Global icon-chevron-right Portugal icon-chevron-right Porto icon-chevron-right 'Eu e Tu até sermos TODAS!' é o mote da 3.ª edição do Festival Feminista do Porto
Notícias / Eventos e festivais

'Eu e Tu até sermos TODAS!' é o mote da 3.ª edição do Festival Feminista do Porto

"Travessia"
©DR A curta metragem "Travessia", de Safira Moreira, vai ser exibido no dia 7 de Março nos Maus Hábitos.

O Festival Feminista do Porto (FFP) está de volta para a sua 3.ª edição. O lema deste ano é “Eu e Tu até sermos TODAS!” e tem como objectivo mostrar, durante o mês de Março, os vários tipos de feminismo.

O principal foco do festival é a desigualdade de género e as discriminações baseadas na raça, nacionalidade, classe, sexualidade e capacidades. Segundo Maria Côrte-Real, uma das organizadoras, este ano destaca-se “o facto de todo o programa ser dedicado a dar visibilidade a questões que habitualmente não a têm, tanto na nossa sociedade como dentro do movimento feminista”.

Durante quatro semanas, o FFP conta com várias iniciativas como debates, tertúlias, acções de rua, performances, teatro, concertos, exposições e lançamentos de livros.

As actividades acontecem de sexta a domingo e vão passar por locais como o Centro Comercial de Cedofeita, a sede da ILGA (Intervenção Lésbica, Gay, Bissexual e Transgénero), pela Escola Secundária Soares dos Reis até à Confraria Vermelha. Às quartas-feiras há ciclos de cinema na FDUP (Faculdade de Direito da Universidade do Porto), no Gazua e nos Maus Hábitos.

À Time Out Porto Luísa Barateiro, outra das organizadoras, fala-nos da abertura do festival, dia 2 de Março às 21.00, com a inauguração de exposições no Centro Comercial de Cedofeita. Depois disto é hora do espectáculo de cabaré “Aturuxo Conechil”, do colectivo galego As Três Nebrosas, e da festa Kebraku, para dançar a partir das 23.00. Do programa, Luísa Barateiro também salienta um debate, no dia seguinte, “sobre as mulheres ciganas no séc. XXI, uma temática ainda com pouca visibilidade e de grande relevância.”

No FFP deste ano a prioridade foi "dar voz e espaço às pessoas que sofrem mais intensamente essas discriminações, como é o caso das mulheres negras, ciganas, imigrantes, pessoas trans, etc.”, acrescenta Maria Côrte-Real.

Um dos momentos altos do Festival Feminista será a marcha do Dia Internacional da Mulher que começa às 19.00 na Praça dos Poveiros e, em princípio, irá terminar na Avenida dos Aliados com um momento de partilha onde todos os que apoiam a causa vão poder falar sobre as suas experiências.

Encontro de Mulheres é outro dos eventos em destaque do FFP e vai acontecer nos dias 10 e 11 de Março na Escola Secundária Soares dos Reis.

O dia de encerramento é também, segundo Luísa Barateiro, um momento importante e vai ser “especialmente dedicado à luta trans, tendo pelas 17.00, no Café Ceuta, um debate sobre lesbofeminismo como alternativa ao sistema heteropatriarcal.” Para fechar o FFP 2018 está marcada uma performance de encerramento que será um Drag-Queer-King Show.

Maria Côrte-Real destaca ainda que este ano o festival está a tentar chegar a novos públicos contando com a colaboração da Associação Recreativa da Vitória e o Instituto Superior de Serviço Social do Porto (ISSSP). Para além disso vão ter um espaço dedicado a crianças para que as mães possam participar nas actividades.

Durante o mês de Março e tal como aconteceu no FFP do ano passado, o coletivo Slutwalk Porto vai organizar uma recolha solidária de vários produtos de higiene íntima para mulheres sem-abrigo.

 

 

Programa do Festival Feminista do Porto

 

 

 

Publicidade
Publicidade

Comentários

0 comments