A Time Out na sua caixa de entrada

Procurar

Mais de 30 fotografias de Eduardo Teixeira Pinto para ver no Palacete dos Viscondes de Balsemão

Por Patrícia Santos
Publicidade

Os anos 50, 60 e 70 serviram de cenário a 38 fotografias, a preto e branco, da autoria de Eduardo Teixeira Pinto (1933-2009). Vai poder vê-las a partir de hoje no Palacete dos Viscondes de Balsemão, a propósito da exposição itinerante, O Prazer de Fotografar, organizada por Cristina Pinto, a segunda filha do fotógrafo.

A mostra - que inclui imagens premiadas a nível nacional e internacional, que abordam temas como a Natureza e a figura humana - tem com objectivo divulgar a obra de Teixeira Pinto para, posteriormente, se criar um museu a ele dedicado, em Amarante, cidade onde nasceu.

As primeiras fotografias profissionais do amarantino, que foi membro de comunidades de fotógrafos, como a Associação Fotográfica do Porto, o Grupo Câmara (Coimbra) e a Associação Fotográfica do Sul (Évora), datam de 1950. Três anos depois, tornou-se expositor em vários salões espalhados pelo mundo.

Rodopio, Igreja de S. Gonçalo, De Regresso, Tema de Pintores, Matinal e Quietude são algumas das imagens mais consagradas do fotógrafo que, em 1960, chegou a ganhar o Grande Prémio Camões, uma das mais altas distinções da época a nível nacional.

Os apreciadores do trabalho de Eduardo Teixeira Pinto, e aqueles que pretendem descobri-lo, podem visitar a exposição permanente no Museu Amadeo de Souza-Cardoso. Uma outra, Aos Olhos de Eduardo, inaugurada em Junho de 2014 no Museu Municipal de Ourense (Galiza), está em itinerância por várias cidades espanholas. Nesta, no Palacete dos Viscondes de Balsemão, a entrada é livre.

+ 'Eu nunca emergi | emergir para afundar': nova exposição estreia no Maus Hábitos

+ Exposição na Universidade do Porto assinala o 60º aniversário de Madonna

Últimas notícias

    Publicidade