A Time Out na sua caixa de entrada

Procurar
Castanheiro de Guilhafonso na Guarda
© DRSão precisas nove pessoas para abraçar o maior castanheiro da Europa, em Guilhafonso, na Guarda

As mais maravilhosas árvores de Portugal estão a votos

Já pode ajudar a escolher a árvore que representará Portugal na edição europeia do concurso Árvore do Ano 2021. As votações estão abertas até 23 de Novembro.

Por Ana Patrícia Silva
Publicidade

Sabia que são precisas nove pessoas para abraçar o maior castanheiro da Europa? Ou que a oliveira mais antiga da Península Ibérica foi plantada há 3354 anos? Estas são apenas algumas das árvores monumentais que fazem parte do património natural de Portugal e que integram o concurso Árvore do Ano 2021.

O júri seleccionou, entre as 34 candidaturas recebidas, dez árvores que estão agora em votação online. A candidata que conseguir o maior número de votos representará Portugal na edição europeia de 2021. Mas o concurso não se foca apenas na beleza, no tamanho ou na idade da árvore, convidando a conhecer a sua história e a relação com as pessoas ao longo dos séculos. 

Oliveira do Mouchão, a árvore mais antiga da Península Ibérica
© DROliveira do Mouchão, a árvore mais antiga da Península Ibérica

Nesta edição, o Norte está representado pelo Tulipeiro dos Biscainhos, em Braga, o Freixo Duarte D'Armas, em Freixo de Espada à Cinta, e o Carvalho de Calvos, na Póvoa de Lanhoso, um carvalho com mais de 500 anos que é o mais antigo da Península Ibérica e um dos mais velhos da Europa. 

O carvalho mais antigo da Península Ibérica, em Calvos (Póvoa de Lanhoso)
© DRO carvalho mais antigo da Península Ibérica, em Calvos (Póvoa de Lanhoso)

Na zona Centro estão a concurso a Tília do Solar dos Condes de Arnoso em Seia, a Bela Sombra em Ílhavo, o Bravo do Pinhal do Rei em São Pedro de Moel, o Castanheiro de Guilhafonso na Guarda (o maior da Europa), e a Oliveira do Mouchão, que é a árvore mais antiga da Península Ibérica, tendo sido plantada há 3354 anos nas Mouriscas, em Abrantes.

O Bravo do Pinhal do Rei em São Pedro de Moel
© DRO Bravo do Pinhal do Rei em São Pedro de Moel

Mais a sul, encontra-se a Schotia do Jardim Botânico da Ajuda (Lisboa) e o Plátano do Rossio (Portalegre), que é o maior da Península Ibérica. Tem 7 metros de perímetro de tronco, 37 metros de diâmetro de copa e foi plantado em 1838.

Schotia do Jardim Botânico da Ajuda, em Lisboa
© DRSchotia do Jardim Botânico da Ajuda, em Lisboa

Pode ver as histórias das árvores a concurso e votar nas suas preferidas neste link até ao dia 23 de Novembro. A vencedora será anunciada a 26 de Novembro.

A nível europeu, as árvores portuguesas já conseguiram um 1.º lugar em 2018 com o Sobreiro Assobiador (Águas de Moura) e um 3.º lugar na edição de 2019 com a Azinheira Secular do Monte do Barbeiro. No ano passado, o Castanheiro de Vales trouxe o 6.º lugar para Portugal.

+ Os melhores parques e jardins no Porto

Leia aqui a edição online e gratuita da Time Out Portugal

Últimas notícias

    Publicidade