A Time Out na sua caixa de entrada

Procurar
Luvas, máscaras e lenços de papel não são recicláveis
© Marco Duarte

Covid-19: O que mudou no tratamento do lixo e na reciclagem?

Por Bárbara Baltarejo
Publicidade

Com a chegada da pandemia, muita coisa mudou. As pessoas passam a estar quase sempre dentro de portas, os restaurantes trabalham apenas com serviços de entregas, as escolas estão fechadas. E em relação ao lixo?  

De acordo com a Lipor, empresa encarregue da gestão dos resíduos do Porto e de outros sete municípios, apenas há novos cuidados a ter em casas com pessoas infectadas. Nessa situação, "todos os resíduos produzidos pelo doente e por quem lhe presta assistência devem ser colocados em sacos do lixo resistentes e descartáveis, com enchimento até 2/3 da capacidade", explica em comunicado. Este saco deve depois "ser colocado dentro de um segundo saco, devidamente fechado, (...) e depositado no contentor do lixo comum". 

Se não tiver nenhum doente em casa, os procedimentos habituais mantém-se: os resíduos recicláveis devem ser separados e o lixo comum colocado no contentor correspondente. A Lipor lembra ainda que "luvas, máscaras e lenços de papel devem ser depositados no contentor do lixo comum", uma vez que não podem ser reciclados.

+ Leia a edição desta semana da Time In Portugal

+ 2019 foi ano de recorde na reciclagem do Porto

Fique a par do que acontece na sua cidade. Subscreva a nossa newsletter e receba as notícias no email.

Últimas notícias

    Publicidade