MUU

Restaurantes, Steakhouse Galerias
4 /5 estrelas
5 /5 estrelas
(2comentários)
MUU - Steakhouse
1/7
MUU
MUU
2/7
MUU
MUU
3/7
MUU
MUU
4/7
MUU
MUU
5/7
MUU
MUU
6/7
MUU
MUU
7/7
MUU

O Muu é tão bonito que o meu namorado ficou à conversa com o empregado de mesa, que entretanto se instalara no sofá ao meu lado, tecendo rasgados elogios aos rebites, às dobradiças, às chapas acobreadas, e ao impressionante trabalho que o metalúrgico fizera ao revestir parte do restaurante a metal.

O resto da elegância desta steakhouse na Baixa dividia-se entre uma parede em tijolinho, a dar ares industriais; uma imponente garrafeira iluminada, com uma grande oferta de vinhos; uns opulentos pedaços de carne em maturação, numa vitrina sobre a cozinha aberta, e outros pormenores. A minha meia hora a decidir o que vestir para o jantar foi em vão, pensei. E aceitei que naquela noite havia muito mais para onde olhar.

Depressa a nossa atenção recaiu sobre o que começou a chegar à mesa. Um amuse-bouche composto por
 um crocante com carne black angus braseada, queijo e rebentos de beterraba foi oferta da casa. E uma cesta com três pães, ainda quentes, um deles com nozes, acompanhados por duas manteigas, 
uma trufada e outra adocicada, com
um surpreendente sabor a xarope de
 ácer, desapareceu num ápice. Não
 que estivéssemos com fome, mas a sofreguidão era muita: esperámos quase dois meses para arranjar mesa neste restaurante, cujos donos gerem também o Tascö, na porta ao lado.

Ele continuou a apreciar sonoramente o trabalho do serralheiro (era capaz de jurar que nem a Mona Lisa recebeu em 500 anos tantos elogios como aquelas paredes em cinco minutos) e só se calou quando enfiou na boca uma garfada do Johnny’s Scotch, uma versão do ovo escocês, envolto em carnes, panado, muito guloso e crocante, com um puré de chalotas e couves de Bruxelas a completar (9€). Uma entrada mais invernal, que 
se contrapôs largamente ao preparado que se seguiu. O Polinésia apresentou-se bonito e muito fresco, feito com gambas cozinhadas no ponto, mexilhões a saber 
a maresia, um saboroso puré de batata doce, mais lima, coentros com fartura, mas sem exagero, malagueta e leite de coco (12€).

O tomahawk prendeu-lhe o olhar (64€). Vinha todo convencido por se saber tão tenro e se desfazer tanto na boca. E um pouco exibicionista também, mostrando descaradamente a carne rosada, mal passada, e temperada apenas com flor de sal. Ao lado, um tacho de arroz de 
forno com chouriço e uma dose de batata rosti, muito gulosa, cortada finamente
 e carregada de queijo e trufa. A sangria
 de espumante com citrinos, frutos vermelhos e menta aliviava a untuosidade do conjunto (28€).

A refeição aproximava-se do final.
 As sobremesas, de tão bonitas, davam pena estragar. O ninho do Goulart, por exemplo, impelia-nos a viver nele. Era feito com dois ovos de chocolate branco sobre um bolo de cardamomo com matcha, creme de amêndoa e kataífi, uma espécie de massa de aletria. O sabor é que ficou um pouco aquém do esperado. O mesmo aconteceu com a Aqcua di Muu. Igualmente espantosa ao olhar, com um quindim brasileiro num mar de mousse de coco, onde boiavam pedaços de ananás e apontamentos de gel de hortelã, também precisava de ser mais tcharam. As cinco estrelas estiveram quase lá.

*As críticas da Time Out dizem respeito a uma ou mais visitas feitas pelos críticos da revista, de forma anónima, à data de publicação em papel. Não nos responsabilizamos nem actualizamos informações relativas a alterações de chef, carta ou espaço. Foi assim que aconteceu.

Por Dulce Dantas Marinho

Publicado:

Nome do local MUU
Contato
Endereço Rua do Almada, 149
Porto
4050-037
Horário Qua-Seg 19.00-00.00
Preço 60€ a 70€
É o proprietário deste estabelecimento?
Static map showing venue location

Average User Rating

5 / 5

Rating Breakdown

  • 5 star:2
  • 4 star:0
  • 3 star:0
  • 2 star:0
  • 1 star:0
LiveReviews|2
2 people listening

Magnífico! Começando no espaço, de arquitectura irrepreensível de visual industrial, passando pela "matéria humana" que tudo faz da melhor maneira para nos proporcionar uma experiência inesquecível e terminando nas iguarias perante as quais fico MUUdo, sem palavras para descrever tamanho prazer. Por falar em prazer, beber um Gin acomodado naquele soberbo sofá Chesterfield da entrada é um óptimo começo. Obviamente recomendo.


Sublime. É um dos restaurantes mais bonitos de sempre. Adoravel o trato e paixão do staff. Adorável cada pormenor. Cada entrada. Cada carne. A sobremes do ninho é uma obra de arte. Parabéns.