Global icon-chevron-right Portugal icon-chevron-right Porto icon-chevron-right O novo Museu do Vinho do Porto é inaugurado a 5 de Março
Notícias / Eventos e festivais

O novo Museu do Vinho do Porto é inaugurado a 5 de Março

Uma das peças que pode ver no novo museu
© Cláudio Simões Uma das peças que pode ver no novo museu

Entre 2004 e 2016, o Armazém do Cais Novo serviu de casa ao Museu do Vinho do Porto da cidade. A partir de 5 de Março, dia em que a sua nova versão inaugura oficialmente, encontra-o em outra morada, na Rua da Reboleira, e esta tem vista para o rio. A localização, contudo, não é a única novidade. Aqui há também uma nova história a ser contada, que gira em torno do papel desempenhado pelo poder local, ao longo dos séculos, na regulação e controlo do comércio dos vinhos que circulam pelo Porto. Quem o diz é Manuel Antunes, da equipa de conservadores dos museus municipais, que levou a imprensa numa visita guiada pelo espaço.

A narrativa é construída em torno de peças provenientes da colecção municipal, que estavam espalhadas por vários locais da Invicta - o Museu Soares dos Reis e a Biblioteca Pública são exemplos. Pela primeira vez sob o mesmo tecto, dão a conhecer a importância que o Poder Local sempre teve na regulação do comércio do vinho na cidade, pelo estabelecimento de controlos e vistorias que garantem a qualidade do produto.

A contar esta história há documentos, mobiliário e pinturas, além de maquetas de barcos e instrumentos de metrologia e aferição. Os vereadores, os almotacés e os aferidores — responsáveis pela obtenção, armazenamento e distribuição de bens, decisão e fiscalização sobre aspectos como locais de descarga e venda, transportes, circulação, higiene e padrões de medidas — são as categorias de oficiais municipais que ganham destaque neste museu, que recebe quem o visita com imagens onde o vinho é o protagonista e com um quadro interactivo que permite saber mais.

No topo das escadas, chega-se a um piso no qual o transporte do vinho no Douro é o foco. Aqui vêem-se maquetas de barcos datadas da década de 60 e desenhos à pena. Um andar acima e a aferição ganha destaque: há uma parte da colecção de metrologia para ver, onde brilham instrumentos de medição e vistoria dos tempos de D. João V, que reinou entre 1707 e 1750. Um livro de acórdãos de 1787, mostra, por exemplo, como eram reguladas as horas de circulação e os preços de frete. Nos pisos inferiores encontra um wine bar, no qual vai poder experimentar vários vinhos. E a cave destina-se a eventos especiais e funciona como área de armazenamento e degustação.

Do outro lado da rua, tem ainda lugar um espaço complementar, do qual pode esperar a dinamização de oficinas, exposições e formações. A primeira já tem data e hora marcada. Acontece a 10 de Março às 11.00. Trata-se de uma oficina para famílias, que procura sensibilizar para as tradições que estão associadas ao vinho, segundo Liliana Pereira, coordenadora do museu. A inscrição prévia é obrigatória, mas a actividade é gratuita.

Para conhecer o museu tem entre terça-feira e domingo, das 10.00 às 17.30. Durante a semana a visita tem um custo de 2,20€, mas ao fim-de-semana a entrada é gratuita.

+ A história, a arquitectura e os azulejos de São Bento vão estar em discussão esta sexta-feira

+ Coletiva Ocupação, Fado Bicha e Duck March marcam presença na quinta edição do MEXE

Fique a par do que acontece na sua cidade. Subscreva a nossa newsletter e receba as notícias no email.

Publicidade
Publicidade