A Time Out na sua caixa de entrada

Procurar
Alambique
© Cláudia Paiva

Nós é mais bolos: os bolos que provámos em 2017

Chocolate, amêndoa, lima e banana. Assumimos a nossa veia gulosa e fomos em busca dos melhores bolos da cidade

Escrito por
Inês Bastos
Publicidade

Nos últimos meses assumimos orgulhosamente a nossa dependência de açúcar e corremos a cidade, minuciosamente, à procura de bolos que nos fizessem levitar. Não fomos esquisitos: passámos do bolo de chocolate para tartes de lima e de fatias generosas para versões miniatura. Eis os resultados.

Nós é mais bolos: os bolos que provámos este ano

  • Restaurantes
  • Cafés
  • Boavista
  • preço 1 de 4

Estes sidónios de amêndoa não vêm de Viana do Castelo mas de Lamego, onde são feitos há 50 anos. A versão da Casa das Bôlas, na Boavista, dá protagonismo ao melhor da terra, a amêndoa. Amêndoa aqui, ali e acolá: na pasta que enche o copo de massa quebrada, no licor de amêndoa amarga que une o açúcar e a pasta e, por cima, laminada para decorar. Se a massa podia estar mais estaladiça? Podia e devia. Se é possível dividir com uma companhia? Também. Vai bem acompanhado de um chá a queimar a língua e dá sustento para duas horas.

Preço: 1,30€

  • Coisas para fazer
  • Mercados e feiras
  • Campo Alegre

Pela diferença de tamanho em relação às restantes (fatia alta e generosa), não foi difícil escolher a tarte de brigadeiro na Chocolate Rosa, no Mercado do Bom Sucesso. Primeira observação: há um andar de brigadeiro (que sabe genuinamente a brigadeiro) e dois – ou três, ou quatro – de chantilly. Enjoo? Não: o casamento entre o açúcar do chantilly e um brigadeiro menos doce do que o normal resulta. Segunda observação: apesar de não ser tão amanteigada como seria de esperar, a massa da base é interessante. Mesmo com estes equilibrismos, é demasiado doce para chegar às quatro estrelas.

Preço: 2,85€

Publicidade
  • Restaurantes
  • Cafés
  • Flores
  • preço 1 de 4

★★

A Rua das Flores pode ser para turistas mas todos os portuenses deviam provar este bolo de bolacha. A fatia é generosa, as camadas bem definidas e a obra é feita todos os dias na cozinha de vidros coloridos que faz lembrar uma antiga bilheteira de estação de comboio. Não segue a receita tradicional: o creme de manteiga e café foi substituído por um de chocolate e por cima tem uma camada fina de chantilly polvilhada com cacau em pó. É húmido e a bolacha não foge. Tudo na dose certa.

Preço: 2,50€

  • Compras
  • Livrarias
  • Cedofeita

★★

Um dos melhores bolos de chocolate da cidade é servido numa livraria infantil de Miguel Bombarda. Sempre que um bolo está para acabar é imediatamente feito outro, mesmo ali na pequena cozinha do espaço. A receita recomenda pouca farinha e o resultado são fatias tão húmidas quanto generosas – ideais para partilhar, como se de um bom livro se tratasse –, com um fio de mel por cima e uma crosta crocante que apetece comer à mão.

Preço: 2€

Publicidade
  • Restaurantes
  • Cafés
  • Bonfim

A tarte de lima é, de facto, a especialidade do espaço homónimo que abriu em Maio no Bonfim. Assim sendo, nem foi preciso pensar duas vezes no pedido. É caseira, equilibrada e tem um bom sabor cítrico, no limite entre o agradável e a vontade de fechar os olhos com força para lidar com a acidez. Ora, com um recheio tão bom, esperava-se uma base leve e crocante. Pena não ter acontecido: a base de bolacha maria e manteiga tinha uma consistência mole e pesada para uma sobremesa que se quer em dias quentes.

Preço: 1,50€

  • Restaurantes
  • Confeitarias
  • Baixa

★★

Quem disse que era preciso ser grande para dar nas vistas nunca deu uma trinca numa glórinha da Nandinha. Pelo nome percebe-se que é coisa para se despachar em três ou quatro dentadas. E isso é mau? Dadas as doses astronómicas de açúcar, não. Mais três centímetros e já não seria perfeita. Assim, com a massa folhada leve, o creme de ovos na dose certa e a cobertura de açúcar estaladiça, é imprópria para diabéticos mas mais do que própria para gulosos assumidos.

Preço: 0,90€

Publicidade
  • Bares
  • Cafés/bares
  • Santa Catarina

O Alambique é um muitos-em-um perfeito: loja vintage, livraria, café e dono de um dos melhores brownies da cidade. Feito fora da porta 214 da Rua Formosa mas caseiro, vem na dose certa, apesar de aos olhos dos mais gulosos parecer pequeno. O que é que acontece ao colocar o brownie num forno muito quente mas por pouco tempo? Fica húmido por dentro mas com uma camada estaladiça por cima. E assim se evita ficar com um cubo de chocolate demasiado pesado e massudo. Um belo acompanhamento para o chá das cinco.

Preço: 1,60€

  • Restaurantes
  • Cafeteria
  • Santa Catarina

Com quatro estrelas, as natas desta marca vinda de Lisboa  venceram o challenge de pastéis de nata da Time Out em 2017. “Sabe mais a canela e até sinto um travo a limão”, disse um. “A parte de cima até parece leite creme“, reagiu outro. O barulho da massa a ser trincada não engana ninguém. É fresca e suporta bem a quantidade generosa de recheio.

Preço: 1€

Publicidade
  • Restaurantes
  • Cafés
  • Baixa
  • preço 1 de 4

O Moustache tem bons bolos e isso já é um grande motivo para uma pessoa se sentir feliz. Pedi uma fatia de banoffee pie: escolha acertada para um fim de dia chuvoso. A base de bolacha de aveia moída não estava empapada em manteiga, ao contrário do que acontece em muitos sítios; o bom caramelo espesso mantinha o bolo uniforme e envolvia a banana doce e melosa; e as natas por cima, polvilhadas com cacau, faziam o remate perfeito. Um bolo equilibrado na doçura, bem servido e nada enjoativo. Mas que me deu muita sede umas horas depois. Dulce Dantas Marinho

Preço: 2,50€

O melhor que comemos

  • Restaurantes

Este foi apenas mais um ano em que provámos muita e boa comida. Os dez pratos desta lista foram alguns dos mais elogiados pelos críticos Dulce Dantas Marinho, Marta Brown e Ricardo Capitão. Eis o melhor que comemos em 2017. Bom apetite.

  • Restaurantes

Todos os restaurantes que constam nesta lista foram visitados pelos nossos críticos, de forma anónima, como se fossem clientes normais. Ora, isso significa que na lista dos melhores restaurantes no Porto só entram aqueles onde comemos bem ou muito bem. Guarde esta compilação bem perto do coração (ou do estômago) e dê-lhe uso sempre que necessário. Não precisa de agradecer. Bom apetite.

Publicidade
  • Restaurantes

Sabe que está no Porto quando lhe chegam à mesa doses generosas de comida bem feita. Há petiscos, sandes, pratos de autor, doces e até iguarias de várias partes do mundo. Esta lista de 30 pratos que tem de comer no Porto é uma edição de coleccionador, entenda-se. Bom apetite.

Recomendado
    Também poderá gostar
      Publicidade