Carlos Fernandes

Publicado:

Detalhes

Também poderá gostar