Global icon-chevron-right Portugal icon-chevron-right Porto icon-chevron-right O melhor do terceiro dia do Portugal Fashion SS19

O melhor do terceiro dia do Portugal Fashion SS19

Publicidade

Depois de três dias cheios de estilo, o Portugal Fashion chegou ao fim. O último dia da 43ª edição do evento começou no exterior da Alfândega do Porto com a apresentação de Marques'Almeida. A dupla, que já tinha apresentado a sua colecção em Paris, propôs uma desconstrução das imagens cliché de Portugal. O resultado são peças oversized, malhas desconstruídas, sobreposições, franjas, tecido tartan, riscas, bordados e pele. Quem deu corpo às peças de Marta Marques e Paulo Almeida foram as M'A Girls, mulheres que inspiram as criações da marca e que são, normalmente, encontradas no Instagram.

Mais tarde, Nuno Baltazar fez-nos viajar para o Brasil. Tatuagem é uma colecção inspirada na poesia e na música brasileira durante a ditadura militar brasileira (1964-1985). Para a estação quente o designer apresentou propostas para ambos os sexos. A peça que abriu o desfile tinha um estampado que representava a censura e que se repetiu em várias outros. O designer apostou em tons verdes, passando pelo bege, dourado, preto, vermelho, roxo, laranja e rosa.

 

Nuno Baltazar apostou em tons fortes
UGO_CAMERA

 

A técnica tradicional japonesa de gravura de peixes, originalmente utilizada pelos pescadores para registar e comemorar as suas capturas, foi a fonte de inspiração de Luís Buchinho. Para recriar escamas de peixes, o designer usou estamparia em pele sobre bases de jersey, rib e renda. Algumas das propostas do designer foram calças de cintura alta com riscas em cores contrastantes e vestidos jersey combinados com tops plissados e cintos ondulados. Uma colecção em que a identidade de Luís Buchinho está bem marcada. 

A dupla Alves/Gonçalves esteve de olhos postos no futuro. Tentaram criar novos conceitos de elegância, desmistificar o clássico e utilizar novas tecnologias. Para isso, desenvolveram uma colecção com silhuetas com formas amplas, estampados de inspiração nipónica, tecidos manipulados e plissados. Azuis intensos, verdes, pretos e vermelhos foram as cores mais utilizadas.  

 

A dupla apostou em tecidos futuristas
UGO_CAMERA

 

No sábado, o calçado esteve em destaque e, além das apresentações de seis marcas (Ambitious, Fly London, J. Reinaldo, NoBrand, Rufel, The Baron's Cage), Luís Onofre também apresentou as suas propostas para a estação quente. Sapatos, botas e sandálias, inspirados no ouro vermelho dos incas e na iconografia do Velho Oeste, foram alguns dos modelos que passaram pela passerelle.

 

Luís Onofre apresentou botas, sandálias e sapatos para a estação quente
UGO_CAMERA

 

O dia também foi de celebração, já que Júlio Torcato celebrou três décadas de carreira. Para as festividades, o designer convidou 30 pessoas que o marcaram e destacou 30 peças. Cada um dos convidados teve liberdade total para transformar a sua peça e reinterpretá-la sem regras. As suas propostas para a estação quente foram pensadas de forma a complementar o trabalho deles.

A colecção é uma mistura de alfaiataria clássica com a linguagem do workwear, em tecidos como sarja, brocado, renda, denim e tecidos técnicos. Esta será a sua última apresentação neste formato de desfile convencional, que abre caminho para futuras colecções mais conceptuais. 

No último dia do Portugal Fashion, Katty Xiomara, Storytailors, MEAM, Concreto e Pé de Chumbo também apresentaram as suas propostas para a estação quente.

+ O melhor do primeiro dia do Portugal Fashion SS19

+ O melhor do segundo dia do Portugal Fashion SS19

+ Estas são as novas criadoras de moda do Porto

Share the story
Últimas notícias
    Publicidade