A Time Out na sua caixa de entrada

Procurar
Sea Life
© DR Tartaruga Oceana

Sea Life celebra o Dia Mundial da Tartaruga com duas novas instalações feitas de lixo

Os visitantes do Sea Life Porto vão poder ficar a conhecer estas instalações que alertam para o perigo do lixo nos oceanos.

Por Margarida Ribeiro
Publicidade

É já no domingo, dia 23 de Maio, que se comemora o Dia Mundial da Tartaruga. Para o celebrar, o Sea Life Porto – que reabriu recentemente – inaugurou duas novas instalações feitas a partir de lixo, como uma forma de alertar a população para o perigo da poluição ambiental. 

A primeira instalação foi inspirada no momento que vivemos actualmente, que nos obrigou a dar mais utilização a objectos descartáveis, como máscaras, luvas e zaragatoas, que muitas vezes vão parar aos oceanos.

Para representar esta nova realidade, foi inaugurado no Sea Life um aquário cujos habitantes foram criados a partir de diferentes materiais descartáveis. "Desde peixes feitos a partir de máscaras, frascos e zaragatoas, a estrelas-do-mar criadas a partir de luvas e garrafas de gel desinfectante, passando por outras criaturas que nasceram da reutilização de aventais, mangas cirúrgicas, toucas e sacos descartáveis para pés", lê-se em comunicado. 

Sea Life
© DRInstalação com descartáveis encontrados no oceano

"Infelizmente, com as necessidades criadas pela pandemia, voltamos a aumentar o uso dos materiais descartáveis e esta exposição serve para alertar para o potencial perigo deste consumo massificado. Não havendo alternativa, é fundamental que estes materiais acabem nos locais apropriados para o efeito e não no fundo dos oceanos”, acrescenta Rui Ferreira, director geral do Sea Life Porto, citado em comunicado 

Ao mesmo tempo, foi também inaugurada a Oceana, a estátua de uma tartaruga um dos animais que mais sofre com a poluição marítima –, feita a partir de lixo apanhado em praias portuguesas. Os responsáveis por esta instalação (a Mar de Experiências e o Sea Life Porto) decidiram destacar um dos detritos mais tóxicos, as beatas, que foram abertas e utilizadas para criar uma textura. "Igualmente simbólica é a corda na barbatana da Oceana que representa as diferentes formas como podemos ter um impacto negativo na vida marinha, em particular o sofrimento que, por vezes mesmo inconscientemente, infligimos aos animais", explica a instituição. 

Além de poder ver estas duas instalações, quem visita o Sea Life também tem a oportunidade de conhecer diferentes espécies de peixes e outros animais marinhos, como a tartaruga-verde, chamada Mariza.

+ Sea Life Porto é o primeiro espaço do país a ter pegada de carbono positiva

+ Rui Ferreira: “Sinto vergonha ao ver crianças desesperadas por acharem que não vão ter um planeta”

Descubra a edição desta semana, digital e gratuita, da Time Out Portugal

Últimas notícias

    Publicidade