A Time Out na sua caixa de entrada

Procurar
Cannoli de atum do Tokkotai
LOUIE THAINCannoli de atum do Tokkotai

Tokko e Tokkotai: dois restaurantes, diferentes como a noite e o dia, que querem o Japão na ponta da língua

Um está aberto apenas ao jantar e tem um lado mais “misterioso e sofisticado”. O outro serve apenas almoços e é mais informal e descontraído.

Escrito por
Mariana Morais Pinheiro
Publicidade

O novo espaço gastronómico do Porto faz lembrar um romance impossível entre dois restaurantes japoneses que convivem lado a lado, mas condenados a nunca se tocarem. Um só abre para almoços e outro só serve jantares. A única oportunidade de trocarem algumas juras de amor é quando o pátio que partilham, e que os une através de uma escadaria em madeira construída de propósito para o projecto, se enche de clientes curiosos e, sobre as suas mesas, aparece boa comida e cocktails de cores garridas e de excêntricos sabores.

Mas vamos por partes, até porque a história deste icónico lugar, no quarteirão do Centro Histórico do Porto, considerado Património Mundial pela Unesco, é longa e está cheia de pormenores. O Tokkotai, o restaurante aberto apenas ao jantar e com um lado mais “misterioso e sofisticado”, adiantam, tem entrada pelo número 144 da Rua do Comércio do Porto. Assim que atravessamos a porta, uma escadaria em pedra encaminha-nos para o Izakaya, uma espécie de bar japonês, onde às quintas, sextas e sábados um DJ anima o ambiente até às duas da manhã.  

Tokkotai
LOUIE THAINTokkotai

Mesmo ao lado, cruzando uma ombreira de pedra granítica (pensa-se que em tempos este espaço serviu de armazém de vinhos, porém, estava desactivado há muitos anos), temos acesso a mais dois espaços: o Sushi Bar, onde atrás de um balcão com lugar para seis pessoas e vitrinas cheias de peixe fresco trabalham afincadamente os sushimen; e a Wine Cellar, a sala mais recatada onde guardam uma garrafeira com mais de 112 referências de vinho. Destas, 50% são de produção nacional e as restantes importadas. Conte também com várias opções de saquê, claro.

É através do Pateo que se acede à Byōbu ou sala dos biombos. Mais intimista e com apontamentos de arte criados pelo artista plástico Francisco Laranjo pode ser, a pedido, reservada para eventos privados. E por falar na decoração, o design de interiores foi entregue a Paulo Lobo, que não só pensou o Tokkotai, onde apostou em tons mais escuros e materiais mais requintados, como também elaborou o Tokko, o outro espaço “mais despojado e descontraído”, com entrada pela rua de Ferreira Borges, aberto apenas aos almoços. 

Gunkan de toro e ouriço-do-mar
LOUIE THAINGunkan de toro e ouriço-do-mar

Apesar de tanto o Tokko como o Tokkotai partilharem grande parte dos mesmos ingredientes e fornecedores, as cartas são substancialmente diferentes. Enquanto no primeiro se aposta mais em poké bowls e combinados e há a possibilidade de take-away e delivery, no segundo, faz-se “uma cozinha assente na técnica, inovação e equilíbrio”, explicam. Nas entradas vai encontrar opções como o ceviche de peixe branco, polvo e camarão (22€), o tártaro de salmão, vieira e camarão (18€), o bao de barriga de porco (10€) ou as guiozas de Wagyu (15€/3 uni.).

Temakis, nigiris — tradicionais, flamejados, trufados ou com foie gras —, uramakis, hossomaki, sashimi e muitas tempuras recheiam uma carta de infinitas possibilidades. Nela há lugar ainda para os Especiais Tokkotai, como o gunkan com toro, ouriço-do-mar, gema de codorniz e caviar (19€), alguns pratos vegan e outros pratos quentes, onde aparece, por exemplo, o polvo grelhado com arroz oriental e vegetais (25€).

Nigiri de lula trufada
LOUIE THAINNigiri de lula trufada

Tudo para ser acompanhado por cocktails clássicos ou outros mais arrojados, de autor. O The Akai Moment (15€), o Moscow Mule (12€) e o Grou (13€) são boas opções. Vá por nós. Remate a refeição com uma fatia de cheesecake de tofu com calda de frutos vermelhos; com os mochis de maracujá, chocolate, avelã ou morango ou com um pudim de matcha (todas a 8€).

Hélder Moura, um dos sócios do projecto, foi o responsável pela empreitada. A viver há 13 anos em São Paulo, uma das cidades fora do Japão onde a cozinha nipónica é mais forte, sempre quis trazer para o Porto um “conceito que fosse inovador e marcasse pela diferença”. Para isso, durante dois anos, experimentou todos os restaurantes japoneses do mesmo segmento, de norte a sul do país. O resultado está à vista e, de preferência, na ponta da língua.  

Sala dos biombos
LOUIE THAINSala dos biombos

Tokko: Rua de Ferreira Borges, 57. 91 303 7117. Seg-Dom 12.00-15.30. 

Tokkotai: Rua do Comércio de Porto, 144. 91 303 7171. Seg-Qui 19.30-00.00. Sex-Sáb 19.30-02.00.

+ Os filmes clássicos japoneses no YouTube que tem mesmo de ver 

Últimas notícias

    Publicidade