A Time Out na sua caixa de entrada

Procurar
Porto Innovation Hub
© DRPorto Innovation Hub

Centro para a Transição Energética do Porto já está de portas abertas

O espaço é um local de aprendizagem, aberto ao público, que permitirá saber mais sobre os planos do município para melhorar a eficiência energética da cidade.

Escrito por
Margarida Ribeiro
Publicidade

As instalações do Porto Innovation Hub - no Largo do Dr. Tito Fontes, 15 - foram o local escolhido para receber o Centro para a Transição Energética do Porto que se focará na "promoção de novas tecnologias, equipamentos e soluções para benefício dos consumidores e do município", explica a E-REDES, em comunicado. 

O projecto é o resultado de uma parceria entre a Câmara Municipal do Porto, a E-REDES e a Agência de Energia do Porto, e surge como uma plataforma de teste e incorporação de soluções inovadoras, com aplicação prática na cidade, nomeadamente, "em áreas como a produção descentralizada, a optimização do carregamento para a mobilidade eléctrica e a iluminação pública"

Além disto, o novo centro pretender ser um local de partilha de conhecimentos, aberto aos cidadãos, e também tem como objectivo incentivar às boas práticas, com a ajuda de instituições do meio científico, académico e empresarial. Quem visitar o espaço tem a oportunidade de aprender mais sobre esta temática, através de vários conteúdos interactivos, que estão em exposição.

O CTEP vai também permitir "acompanhar, de forma pedagógica e assertiva, os resultados de diversos investimentos já realizados no Porto e que concretizam uma verdadeira (r)evolução energética na cidade, nomeadamente no que diz respeito à transição para a mobilidade eléctrica alimentada por energia 100% limpa e à produção descentralizada de energia renovável com o Projecto Porto Solar, com destaque para a primeira Comunidade de Energia Renovável a ser desenvolvida no Bairro Agra do Amial”, lê-se em comunicado.

Rui Moreira, citado no comunicado, relembra que o Porto "ambiciona atingir a neutralidade carbónica antes de 2050, alinhando as expectativas de descarbonização com as principais cidades europeias, sem esquecer que a transição tem de ser sustentável e justa, envolvendo os cidadãos e criando condições para que percebam as mais-valias dos projectos implementados pelo município dando relevo à redução da pobreza energética no território”.

+ Antiga Central de Captação de Água da Foz do Sousa vai ser transformada em centro de inovação

+ Descubra a edição desta semana, digital e gratuita, da Time Out Portugal

Últimas notícias

    Publicidade