A Time Out na sua caixa de entrada

Procurar
https://i.pinimg.com/originals/03/11/78/031178337c1e4aed1b63261d4e134df1.jpg
© Yoko Ono'Painting to Shake Hands' (2012) é uma das curtas-metragens que vai ser mostrada

Serralves dedica fim-de-semana de cinema a Yoko Ono

A pretexto da exposição ‘O Jardim da Aprendizagem da Liberdade’ de Yoko Ono, patente até 15 de Novembro, o museu exibe sete curtas-metragens e a longa ‘Imagine’ nos dias 19 e 20 de Setembro, respectivamente. Os bilhetes custam 12€.

Por Maria Monteiro
Publicidade

Depois de, em Maio, ter inaugurado a primeira exposição de Yoko Ono em Portugal, O Jardim da Aprendizagem da Liberdade, o Museu de Serralves organiza um ciclo de cinema centrado na obra multidisciplinar da artista, pioneira da arte conceptual e da performance. Este fim-de-semana, a Casa do Cinema Manoel de Oliveira exibe oito filmes que dão a conhecer a experimentação de Yoko Ono no cinema, nomeadamente a abordagem recorrente do “corpo na relação com a câmara”, descreve o comunicado de imprensa.

O programa arranca no dia 19 com sete curtas-metragens, situadas entre 1966 e 2012, que resumem “a variedade e complexidade dos filmes que Yoko Ono foi realizando ao longo dos anos”. O alinhamento inclui os primeiros trabalhos com câmaras de alta velocidade, no âmbito do Fluxus, movimento artístico radical da segunda metade do século XX; as performances filmadas ao longo do seu percurso e as co-realizações com John Lennon.

É, aliás, a vida e obra de ambos que protagoniza a sessão de dia 20. Imagine é um documentário que mistura ficção e realidade e recorre a elementos surrealistas para mostrar um dia na vida de Yoko Ono e John Lennon, com música dos seus álbuns FLY e Imagine. O filme conta, ainda, com testemunhos de amigos do casal, como George Harrison, Jonas Mekas, Andy Warhol, Jack Nicholson, Dick Cavett e Fred Astaire. Realizado em 1972, Imagine foi restaurado e remasterizado em 2018 e vai ser mostrado na sua nova versão em Portugal pela primeira vez. Todas as sessões de cinema acontecem às 17.00.

Quem quiser aproveitar para visitar a exposição, vai encontrar pintura, música, poesia, instalação, vídeo, performance, objectos ou materiais de arquivo. Estes espelham o olhar simultaneamente incisivo e poético de Yoko Ono sobre questões relacionadas com a liberdade ou a ausência dela e ficam completas com a participação do público.

Wish Tree (1996-2020), que desafia o público a escrever os seus desejos pela paz e a atá-los ao ramo de uma árvore, ou To See the Sky (2015), instalação que tem a forma de uma escadaria azul e que convida o espectador a subir até ao ponto mais alto para ver (ou imaginar) o céu a partir do local onde se encontra, são alguns exemplos. Os bilhetes podem ser adquiridos de forma parcial (12€), para cada um dos espaços da fundação, incluindo a Casa de Cinema Manoel de Oliveira, ou geral (20€).

+ 12 exposições a não perder no Porto

+ Exposição de Yoko Ono em Serralves

Leia aqui a nova edição digital e gratuita da Time Out Portugal

Últimas notícias

    Publicidade