Armindo Cardoso

Arte, Fotografia

Armindo Cardoso saiu de Portugal em 1965 por motivos políticos, e exilou-se em Paris, de onde viria a partir para o Chile, depois de casar com uma chilena, com quem também teve uma filha. Aí começou o seu trabalho como fotojornalista, numa era pré-Pinochet. Com a chegada do ditador ao poder, sem hesitar, enterrou os seus negativos a preto e branco num jardim de uma casa em Santiago e regressou a Paris com a ajuda da Embaixada de França no Chile. Felizmente toda a obra foi recuperada. Oportunidade única para observar um Chile que nos é distante, durante o governo de Unidade Nacional liderado por Salvador Allende. Três anos de retratos, natureza, vida quotidiana.

Publicado:

LiveReviews|0
2 people listening