Global icon-chevron-right Portugal icon-chevron-right Porto icon-chevron-right O novo Infante Sagres terá mais quartos, uma piscina e o primeiro Vogue Café em Portugal
Notícias / Vida urbana

O novo Infante Sagres terá mais quartos, uma piscina e o primeiro Vogue Café em Portugal

Hotel Infante Sagres
© Cláudia Paiva

Foi de capacete na cabeça e colete reflector que entrámos nas obras de recuperação e ampliação do Hotel Infante Sagres. “Queremos voltar a ser um ponto de paragem na cidade”, diz Carlos Trindade, o director do hotel. A ambição é grande e é suportada pela experiência do grupo The Fladgate Partnership (que adquiriu o alojamento em Abril de 2016), também detentor de outros dois hotéis de luxo: o The Yeatman, em Gaia, e o Vintage House Hotel, no Pinhão.

© Cláudia Paiva

A 3 de Novembro saíram os últimos hóspedes do primeiro hotel de luxo do Porto e as obras arrancaram três dias depois. Em Abril de 2018, mês previsto para a reabertura do hotel da Praça Filipa de Lencastre, o Infante Sagres terá 72 quartos e dez suites, uma piscina, spa e ginásio e ainda 600 metros quadrados de comidas e bebidas.

A entrada imponente, com uma pequena escadaria, encontra-se coberta por tábuas de madeira, e mais ao fundo o pátio interior tem agora um buraco no meio para facilitar as obras.

© Cláudia Paiva

O investimento é grande: 7,5 milhões de euros para aumentar e recuperar o hotel inaugurado em 1951. E como é que se recupera um edifício histórico da cidade? Com escovas de dentes. Parece piada mas é verdade. Este é o objecto utilizado para recuperar a folha de ouro original do tecto de algumas salas. Trata-se de um trabalho moroso mas necessário que pode chegar aos quatro meses.

© Cláudia Paiva

Começamos a subir a escadaria, tão emblemática para o hotel como o próprio para a cidade. Ainda não se decidiu como ficará o chão mas o vitral mantém-se, claro. Foi desmontado para que todos os elementos fossem recuperados individualmente e voltará a ser montado em Janeiro.

© Cláudia Paiva

No que aos quartos diz respeito, o aumento em número era expectável. De 70 quartos passará para 72, mais amplos – alguns deles remodelados ou aumentados, e outros feitos de raiz –, mais dez suites. E onde ficarão os novos quartos? Ora bem… Nove nascerão naquele que até agora era o quarto andar. Usado como arrecadação viu o seu pé direito ser aumentado para dar lugar a mais camas. Só para se orientar, estamos a falar da zona que fica virada para a Rua de Aviz. Entretanto, foi comprado um edifício na Rua da Fábrica que abrigará mais quatro quartos e uma suite. Os restantes, nascem de pequenos ajustes na estrutura do edifício principal.

© Cláudia Paiva

Este segundo edifício será fundamental para o novo Hotel Infante Sagres. Além dos quartos e da suite de que já falámos, é também aqui que vão ser construídos o spa e o ginásio. Mas há mais. Toda a parte operacional ficará concentrada neste espaço: a rouparia, o armazém e até a cozinha central modernizada que alimentará os vários espaços de comida do hotel.

Descemos ao segundo piso, onde existe uma grande varanda. É aqui que nascerá a piscina, uma das grandes novidades do hotel, já que é raro encontrar uma num hotel em pleno centro da cidade.

© Cláudia Paiva

Quanto às áreas de comidas e bebidas, o Infante Sagres terá duas ofertas: o restaurante, cujo nome ainda não está decidido, e o Vogue Café, o segundo espaço europeu da Condé Nast e primeiro em solo português.

O restaurante ficará numa sala com acesso ao pátio interior, no piso térreo, e será comandado pelo chef executivo do grupo, Ricardo Costa. As paredes e o tecto, agora pintados de preto e branco, voltarão à madeira de carvalho original e ao dourado nas zonas mais trabalhadas.

© Cláudia Paiva

O Vogue Café terá uma entrada pelo hotel e outra pela Rua de Aviz. Ocupará não só o espaço do antigo restaurante Book mas também o pátio interior e uma sala adjacente no piso térreo do hotel. Olhando para a nuvem de poeira e para o chão em pedra não se imagina o que aqui nascerá. Mas ao vermos as imagens do projecto do decorador Paulo Lobo, percebemos que reinarão os brancos, tanto nas paredes como nos sofás e nos cadeirões. Apesar do pátio ficar com azulejos pretos e brancos, nas áreas interiores manter-se-á a madeira no chão. Aqui serão servidas refeições ligeiras e pratos para partilhar entre amigos.

© Cláudia Paiva

“Londres tem o Savoy e o Porto tem o Infante Sagres”, diz Adrian Bridge, o CEO do grupo. Pelo menos é o que se espera a partir de Abril de 2018.

Em época alta, os preços por quarto rondarão os 270€ e as suites vão andar na ordem dos 350/400€.

+ Grande Hotel de Paris: 140 anos de Belle Époque na Baixa portuense

Publicidade
Publicidade

Comentários

0 comments