A Time Out na sua caixa de entrada

Procurar
Parque Termal das Caldas de Moledo
© Câmara Municipal do Peso da RéguaParque Termal das Caldas de Moledo

Termas das Caldas do Moledo vão renascer no Douro

Junto ao rio Douro, as históricas termas das Caldas do Moledo, na Régua, vão ser recuperadas para se tornarem num pólo de atracção turística.

Escrito por
Ana Patrícia Silva
Publicidade

As Caldas de Moledo estão localizadas junto a três vias de comunicação: ferroviária, rodoviária e fluvial, junto ao rio Douro. Construídas no século XIX, as termas têm uma história ligada a Dona Antónia Adelaide Ferreira, conhecida como “A Ferreirinha”, a quem foi entregue o alvará de concessão, em 1895. A empresária nascida em Peso da Régua, que ficou conhecida por se dedicar ao cultivo do vinho do Porto, aqui repousava e fazia tratamentos termais.

Uma década depois do seu encerramento, em Junho de 2011, o Turismo do Porto e Norte de Portugal (TPNP) e a Câmara da Régua uniram-se para formar um consórcio para reactivar as históricas termas. A adjudicação da obra para a recuperação do Balneário Termal das Caldas do Moledo foi assinada no final de Março, afirma em comunicado a autarquia do Peso da Régua. Com o prazo de execução de 18 meses, a obra terá um investimento de 1,6 milhões de euros, com financiamento comunitário garantido no âmbito do Programa PROVERE.

Termas das Caldas de Moledo
© Câmara Municipal do Peso da RéguaTermas das Caldas de Moledo

O edifício vai ser reabilitado e adaptado para acolher um programa termal, com vários tipos de tratamento e mantendo a piscina como elemento principal. A recuperação do Balneário marca o início de uma intervenção mais alargada, com uma aposta complementar na hotelaria e no aproveitamento de equipamentos existentes no local, como o Palacete de Caldas do Moledo.

Parque das termas das Caldas de Moledo
© Câmara Municipal do Peso da RéguaParque das termas das Caldas de Moledo

A água das termas das Caldas de Moledo é hipertermal, ocre, com reacção alcalina, carbonatada, fluoretada, sódica e sulfúrica, com uma temperatura de 45 °C e pH de 9,3. É particularmente aconselhada para o combate ao reumatismo, dermatoses e doenças das vias respiratórias.

+ Douro vai ter um novo hotel de cinco estrelas

Descubra a edição desta semana, digital e gratuita, da Time Out Portugal

Participe no Time Out Index e conte-nos o que sente pela sua cidade

Últimas notícias

    Publicidade