Global icon-chevron-right Portugal icon-chevron-right Porto icon-chevron-right Circolando assinala 20 anos com espectáculo no Teatro Carlos Alberto
Circolando
© Dinis Santos / Circolando A Circolando põe o teatro e a dança em diálogo com outras artes

Circolando assinala 20 anos com espectáculo no Teatro Carlos Alberto

Publicidade

A Circolando, companhia portuense fundada e dirigida por André Braga e Cláudia Figueiredo, está a celebrar 20 anos, mas é o público que vai ter direito a uma prenda. Entre 3 e 6 de Setembro, a dupla sopra as velas em palco com a estreia de 20.20, no Teatro Carlos Alberto (TeCA), espectáculo que integra a programação do centenário do Teatro Nacional de São João (TNSJ).

Como é habitual no seu repertório, a peça tem direcção de André Braga e Cláudia Figueiredo, e reflecte sobre o percurso das últimas duas décadas, ao mesmo tempo que levanta o véu sobre as possibilidades do caminho para o futuro. A partir do conceito de “corpo-arquivo”, cunhado pelo escritor brasileiro André Lepecki, a Circolando mergulhou em materiais documentais como “textos, movimentos e motes de pesquisas” para descobrir neles “novas vidas e desdobramentos”, revela o comunicado de imprensa.

“Sem ponta de nostalgia ou revivalismo”, a companhia olha para o futuro com “a mesma inquietação de sempre” e a “vivência da criação artística como um laboratório”, visão que define o seu trabalho nas últimas décadas. Embora se situe entre a dança e o teatro, a Circolando alimenta-se da transdisciplinaridade e do cruzamento com áreas como poesia, artes plásticas, música ou vídeo.

A experimentação está presente não só em palco e nas criações dos seus directores artísticos, mas também no apoio à criação de projectos de outros artistas, realização de residências artísticas e acções de formação levadas a cabo no espaço que lhe serve de sede, na CACE Cultural do Porto, antiga central eléctrica do Freixo, e fora de portas.

20.20 conta com interpretação de Ana Isabel Castro, André Braga, Bruno Senune, Constanza Givone, Daniela Cruz, Félix Lozano e Ricardo Machado, também co-criadores do espectáculo. A peça está em cena quinta e sexta às 21.00, sábado às 19.00 (sessão a que se seguirá uma conversa informal com Jorge Louraço Figueira, dramaturgo e crítico de teatro) e domingo às 16.00. Os bilhetes custam 10€. 

+ Centenário do Teatro Nacional São João assinalado até 2021

Leia aqui a nova edição digital e gratuita da Time Out Portugal

Share the story
Últimas notícias
    Publicidade