A Time Out na sua caixa de entrada

Procurar
A casita clara    paysagem de Amadeo Souza-cardoso
©Museu Calouste Gulbenkian – Colecção ModernaAmadeo de Souza-Cardoso é um dos artistas falsificados em exposição

Exposição mostra obras falsificadas de Picasso, Amadeo e Júlio Pomar na Alfândega do Porto

‘A Arte do Falso’ marca os 75 anos da Directoria do Norte da Polícia Judiciária (PJ) e reúne mais de 200 quadros falsos de famosos artistas, entre outros objectos insólitos apreendidos ao longo dos últimos 15 anos. A entrada é livre.

Por Maria Monteiro
Publicidade

Se não estivesse plasmado no título da exposição, provavelmente não daríamos conta de que os quadros de Pablo Picasso, Amadeo de Souza-Cardoso, Mário Cesariny, Júlio Pomar e Malangatana ali presentes são falsificações feitas com imaginação e mestria. Afinal, eles foram examinados e autenticados por especialistas e estiveram expostos em leilões de galerias de arte, feiras, exposições, antiquários e ninguém deu por ela. 

A Arte do Falso propõe-se a desvendar a genialidade e a criatividade da falsificação e resulta de uma parceria entre a Directoria do Norte da Polícia Judiciária (PJ) e o Centro de Congressos da Alfândega do Porto. A exposição integra as comemorações do 75.º aniversário desta unidade de investigação criminal e apresenta mais de 200 quadros falsificados, assim como moedas, armas, automóveis e outros objectos apreendidos pela PJ, sobretudo nas áreas urbanas de Lisboa e Porto.

O “génio criativo dos criminosos”, como lhe chama a organização, está exposto em 1000 m2, espaço ocupado por peças tão díspares como pinturas falsas, um guarda-chuva alterado para funcionar como arma ou uma máquina de um falso médico que alegadamente curava todas as doenças com o acender de umas luzes. Assim, o público vai ficar a conhecer as histórias por trás de algumas falsificações, elementos adulterados em certos objectos e os mecanismos usados no processo.

A par da exposição propriamente dita, há um espaço de actividades para os mais novos, onde podem colher impressões digitais e compará-las ou tirar uma fotografia na réplica de uma sala de identificação de suspeitos. A Arte do Falso pode ser vista de terça a domingo entre as 10.00 e as 18.00 e tem entrada livre.

+ 16 exposições a não perder no Porto

Leia aqui a edição online e gratuita da Time Out Portugal

Últimas notícias

    Publicidade