Global icon-chevron-right Portugal icon-chevron-right Porto icon-chevron-right A Orquestra Jazz de Matosinhos tem uma casa nova
As novas instalações da Orquestra de Jazz de Matosinhos1/4
©João SaramagoAs novas instalações da Orquestra de Jazz de Matosinhos
As novas instalações da Orquestra de Jazz de Matosinhos2/4
©João SaramagoAs novas instalações da Orquestra de Jazz de Matosinhos
As novas instalações da Orquestra de Jazz de Matosinhos3/4
©João SaramagoAs novas instalações da Orquestra de Jazz de Matosinhos
As novas instalações da Orquestra de Jazz de Matosinhos4/4
©João SaramagoAs novas instalações da Orquestra de Jazz de Matosinhos

A Orquestra Jazz de Matosinhos tem uma casa nova

A Orquestra Jazz de Matosinhos tem uma casa nova e grandiosa. Estivemos lá e agora fazemos-lhe uma visita guiada.

Por Sérgio Gomes da Costa
Publicidade

As novas instalações da Orquestra Jazz de Matosinhos (OJM) são invejáveis, tanto pelas suas capacidades técnicas, como pelo cuidado estético. Pedro Guedes, o director musical da OJM, não tem dúvidas: “Este espaço vai ser importante para o jazz português.”

A partir de agora, a orquestra passa a ter 800 metros quadrados ao dispor, divididos em quatro áreas, com sítio para ensaiar, gravar, dar aulas e fazer trabalho administrativo. Tudo isto em pleno edifício da Real Vinícola, recentemente recuperado pela Câmara Municipal de Matosinhos.

A zona de maior contacto com o público será a da entrada, onde está o serviço educativo, vocacionado para a transmissão de conhecimento musical a crianças e adultos. Está já marcada para sábados 27, às 11.00, a Orquestra de Família de Matosinhos, que quer juntar gente de várias idades em volta dos instrumentos musicais. Repete-se quinzenalmente.

Avançando um pouco mais no espaço, entra-se no designado Centro de Alto Rendimento Artístico (CARA), composto por uma sala de ensaios e espectáculos, bem como um estúdio de gravação. A sala servirá para a orquestra e os seus convidados ensaiarem e gravarem, podendo também receber pequenas actuações até 200 espectadores.

Olhando um pouco para cima, vê-se a janela do estúdio de gravação, feito à medida da OJM e equipado com tudo o que é necessário para qualquer tipo de gravação. O trabalho de insonorização feito nesta ala do edifício é outros dos seus prodígios técnicos e foi um desafio durante a sua concepção.

Para que o CARA esteja à altura da sua designação foram criadas parcerias com algumas instituições, como a Faculdade de Engenharia, o INESC-TEC, a Escola Superior de Música e Artes do Espectáculo, a Escola Superior de Educação e outras.

O objectivo é aliar a arte, a ciência e a tecnologia, desenvolvendo projectos de investigação para encontrar soluções de criação, fruição e disseminação de conteúdos. A OJM vai também envolver músicos nacionais e internacionais neste projecto, fazendo parte das ambições criar um selo discográfico para partilhar os resultados destes encontros.

Pedro Guedes reconhece o desafio. “Agora temos as condições perfeitas. Ao fim de quase 21 anos é um orgulho e uma responsabilidade. Os desafios que se colocam daqui para a frente são grandes. A exigência vai aumentar e isso é bom, não temos medo, é com desafios destes que vamos crescendo.”

Nos bastidores de tudo isto ficam os escritórios da Associação Orquestra Jazz de Matosinhos, com quatro gabinetes de trabalho, onde são tratadas as burocracias desta estrutura.

Uma orquestra quase nómada

A Orquestra Jazz de Matosinhos tem 18 elementos fixos e acabou de celebrar 20 anos. Teve origem na Héritage Big Band, nascida no Héritage Café, a poucos metros da actual sede. 

Em 1998 passou a usar a designação actual e foi tendo uma existência mais ou menos nómada, com passagens pelo B Flat, pela Escola Superior de Música e pela Casa da Música.

O projecto ganhou projecção mundial e já tem colaborado com artistas como Carla Bley, Lee Konitz, Maria Rita, Maria João, Mayra Andrade e Sérgio Godinho. A OJM tem com a Câmara Municipal de Matosinhos, proprietária do actual espaço, um contrato de comodato de dez anos, renovável por períodos de cinco.

Avenida Menéres, 456 (Matosinhos).

Mais coisas para fazer no Porto

A iniciativa estende-se até Junho
© Susana Neves

Coisas para fazer no Porto em Outubro

Coisas para fazer

O Outono chegou, é um facto, mas (pelo menos para já) veio carregado de dias soalheiros a pedir umas voltinhas fora de casa. Aqui tem a lista prometida de coisas para fazer no Porto em Outubro. E há muito por onde escolher. Com a rentrée que se assinalou no mês passado, as salas de espectáculos abrem as portas com muitas opções, desde teatro a música, sem esquecer as festas. Também há festivais gastronómicos para alegrar o estômago, festivais de teatro cómico para rir até doer a barriga e uma feira de bem-estar. Como vê, há alternativas para todos os gostos. Parta à descoberta.  Recomendado: 10 coisas para fazer ao domingo no Porto

Anna Calvi
©Maisie Cousins

Os melhores concertos no Porto em Outubro

Música Música ao vivo

Há muita música para apreciar na cidade este mês. Seja rock, punk ou reggae, de artistas nacionais ou internacionais. Conte ainda com um concerto improvável no Museu do FC Porto, ou com espectáculos em salas bem conhecidas da cidade, como a Casa da Música e o Hard Club. Pela Invicta o que não faltam são opções, o difícil é mesmo escolher. Se ficou com vontade de abanar o corpinho (com mais ou menos energia), siga esta lista com os melhores concertos no Porto em Outubro. Recomendado: Coisas para fazer no Porto em Outubro

Publicidade
L'Étreinte
©DR

Os melhores espectáculos em Outubro no Porto

Teatro

Outubro traz à cidade espectáculos para todos os gostos e as opções são tantas que se torna difícil escolher só um. A pensar nisso (e porque gostamos de lhe facilitar a vida), preparámos-lhe esta lista com os melhores espectáculos em Outubro no Porto. Por aqui vai encontrar a 29ª edição do Festival Internacional de Marionetas do Porto; um concerto-recital no salão árabe do Palácio da Bolsa; ou uma tragédia de Shakespeare no Teatro Nacional de São João. Ficou curioso? Então agarre na agenda e vá apontando as datas para que nada lhe escape.  Recomendado: Coisas para fazer no Porto em Outubro

Recomendado

    Também poderá gostar

      Publicidade