A Time Out na sua caixa de entrada

Procurar
pinheiro natural
Fotografia: Andre Gorham II

Sete sítios para comprar pinheiros naturais no Porto

Na hora de escolher a sua árvore de Natal, seja amigo do ambiente e compre pinheiros naturais.

Raquel Dias da Silva
Escrito por
Margarida Ribeiro
e
Raquel Dias da Silva
Publicidade

Nesta época festiva, as decorações ganham outro protagonismo, mas não há dúvidas de que a peça central é a árvore de Natal. E, na hora de escolher, um pinheiro natural pode ser a opção mais amiga do ambiente, desde que, depois de utilizado, seja reposto no seu habitat original ou possa ter outro destino. Mas por que é que uma árvore verdadeira é mais benéfica do que uma artificial, que podemos usar vezes sem conta? Bem, quando a árvore artificial começar a ficar velha, vai ter de se livrar dela e a verdade é que o plástico demora anos a decompor-se. Já os pinheiros naturais, vendidos em estabelecimentos comerciais ou lojas especializadas, como a Jardiland, são criados em viveiros, não afectando o ambiente. Mais: os que vêm da gestão florestal, como os da iniciativa Pinheiro Bombeiro, foram cortados para prevenir fogos florestais. Continua com dúvidas? Pense num cheirinho a pinhal e resina. Não há melhor forma de despertar o espírito natalício.

Recomendado: Os melhores mercados de Natal no distrito do Porto

Onde comprar pinheiros naturais

  • Compras
  • Centros de jardinagem e estufas
  • Cedofeita

Manuel Silva é especialista em kokedamas, uma técnica ancestral de jardinagem ornamental japonesa, desenvolvida como o bonsai, em que as raízes da planta são envoltas numa bola. Pode encontrá-lo no CC Bombarda, na sua loja, oficina e estufa, um espaço partilhado com o Lagar do Mel. Para a época mais mágica do ano, criou kokedamas com pinheiros de Natal. Os maiores (32€) são "Juniperos Azuis e têm uma copa larga e cónica". Os mais pequenos (20€) são "elegantes e esguios Camacíperes". Os mesmos pinheiros também estão disponíveis em vaso, a 20€ ou 10€, respectivamente.

  • Compras
  • Grande Porto

Com 77 hectares de produção de plantas ornamentais, distribuídos por Sintra e Cabeceiras de Basto, esta empresa familiar, criada por Armindo e Augusto Gonçalves em 2006, também aluga pinheiros naturais por altura do Natal, através da campanha "Pinheiro Vivo", que pretende desmistificar a utilização pontual dos pinheiros de Natal, através de uma opção mais viável e ecológica. Cultivados em viveiros, o pinheiro (Abies nordmanniana ou Picea abies) será integrado na natureza, numa floresta ou pinhal português, depois da época natalícia. O valor (desde 50€) engloba os processos de entrega, recolha e posterior plantação. A encomenda está disponível até 30 de Novembro, a entrega é realizada entre 1 e 15 de Dezembro e a posterior recolha entre 6 e 20 de Janeiro de 2022.

Publicidade
Pinheiro Bombeiro
Pinheiro Bombeiro

3. Pinheiro Bombeiro

A quadra natalícia só começa a sério quando a árvore entra, finalmente, pela porta adentro. Este ano, o Pinheiro Bombeiro volta a trazer um pinheirinho de Natal diferente, para ajudar os bombeiros e o planeta. O aluguer, que deve ser feito online até 19 de Dezembro, custa 20€ e por cada pinheiro alugado revertem 5€ para a Associação Portuguesa de Bombeiros Voluntários, que poderá assim adquirir mais material profissional de combate aos incêndios. Este ano, ainda não existe a possibilidade de recolher o pinheiro em nenhum local da cidade, mas a Rnters – uma startup portuguesa e uma plataforma online de aluguer de tudo e mais alguma coisa – faz entregas em casa. Está tudo explicado online.

Flores no Cais
Flores no Cais

4. Flores no Cais

Especializada em arte floral e decoração, esta empresa do Montijo, que faz entregas em todo o país, também vende pinheiros naturais. Só tem de decidir se quer um mini pinheiro de neve natural (24€), com apenas 45 centímetros e luzes incluídas, ou um abeto Abies nordmanniana (80€-120€), o clássico do Natal em muitas casas, devido à sua folhagem abundante. Se optar pelo abeto, que pode ter entre 150 a 250 centímetros, receberá uma base para fixação de oferta e a certeza que, por cada árvore comprada, três vão ser plantadas.

Publicidade
My Natal
My Natal

5. My Natal

Criada por João Pinheiro (podia ser piada, mas não é), esta plataforma de entrega de árvores de Natal tem à sua disposição pinheiros naturais entre 125 e 200 cm, com os preços a começar nos 45€ e a oferta do suporte de madeira para o pinheiro. Basta escolher o tamanho da sua árvore, originária da Suíça mas plantada na região do Alto Douro, e seleccionar a data de entrega. A taxa de entrega varia entre os 20€ e os 40€. Mas vale a pena ainda frisar que, por cada árvore cortada, três são replantadas. A sua não poderá ser replantada, mas pode sempre transformá-la em biomassa.

  • Compras
  • Grande Porto

Com vários modelos de pinheiros naturais e biodegradáveis por onde escolher, a Jardiland, na Maia, até oferece a opção de transformar a sua árvore em adubo para florestas depois do Natal. Os preços de um pinheiro natural cortado começam nos 22€ (como pode verificar no folheto para este Natal).

Publicidade

Se não se importar de ter só um pinheirinho, a Life in a Bag sugere-lhe um Grow Cube (10€) ou Grow Cork (20€), de cortiça impermeável com sementes de abeto europeu, onde poderá ver o seu próprio Pinheiro de Natal crescer. Basta colocar junto a uma janela, regar regularmente e dar um pouco de carinho. 

Mais compras natalícias

  • Compras

Este ano temos de ser fortes e celebrar o Natal com o menor número possível de familiares e amigos, mas, para aqueles que estão longe, está na altura de recuperar o envio de postais de Natal pelo correio. Fique com dez sugestões de postais natalícios para arrancar sorrisos, e talvez algumas lágrimas, à distância.

  • Compras

Oferecer meias no Natal é uma tradição ancestral, uma tradição a que dantes muitos tentavam escapar, talvez porque as meias de outrora não gritavam estilo como as destas marcas portuguesas. Este Natal, meta umas meias no sapatinho. Vá por nós e pelas nossas sugestões.

Publicidade
  • Compras

Mesmo que 2020 não tenha sido bom para nós, há que entrar no espírito de alguma maneira. E essa maneira pode ser uma simples coroa na porta, um centro de mesa para a consoada ou um ramo catita para oferecer (ou mandar entregar) a alguém querido com quem não poderemos passar a festividade. Num ano atípico, mais vale torná-lo bonito com outros detalhes, decorando a casa a preceito.

Recomendado
    Também poderá gostar
      Publicidade