Global icon-chevron-right Portugal icon-chevron-right Porto icon-chevron-right Siza Vieira será responsável pelo projecto de recuperação do Mosteiro de Leça do Balio

Siza Vieira será responsável pelo projecto de recuperação do Mosteiro de Leça do Balio

Publicidade

Siza Vieira e António Pardal são os arquitectos envolvidos no projecto de recuperação do Mosteiro de Leça do Balio e a sua envolvente. A notícia foi avançada esta quarta-feira, numa conferência de imprensa que teve lugar em Matosinhos, e onde o grupo Lionesa anunciou um investimento inicial de 10 milhões de euros. A recuperação do mosteiro pretende abrir à comunidade instalações fechadas à população “desde o século XII”, de acordo com o curador Joel Cleto.

O projecto, que já deu origem à exposição Monasterium KM234 – que poderá ser visitada gratuitamente e de forma guiada a partir de amanhã até ao final do ano –, inclui a construção daquilo que Siza Viera apelidou de “templo” e que será edificado alinhado com o mosteiro. A obra, uma estrutura de 400 metros quadrados de várias alturas, feita de betão pintado de branco, inspira-se no Mosteiro de Leça do Balio e nos Caminhos de Santiago e deverá estar finalizada em 2020.

Em simultâneo à obra de Siza Vieira, nascerá no espaço anexo o projecto paisagístico dos jardins do mosteiro, a cargo de Sidónio Pardal. O arquitecto explicou que “vai ter 14 estâncias que poderão ser utilizadas para pausas de vigília, espera, contemplação, explorando todos os seus caminhos". Pardal não confirmou datas para a conclusão da obra, mas afirmou esperar que o espaço já tenha uma “maturidade interessante”, dentro de três ou quatro anos”.

A exposição Monasterium KM234 deve o nome à distância entre o mosteiro e Santiago de Compostela e explica a “História e as histórias que ao longo dos anos fizeram os Caminhos de Santiago”. Esta é a marca que o grupo Lionesa, segundo o seu administrador, Pedro Pinto, quer ver implantada no investimento.

Pedro Pinto explicou ainda na conferência de imprensa que a dimensão do projecto pode ultrapassar a inicialmente prevista e admitiu a "aquisição de livros e de documentos", a fim de valorizar e vincar a aposta da integração do mosteiro nas rotas turísticas.

+ Nova PraÇa em Gaia a tempo do São João

+ Os Jardins do Palácio de Cristal vão crescer

Share the story
Últimas notícias
    Publicidade