A Time Out na sua caixa de entrada

Procurar
Luís Buchinho
© Ugo CameraLuís Buchinho apresentou a colecção Turista Acidental

O melhor do segundo dia do Portugal Fashion SS20

Por Margarida Ribeiro
Publicidade

O segundo dia do Portugal Fashion contou com jovens designers como David Catalán e Inês Torcato, veteranos como Luís Buchinho, e novidades como o desfile da marca francesa Nicolas Lecourt Maison.

O dia começou de uma forma diferente com a apresentação de Carla Pontes, que decidiu afastar-se completamente da ideia clássica e tradicional. A instalação Pausa ocupou um dos corredores da Alfândega do Porto e representa a vontade da criadora de apostar cada vez mais na slow fashion. "As ideias de redução e da não produção massiva foram as razões pelas quais escolhi fazer agora uma instalação", explica. Já que assim se evita o desperdício de materiais que, normalmente, estão associados aos desfiles. A designer vai optar cada vez mais por fazer formatos diferentes e só voltará a apresentar colecções quando achar necessário. Durante a próxima Primavera-Verão o que vai encontrar à venda são as "peças intemporais e ícones da marca".  

Sustentabilidade também foi um dos maiores princípios do desfile de Estelita Mendonça. O designer trabalha com o patrocínio da Tintex, que produz as peças de uma forma consciente com materiais naturais e reciclados. Outra das preocupações do criador é a de ter produção local e em pouca quantidade para não acumular stock. O segundo princípio em que se baseou a colecção foi a cultura de cancelamento. Entre os coordenados destacaram-se aqueles com calças ou casacos onde foi utilizada a técnica de contrast stitching (costuras visíveis) e camisolas tie dye. A colecção, segundo Estelita Mendonça, foi pensada para um pre-fall (meia estação), por isso é possível ver algumas peças feitas com tecidos impermeáveis.

Estelita Mendonça
© Ugo Camera

Ainda antes de começar o desfile de Inês Torcato, as atenções já estavam viradas para a criadora. É que no meio da passerelle foi deixada uma pequena poça de tinta azul, cujo significado seria explicado em alguns minutos. A apresentação começou com três modelos vestidos de branco e com peças feitas, na maioria, de algodão orgânico. Cada um pisou a tinta e espalhou as suas pegadas pelo chão, com o objectivo de criar um registo físico do desfile para Inês mais tarde conseguir expor. Depois disto começaram a surgir os primeiros coordenados em tons de preto, branco e cinzento, com muitos elementos de alfaiataria (algo característico da criadora). Logo a seguir apareceram, novamente, os três modelos do início que vieram fazer uma espécie de intervalo entre os momentos da colecção. Os coordenados seguintes, em azul, cor-de-rosa e bege, foram uma lufada de ar fresco. São de destacar as gangas em cru, sem tratamento, transformadas em macacões, casacos e calças. O desfile terminou com uma série de coordenados brancos onde os folhos e as rendas foram usados em abundância.

A colecção vem prolongar o conceito da anterior, que apresentou em Março e abordava a Declaração dos Direitos do Homem. Para a estação quente Inês propõe que também seja criada uma declaração de deveres. "O ser humano tem a obrigação e o dever de proteger o planeta", explica. Com isto em mente a designer decidiu trabalhar apenas com tecidos reciclados, orgânicos, naturais ou vegetais. Outro aspecto importante de realçar é o facto de que "100% desta colecção pode ser vestida por um homem ou uma mulher". A partir do momento em que as luzes da sala se ligaram grande parte das peças ficaram à venda no site da Wrong Weather

Inês Torcato
© Ugo Camera

Turista Acidental de Luís Buchinho, colecção que foi apresentada em Paris no mês passado, é inspirada na situação que, actualmente, se vive em cidades de referência turística, como o Porto. Sustentabilidade e a procura de uma identidade também foram temas importantes. Tudo isto resultou numa colecção que é descrita pelo designer como "prática, fácil de vestir e de transportar". Quem abriu e fechou o desfile foi Maria Miguel, uma das modelos portuguesas mais requisitadas do momento.

O dia terminou com a apresentação da colecção Glória de Nicolas Lecourt Maison, vencedor do Prémio ANDAM 2019 Creative label. O Portugal Fashion continua hoje com os desfiles de Nycole (17.00), Diogo Miranda (18.00), Hugo Costa (21.30), Miguel Vieira (23.30), entre outros. 

+ O melhor do primeiro dia do Portugal Fashion SS20

+ O melhor do street style do primeiro dia do Portugal Fashion SS20

Fique a par do que acontece na sua cidade. Subscreva a nossa newsletter e receba as notícias no email. 

Últimas notícias

    Publicidade