Cinco coisas que tem de provar no novo Café Progresso

É uma das casas mais emblemáticas da cidade e acaba de reabrir com uma carta bem recheada. Entre clássicos e novidades, estas são as cinco coisas que tem de provar no novo Café Progresso
Mesa comunitária - Café Progresso
© Cláudia Paiva Café Progresso
Por Teresa Castro Viana |
Publicidade

Rufem os tambores: o velhinho Progresso reabriu com nova gerência, nova carta, nova onda. O café, que continua a ser a imagem de marca deste espaço junto à Praça Carlos Alberto, é 100% arábica e há variedades para todos os gostos. Mas há muito mais para provar: smoothie bowls, panquecas, saladas, tostas, vários pratos de ovos e pizzas em forno a lenha.

Cinco coisas que tem de provar no novo Café Progresso

Queques da D. Odete - Café Progresso
© Cláudia Paiva

Queques da D. Odete

A D. Odete já era responsável pela pastelaria no antigo Café Progresso, ingressou no novo projecto e com ela trouxe a receita dos famosos queques. Não a deslindámos mas garantimos que vale a pena prová-los. São feitos diariamente e, além da versão tradicional, também há os de uvas passas e os de maçã e canela.

Preço: 1€

Ovos escalfados - Café Progresso
© Cláudia Paiva

Ovos escalfados com beterraba, cenoura, guacamole e coentros

Os ovos nunca são demais e no renovado Café Progresso leva-se isso à letra. Aqui há seis variedades, que podem ser pedidas a qualquer hora do dia, num pequeno-almoço mais generoso ou num almoço rápido. Os que aqui vê são escalfados e servidos com beterraba e cenoura raladas, guacamole e coentros.

Preço: 6€

Publicidade
Panquecas salgadas - Café Progresso
© Cláudia Paiva

Panqueca de guacamole e rúcula

Se acha que as panquecas só fazem sentido cobertas com chocolate, desengane-se. Aqui há três versões salgadas que podem bem tornar-se um sucesso. A de guacamole e rúcula vem com tomate cherry temperado com cominhos e é um petisco. Se preferir a versão vegan, o preço aumenta 1€.

Preço: 4,50€

Tosta de pêra - Café Progresso
© Cláudia Paiva

Tosta de pêra, nozes e queijo de cabra gratinado

Peça a tosta que pedir (há várias), o primeiro passo é sempre escolher o pão. Pode ser de mistura, centeio, alfarroba (estes três produzidos pelo Pão Nosso, marca de pão artesanal) ou o Progresso, o único feito no local, com receita própria. A que aqui vê, de pêra, nozes e queijo de cabra gratinado, é uma delícia.

Preço: 9€

Publicidade
Pinsa Ventura - Café Progresso
© Cláudia Paiva

Pinsa Ventura

O que é a pinsa? Uma espécie de pizza cuja massa, de maturação longa (150 horas), é feita com farinhas de arroz, soja e trigo. Resultado? Um prato mais leve e mais fácil de digerir. A pinsa Ventura leva mozzarella de búfala, rúcula, queijo parmesão, presunto de Parma e tomate cherry.

Preço: 14€

Publicidade