Global icon-chevron-right Portugal icon-chevron-right Porto icon-chevron-right Três hotéis a preço de saldo durante o Inverno

Atenção, continuamos a tentar dar-lhe a informação mais actualizada. Mas os tempos são instáveis, por isso confirme sempre antes de sair de casa.

Montebelo Aguieira Lake Resort & Spa
© DR Montebelo Aguieira Lake Resort & Spa

Três hotéis a preço de saldo durante o Inverno

Do Centro ao Algarve, descobrimos três hotéis – incluindo uma novidade fresquinha – a preço de saldo durante o Inverno.

Por Nelma Viana
Publicidade

Agora que já se refez da dureza das festas e das despesas descontroladas dos últimos meses, está na hora de agarrar nuns trocos e ir de passeio para aproveitar as vantagens da época baixa. No Centro encontra a Casa do Lago, e a sul um dos resorts mais exclusivos do Algarve com estadias a metade do preço. Pelo caminho, fizemos ainda uma paragem em Alcácer do Sal. Foi lá que ficámos a conhecer um hotel rural novinho em folha, que também merece muito uma visita sua. Aproveite.

Recomendado: Os melhores sítios para relaxar no Minho

Três hotéis a preço de saldo durante o Inverno

Hotel da Barrosinha
Hotel da Barrosinha
© Pedro Queiroga

Hotel da Barrosinha

Abriu em Novembro, a dois quilómetros de Alcácer do Sal, e falhou por pouco o último Verão da década de 10. Isto para a maioria dos alojamentos turísticos teria sido uma desgraça, mas como a vertente hoteleira é só mais uma das mil e uma actividades da Herdade da Barrosinha, não houve pressa. Começou como Companhia Agrícola, em 1947, dedicada à produção de vinho, gado, arroz e cortiça, e foi crescendo até se transformar numa aldeia com vida própria que ainda preserva, de outros tempos, a escola primária, as casas dos funcionários (alguns ainda lá estão), duas capelas, uma serração e duas antigas fábricas de arroz. São mais de dois mil hectares de terreno que no final do ano passado viram nascer um hotel para completar a oferta, com 37 quartos, um ginásio, uma sala de reuniões, um bar e uma piscina exterior para crianças e adultos. Mas isto é só uma parte. Logo ao lado, há seis casas independentes com pátio privado e acesso aos serviços do hotel. Podíamos ficar por aqui, deixando a sugestão de aproveitar a paisagem rural para desligar do frenesim da cidade, mas este é um hotel desenhado para hóspedes que gostam de fazer coisas quando estão fora de casa. Há visitas guiadas às instalações agrícolas e industriais da quinta e a paragem na adega é obrigatória para provar os vinhos da casa acompanhados de queijos e enchidos regionais – marque-a para o final do dia, depois de ter passado pela vinha (são 100 hectares para explorar) e pelas plantações de arroz. De manhã, aceite o convite para se juntar aos trabalhos no campo: dê uma mãozinha nas colheitas de aromáticas e cogumelos selvagens e siga pela floresta para apanhar pinhas e acompanhar a tiragem de cortiça dos sobreiros. Se não estiver virado para a agricultura, alinhe num passeio a cavalo ou de bicicleta pelos trilhos demarcados da herdade ou até de barco pelo estuário do Sado. E porque o melhor deve ficar para o fim, na Taberna da quinta servem-se petiscos e vinhos da casa entre as 12.00 e as 20.00. É lá que vai encontrar as gentes que continuam a manter bem viva a alma alentejana da Barrosinha. Pode ser que tenha a sorte de encontrar a canja de pombo bravo na ementa do dia. Antes de se despedir, passe pela loja de vinhos e trate de acrescentar uns títulos à garrafeira lá de casa.

Hotel da Barrosinha, Alcácer do Sal. 265 623 142. Desde 58€.

Pine Cliffs Resort
Pine Cliffs Resort
© DR

Pine Cliffs Resort

É certo e sabido que o Algarve beneficia de um microclima quase tropical quando comparado com o resto do território continental. Não está sempre sol nem é sempre Verão, mas cheira sempre a férias. Longe que estamos de poder pensar naqueles 15 dias de papo para o ar, vale a pena rumar a sul para aproveitar em pleno um dos resorts mais exclusivos e luxuosos da região sem as enchentes e os preços proibitivos do costume. O Pine Cliffs é uma pequena cidade dentro da cidade de Albufeira. Embora seja muito mais simpático de visitar durante o tempo quente – sobretudo pelo acesso directo à praia da Falésia –, esta é uma das poucas alturas do ano em que não tem de se digladiar por uma mesa na sala de pequeno-almoço e provavelmente a única em que não vai ter de mexer nas poupanças para pagar a estadia. Além disso, tem toda a liberdade para cumprir o completíssimo roteiro gastronómico do hotel sem ter de gerir a decepção do “hoje já estamos cheios”. No Zest encontra comida leve e saudável, ao passo que n’O Pescador o peixe e o marisco tomam conta da ementa. No Jardim Colonial há um buffet internacional e no Piri Piri Steakhouse elogia-se a carne de qualidade. Se o tempo estiver mesmo bom, que é muito provável, não pense muito e vá directamente ao Corda Café, um restaurante descontraído, perfeito para o almoço, com esplanada em cima da piscina e menu infantil. A dois, os planos para o fim-de-semana podem ficar por isto mesmo, com alguns cocktails a ver o mar e uma visita ao spa luxuoso. Se houver criançada à mistura, decore estas palavras: Porto Pirata. Trata-se de um parque infantil com 7000 metros quadrados e dois navios de piratas em tamanho real. Está preparado para crianças entre os seis meses e os oito anos e inclui campos de jogos, um castelo insuflável, pistas de scooters e bicicletas e minigolfe. Pode deixar os miúdos ao cuidado dos monitores do clube e ir à sua vida de adulto.

Pinhal do Concelho, Albufeira. 289 500 100. Desde 103€.

Publicidade
Montebelo Aguieira Lake Resort & Spa
Montebelo Aguieira Lake Resort & Spa
© DR

Montebelo Aguieira Lake Resort & Spa

Se nos acompanha todos os meses, terá reparado que insistimos um par de vezes em dar destaque a destinos na zona Centro. Não foi por acaso. Depois de 12 meses frenéticos a correr o país, chegámos à conclusão de que 2020 será o ano em que se descobre que é realmente no meio (do país) que está a virtude. Já aqui contámos histórias da natureza intocada, dos patrimónios cultural e arquitectónico riquíssimos e até da gastronomia farta da região, mas faltava-nos falar de um dos segredos mais bem guardados do centro: a barragem da Aguieira. Não propriamente a barragem, mas tudo o que acontece à volta dos dois mil hectares que abraçam um dos maiores lagos artificiais do país, tendo como ponto de partida o discreto Montebelo Aguieira Lake Resort & Spa.

Mas antes, um bocadinho de contexto: percorrendo os concelhos de Carregal do Sal, Mortágua, Penacova, Santa Comba Dão, Tábua e Tondela, a Aguieira é sobretudo conhecida pelas praias fluviais e pela oferta infindável de actividades náuticas. Desde há dez anos que tem vindo a ganhar terreno também no segmento de férias em família, muito graças ao grupo Visabeira, que aqui encontrou um cenário único para instalar o primeiro resort cinco estrelas da região.

“Então mas e isso fica perto de quê, exactamente?”, perguntará. A vila de Mortágua é a urbe mais próxima, a cerca de 8 km, e Santa Comba Dão fica a pouco mais de 15 minutos de carro, mas como é pouco provável que vá querer sair do bem bom do hotel, considere esta informação como meramente explicativa da geografia envolvente. Pense assim: é ali para os lados de Coimbra, mais coisa menos coisa.

Agora sim, pode começar a sonhar com uns dias de descanso, ar puro e luxo quanto baste. Entre as duas opções de alojamentos, villas ou apartamentos, encontra solução para todo o tipo de dinâmicas. A dois, a escolha óbvia será um apartamento T1, pelo simples facto de os restantes, com dois e três quartos, serem demasiado grandes para o efeito. Para famílias, há villas para oito pessoas, com piscina privada e espaço de sobra para encaixar toda a gente sem atropelos. Os interiores são amplos e confortáveis, mas estaríamos a mentir se não disséssemos que a parte mesmo boa é o jardim, com barbecue. Não quer cozinhar? Tudo bem. No restaurante do hotel há umas pataniscas de bacalhau com migas de couve e costeletas de cabrito a chamar por si. E também há saladas, sopas, petiscos e um menu infantil que sabe reconhecer a importância que um esparguete à bolonhesa pode ter na felicidade do agregado.

Durante o dia, peça aos miúdos para escolher entre as opções “terra” ou “água”. Na primeira leve-os de bicicleta pelo circuito florestal do hotel, passe pelo corte de ténis e acabe o dia a cansá-los no parque infantil. No programa “água” siga numa viagem de barco pela albufeira e pare numa das ilhotas para um piquenique em família. Durante o Verão, o programa de actividades náuticas é mais completo e inclui ainda aulas de vela, windsurf, mergulho, ski e wakeboard, mas enquanto estiver frio a oferta está limitada a barcos, motas de água e caiaques.

No fim disto tudo vai gostar de saber que no spa há um tratamento especial para aliviar pernas cansadas. Custa 70€ e promete uma hora de massagem vigorosa para acabar com os males do dia.

Vale da Aguieira, Mortágua. 231 927 060. Desde 90€.

Outras viagens

Dá Licença
© Francisco Nogueira

Viagens: Dá Licença, um elogio à arte e à natureza

Viagens

Entre Estremoz e Evoramonte há um paraíso de oito quartos que serve de casa a uma colecção inimaginável de arte e artesanato, o Dá Licença. Ouvido por aí que seria, provavelmente, um dos boutique hotéis mais bonitos do mundo, fomos lá ver e tirar as teimas.

Publicidade

Viagens: Casa de São Lourenço, um paraíso na Serra

Hotéis

No dia 1 de Agosto de 1881, partia da capital a primeira expedição científica à Serra 
da Estrela. Precisamente 138 anos depois, reproduzimos
 os passos da comitiva de 23 carruagens onde seguiam
 Brito Capello, Sousa Martins e Mouzinho de Albuquerque, entre muitos outros representantes
 da Sociedade de Geografia de Lisboa, e subimos aos 1200 metros de altitude para uma visita cronológica à antiga estância sanatorial do país. No lugar da velhinha Pousada de São Lourenço, construída na década de 40 para ser “um hotel que não se parecesse com um hotel” e onde os hóspedes não podiam pernoitar mais do que cinco noites seguidas devido à enorme procura de quem subia a serra atrás do seu ar puro, nasceu, há menos de um ano, o primeiro hotel de montanha de cinco estrelas. Com uma vista única sobre o Vale Glaciar, a Serra da Estrela e a vila de Manteigas,
 a Casa de São Lourenço – Burel Panorama Hotel anuncia logo 
no nome aquilo a que vem: dar continuidade a um projecto sustentável de valorização do património local sob a asa da marca Burel Mountain Originals. João Tomás e Isabel Costa 
não trocaram Lisboa pela serra, mas é lá que passam grande parte do tempo, entre o hotel
de design Casa das Penhas Douradas, uns metros acima, e 
a Burel Factory, em Manteigas, que devolveu à localidade a produção de um tecido ancestral feito a partir da lã de ovelhas bordaleiras. E a história, claro está, repetiu-se: João, grande adepto de longas caminhadas pelos trilhos selvagens da serra, apaixono

Herdade do Sobroso
© DR

Viagens: Herdade do Sobroso, um oásis de tranquilidade no Alqueva

Viagens Escapadas

Há quanto tempo não vê um pirilampo? Pense por uns segundos. Há anos? Décadas? Os vaga-lumes desapareceram do nosso quotidiano e qualquer dia estamos a explicar aos nossos filhos que existe uma espécie de insectos com uma espécie de lâmpada na cauda e eles vão achar que estamos a gozar com eles. Mas os pirilampos existem e podem ser encontrados em sítios onde a natureza permanece imperturbada. São insectos frágeis que desaparecem às menores alterações no seu ecossistema – poluição, ruído e outros excessos praticados pela espécie humana. Se nos deparamos com uma destas criaturas quase-míticas, é porque estamos num lugar onde o ar é mais puro e a natureza consegue encontrar algum equilíbrio. Na Herdade do Sobroso, naquele Alentejo plano e de céus altos, é possível avistar pirilampos. O que quer dizer que o ar que está a entrar nos nossos pulmões possui um elevado grau de pureza. Que alegria. A herdade fica no centro de um triângulo formado por Vidigueira, Alqueva e Moura. Tem o Guadiana ali mesmo ao lado, umas sobras da barragem que mudou para sempre a paisagem  daquela zona do país a partir de 2002. A estrada para este retiro vinícola (é hotel, adega e restaurante) é uma das mais bonitas do Alentejo oriental – no caminho estreito para a Vidigueira há olivais, vinhas e outros tipos de exploração agrícola associadas àquela parte do país. Em resumo, um acompanhamento visual  às nossas aulas de Meio Físico e Social. Mas também se avistam cavalos, corsas e veados, o que transform

Recomendado

    Também poderá gostar

      Publicidade