A Time Out na sua caixa de entrada

Procurar
Neste espectáculo são os espectadores que escolhem o cenário
© DRNeste espectáculo, são os espectadores que escolhem o cenário

No Minho, há um espectáculo que acontece como e quando o público quiser

O 'Museu do Futuro Próximo', do Teatro do Frio e Comédias do Minho, desafia os espectadores a mergulhar em dramas sonoros para descobrir obras de arte. Até 26 de Setembro, está em Melgaço, Monção, Paredes de Coura, Valença e Vila Nova de Cerveira.

Por Maria Monteiro
Publicidade

Imagine um espectáculo sem palco nem actores, sem cenário nem enredo. Parece uma coisa vinda do futuro e, em certa medida, esta impressão corresponde à realidade. O Museu do Futuro Próximo, criação e produção do Teatro do Frio e das Comédias do Minho, foi pensado para o presente de distanciamento social e quer levar os espectadores a assistir pelo próprio pé, tornando-os cúmplices do processo de criação e, sobretudo, apresentação.

Para isso, escolheram sete espaços públicos nos municípios de Melgaço, Monção, Paredes de Coura, Valença e Vila Nova de Cerveira, que funcionam como cenário para a “criação de ficções com e no território” e convidam à “deriva física e emocional”, descreve o comunicado. As propostas estão alavancadas a sete dramas sonoros, que deverão ser descarregados no telemóvel para dar início à divagação e deambulação dos visitantes.

Nesta espécie de caça ao tesouro em que o público toma as rédeas do seu destino, tudo começa no átrio definido para cada cidade ou vila do Vale do Minho (consultar lista aqui). Aí receberá um envelope e mapa do percurso proposto e, já com os dramas sonoros no seu dispositivo, poderá seguir para um dos “sete observatórios naturais” sugeridos — espaços que são “palco e galeria” onde “sete obras de arte" são mostradas sem “fronteiras físicas”.

O Museu do Futuro Próximo está “feito à escala 1:1 do lugar que ocupa” e pode ser activado como e quando o visitante entender. Embora as indicações da visita correspondam ao trajecto mais curto, os criadores aconselham a que ela seja realizada ao longo de um dia. A ideia é que o público se oriente “pela decisão ou curiosidade” e se deixe perder na iniciativa que decorre até 26 de Setembro.

+ Galerias de arte no Minho que tem de conhecer

Leia aqui a nova edição digital e gratuita da Time Out Portugal

Últimas notícias

    Publicidade