Jazz no Parque

Música, Jazz
Jazz no Parque de Serralves
© DR / Serralves Jazz no Parque de Serralves

A Time Out diz

Os 30 anos do Jazz no Parque serão assinalados com estreias de novas formações e novas composições.

Em 2021, o Jazz no Parque cumpre 30 anos de existência e apresenta três espectáculos que juntam músicos portugueses que foram reconhecidos além-fronteiras e músicos europeus que têm tido um importante envolvimento na cena nacional.

Os concertos vão acontecer ao ar livre, no campo de ténis do Parque de Serralves, nos primeiros sábados de Julho, com programação de Rui Eduardo Paes. A primeira data é uma estreia no Porto. No dia 3 de Julho, a voz de Rita Maria e o piano de Filipe Raposo vão explorar a arte da canção com uma abordagem pouco convencional de revisitação do barroco.

Pedro Sousa, um dos nomes de referência do jazz criativo e da música livremente improvisada do nosso país, apresenta um novo projecto, encomendado pelo Jazz no Parque, a 10 de Julho. “Má Estrela” reflecte o seu gosto pelo dub, um subgénero derivado do reggae, de manipulação digital, aqui enquadrado por uma abordagem especificamente jazzística. Acompanham-no os músicos Simão Simões (computador), Bruno Silva (computador), Miguel Abras (baixo eléctrico) e Gabriel Ferrandini (bateria, electrónica).

O quarteto Going, do italiano Giovanni Di Domenico e do português João Lobo, vai subir ao palco a 17 de Julho. No formato invulgar de dois teclistas e dois bateristas, inspiram-se na música de transe do Norte de África e do Médio Oriente, incorporando influências do krautrock, do minimalismo e da música electrónica exploratória. Vão aqui estrear novas composições.

Detalhes

Também poderá gostar