Global icon-chevron-right Portugal icon-chevron-right Porto icon-chevron-right Doze museus internacionais para visitar sem sair de casa

Atenção, continuamos a tentar dar-lhe a informação mais actualizada. Mas os tempos são instáveis, por isso confirme sempre antes de sair de casa.

Capela Sistina
© DR Capela Sistina

Doze museus internacionais para visitar sem sair de casa

Ficar fechado em casa não significa ficar privado da sua dose de arte. De Paris a São Petersburgo, eis 12 museus que oferecem visitas virtuais às suas colecções.

Por Maria Monteiro
Publicidade

Graças à Internet, nunca foi tão fácil estar entretido entre quatro paredes. No entanto, para quem não dispensa uma visita ao museu para contemplar as obras de mestres de arte renascentista ou de nomes relevantes da arte contemporânea, fazer scroll infinitamente nas redes sociais ou devorar uma temporada (ou várias) de uma série na Netflix não é suficiente. Felizmente, há vários museus que apresentam visitas guiadas virtuais às suas colecções e exposições para que não lhe falte a sua dose diária de arte. Muitos estão presentes na Google Arts & Culture, projecto em que a Google colabora com mais de 1200 instituições em todo o mundo para levar a arte a todos. Deixe-se ficar no sofá e, sem filas ou bilhetes à mistura, só tem é de aproveitar.

Recomendado: Dez obras de arte que nos lembram como é bom estar em casa

12 museus internacionais para visitar sem sair do sofá

Musée du Louvre, Paris
Musée du Louvre, Paris
© DR

Musée du Louvre, Paris

Aquele que é um dos maiores e mais importantes museus do mundo dispõe, actualmente, de três visitas virtuais: Egyptian Antiquities, colecção dedicada a peças da era dos faraós; Remains of the Louvre’s Moat, que mostra vestígios do forte que funcionava no Louvre na época medieval, e Galerie d’Apollon, galeria onde se destacam o tecto, de Le Brun, uma homenagem a Luís XIV, o Rei-Sol, e o painel central de Delacroix. Certifique-se que tem a extensão de Adobe Flash certa.

Musée d'Orsay, Paris
Musée d'Orsay, Paris
© DR

Musée d'Orsay, Paris

É numa antiga estação de comboios, ela própria uma obra de arte viva, que fica o museu que guarda uma vasta colecção de arte produzida entre 1848 e 1914. Do modernismo ao impressionismo ou ao pós-impressionismo, aqui pode encontrar o trabalho de nomes sonantes como Van Gogh, Monet, Cézanne ou Gauguin.

Publicidade
Museo del Prado, Madrid
Museo del Prado, Madrid
© DR

Museo del Prado, Madrid

Las meninas (1656), de Diego Velázquez, ou El juicio de Paris (1638), de Pedro Pablo Rubens, são duas obras marcantes da arte espanhola e mundial que se mostra no Museu do Prado. A sua colecção conta, sobretudo, com obras dos séculos XVI a XIX, e pode ser vista online de duas formas. Pode consultar de forma livre as obras dos artistas supracitados e de nomes como El Greco, Bosch ou Goya, filtrados por “século”, “movimento”, “técnica” ou “conceito”. Além disso, disponibiliza vídeos 360º, obras comentadas e outros conteúdos dedicados a Velázquez ou Rubens.

Teatro-Museo Dalí, Girona
Teatro-Museo Dalí, Girona
© Julia Casado

Teatro-Museo Dalí, Girona

Figueres, a cidade natal do surrealista Salvador Dalí, na Catalunha, alberga a maior e mais completa colecção da sua obra. Construído no antigo teatro da cidade, onde o pintor fez as suas primeiras exposições públicas, o museu apresenta pintura, escultura, colagem e mobiliário, entre outras peças de todo o percurso de Dalí. O próprio museu, desenhado e idealizado pelo pintor, é um objecto surrealista, com fachadas onde se intercalam ovos e estátuas douradas. Nesta visita virtual, pode espreitar alguns espaços, objectos e obras em exibição no museu.

Publicidade
British Museum, Londres
British Museum, Londres
© DR

British Museum, Londres

Múmias egípcias, um pedaço do relevo do templo grego Partenon ou a Pedra da Roseta, descrita,  muitas vezes, como a “pedra mais famosa do mundo”, são alguns dos milhares de artefactos que fazem parte do catálogo do mais antigo museu público do mundo. O British Museum conta uma história que atravessa dois milhões anos e que vai dos primeiros objectos criados pelo ser humano aos trabalhos de artistas contemporâneos. Junte-se aos seis milhões de visitantes que passam todos os anos por aqui, numa visita virtual que lhe permite viajar no tempo e ver peças dos quatro cantos do mundo. Também pode ver aqui alguns destaques da colecção do museu ou utilizar este separador do site para procurar uma obra específica.

Capela Sistina
Capela Sistina
© DR

Musei Vaticani, Vaticano

Se ver os deslumbrantes frescos de Michelangelo na Capela Sistina está na sua bucket list, pode fazê-lo aqui sem precisar de ficar de cabeça colada às costas entre a multidão. Os Museus do Vaticano, conjunto de instituições que integram uma extensa colecção de arte acumulada pelos vários Papas ao longo dos séculos, conduzem-no, através de fotografias 360º, pela obra de mestres renascentistas como Rafael. Pode visitar, ainda, outras galerias e capelas adjacentes aos museus.

Publicidade
Rijksmuseum, Amesterdão
Rijksmuseum, Amesterdão
© Ron Porter

Rijksmuseum, Amesterdão

A Leiteira (1657-1658), de Johannes Vermeer, ou A Ronda da Noite (1642), de Rembrandt, são duas emblemáticas pinturas da Era de Ouro Neerlandesa que fazem parte da colecção do museu nacional dos Países Baixos. Apesar de expor, também, desenho, gravura, cerâmica, porcelana, prata ou mobiliário, é na pintura que se foca a visita disponibilizada em modo Street View. Pode explorar os corredores do museu e aproximar-se para saber mais sobre cada uma obras — quase como estivesse lá.

'Almond Blossom' (1890), Van Gogh
'Almond Blossom' (1890), Van Gogh
© Michele Ahin

Van Gogh Museum, Amesterdão

A vida e obra de Vincent Van Gogh tem tanto de trágico como de belo. O museu que lhe é dedicado alberga a maior colecção da sua arte, com mais de 200 pinturas, 500 desenhos e mais de 750 cartas, entre outras obras dos seus contemporâneos impressionistas e pós-impressionistas. Aqui, pode vaguear pelos quatro pisos do museu, ver 164 obras bem de perto, ou explorar as duas exposições disponíveis online e que mostram a relação do pintor com o amor e com os livros.

Publicidade
Galleria Degli Uffizi, Florença
Galleria Degli Uffizi, Florença
© DR

Galleria Degli Uffizi, Florença

Da Vinci, Michelangelo, Botticelli, Rafael ou Ticiano estão entre os nomes representados no museu, que alberga uma importante colecção de arte renascentista. Construída para os Médici, uma das mais famosas famílias italianas, tem 50 salas repletas de arte situada entre os séculos XIII e XVIII. A sua versão online inclui quatro exposições, 156 itens e uma visita detalhada pelas várias divisões.

Hermitage Museum, São Petersburgo
Hermitage Museum, São Petersburgo
© Quinn Kampschroer

Hermitage Museum, São Petersburgo

Com uma colecção de mais de três milhões de peças, o Hermitage é o segundo maior do mundo, a seguir ao Louvre. A sua vasta oferta percorre a história da arte e cultura russas e reúne importantes obras da Europa, Ásia e África. O site tem uma planta interactiva com fotografias 360º das salas do museu e mini documentários sobre elas. A Apple dispõe, ainda, de um filme de cinco horas, feito num iPhone 11 Pro, que mostra 45 galerias e 588 obras do acervo.

Publicidade
Metropolitan Museum of Art (Met), Nova Iorque
Metropolitan Museum of Art (Met), Nova Iorque
© George Hodan

Metropolitan Museum of Art (Met), Nova Iorque

O Met é um dos mais reputados museus do mundo e atravessa cinco mil anos de arte. Desde peças da antiguidade clássica, à pintura e escultura de mestres europeus ou à grande colecção de arte moderna norte-americana. A visita virtual conta com mais de 200 mil itens e faz um resumo muito completo do que se pode ver no interior. Actualmente, o museu apresenta 26 exposições para todos os gostos, como A New Look at Vermeer, Coco Chanel: Romanticism ou Christian Dior: Ball Gowns.

MASP, São Paulo
MASP, São Paulo
© DR

MASP, São Paulo

O Museu de Arte de São Paulo (MASP), inaugurado em 1947, foi o primeiro museu brasileiro a abrir-se às correntes artísticas do pós-guerra. Tido como o “mais importante acervo de arte europeia do hemisfério sul”, detém mais de 11 mil obras de pintura, escultura, fotografia, vídeo ou moda de várias épocas e geografias. Na sua versão digital, pode caminhar pelas salas como se estivesse lá ou, então, explorar exposições como Art from Italy: from Rafael to Titian, Art from Brazil until 1900 ou Art from France: From Delàcroix to Cézanne.

Mais museus:

Museu da Farmácia do Porto
Fotografia de João Saramago

Os melhores museus no Porto

Coisas para fazer Exposições

A oferta cultural portuense é vasta, apesar de, por vezes, escapar ao radar dos mais distraídos. Não nos faltam livrarias, nem galerias de arte e, no que aos museus diz respeito, também não podíamos estar melhor servidos, já que a quantidade e a qualidade falam por si só. Estão espalhados por todos os recantos da Invicta e há para todos os gostos e épocas, da escultura à imprensa, e do futebol à pintura, pelo que visitá-los devia ser instituído como uma disciplina obrigatória nas escolas do país ou como programa não-facultativo aos fins-de-semana. Para lhe facilitar a vida, preparámos-lhe o roteiro dos melhores museus no Porto, para (re)descobrir a História e as estórias que conservam. Recomendado: Os melhores museus para crianças no Porto

Museu FC Porto miudos
© DR

Os melhores museus para crianças no Porto

Museus

Levar os miúdos a um museu pode ser mais difícil do que obrigá-los a comer a sopa. Mas não a todos. Nos melhores museus para crianças no Porto há História e arte contemporânea, máquinas e carros antigos, brincadeiras e experiências para sujar as mãos e desafiar a imaginação dentro e fora de portas. São muitas as actividades e atracções feitas a pensar nos mais pequenos e esta lista pode ser um bom ponto de partida para organizar um programa diferente em família. Passe os olhos por aqui, porque com estas recomendações o difícil vai ser tirá-los de lá. Recomendado: Os melhores museus no Porto

Recomendado

    Também poderá gostar

      Publicidade