Os melhores doces tradicionais do Porto

O conteúdo que se segue não é indicado para quase ninguém. Principalmente se for consumido sem moderação. Mas, não obstante tudo isso, é bom de mais e merece aqui ser partilhado. Afinal, um dia não são dias
Confeitaria da Ponte - São Gonçalos
©João Saramago São Gonçalos, feitos à base de ovos com amêndoa moída e açúcar
Por Teresa Castro Viana |
Publicidade

Não há quem resista à nossa doçaria, isso é certo. Por isso, passámos uma rasteira à diabetes e qualquer tipo de dieta, e percorremos o distrito em busca dos melhores doces tradicionais do Porto.

Os melhores doces tradicionais do Porto

Rosa Sousa - Cavaquinhas da Serra
©João Saramago
Restaurantes, Pastelarias

Cavaquinhas da Serra

icon-location-pin Grande Porto

Rosa Sousa – Felgueiras

À primeira vista,
 uma junção entre cavacas de Margaride e queijo da Serra pode parecer estranha. Mas quantas vezes 
já comeu rabanadas com queijo da
 Serra? Pois... A ideia de rechear duas cavacas pequenas com queijo da Serra foi de José Mário Sousa, filho da dona da casa Rosa Sousa, numa tentativa de “recriar produtos tradicionais”. E
 fê-lo como deve ser, porque as cavacas são um autêntico vício.

Preço: desde 6,80€/caixa de oito

Fatias do Freixo - Casa dos Lenteirões
©João Saramago
Restaurantes, Pastelarias

Fatias do Freixo

icon-location-pin Grande Porto

Doces do Freixo – Casa dos Lenteirões

Aviso à navegação: só de olhar vai engordar uns quilos. As fatias do Freixo são feitas nesta casa quase bicentenária apenas com os ingredientes base da doçaria: os ovos, o açúcar e a farinha. O resultado é um delicioso bolo húmido, parecido com o pão-de-ló. No final de Março os Doces 
do Freixo – Casa dos Lenteirões chegaram ao Mercado Bom Sucesso para dar cabo da dieta de vez.

Preço: 12,90€/kg

Publicidade
Confeitaria Moura - Jesuítas
©João Saramago
Restaurantes, Confeitarias

Jesuítas

icon-location-pin Grande Porto

Jesuítas – Confeitaria Moura

São várias as receitas de jesuítas por essa Europa fora mas 
a da Confeitaria Moura, criada por um pasteleiro de Bilbau há 125 anos, continua a ser das melhores. A massa é estendida, recheada com creme caseiro e no final leva uma cobertura de açúcar. Além dos jesuítas, a Moura também produz limonetes, feitos com a mesma massa. Para os gulosos, uma boa notícia: a Confeitaria Moura chegou este Verão à Baixa do Porto.

Preço: 1€ (1,20€ no Mercado Bom Sucesso)

Confeitaria da Ponte - São Gonçalos
©João Saramago
Restaurantes, Confeitarias

São Gonçalos

icon-location-pin Grande Porto

Confeitaria da Ponte – Amarante

Abriu em 1930 e é
 a “casa mais antiga no fabrico dos doces conventuais de Amarante”. Quem o diz é Ricardo Ribeiro, gerente. Os São Gonçalos têm o nome do padroeiro da cidade e são feitos “à base de ovos com amêndoa moída e açúcar” e depois cozidos em banho-maria, revela. Se quiser provar outras especialidades atire-se às lérias e às brisas do Tâmega, feitas à base de amêndoa.

Preço: 1,20€

Publicidade
Confeitaria do Bolhão - Bolo de São João
©João Saramago
Restaurantes, Confeitarias

Bolo de São João

icon-location-pin Santa Catarina

Confeitaria do Bolhão – Porto

A receita do bolo de São João é antiga, mas a tradição de o fazer foi-se perdendo. Felizmente, há uns anos, espaços como a Confeitaria do Bolhão voltaram
a pôr as mãos na massa. O bolo é da família do bolo-rei, só que leva mais frutos secos. Aqui vem bem recheado de sultanas e amêndoas.

Preço: 12€/kg

Flor de Valadares - Velhotes
©João Saramago
Restaurantes, Pastelarias

Velhotes

icon-location-pin Vila Nova de Gaia

Flor de Valadares – Vila Nova de Gaia

É provável que nunca tenha ouvido falar dos velhotes, uns pães fofos e doces, famosos 
em Vila Nova de Gaia. Vendem-se coladinhos uns aos outros, em grupos de quatro e os gaienses chamam-nos de “pasta”. Em 2002 foi criada a Confraria do Velhote para os representar.

Preço: 4€

Publicidade
Dájuri - Rabanadas Poveiras
©João Saramago
Restaurantes, Pastelarias

Rabanadas Poveiras

icon-location-pin Grande Porto

Dájuri – Póvoa do Varzim

Parecem bolas de Berlim mas são rabanadas poveiras, “feitas em
pão biju com quatro ou cinco dias”, como explica Juliana Ferreira, que as confecciona. A côdea é retirada, o miolo é mergulhado numa calda de leite, açúcar e ovos e o pão é moldado à mão para ficar mais redondinho antes de ser passado por ovo e frito em óleo bem quente. No final, é envolvida em açúcar e canela. Se a quiser mais doce, junte o creme de ovos caseiro ou o xarope de vinho do Porto com amêndoas, pinhões, nozes e passas.

Preço: 1,20€ (simples), 1,60€ (com molho)

Paupério - Fidalguinhos
©João Saramago
Restaurantes, Confeitarias

Fidalguinho

icon-location-pin Grande Porto

Paupério - Valongo

A famosa empresa de Valongo, já conhecida no país inteiro, nasceu em 1874 e começou 
por se dedicar à moagem de cereais e ao fabrico de pão. Só no início do século XX é que se especializou no que hoje faz tão bem: bolachas e biscoitos. Os fidalguinhos são uma das especialidades e existem desde a fundação da casa.

Preço: 10€/kg

Mais açúcar

Baba de camelo da Casa Ferreira
© Cláudia Paiva
Restaurantes, Restaurantes

Três sítios para comer baba de camelo no Porto

Facto: todas as refeições deveriam ser rematadas com um doce. Se faz parte do grupo dos gulosos e não resiste a uma sobremesa com leite condensado, respire fundo e prepare-se para o que aí vem. Estes são os três melhores sítios para comer baba de camelo no Porto. 

Casa Grande Chocolatier
© DR
Compras, Chocolates e doces

Os melhores chocolates do Porto

Doces ou mais amargos, simples ou recheados de licores, fruta fresca ou frutos secos, os chocolates são sempre bem-vindos e há vários exemplares de qualidade para provar na cidade. Quais? Onde? Tome nota desta lista e recheie as prateleiras lá de casa.

Publicidade
Romeu e Julieta do Ernesto
© Marco Duarte
Restaurantes, Restaurantes

Três sítios para comer Romeu e Julieta no Porto

Se não se deixa levar por modas e prefere devorar sobremesas que lhe fazem lembrar os almoços em casa da avó, este artigo é para si. Estes são os três melhores sítios para comer Romeu e Julieta no Porto, esse casamento perfeito entre queijo e marmelada.

Publicidade
Esta página foi migrada de forma automatizada para o nosso novo visual. Informe-nos caso algo aparente estar errado através do endereço feedback@timeout.com