Global icon-chevron-right Portugal icon-chevron-right Porto icon-chevron-right Seis receitas para sobreviver ao apocalipse

Atenção, continuamos a tentar dar-lhe a informação mais actualizada. Mas os tempos são instáveis, por isso confirme sempre antes de sair de casa.

cooking
Caroline Attwood/Unsplash

Seis receitas para sobreviver ao apocalipse

Desafiámos seis chefs a cozinharem com ingredientes básicos: atum, arroz, salsichas, lentilhas, feijão branco e grão de bico

Por Inês Garcia e Teresa Castro Viana
Publicidade

Não se torne açambarcador – essa palavra que entrou no nosso vocabulário corrente em tempos de quarentena –, mas trate de apetrechar a despensa para vários dias, para dispensar idas a mais ao supermercado e a exposição ao bicho. Privilegie os frescos do mercado mas opte por outros bens pouco perecíveis. Nesse sentido, desafiámos seis chefs para cozinhar com seis ingredientes básicos, daqueles que fazem parte dos kits de sobrevivência para qualquer apocalipse: atum em conserva, arroz, salsichas em lata, lentilhas, feijão branco e grão de bico. Criativos, mas atentos ao desafio de encontrar muitos ingredientes diferentes por estes dias, estas foram as sugestões.

Recomendado: Desafio Time In – uma receita nova por dia

Seis receitas para sobreviver ao apocalipse

Comida, Arroz, Bagos
Comida, Arroz, Bagos
©ally_J/Pixabay

1. Arroz

Arroz de Forno de Frango e Ervilhas
João Cura, chef do Almeja – Porto

Receita para 4 pessoas

240 g de arroz carolino
900 ml de caldo de carne
200 g de frango (ou outra carne que tenha disponível)
1 cebola média
2 dentes alho
50 g de pimento vermelho
100 g de ervilhas (frescas, de lata ou congeladas)
100 g de bacon
100 g de tomate triturado (ou de lata)
6 g de pimentão doce
Picante q.b.
1/2 copo de vinho branco
Sal q.b.
1 limão

Pique a cebola, o alho e refogue muito bem. Adicione e frite o bacon em cubos pequenos e, de seguida, o pimento vermelho. Quando estiver tudo dourado, adicione o pimentão e logo depois o tomate triturado.

Deixe evaporar quase todo o líquido, adicione o arroz e cozinhe um pouco. Quando começar a agarrar, junte o vinho branco para refrescar e deixe o álcool evaporar. Adicione o caldo aos poucos, cozinhe como se de um risoto se tratasse (o caldo pode ser feito tostando no forno aparas de carne e aparas/cascas dos legumes, adicionando água e deixando apurar) e tempere com sal.

Tempere também o frango, doure de ambos os lados e corte em pedaços mais pequenos. Deixe o arroz chegar a um ponto ligeiramente cru, resistente, quase seco e sem caldo e rectifique o sal.

Estique num tabuleiro, espalhe as ervilhas e os pedaços de frango e leve ao forno a 200ºC a terminar a cozedura, de modo a que fique ligeiramente crocante e tostado. Termine com raspa de limão.

Vegetal, Feijão Branco, Phaseolus vulgaris
Vegetal, Feijão Branco, Phaseolus vulgaris
©Rasbak

2. Feijão Branco

Hummus quente e legumes crocantes da época
Aurora Goy, chef do Apego – Porto

Receita para 2 pessoas

Para o hummus:
250 g de feijão branco seco
Guarnição aromática (1 cebola, 1 cenoura, 1 ramo de aipo, 2 rodelas de gengibre, 2 dentes de alho, 1 folha de louro, 3 ramos de tomilho e 1 ramo de alecrim)
10 cl de vinagre
1/2 colher de café de cominhos
1 colher de café de coentros moídos
Azeite
Pimenta preta

Para os legumes:
150 g de espargos
1 molho de rabanetes
1 molho de agrião
1 molho de rúcula
Ervas aromáticas a gosto (funcho, coentros, salsa, cebolinho)
Amêndoas
Alecrim
Azeitonas
Vinagre de vinho tinto
10 g de açúcar amarelo
Azeite (ou óleo de frutos secos, se tiver)
1 cebola nova

Deixe o feijão de molho durante a noite. No dia seguinte, coloque-o num tacho com bastante água, acrescente a guarnição aromática (também pode acrescentar um enchido para dar um sabor fumado) e ponha ao lume.

Deixe cozer até ao feijão ficar no ponto para um puré, sem chegar a desfazer-se na água. Acrescente o sal apenas quando estiver quase cozido. Reserve o caldo da cozedura.

Coloque o feijão numa tigela e junte os cominhos, os coentros moídos, o alho (já triturado com azeite), a pimenta, o vinagre e triture tudo com a varinha mágica até ficar com uma textura granulosa. Se tiver dificuldades em triturar, acrescente o caldo do feijão e azeite. Guarde numa panela.

Lave todos os legumes. Tire a parte mais dura dos espargos e lamine-os em fatias finas, corte os rabanetes em comprimento e triture as azeitonas descaroçadas com a faca. Misture o agrião, a rúcula e as ervas aromáticas.

Leve as amêndoas ao lume numa frigideira e torre-as com azeite, açúcar amarelo e alecrim. No final, acrescente flor de sal.

No momento de servir, junte todos os elementos da salada e tempere com sal, pimenta, azeite (ou óleo de frutos secos) e vinagre. Aqueça o hummus de feijão, coloque num prato fundo, ponha a salada por cima e, se tiver, termine com raspa de limão.

Publicidade
Grão de Bico, Leguninosa, Cicer arietinum
Grão de Bico, Leguninosa, Cicer arietinum
©Jaqueline Macou/Pixabay

3. Grão de Bico

Caril de grão de bico com...
Pedro Braga, chef do Mito – Porto

Receita para 4 pessoas

Azeite
1 cebola grande
3 dentes de alho picados
2 colheres de chá de garam masala
1 colher de sopa de caril em pó
1 pitada a gosto de pimenta cayenne
300 g de grão de bico cozido
1 lata (425 g) de tomate pelado
40 g de leite de côco
2 a 3 colheres de chá de xarope de ácer
Sal
Pimenta
Sumo de 2 limas
Coentros a gosto
Lima para decorar

Estufe a cebola num pouco de azeite até ficar translúcida mas sem ganhar cor. Junte o alho picado e cozinhe levemente. Acrescente o garam masala e o caril e cozinhe lentamente durante uns minutos. Pique ou esmague os tomates, mantendo a calda, e junte ao preparado. Ferva e deixe reduzir um pouco.

Junte o leite de coco e reduza também lentamente sem deixar ferver. Passado uns minutos, junte o xarope de ácer (pode substituir por um pouco de açúcar mascavado escuro) e tempere com sal. Termine com o sumo das limas e os coentros.

Se não quiser manter a receita vegetariana, pode juntar frango, camarão ou peixes brancos. Sirva com arroz basmati, cuscuz ou couve-flor triturada num processador e salteada em azeite ou manteiga.

Atum em Conserva
Atum em Conserva
©DR

4. Atum em conserva

Salada de atum, legumes assados e feijão branco com vinagrete de tomate assado
Vasco Lello, chef do Sea Me – Lisboa

Receita para 4 pessoas

Para a salada:
2 frascos de filetes de atum em azeite (200 g)
2 fatias grandes de pão alentejano (1,5 cm grossura)
1 curgete
1 cenoura
1 beringela
1 lata de feijão branco
1 molho pequeno de agrião lavado
1 limão pequeno
1 dente de alho com casca
Flor de sal q.b.
Pimenta preta de moinho q.b.
Orégãos secos q.b.

Escorrer o atum e reservar. Guardar também o azeite.
Escorrer e lavar o feijão. Reservar.
Lavar os vegetais. Cortar a curgete e a beringela em cubos de 2 cm. Salgar a beringela durante 15 minutos, passar por água e secar.
Levar os vegetais ao forno com um pouco do azeite do atum, temperados de sal, pimenta e orégãos a 180ºC durante 10 minutos.
Tostar as fatias de pão no forno a 180ºC. Cortar o dente de alho ao meio e esfregar nas fatias, regar com um pouco do azeite do atum. Cortar em cubos e reservar.
Cortar a cenoura em tiras finas numa mandolina chinesa (pode também ser ralada).

Para o vinagrete de tomate assado:
2 tomates maduros
150 ml azeite extra virgem
50 ml vinagre balsâmico de boa qualidade
Orégãos secos q.b.
Flor de sal q.b.
Pimenta preta de moinho q.b.

Retirar os pés dos tomates e cortar em quartos, temperar com sal, orégãos e um pouco do azeite do atum. Levar ao forno a 180ºC por 25 minutos. Ainda quente colocar num blender e emulsionar com o azeite extra virgem e o vinagre balsâmico.

Numa taça, envolver o feijão com os legumes assados ainda tépidos. Temperar com um pouco do vinagrete de tomate assado e rectificar de sal e pimenta. Envolver os cubos de pão torrado. Colocar os filetes de atum em troços e reforçar os orégãos. Servir com o agrião temperado com o sumo de limão e flor de sal.

Publicidade
Comida, Salsichas
Comida, Salsichas
©PIXNIO

5. Salsichas em lata

Salsichas salteadas com ananás agridoce
Bernardo Agrela, chef do East Mambo – Lisboa

Receita para 3/4 pessoas

1 lata de ananás cortado aos cubos (300g)
2 colheres de sopa de amido de milho (em conjunto com água, espessa e engrossa os molhos quando adicionado no final a um caldo a ferver)
1/4 colher de chá de gengibre
1 colher de sopa de alho picado
1 cubo de caldo de aves diluído numa chávena de água morna
3 colheres de sopa de açúcar mascavado
1 colher de sopa de molho de soja
1 colher de sopa de mel
1/4 colher de chá de sal
1 colher de chá de ajinomoto (opcional)
1/4 colher de chá de paprika
1 colher de chá de óleo de sésamo tostado
1/8 colher de chá de pimenta
1/2 colher de malagueta picada
1 lata de salsichas
2 tomates cortados
1 cebola picada
1 pimento verde picado grosseiramente
1 colher de sopa de malagueta picada
1 colher de sopa de salsa e outra de coentros
Óleo para fritar
Malagueta em flocos (completamente opcional, dá um toque final ao prato).

Cozer as salsichas em água até aumentarem de tamanho. Retirar para fora, cortar em pedaços e fritar em óleo abundante.

Preparar todos os outros ingredientes. Numa frigideira, tipo wok, começar por adicionar o óleo de sésamo e deixar aquecer. Juntar cebolas, alho, gengibre, malagueta, pimentos e por fim os tomates. Quando frito, juntar o caldo de aves, o açúcar, a soja, o mel, sal, pimenta e paprika. Deixar ferver alguns momentos até a água evaporar 1/3.

Juntar o ananás, as salsichas e o amido de milho em caso de ainda haver muito líquido no wok. Adicionar as ervas picadas e servir com noodles ou arroz, a gosto.

Lentilhas Verdes, Leguninosa, Lens culinaris
Lentilhas Verdes, Leguninosa, Lens culinaris
©Jerzy Górecki/Pixabay

6. Lentilhas

Bolonhesa de lentilhas
Leonor Godinho, chef da Musa da Bica – Lisboa

Receita para 4 pessoas

400 g de carne picada de novilho
400 g de lentilhas lavadas, não é necessário demolhar (Nesta receita utilizei lentilhas verdes mas pode ser feita com qualquer tipo de lentilhas)
1 cebola bem picada
3 dentes de alho bem picados
1 folha de louro
Azeite q.b.
1 malagueta pequena
1 talo de aipo, picado
2 cenouras, cortadas em cubos pequenos
250 ml de vinho tinto
1 lata (400 g) de tomate em pedaços
500 g de polpa de tomate
Orégãos
Sal q.b.
Pimenta preta q.b.
Queijo parmesão q.b. (se possível, comprar em cunha e reservar a casca)

Num tacho ou caçarola bem quente, colocar um fio de azeite e fritar a carne até estar bem dourada. Se necessário fazer o processo em duas vezes, para a carne não começar a cozer. Quando bem caramelizada, temperar de sal e pimenta. Retirar a carne e reservar. "Lavar" o fundo com um pouco do vinho tinto. Raspar bem e reservar este líquido (pode ir para o mesmo recipiente onde se colocou a carne).
No mesmo tacho, colocar outro fio azeite e refogar bem a cebola, alho, aipo e cenoura, adicionando por esta ordem. Temperar de sal e pimenta e juntar a folha de louro. Refrescar com o resto do vinho tinto e deixar evaporar bem. Juntar o tomate em pedaços e refogar bem.
Juntar a polpa de tomate. Como se utilizou vinho tinto, à partida estará com o equilíbrio certo de doce e ácido. Se for necessário, adicionar uma colher de chá de mel (preferencialmente) ou açúcar.
Rectificar de sal e pimenta e temperar com orégãos.
Adicionar as lentilhas e a carne previamente salteada. Colocar a casca do parmesão, se tiver. Deixar cozinhar durante 1 hora ou até as lentilhas estarem tenras.

Quando for altura de servir, ralar parmesão em cima. Os mais gulosos podem servir em cima de massa ou arroz branco. Se quiser transformar a receita totalmente vegetariana, pode eliminar a carne e dobrar a quantidade de lentilhas.

As melhores entregas ao domicílio

Ladidadi Wines
Fotografia: Inês Félix

Entregas de vinho ao domicílio para que o copo nunca fique vazio

Restaurantes

Se precisar de beber para esquecer a pandemia, aconselhamos moderação mas não julgamos. Compreendemos. Faça-o é com vinho do bom. Pequenas lojas e wine bars fecharam as portas ao público, de acordo com as directrizes do Governo, mas estão a fazer entregas de vinho ao domicílio para garantir que nada lhe falta no momento do apocalipse. Vinhos naturais ou convencionais, brancos, rosés ou tintos, para encher o copo sem medos e brindar à nossa saudinha e da nossa família. Fique em casa mas não deixe o copo esvaziar.

sardinha
©Peixaria Centenária

Peixe fresco em casa: descubra quem faz entregas ao domicílio

Compras

Quando não pode é quando mais apetece, não é verdade? É normal começar a ter aquelas ganas de comer peixinho fresco com vista para o mar, já a querer chamar o Verão que continua a parecer cada vez mais distante. A opção mais viável agora será chegar-se à grelha e aos tachos e armar-se em chef para cozinhar o peixinho em casa. Se a corrida aos frescos não está fácil nas grandes superfícies e já não consegue apanhar o robalo ou a dourada do mar para fazer figura no jantar lá de casa, saiba que pode ter peixe fresco em casa com algumas peixarias e mercados que, mesmo em tempos de Covid-19, fazem entregas ao domicílio.  

Publicidade
ajitama
©Manuel Manso

Coma bem mas em casa: restaurantes com entregas e take-away especiais

Restaurantes

Há restaurantes que nunca pensaram fazer entregas ao domicílio. Ora porque têm sempre filas à porta e não têm mãos a medir, ora porque preferem concentrar a acção nas mesas da casa. No entanto, o novo coronavírus tramou-nos as voltas a todos e o sector da restauração está a reinventar-se. Pedem-se saídas mínimas, só para o essencial, mas queremos continuar a comer bem. E estes restaurantes estão prontos para fazer face à pandemia, seja através das plataformas de entrega (que já tomaram as devidas precauções) ou com entregas próprias.

Recomendado

    Também poderá gostar

      Publicidade