Global icon-chevron-right Portugal icon-chevron-right Porto icon-chevron-right Nove marcas sustentáveis no Porto e arredores

Nove marcas sustentáveis no Porto e arredores

O Norte está cada vez mais verde e não é por causa da chuva. Mostramos-lhe nove marcas sustentáveis no Porto e arredores

Cuscuz
© DR Cuscuz
Por Margarida Ribeiro |
Publicidade

Não queremos incentivar o consumismo, mas se estiver a pensar em comprar peças novas, fuja das marcas de fast fashion e opte por outras com uma pegada ambiental mais pequena. Para o ajudar, fizemos-lhe esta lista com nove marcas sustentáveis no Porto e arredores. Chinelos feitos de plástico recolhido nas praias, camisas de retalhos ou óculos de sol produzidos com sobras de madeira são alguns dos produtos que pode comprar. 

Se quiser diminuir ainda mais a sua pegada ecológica, também pode começar a fazer as suas compras em lojas que vendem a granel, ou, por exemplo, substituir os seus cosméticos por opções vegan.

Recomendado: Sete projectos e movimentos no Porto que ajudam o planeta 

Nove marcas sustentáveis no Porto e arredores

Naz
© DR

Näz

Com um design minimalista e moderno, o catálogo da Näz conta com uma grande variedade de produtos, desde t-shirts a casacos para mulher, homem e criança. Alguns deles são feitos com excedentes de fábricas portuguesas. E quando é necessário são criados tecidos ecológicos, feitos de fibras orgânicas ou sustentáveis. Também desenvolvem, juntamente com empresas têxteis da Covilhã, tecidos e malhas com fios reciclados. Pode comprar as peças da marca online ou nas lojas Feeting Room. E fique atento às novidades, em breve vai estar à venda um sobretudo 100% vegan.

A partir de 22€

Zouri
© DR

Zouri

Todo o calçado à venda na loja online da Zouri é feito com plástico recolhido nas praias portuguesas. As sapatilhas, uma adição recente ao catálogo, e as sandálias vegan são produzidas artesanalmente em Guimarães. É lá que o plástico é trabalhado e misturado com borracha natural para formar a sola. Depois, entram no processo outros materiais, como o algodão orgânico e o piñatex, feito a partir de fibra de folhas de ananás.

A partir de 68€

Publicidade
AsPortuguesas
© JOAO OCT PEIXOTO

AsPortuguesas

Há três anos, AsPortuguesas entraram no mercado de calçado português com uma colecção de chinelos de dedo feitos à base de cortiça. Durante algum tempo, estes eram o único produto do catálogo mas, no Inverno do ano passado, lançaram, pela primeira vez, uma linha de sapatos. A marca trabalha com matérias-primas 100% naturais. Além deste material, também usam feltro natural para o fabrico dos sapatos.

A partir de 29,90€

Marita Moreno
© DR

Marita Moreno

Nasceu há dez anos, mas só em 2018 é que a Marita Moreno se tornou uma marca mais amiga do ambiente. Para isso, começaram a usar materiais naturais, como o linho, rendas, madeira ou cortiça, e outros mais inovadores, como o piñatex ou placas de fibra de casca de banana. Algumas colecções têm modelos numerados e limitados. Além de estarem à venda na loja online em Portugal, o calçado e os acessórios da marca também se vendem em França, Itália, Alemanha e EUA.

A partir de 125€

Publicidade
LESS buy.less
© DR

LESS buy.less

Ana Eusébio e Catarina Gonçalves uniram forças para criar a LESS buy.less, uma marca “com grande foco na consciência social, humana e ambiental”. As peças são feitas em ateliê e com desperdício têxtil vindo de fábricas nacionais. Isto, além de ser bom para o ambiente, faz com que as peças sejam únicas. É que, apesar de poderem manter o mesmo modelo, os artigos nunca vão ser iguais porque estão dependentes da quantidade de tecido existente. Se quiser comprar as calças, os casacos ou as túnicas da marca pode fazê-lo no site oficial.

Bleebla

Bleebla

Ana Ferreira e Luís Leite, dois arquitectos do Porto, criaram uma marca de brinquedos sustentável, produzida localmente com matérias-primas certificadas, provenientes apenas de Portugal e da Europa, de forma a minimizar a pegada ecológica. Assim, dizem, reduzem as cargas ambientais e as despesas associadas ao transporte. Mas falemos dos objectos, que chegam aos compradores em caixas de cartão reciclado. Vendem carimbos em madeira para xilogravura, puzzles em madeira e cortiça, e almofadas com formas de animais em poliuretano fabricado em Portugal. Sempre dentro de temáticas como a selva, o mar, o campo e a floresta, e recorrendo a “materiais naturais, quentes e com texturas ricas”, afiançam.

De 28€ a 135€. Onde: bleebla.com.

Publicidade
Cuscuz
© DR

Cuscuz

Óculos de sol e brincos são as peças únicas, intemporais e sem género que vai poder encontrar na Cuscuz. Os produtos da marca, criada por pai e filha, são feitos a partir de móveis, camas e bancos em fim de vida, ou de desperdícios de fábricas. Nascem num pequeno ateliê improvisado na garagem de casa, em Coimbra. Começaram por acessórios mas, em breve, haverá espaço para mais. Objectos de decoração e utensílios do dia-a-dia estão no horizonte criativo destes dois artistas. À venda no site oficial e nas duas lojas da Porto Design Biennale.

Natura Pura
© DR

NaturaPura

Mais genuína é impossível. Nascida em Barcelos, em 1999, esta marca ecológica de roupa e acessórios para bebé utiliza algodão 100% biológico sem tingimentos. Por esta razão é que todas as peças que vendem – muitas delas sem costuras ou elásticos, para maior conforto do bebé – vêm nas cores naturais da matéria-prima, como o bege ou cru. Também não usam produtos químicos e orgulham-se de terem sido a primeira empresa têxtil portuguesa certificada com o rótulo ecológico europeu. E com isto garantem que durante o processo de produção de cada uma das suas peças de algodão (há babygrows, vestidos, calças, casacos, gorros e muito mais) economizam mais água e mais de energia do que na produção de peças feitas de forma convencional.

A partir de 6,90€. Onde: naturapura.com ou NorteShopping, Mar Shopping e Arrábida Shopping.

Publicidade
Daniela Ponto Final
© DR

Daniela Ponto Final

Quem veste Daniela Ponto Final pode ter a certeza que está a usar peças únicas, já que tudo é produzido em quantidades muito limitadas. Além disso, são feitas à mão pela designer Daniela Duarte, com a ajuda da sua avó. Daniela compra os tecidos em lojas de comércio tradicional e tem um fornecedor que remata lotes de tecidos de lojas ou de fábricas que vão fechar e querem escoar stock. As linhas DANIELA’SHIRT EDITION são, talvez, o seu trabalho mais conhecido. Vende as suas peças na CRU Cowork.

A partir de 56€

Mais opções sustentáveis no Porto

Palhinhas sustentáveis
© DR
Compras

Quatro sítios para comprar alternativas às palhinhas de plástico

A União Europeia aprovou a proibição, até 2021, do uso de alguns objectos de plástico de utilização única, como as palhinhas, os cotonetes ou os talheres descartáveis (note-se que todos estão entre os dez elementos que mais poluem os oceanos). Agora que já sabe deste drama global, urge procurar alternativas. Felizmente, vários espaços da cidade possuem uma consciência ambiental apurada. Para o ajudar, fizemos esta lista com quatro sítios para comprar alternativas às palhinhas de plástico. Se quiser estender esta sua caminhada sustentável a outras áreas da sua vida, espreite os melhores restaurantes vegan ou espaços onde se vende cosmética sem ingredientes de origem animal. 

Árvore do Mundo
© Marco Duarte
Restaurantes

Sete restaurantes vegan no Porto

Já lá vão os tempos em que as opções vegan não existiam na cidade e era preciso pedir uma salada para remediar. Hoje em dia, comer uma refeição livre de ingredientes de origem animal na Invicta é cada vez mais fácil. Basta ver, por exemplo, esta lista com sete restaurantes vegan no Porto. Nestes estabelecimentos não entram carne, peixe, ovos, leite ou derivados e tudo é confeccionado com ingredientes da terra, a pensar em quem segue esta filosofia de vida. Sob diferentes conceitos, desde bar a cat café ou loja de discos, todos têm um ponto em comum: o respeito pelos animais. 

Publicidade
Fava Tonka
© DR
Restaurantes, Vegetariano

Os 12 melhores restaurantes vegetarianos no Porto

Não, no Porto não existe só comida pesada, e os espaços que dão primazia ao reino vegetal têm-se multiplicado e têm clientes cada vez mais fiéis. Há pratos vegetarianos, opções vegan e menus que respeitam a sazonalidade dos ingredientes, muitas vezes de origem biológica ou de pequenos produtores locais. Em suma, há boa comida para provar à mesa nos melhores restaurantes vegetarianos no Porto. Exemplos? Caril de grão-de-bico e legumes, strogonoff de seitan, estufado de tofu e legumes, hambúrgueres de leguminosas e também muitas sobremesas, como banoffee pie, cinnamon rolls ou tarte de frutos vermelhos. 

Publicidade