Conheça a Collectiva, a nova joalharia no Porto

São cinco. Juntaram-se e abriram uma joalharia bastante ecléctica no Centro Comercial Bombarda. Fique a conhecer o que fazem estas mulheres

© Cláudia PaivaQuatro das cinco joalheiras da Collectiva

A Collectiva, a nova loja de joalharia do Centro Comercial Bombarda, tem cinco mulheres cheias de ideias a trabalhar lá dentro. Numa mesa comprida, além das peças que cada uma faz – como vêm de diferentes áreas, têm necessariamente diferentes formas de criar jóias – estão também as criações de mais cinco joalheiras convidadas.

Esta opção 100% feminina não acontece à toa, dizem. “Queremos fazer a diferença por sermos mulheres”, diz Joana Santos, uma das residentes. “Antigamente a indústria da ourivesaria era essencialmente masculina. Os homens faziam a estrutura da peça e definiam o design. Tinham um trabalho muito braçal, sempre em redor das máquinas. Às mulheres competia-lhes a função mais chata e monótona. Eram elas que faziam o enchimento da filigrana, por exemplo, eram chamadas de enchideiras”, acrescenta Lia Gonçalves, outra das criadoras.

E já que os tempos são de mudança, fique a conhecer o trabalho destas cinco mulheres.

Leia mais sobre este e outro projecto de joalharia na edição deste mês que está nas bancas.

Conheça melhor o trabalho destas cinco mulheres

Marta Pinto Ribeiro

Marta Pinto Ribeiro

Tem 37 anos e é formada em escultura, talvez por isso é que diz que se deixa “influenciar muito pelas formas”. “Gosto de trabalhar volumes e texturas. A última colecção que fiz, por exemplo, foi em madeira.”

Joana Santos

Joana Santos

É formada em Arquitectura e baseia o seu trabalho na geometria. “A minha primeira colecção, com o nome 'Origem', teve como ponto de partida o quadrado”, conta a joalheira de 31 anos, que tem na prata o seu material de eleição.

Publicidade
Susana Teixeira

Susana Teixeira

Tem 39 anos e formação em Matemática, área que transportou para a joalharia. “Trabalho muito sobre a repetição e os padrões, isto é, com elementos geométricos, e às vezes com conceitos matemáticos. O meu trabalho é muito abstracto.”

Lia Gonçalves

Lia Gonçalves

Com 29 anos é a mais nova do grupo e a única com formação de raiz em joalharia. “Arranjo sempre um tema antes de começar a criar. Gosto muito de texturas, por exemplo, e no meu trabalho adapto técnicas tradicionais a um segmento mais contemporâneo.”

Publicidade
Ana Bragança

Ana Bragança

Tem 33 anos e, tal como Joana, é formada em Arquitectura. Vai buscar inspiração aos edifícios e às plantas de construção. “Uma das minhas colecções foi inspirada numa igreja islandesa. Gosto da contemporaneidade e de peças com um design clean.

Fique a conhecer outras marcas de jóias no Porto

As novas marcas de jóias no Porto

Colares, pulseiras, anéis ou brincos feitos em prata, ouro ou pedras semipreciosas, uns com traços minimalistas, outros com desenhos de frutas. O certo é que não há quem pare as mentes (e as mãos) criativas dos joalheiros da Invicta. Fizemos-lhe uma lista com as novas marcas de jóias no Porto que tem mesmo de conhecer.

Ler mais
Por Editores da Time Out Porto

Comentários

0 comments