A Time Out na sua caixa de entrada

Procurar
Silvia Rubi
© Caroline SaysSilvia Rubi

Eros Porto: Actriz pornográfica e activista Silvia Rubi é a convidada especial da 13ª edição

Por Patrícia Santos
Publicidade

Shows de sexo ao vivo, espectáculos gays, lésbicos e bissexuais, massagens eróticas, swing, cinema XXX e artes circenses com fogo e pirotecnia fazem parte da programação da nova edição do Eros Porto, que acontece na Exponor entre 5 e 8 de Março. Estudámos a anatomia do programa com atenção e dizemos-lhe como e o que fazer para sair de lá bem satisfeito.

Inocente

O Eros Porto está de regresso. Agradecem os portuenses sem preconceitos, os casais que procuram novos brinquedos, os curiosos com dúvidas sobre o corpo e todos os outros praticantes, profissionais ou amadores, desta modalidade com adeptos à escala mundial.

Assim que cruzar as portas da Exponor, entre os dias 5 e 8 de Março, vai encontrar um espaço estrategicamente dividido em três áreas: Inocente, Marota e Perversa. A primeira dá início à exibição e é lá que os desejos, as sensações e as fantasias – vistas como uma forma de enriquecimento da sexualidade – estão no centro de tudo. A organização convida-o, então, a libertar-se de papéis de género, tabus, preconceitos e relações tóxicas, e a descobrir “novas formas de viver o amor, a intimidade e a ligação com o outro”.

Passe, depois, pelo espaço Experiências Tântricas do projecto Bloom Barcelona, responsável por ensinar, entre outras coisas, os benefícios das práticas tântricas na melhoria das disfunções sexuais, bem como a técnica fundamental da Respiração Orgásmica, que “trabalha a respiração e o movimento, dentro da Meditação Orgásmica, para proporcionar uma autêntica revolução na forma de viver o prazer máximo”. Um outro espaço que merece uma visita sua (ou vossa, se for acompanhado) é o Extasia. Está a cargo de um projecto único na Europa com o mesmo nome que tem artistas, psicólogos, sociólogos, jornalistas, sexólogos e praticantes de diferentes disciplinas espirituais na sua composição. O grupo, “que se dedica a transmitir uma filosofia de vida baseada no amor, com base na ciência e na filosofia tântrica”, traz dez espectáculos artísticos, seis dos quais totalmente inéditos. Além destas “obras cénicas, eróticas, tântricas, com elementos coreográficos teatrais e multimédia”, Extasia vai apresentar cinco performances diárias: “histórias simbólicas que representam o caminho em direcção ao amor autêntico e que incluem dança e movimento cénico”. Aproveite também os conselhos tântricos, necessários para evitar a degradação da relação de um casal, que o grupo vai estar a dar.

Para esclarecer todas as suas dúvidas sobre sexualidade, apareça no Consultório Sexológico e aprenda mais em aulas e palestras, admire o melhor da arte erótica, participe em diferentes jogos e actualize-se sobre as últimas novidades de brinquedos e artigos sexuais. 

© Pedro Monteiro

Marota

Na Marota, a segunda zona do evento, estão os espectáculos das Pyro Ladies, um grupo de bailarinas portuguesas que misturam, nas suas apresentações, dança, sensualidade, fogo e pirotecnia, uma conjugação nunca antes vista no Eros Porto, segundo a organização. As artistas, especializadas em números de dança e artes circenses temáticos, que incluem burlesco, dança oriental e chair dance, vão apresentar-se ao longo dos quatro dias da iniciativa nos palcos eróticos, onde também acontecem espectáculos de striptease, dança do varão e fetiches vários.

O palco BDSM, com práticas de dominação e submissão; as áreas de Sexo Tântrico e de Fotografia Erótica; e as exemplificações de Shibari, arte de origem japonesa, erótica e sensual, que consiste na utilização de cordas para amarrar o parceiro, merecem igualmente atenção nesta zona slow sex.

Em Marota há ainda lugar para actividades nas quais os presentes podem participar. “Alguns dos shows dos palcos eróticos, em que elementos do público são convidados a interagir de forma humorística e provocativa com os artistas, e as sessões de massagem tântrica, que podem ser realizadas individualmente ou em casal”, são alguns exemplos, sugerem.

Perversa

Esta é a zona hard sex e a última a visitar. Shows de sexo ao vivo protagonizados por profissionais do cinema para adultos, espectáculos gays, lésbicos e bissexuais, e um Cinema XXX que vai projectar uma série de filmes deste escalão produzidos em Portugal, é o que vai encontrar por aqui. Uma área Swinger, um espaço de Massagem Erótica, um Quarto Escuro e um Photo Call Hard, bom para quem quiser fotografar-se tal como veio ao mundo com os seus artistas favoritos, ajudam a completar a oferta desta zona, “onde os limites são impostos apenas por quem pratica”.

Convidada Especial

Melhorar a educação sexual, mudar o cinema adulto e aumentar os direitos dos trabalhadores do sexo são as três grandes causas que movem Silvia Rubi, uma das mais importantes e internacionais actrizes pornográficas espanholas. A também activista, que chega ao Porto como convidada especial desta edição, defende a importância de existir “um porno educativo, ao alcance de todas as pessoas que queiram saber mais, e sempre acompanhado de uma educação sexoafectiva de qualidade, tanto nas escolas, como através dos sistemas de saúde”.

A artista, que se iniciou no cinema adulto há mais de uma década, alega que este deveria ser mais ético e mais feminista. “Penso que já estamos muito saturados de ver o mesmo padrão de atitude machista. Há uma maioria clara de cenas em que o personagem masculino é triunfador, agressivo e verbalmente humilhador da mulher”, refere. Silvia, que na sua luta não esquece os abusos de poder por parte das empresas, muitas vezes causados pelo facto de o trabalho sexual não estar regulamentado, é igualmente crítica dos “salários irrisórios, da fuga ao fisco e até da falta de protecção de saúde”, comuns neste meio.

Silvia Rubi
© DR

A não perder

Fique também atento às irmãs gémeas Sheila e Kesha Ortega, que fazem espectáculos sexuais em conjunto; a Santi Noguera, que se divide entre a representação no cinema gay e a medicina estética; e ao casal de actores formado por Jesús e Pamela Sanchez – estão todos entre os muitos strippers e performers de várias artes eróticas e das diferentes filosofias sexuais que protagonizam a 13ª edição do Eros Porto.

Esta fica, assim, marcada pela presença de “artistas que representam novas promessas no mercado do entretenimento adulto” e de “outros já consagrados, conhecidos do grande público, e galardoados com os principais prémios da área”, que vêm de Espanha, dos países do Leste, da América Latina e de Portugal, claro.

+ Coisas para fazer no Porto este mês

Fique a par do que acontece na sua cidade. Subscreva a nossa newsletter e receba as notícias no email.

Últimas notícias

    Publicidade