Global icon-chevron-right Portugal icon-chevron-right Porto icon-chevron-right Os piores e os melhores filmes da Marvel

Atenção, continuamos a tentar dar-lhe a informação mais actualizada. Mas os tempos são instáveis, por isso confirme sempre antes de sair de casa.

Vingadores Guerra do Infinito
©Marvel Studios

Os piores e os melhores filmes da Marvel

Na sequência de um esforço super-heróico, elencámos os melhores filmes da Marvel. E os piores.

Por Joshua Rothkopf
Publicidade

Por muito que a gente adore o Homem-Aranha de Sam Raimi (e até ache alguma piada a O Incrível Hulk de Ang Lee), o universo cinematográfico da Marvel só começou a ganhar forma em 2008, com o Homem de Ferro de Jon Favreau. E passados mais de dez anos encontra-se em grande, com filmes como Black Panther, de Ryan Coogler, a ganharem Óscares. Mas não foi fácil chegar até aqui. Sabendo que nos estamos a pôr a jeito das caixas de comentários, elencámos os 23 capítulos desta narrativa épica estreados até à data. Eis os piores e os melhores filmes da Marvel.

Recomendado: As melhores séries para ver na Netflix

Os melhores (e os piores) filmes da Marvel

23. Thor: O Mundo das Trevas

Imaginem uma aula de Introdução à Mitologia com cenas de guerra à moda de O Senhor dos Anéis e Anthony Hopkins a fazer o seu melhor barítono shakespeariano. O resultado desta caldeirada de referências é Thor: O Mundo das Trevas, um filme de super-heróis genérico e inconsequente.

22. Homem de Ferro 2

Robert Downey Jr. consegue ser insuportável. A sua interpretação de Tony Stark, um fabricante de armas com sentimentos de culpa, foi excelente no primeiro Homem de Ferro. Mas nesta sequela deprimente e aborrecida não revela a mesma amplitude de emoções.

Publicidade

21. O Incrível Hulk

Edward Norton só apareceu uma vez no universo cinematográfico da Marvel, antes de sair da sombra do Hulk (Mark Ruffalo atirou-se ao papel depois dele e nunca mais o largou). E, a julgar por este filme, não se perdeu grande coisa. Muito aquém do inspirado e interessante Hulk de 2003, de Ang Lee.

20. Homem-Formiga e a Vespa

A segunda história do Homem-Formiga, realizada por Peyton Reed, não é tão boa como o filme homónimo, de 2015. Paul Rudd volta a interpretar o super-herói da Marvel, agora emparceirando com a Vespa (Valentine Lilly) numa vertiginosa aventura.

Publicidade

19. Thor

Com aparente sentido de missão e algum cansaço, esta fita de Kenneth Branagh faz aquilo a que se propõe e pouco mais. Neste caso, introduzir no universo Marvel o poderoso guerreiro da mitologia nórdica, interpretado por Chris Hemsworth.

18. Homem-Aranha: Longe de Casa

Tal como a anterior fita do Homem-Aranha de Jon Watts, Homem-Aranha: Longe de Casa é um filme de adolescentes, mas com uma história de super-heróis enxertada. Neste caso, uma história ribombante e repetitiva, sem a dimensão leve e humana da longa-metragem de 2017.

Publicidade

17. Capitão Marvel

Brie Larson interpreta a super-heroína homónima da Marvel neste filme de Anna Boden e Ryan Fleck. O enredo segue a transformação de Carol Danvers, uma ex-piloto da Força Aérea dos EUA, numa das mais poderosas super-heroínas do universo, que se vê no meio de um conflito intergaláctico.

16. Vingadores: A Era de Ultron

Apesar de não ser memorável, Vingadores: A Era de Ultron não deixa de ser um filme de Joss Whedon, com todas as cenas de acção e piadas a que temos direito. O problema é que a Marvel parece estar mais preocupada em lançar as bases para os próximos blockbusters do que em contar uma história com pés e cabeça.

Publicidade

15. Capitão América: O Primeiro Vingador

Dado que o Capitão América é um dos heróis menos torturados da Marvel, o facto de Chris Evans interpretá-lo basicamente como um copinho de leite morno até faz sentido. Peçam-lhe para mostrar qualquer tipo de emoção, porém, e o filme descarrila. Mas a série melhora (e muito).

14. Homem-Formiga

Quando o universo Marvel parecia estar prestes a rebentar pelas costuras e a ficar demasiado grande para o seu próprio bem, Homem-Formiga voltou a colocar certas coisas em perspectiva. Em última análise, é olvidável, mas serve para lembrar que há pessoas a sério por trás das máscaras.

Publicidade

13. Guardiões da Galáxia Vol. 2

Depois do sucesso do primeiro filme, é difícil não achar que este segundo volume é uma relativa desilusão, apesar de ter piada, ritmo e Kurt Russell no elenco. Talvez porque, até meio, parece não haver um argumento, apenas uma série de cenas e sequências engraçadas.

12. Vingadores: Guerra do Infinito

Basicamente, é o Ocean’s 13 dos filmes de super-heróis, mas com duas vezes mais Brad Pitts (salvo seja). Com demasiados actores a lutarem pela câmara e algum espaço narrativo, tem um escopo épico, mas falta-lhe uma conclusão como deve ser.

Publicidade

11. Homem de Ferro 3

É quase um regresso à boa forma, depois do segundo filme. O realizador Shane Black, também um dos argumentistas, não teve medo de arriscar: colocou Stark num lugar inesperado (o Tennessee rural), tirou-lhe a sua armadura de alta tecnologia e arranjou-lhe um ajudante pré-adolescente. O resultado revigorou a série.

10. Homem-Aranha: Regresso a Casa

Homem-Aranha: Regresso a Casa tem o mérito de resistir a contar mais uma vez a história de como Peter Parker se tornou o Homem-Aranha. Quando a acção começa ele já tem os poderes que conhecemos, mas ainda tem muito que aprender, enquanto lida com os problemas e desafios da adolescência.

Publicidade

9. Capitão América: Guerra Civil

O Capitão América de Chris Evans e o Homem de Ferro de Robert Downey Jr. travam uma guerra pela alma dos Vingadores, nesta película dos irmãos Russo. É um retrato violento, humano e moralmente ambíguo do fim de uma amizade.

8. Vingadores: Endgame

É o culminar turbulento e curiosamente emocional do Universo Cinematográfico Marvel – pelo menos até ao próximo capítulo. Vingadores: Endgame presta tributo a si próprio em diversos momentos. E a narrativa de destruição e renascimento é idêntica à que os comics fazem tão bem.

Publicidade

7. Doutor Estranho

O universo cinematográfico da Marvel sempre teve um lado psicadélico, patente nalguns elementos estruturais de Thor e até em momentos de Homem-Formiga. Mas nunca tinham ido tão longe como nesta fita de Scott Derrickson, protagonizada por Benedict Cumberbatch.

6. Capitão América: O Soldado do Inverno

Capitão América: O Soldado do Inverno inseriu uma bem-vinda dose de paranóia política nas produções da Marvel, cortesia de Robert Redford, no papel de um alto oficial do governo. O personagem de Chris Evans, por sua parte, continua a não encaixar completamente neste universo.

Publicidade

5. Homem de Ferro

Este filme de 2008 lançou as bases para uma franquia que, no espaço de dez anos, já rendeu milhares de milhões de euros à Marvel (e à Disney). O mérito é em parte do realizador Jon Favreau, mas sobretudo do protagonista Robert Downey Jr., perfeito no papel de Tony Stark. Foi uma aposta arriscada, mas valeu a pena. 

4. Guardiões da Galáxia

Há muito, muito tempo que não se via uma aventura espacial assim. O ritmo constante da acção pode tornar-se cansativo, tal como algumas das piadas, mas Guardiões da Galáxia, de James Gunn, é um filme bastante divertido. E mesmo encantador.

Publicidade

3. Thor: Ragnarok

O realizador Taika Waititi achou que as películas de super-heróis andavam a levar-se muito a sério e era preciso algum alívio cómico no meio do choque, da destruição e da metralha de efeitos visuais em jacto contínuo. Vai daí, fez o filme com mais piada da Marvel – sim, mais até do que Guardiões da Galáxia.

2. Os Vingadores

Em 2012, os heróis da Marvel encontraram-se finalmente num único filme. Nunca se tinha tentado nada assim, mas resultou na perfeição. O mérito é todo do realizador e argumentista Joss Whedon, que soube equilibrar sequências de acção, diálogos com piada e momentos de entretenimento épico.

Publicidade

1. Black Panther

Realizado e montado com cuidado e bom gosto por Ryan Coogler, também o autor de Creed, e protagonizado por um invejável leque de actores negros, Black Panther é o melhor filme da Marvel. Do princípio ao fim. Provocante e altamente satisfatório.

#TimeIn

The Dog
© DR

56 restaurantes do Porto com entregas ou take-away

Restaurantes

Depois do fecho das portas dos teatros e museus municipais e do cancelamento de eventos que estavam marcados para os próximos tempos no Porto, os restaurantes começaram também a encerrar temporariamente ao público, de forma a combater a propagação do surto de Covid-19. Mas isso não significa que não possa devorar os pratos dos seus restaurantes favoritos em casa. Nesta lista encontra espaços que fecharam temporariamente mas funcionam com take-away ou entregas ao domicílio, para que possa continuar a conhecer o que de melhor se faz na cidade no conforto da sua casa. Recomendado: Os melhores take-aways no Porto  

Restaurante, Casa de Chá da Boa Nova, Cozinha de Autor
©DR

Vouchers para ajudar os restaurantes no Porto

Restaurantes

Os nossos restaurantes e cafés preferidos precisam de ajuda para se manterem no lugar e reabrirem em glória quando tudo voltar à normalidade. Para que isso aconteça, alguns deles têm disponíveis vales de refeição, que pode comprar agora para usar em dias melhores. Casa de Chá da Boa Nova, Euskalduna Studio, Mito e Manna são alguns dos espaços desta lista, com vouchers para ajudar os restaurantes no Porto. Outra forma de ajudar os negócios de restauração locais é através da encomenda de refeições para take-away ou entrega ao domicílio. Recomendado: Covid-19: Saiba como ajudar e pedir ajuda

Publicidade
livros
©Unsplash: Florencia Viadana

O que ler durante a quarentena?

Coisas para fazer

A frase está um bocado batida, mas cá vai: quando se tem um bom livro por perto nunca se está verdadeiramente só. Um livro, desde que bem escrito e com um bom enredo, daqueles que nos prende em poucas páginas, pode ser, por vezes, melhor companhia do que muita gente. Para que o seu isolamento forçado, a sua quarentena auto-imposta, o seu recolhimento espiritual obrigatório não se torne uma pena difícil de cumprir, há ainda quem dê o corpo à bala para que possa continuar a sonhar: livrarias que lhe entregam os livros em casa ou lhe enviam as novidades mais frescas do mundo livreiro pelo correio, por isso, aproveite a sua boa vontade. No Porto, a Flâneur, que também distribui livros em Vila Nova de Gaia e Matosinhos, leva-lhe livros de arte, História, ficção, contos, viagens, em português, espanhol, francês ou inglês, até à soleira da sua porta, gratuitamente e sem contacto. Se estiver interessado e pelas redondezas, pode fazer a sua encomenda através de flaneur.pt. A Poetria, especializada em poesia e teatro, também fechou as portas mas continua a enviar, para estas três cidades, os seus livros pelo correio. Uma vez por semana, para minimizar as saídas à rua, levam as encomendas aos CTT para serem expedidas gratuitamente. Mas há mais: há descontos de 10% em livros até 18 meses e outros, de 20% e 30%, em publicações de idade superior. Dê um salto a livrariapoetria.com e escolha o que vai querer ler. Umas ruas ao lado, o Café Candelabro não só despacha livros, como também lhe e

Casa de Papel
Netflix

Sete séries a não perder este mês

Filmes

Abril será longo, mas há novas séries e regressos aguardados que nos irão manter entretidos por muito tempo no sofá. É o caso da quarta temporada de La Casa de Papel que chega já na primeira semana do mês, ou da estreia da nova aposta da RTP, A Espia, com Daniela Ruah, Maria João Bastos e Diogo Morgado nos papéis principais de um thriller de espionagem passado na Segunda Guerra Mundial. Ricky Gervais está de volta à Netflix com a segunda temporada de After Life – e sim, o cão também aparece. Já a HBO estreia Mrs. America, protagonizada por Cate Blanchett, e a terceira temporada de Killing Eve promete uma reviravolta inesperada. Se se sentir indeciso com tanta oferta, não se preocupe. Escolhemos as sete séries que merecem a sua atenção este mês. Recomendado: Covid-19: eventos cancelados no Porto

Publicidade
My Parents, David Hockney
©DR

10 obras de arte que nos lembram como é bom estar em casa

Arte Pintura

Quantos de nós desejam, todos os dias, ter mais tempo para estar em casa? Agora que o temos de sobra devido ao surto de Covid-19, mal podemos esperar para sair à rua de novo. E se nunca foi tão fácil estar entretido dentro de portas, a ausência de rotina pode tornar esta quarentena penosa. Por isso, reunimos dez obras de arte que mostram como o interior pode ser um lugar de conforto e lazer. Nelas, vemos actividades rotineiras como estrelar ovos ou ver o mundo pela janela, passatempos como tocar piano ou trocar cartas ou detalhes preciosos como o raio de sol que preenche uma sala vazia. Aproveite e veja como é bom estar em casa. Recomendado: Galerias de arte que deve conhecer no Porto

Recomendado

    Também poderá gostar

      Publicidade