Global icon-chevron-right Portugal icon-chevron-right Lisboa icon-chevron-right O melhor guia de Lisboa
13 pratos vegan que tem de comer em Lisboa
13 pratos vegan que tem de comer em Lisboa icon-chevron-right
Os novos bares em Lisboa que tem mesmo de conhecer
Os novos bares em Lisboa que tem mesmo de conhecer icon-chevron-right
As melhores esplanadas para o Outono em Lisboa
As melhores esplanadas para o Outono em Lisboa icon-chevron-right

Últimas notícias

O magusto na LX Factory acompanha com vinho, música e uma boa causa
Notícias O magusto na LX Factory acompanha com vinho, música e uma boa causa

Depois do sucesso da primeira edição, o São Martinho Mayor está prestes a regressar à LX Factory, para uma festa ao lume, com castanhas, vinho e um concerto...

No Ritz, além do luxo, encontra-se um dos melhores bares do mundo
Notícias No Ritz, além do luxo, encontra-se um dos melhores bares do mundo

O bar do Ritz, em Lisboa, foi eleito pelo guia de viagens da revista Forbes como um dos "melhores 44 bares de hotel do mundo". O ambiente discreto e as...

Omar Souleyman regressa ao Musicbox em 2020
Notícias Omar Souleyman regressa ao Musicbox em 2020

Omar Souleyman vem aí. Outra vez. O mais conhecido cantor sírio regressa ao Musicbox, no próximo dia 1 de Fevereiro, para apresentar o álbum Shlon. Com uma...

A juventude de São Miguel ou "O Narcisismo das Pequenas Diferenças"
Notícias A juventude de São Miguel ou "O Narcisismo das Pequenas Diferenças"

Das famílias mais abastadas de São Miguel à crescente comunidade gay e trans de Rabo de Peixe. Pauliana Valente Pimentel fotografou os jovens da ilha...

Batman vs. Stan Lee: uma batalha de titãs na Amadora BD
Notícias Batman vs. Stan Lee: uma batalha de titãs na Amadora BD

Nos 30 anos do Festival Internacional de Banda Desenhada, celebra-se a obra de Batman e o legado criado por Stan Lee na Marvel. Há ainda homenagens a...

Gulbenkian conta a história da televisão com A Guerra dos Tronos no cinema
Notícias Gulbenkian conta a história da televisão com A Guerra dos Tronos no cinema

Há quem tenha o dom para contar histórias, reais ou não. E depois há quem tenha a capacidade nata para as ouvir, até porque vivemos rodeados delas. A...

Um hino à tristeza na Rua das Gaivotas 6
Notícias Um hino à tristeza na Rua das Gaivotas 6

Fuck Me Gently! é a nova criação de Mário Coelho, para ver até domingo na Rua das Gaivotas 6. É uma vertigem referencial, satírica e profundamente triste.  ...

Sábado celebra-se o Dia da Alimentação no Zoo
Notícias Sábado celebra-se o Dia da Alimentação no Zoo

Esta quarta-feira, 16 de Outubro festeja-se o Dia Mundial da Alimentação e o Jardim Zoológico de Lisboa marca a data com actividades deliciosas, que se...

Lupita: a nova pizzaria de fermentações naturais no Cais do Sodré
Notícias Lupita: a nova pizzaria de fermentações naturais no Cais do Sodré

A nova pizzaria com massas de fermentação lenta e natural fica numa esquina do movimentado Cais do Sodré. Fomos saber mais sobre as primeiras fornadas desta...

Câmara de Lisboa fez as contas para 2020: mais casas, árvores, bicicletas e ciclovias
Notícias Câmara de Lisboa fez as contas para 2020: mais casas, árvores, bicicletas e ciclovias

Habitação, mobilidade e ambiente estiveram em destaque na apresentação do orçamento municipal, que decorreu esta quarta-feira nos Paços do Concelho. A...

icon-chevron-right
icon-chevron-right

Coisas para fazer em Lisboa

A nova geração de artesãos de Lisboa
Coisas para fazer A nova geração de artesãos de Lisboa

O mundo está a mudar. Com o futuro na mira, repensa-se o impacto do consumo desenfreado e recuperam-se os velhos ofícios que fazem parte da nossa tradição. Criar com as mãos será sempre uma das coisas mais bonitas que o ser humano é capaz de fazer, mais ainda quando às técnicas artesanais se juntam o design contemporâneo, novas formas de produção e a consciência de que as peças descartáveis têm os dias contados. Lisboa está cada vez mais criativa e tem servido de inspiração a novos artistas, bem como a outros com décadas de experiência, que não desistem de usar métodos em vias de extinção. Demos a volta às novas e velhas oficinas da cidade e chegámos a 15 nomes que deve guardar na memória. São artistas e mestres artesãos que encontraram no trabalho manual uma profissão e um modo de vida. Produzem em pequena escala e são imensamente felizes por poderem sujar as mãos todos os dias. Recomendado: Cursos e workshops em Lisboa que não pode perder

Macau: um destino óbvio para as suas férias
Viagens Macau: um destino óbvio para as suas férias

São mais de 450 anos de uma história partilhada e um legado histórico de abertura ao mundo e a diferentes culturas. Mas há muitas mais razões para os portugueses partirem à redescoberta de Macau. Para começar, damos-lhe um roteiro de lugares e experiências essenciais no território e uma agenda forte de grandes eventos que valem uma viagem até ao fim deste ano. Se a curiosidade aguçar, marque uma visita à Expo Abreu, que acontece nos dias 26 e 27 de Outubro, na FIL, e onde Macau estará presente.

Conteúdo patrocinado

Mais
Velhos são os trapos: conheça as melhores actividades para idosos em Lisboa
Coisas para fazer Velhos são os trapos: conheça as melhores actividades para idosos em Lisboa

Aulas de graffiti para os mais velhos, uma plataforma que arranja trabalho para desempregados com mais de 55 anos, uma universidade com 110 disciplinas ou avozinhas que viram designers ou que lhe fazem
 o jantar para o resto da semana. A propósito do Dia Internacional do Idoso, celebrado a 1 de Outubro, reunimos projectos, espaços e casos que ajudam a rejuvenescer a cidade. Como o bartender mais antigo do Cais do Sodré, com 89 anos, uma mulher de armas de 76 anos ou uma filha que, após a reforma do pai, criou um projecto para promover uma vida activa na terceira idade. Já não era sem tempo. São as melhores actividades para idosos em Lisboa. Recomendado: Sítios onde um adulto pode ser criança em Lisboa

11 razões para visitar o Castelo
Coisas para fazer 11 razões para visitar o Castelo

Prepare as pernas para a escalada ou, caso a sua viagem comece na Graça, para a descida: impõe-se uma reconquista do Castelo aos turistas ruínas acima, vielas abaixo, para recuperar vistas e petiscos históricos. Berço de Lisboa, é uma das freguesias originais da cidade e carrega história para além da fortaleza mourisca, com mais de dez torres e um museu arqueológico. Ainda com uma enorme influência histórica, o agora bairro – que chegou a ter 3500 moradores – tem estado em constante mutação, sobretudo graças ao reaproveitamento e reestruturação dos espaços, como a Torre e a Igreja que foram devolvidas à cidade. Mas há muito mais para descobrir, desde restaurantes a mercearias e vinotecas. Recomendado: Cinco coisas que não sabe sobre o Castelo de São Jorge

12 ideias para aproveitar o Outono em Lisboa
Coisas para fazer 12 ideias para aproveitar o Outono em Lisboa

Verdade seja dita: o Outono já chegou há uns dias, mas temo-nos dado ao luxo de assobiar para o lado enquanto ainda damos uns mergulhos. Mas chegou o momento de encarar a realidade, ou a estação: adeus praia, olá cidade, adeus calor, olá chuva? Se ainda não está preparado para enfrentar o que aí vem, apesar de os dias já se notarem cada vez mais curtos, damos-lhe 12 ideias para aproveitar o Outono para que tudo fique mais fácil. Quem disse que o Outono era chato? Decida já como vai aproveitar a estação ao máximo. Recomendado: Os melhores concertos em Lisboa até ao final do ano

Descubra onde é isto e teste se é um verdadeiro lisboeta (parte 4)
Coisas para fazer Descubra onde é isto e teste se é um verdadeiro lisboeta (parte 4)

Considere isto um treino para não corar quando alguém de fora lhe fizer perguntas difíceis sobre a sua própria cidade. Este é o quarto teste que o pode validar como um verdadeiro alfacinha, o que só acontece se responder a pelo menos três dos cinco desafios propostos. As soluções estão a seguir à imagem n.º 5 (ou antes da imagem n.º 1, como lhe der mais jeito) e, apesar das imagens terem sido retiradas do Google Maps, não vale ir copiar ao Google. Aceita o nosso desafio? Recomendado: Descubra onde é isto e teste se é um verdadeiro lisboeta (parte 3)

13 sítios em Lisboa que são mais do que parecem
Coisas para fazer 13 sítios em Lisboa que são mais do que parecem

Uma loja que é café, um cabeleireiro que é bar, um cowork que é galeria – podíamos continuar a enumerar. Estes espaços são mais do que uma coisa, portanto é fácil de perceber que aqui nada é só aquilo que parece. E não, isto não é nenhuma adivinha para o confundir. Há cada vez mais lugares na cidade que não se contentam em ser apenas uma coisa, espaços que se desdobram em mais do que uma vocação. A propósito de algumas novidades, fizemos uma selecção dos melhores exemplares deste género sem género definido. Para connosco à descoberta.   Recomendado: Os sítios mais alternativos em Lisboa

Saiba quais são as melhores coisas radicais para fazer em Lisboa
Coisas para fazer Saiba quais são as melhores coisas radicais para fazer em Lisboa

Aviso prévio: este artigo é impróprio para cardíacos. Os níveis de adrenalina prometem subir só de ler. É que saltar para o Tejo, entrar num quarto escuro para fazer amigos ou numa sala para partir tudo, fazer coastering, ganhar coragem para um corte de cabelo (mesmo) radical, saltar de asa delta ou passear pela serra de Sintra à noite não é para meninos. Não tem medo e gosta de se pôr à prova? Veio ao sítio certo. Destemidos da cidade: aqui estão as coisas mais radicais para fazer em Lisboa – e riscar da bucket list. Recomendado: Sítios onde um adulto pode ser criança em Lisboa

Os melhores mercados de fim-de-semana em Lisboa
Coisas para fazer Os melhores mercados de fim-de-semana em Lisboa

Bem que pode regalar-se com compras no Chiado, em Campo de Ourique ou na boutique mais chique do seu bairro, mas não há nada como os mercados de rua. E olhe que há muitos mercados e feiras a visitar em Lisboa. Uma banca de produtos biológicos aqui, uma banca com roupinha em segunda mão, bem vintage, daquela do baú dos avós. Todos têm muitos tesouros por explorar. Todos os meses, durante o fim-de-semana há mercados que se repetem, seja no primeiro domingo de cada mês ou no último sábado. Complete a sua agenda dos dias de descanso e descubra onde pode enfeirar ao sábado e domingo sem dar com o nariz na porta. Recomendado: Coisas para fazer em Lisboa este mês

As 20 paragens obrigatórias na Estrada de Benfica
Coisas para fazer As 20 paragens obrigatórias na Estrada de Benfica

Demos corda aos sapatos para lhe trazer um apanhado do que há de melhor para fazer na Estrada de Benfica, uma importante artéria da cidade que se estende ao longo de duas freguesias: Benfica e São Domingos de Benfica. Ainda se sente um forte pulsar da vida de bairro nos cafés, restaurantes, mercearias, padarias e em lojas de todos os tamanhos e feitios (o que nos lembra de uma chamada Xanel que vende roupa lingerie e moda para senhoras). O mundo da pastelaria é forte nesta estrada e parece ser um dos novos pólos das mercerarias que apostam na venda a granel com a abertura de duas novas lojas que se juntam nesta estrada a duas históricas mercearias finas. Há ainda dois antigos palácios que estão à sua espera, os melhores locais para se sentar a descansar se decidir fazer o mesmo que nós e percorrer a estrada de uma assentada só. Recomendado: Carta de amor a Benfica por Nuno Markl  

As melhores coisas para fazer em Lisboa até dez euros
Coisas para fazer As melhores coisas para fazer em Lisboa até dez euros

O dinheiro não estica. As carteiras estão tão leves que ameaçam levantar voo e os nossos bolsos são um buraco negro de onde não escapam quaisquer poupanças. Mas é possível aproveitar o melhor que a cidade tem para nos dar sem gastar uma nota (ou gastando uma apenas). Uma nota de dez euros é um rectângulo colorido a que podemos dar muitos usos: serve para fazer origami, usar como marcador de livro ou como guardanapo. Isto são tudo péssimas ideias de como usar 10 euros. As boas ideias vêm já a seguir. Descubra as melhores coisas para fazer em Lisboa até dez euros. Recomendado: Os melhores petiscos em Lisboa até dez euros

Os melhores parques infantis em Lisboa para pôr os miúdos a brincar
Miúdos Os melhores parques infantis em Lisboa para pôr os miúdos a brincar

Não há nada que eles gostem mais do que uma ida aos baloiços. Os olhos até brilham quando lhes dizemos as palavras mágicas: "Queres ir ao parque?". É que nem é preciso dizer mais nada, nem precisam de saber onde – tudo o que lhes interessa é que vão correr e brincar num sítio onde não faltam baloiços e escorregas. E foi por isso que corremos os parques infantis em Lisboa à procura dos melhores. E não temos dúvidas em dizer que a criançada vai ser feliz em qualquer um destes parques infantis. Para que não falte nada, saímos do centro e pusemos um pé nos arredores – até porque cidades como a Amadora têm apostado nos parques infantis.  Recomendado: Restaurantes com área infantil em Lisboa para refeições felizes

icon-chevron-right
icon-chevron-right

Comer & Beber

Pratos de polvo a não perder em Lisboa
Restaurantes Pratos de polvo a não perder em Lisboa

Há quem diga que o polvo é como o bacalhau, pode ser trabalhado de uma série de maneiras. E por ser um molusco tão versátil e democrático, tem direito a um dia mundial em sua honra, comemorado a 8 de Outubro, em referência ao número de tentáculos deste cefalópode. Em Lisboa os restaurantes usam-no para os mais clássicos arroz de polvo, pataniscas ou filetes, mas também em pratos diferentes e surpreendentes, como os asiáticos poké ou tempuras de polvo, tártaros ou pica-paus do mar. Aqui será sempre bem servido, é só escolher se prefere um prato seguro ou arriscar o paladar. Recomendado: Os melhores restaurantes para comer peixe em Lisboa

Os melhores brunches até 10€ em Lisboa
Restaurantes Os melhores brunches até 10€ em Lisboa

Quando se fala de um brunch, já se sabe que não vai ser a refeição mais barata do fim-de-semana – ou, verdade seja dita, aos dias de semana, que esta refeição deixou de ser exclusiva dos dias de descanso. Mas também não precisa de pagar um balúrdio para comer uns bons ovos mexidos, um cappucino, sumo de laranja e croissant num menu. Corremos a cidade à procura dos menus de brunch mais económicos da cidade e encontrámos sete restaurantes ou pastelarias que os servem com fartura. Siga as nossas sugestões: para pequenos-almoços, almoços leves ou lanches, cá vai uma barrigada até 10 euros. Recomendado: Os melhores sítios para comer ovos Benedict em Lisboa

Os melhores sítios para comer ovos Benedict em Lisboa
Restaurantes Os melhores sítios para comer ovos Benedict em Lisboa

Ovos são a estrela de qualquer brunch ou mesa de pequeno-almoço farta, sejam eles na versão estrelada, mexida ou escalfada. Os ovos Benedict, escalfados e banhados depois com molho holandês, vieram dos Estados Unidos e instalaram-se nos menus de uma série de restaurantes e cafés em Lisboa. Há dúvidas acerca da origem deste prato, mas a primeira receita que existe destes ovos é de 1894. Há uma data de variações dos ovos Benedict: os Florentine são com espinafres ao invés do tradicional fiambre, os Royal são com salmão fumado. São servidos em pão brioche (ou noutro tipo de pão, como o bolo do caco) e podem ser uma refeição completa. Recomendado: Os melhores brunches em Lisboa

Eneko Atxa: o chef basco sustentável estreia-se em Lisboa
Restaurantes Eneko Atxa: o chef basco sustentável estreia-se em Lisboa

O nome (ainda) pode ser desconhecido de alguns portugueses, mas Eneko Atxa é o comandante do 14.º melhor restaurante do mundo, o Azurmendi, com três estrelas Michelin. Chega agora a Lisboa a convite do Penha Longa, que abre o seu primeiro projecto gastronómico fora da unidade hoteleira em Sintra, com inauguração marcada para dia 1 de Outubro, terça-feira. Fica no espaço do antigo Alcântara Café e toda a essência do grande salão foi mantida, tendo sido criado apenas um biombo a separar dois espaços: à entrada, à esquerda, fica o Basque, com 70 lugares, música alta e comida basca para partilhar, como o lombo de bacalhau al pil-pil ou a pescada de anzol com mistura tradicional de pimentos assados. Mais à frente, por detrás de uma segunda porta e umas cortinas bordô em veludo, está o Eneko Lisboa, com outro ambiente. Tem apenas 32 lugares e servem-se dois menus de degustação, o Adarrak (125€ sem bebidas) e o Erroak (110€ sem bebidas), e pratos como o lavagante assado e descascado, com manteiga de café e cebola roxa de Zalla ou o salmonete com molho de pimentos vermelhos ao carvão e ervas. Há wine pairing sugerido pelo sommelier disponível, a 85€ e 75€, respectivamente.  Esta estreia é um 2 em 1 e mostra dois lados diferentes: um mais formal com o Eneko Lisboa, outro mais casual, com o Basque. Sim, são dois conceitos totalmente diferentes. Temos um lado mais pequeno, onde dá para assistir a tudo a ser cozinhado, com um serviço muito próximo, muito caloroso, há muito cuidado e mui

Os melhores restaurantes vegetarianos em Lisboa
Restaurantes Os melhores restaurantes vegetarianos em Lisboa

Ter de comer as verduras todas até ao fim com sacrifício é coisa da infância e nos melhores restaurantes vegetarianos em Lisboa é também coisa do passado. Não vai encontrar aqui vegetais cozidos sem sal, tofu grelhado sem graça ou aquela omelete de última hora servida com salada mista para quem não come carne nem peixe. Se não acredita, explore esta lista com os 19 melhores restaurantes vegetarianos da cidade capazes de tornar as couves de bruxelas em verdadeiras estrelas de passerelle – e que, ainda por cima, lhe vão fazer bem à saudinha.  Recomendado: Os melhores restaurantes vegan em Lisboa

Os melhores chocolates em Lisboa
Restaurantes Os melhores chocolates em Lisboa

As feiras de chocolate tornaram-se eventos gourmet de massas. Apareceram mercados e mercadinhos da especialidade por todo o país e são um sucesso. Há quem diga que o cacau é um vício, há quem garanta que tem substâncias psicotrópicas – e isso poderá explicar em parte o fenómeno. Seja o que for, é bom, e Lisboa tem cada vez melhor oferta, seja em estado bruto, seja transformado em bombons finos. Reunimos os melhores chocolates de Lisboa numa só lista de tentações. Passamos por barras que mais parecem de ouro, imaginamos pirâmides de bombons, salivamos por todos.  Recomendado: As melhores chocolatarias em Lisboa

Restaurantes para celebrar o aniversário em Lisboa
Restaurantes Restaurantes para celebrar o aniversário em Lisboa

Quando se aproxima a data do aniversário, há quem se dedique a procurar o melhor espaço para celebrar com amigos, escolhendo os melhores menus de grupo para uma festa em grande ou quem procure o conforto e intimismo de um restaurante para um jantar a dois, para uma festa mais pacata. A verdade é que Lisboa está cheia de boas opções de restaurantes para celebrar o aniversário e estas são as nossas sugestões: chineses com mesas redondas giratórias, jarros de margarita para fazer uma festa de bar aberto ou outros mais caros, escolhidos só para largar uma nota nestas ocasiões especiais.  Recomendado: Os melhores sítios para jantares de grupo em Lisboa

Os melhores restaurantes mexicanos em Lisboa
Restaurantes Os melhores restaurantes mexicanos em Lisboa

O melhor é pedir uma marguerita ou um cocktail com mezcal assim que chegar um destes restaurantes mexicanos em Lisboa – afinal a cozinha mexicana é conhecida pelo seu nível de picante (e aqui convém ter atenção às malaguetas assinaladas nas cartas, que não estão lá para enganar ninguém). As maiores influências desta cozinha vêm dos povos pré-colombianos e dos costumes dos colonizadores espanhóis, mas os pratos típicos variam consoante a zona (a partir da cozinha mexicana surgiu, entretanto, a tex-mex, que reúne os sabores do estado do Texas, nos Estados Unidos, com o México). A base da cozinha mexicana tradicional é o milho – daí que não seja fácil fugir às tortilhas, que acompanham quase todas as refeições –, o feijão e a pimenta. Prove os tacos, o chilli com carne ou as enchiladas.  Recomendado: Onde comer os melhores tacos em Lisboa

Três sítios para comer carne maturada
Restaurantes Três sítios para comer carne maturada

Carne maturada é uma carne desidratada em ambiente controlado onde a temperatura e a humidade são factores essenciais: a primeira não deve ultrapassar os dois ou três graus, enquanto a humidade deve ser zero. Nestes três sítios pode fincar o dente num belo naco de carne maturada Carnívoro assumido? Marque mesa num dos melhores restaurantes de carne em Lisboa 

Os melhores restaurantes para comer sushi em Lisboa
Restaurantes Os melhores restaurantes para comer sushi em Lisboa

Quando falamos de sushi, é provável que ainda encontre algumas pedras no caminho: há quem continue a torcer o nariz ao peixe cru e quem ainda tenha dificuldades em separar o trigo do joio — que é como quem diz, em destacar o bom trabalho de sushimen sérios. Uma coisa é certa: a base tem de ter o peixe bem fresco, trabalhado em fatias de sashimi, em rolos com alga ou sem alga, temakis e por aí fora, sempre com um arroz bem temperado. Nesta lista também vai encontrar opções de sushi de fusão, que apesar de ser diabolizado por muitos é bem aceite junto de algumas pessoas com a mente aberta.  Recomendado: Os melhores restaurantes japoneses em Lisboa

Sítios para provar comida sem glúten em Lisboa
Restaurantes Sítios para provar comida sem glúten em Lisboa

Estima-se que a intolerância seja conhecida há pelo menos 1800 anos, mas só nas últimas décadas começámos a dar-lhe especial atenção. O glúten, nome dado ao conjunto das proteínas insolúveis presentes em cereais como o trigo, o centeio ou a cevada, é um inimigo silencioso que em Portugal se vai contornando cada vez melhor – e em Lisboa já há muitas opções certificadas como seguras. Na lista que se segue, onde todos os restaurantes são certificados como aptos para celíacos pela Associação Portuguesa de Celíacos, só tem de se preocupar com o saborear. Estes são os sítios para provar comida sem glúten em Lisboa. Recomendado: Os melhores restaurantes vegetarianos em Lisboa

Derreta-se com as melhores gelatarias em Lisboa
Restaurantes Derreta-se com as melhores gelatarias em Lisboa

O Verão ainda está longe, mas basta o sol brilhar e a temperatura subir um pouco que um gelado torna-se logo no melhor aliado. Desde os de fruta, de pêra, limão ou framboesa, aos clássicos, como pistáchio, straciatella ou bolacha maria, o céu é o limite no mundo dos gelados (ou gelatos, que as perdições italianas são cada vez mais na cidade). E a verdade é que a lista das melhores gelatarias não pára de engordar de ano para ano. Nesta selecção, tem das mais antigas às mais recentes, incluindo o lugar perfeito (talvez o único) para apreciar um gelado alcoólico servido em cocktail ou como shot. Coma (ou beba) rápido, antes que derreta. Recomendado: Três sítios para comer gelados de rolinho

icon-chevron-right
icon-chevron-right

O melhor do Time Out Market

Time Out Market: o melhor dos próximos dias
Coisas para fazer Time Out Market: o melhor dos próximos dias

Em dez mil metros quadrados de Time Out Market há sempre muita coisa a acontecer. Muito mais do que comida e bebida.  Mas há mais: a Academia Time Out, por exemplo, vai estar animada nos próximos dias, com workshops e até um curso de cozinha. Claro está que pode apenas passear pelos corredores do mercado, que tem uma selecção dos melhores restaurantes da cidade, ou beber um cocktail no Time Out Bar. No final, se planear bem, ainda consegue apanhar um mercado, uma festa ou um concerto no Estúdio ou mesmo no food hall.  Dê uma espreitadela à programação do Mercado da Ribeira. Eis o melhor dos próximos dias no Time Out Market Recomendado: Fim-de-semana perfeito em Lisboa

Os restaurantes do Time Out Market Lisboa
Restaurantes Os restaurantes do Time Out Market Lisboa

Uma revista que se come. Consegue imaginar uma coisa assim? O Time Out Market Lisboa, no Cais do Sodré, é a revista Time Out Lisboa em 3D, para comer e beber em vez de folhear e ler. Para não se perder entre as páginas do Mercado da Ribeira – perdão! Os balcões e restaurantes – fazemos-lhe uma visita guiada pelo espaço que reúne o melhor da cidade debaixo do mesmo tecto. Há uma ala de chefs, muitos deles premiados com estrelas Michelin, e especialidades para todas as horas e todos os gostos, para todas as idades e até para todas as alergias e intolerâncias.  Recomendado: Time Out Market - o melhor dos próximos dias

Os workshops de cozinha da Academia Time Out a não perder em Outubro
Coisas para fazer Os workshops de cozinha da Academia Time Out a não perder em Outubro

Este mês, a escola de cozinha do Time Out Market recebe um dos chefs com restaurante na Ribeira para mais um workshop Chef do Mercado. No dia 25 de Outubro, Miguel Castro e Silva conduz um curso onde os sabores da gastronomia portuguesa vão estar em destaque. As receitas que vai ensinar a cozinhar incluem fígados de aves com mel, raia de alhada com milhos de ervas frescas e maçã assada com mil-folhas de amêndoa. Para a equipa da Academia só existem dois tipos de cozinha, a boa e a má. E é sobre comida com sabor – e de preferência saudável – que vão constar os novos workshops Comida Boa, um formato que se estreia com um brunch vegetariano no dia 27 de Outubro. As viagens continuam pelas cozinhas da Índia (murgh makhani e aloo masala), Coreia (bibimbap), Itália (pasta fresca) e Peru (ceviches) nos dias 4, 5, 19 e 26 de Outubro, respectivamente. Toca a vestir o avental. Recomendado: Coisas para fazer este mês em Lisboa

O melhor do Time Out Market para miúdos
Restaurantes O melhor do Time Out Market para miúdos

O melhor da cidade debaixo do mesmo tecto? Os miúdos vão lá querer perder uma coisa destas. O Time Out Market, no Cais do Sodré, está preparado para todas as famílias, incluindo as que têm elementos esquisitinhos na hora de comer. Até porque a experiência neste espaço com dez mil metros quadrados não se resume aos comes e bebes: há uma escola de cozinha onde os pequenos chefs podem apurar os seus dotes culinários e uma loja d'A Vida Portuguesa onde vale a pena descobrir brinquedos de outros tempos. Fique ainda atento à agenda do Mercado da Ribeira, onde também vão surgindo espectáculos infantis. Recomendado: Os pratos mais lisboetas do Time Out Market  

Três receitas do Time Out Market Lisboa
Restaurantes Três receitas do Time Out Market Lisboa

Dentro do Time Out Market há uma escola de cozinha para aprender pratos de várias gastronomias – pode ir consultando a agenda aqui – mas se ficou com a pulga atrás da orelha quando foi comer a um dos restaurantes do food court e até dá dá um pezinho na cozinha lá de casa, descubra aqui três receitas fáceis (relativamente, vá) de fazer em casa. Pode começar pelos croquetes de queijo de cabra e cebola caramelizada da Croqueteria, para uma entrada salgadinha, seguir para o bife tártaro asiático da Tartar-ia, bem fresco, e acabar com um dos pregos clássicos do Prego da Peixaria. Siga as receitas passo a passo nestes vídeos. Recomendado: Os pratos mais lisboetas do Time Out Market

icon-chevron-right
icon-chevron-right

Bilheteira Time Out

João Só
icon-location-pin Avenida da Liberdade
João Só

São dez anos que parecem ter passado a correr e João Só quer festejá-los como deve ser em palco, com...

Eskorzo
icon-location-pin Cais do Sodré
Eskorzo

Depois de quase dois anos e uma centena de concertos, a banda espanhola de rock de fusão (com temperos latinos) encerra a digressão de Alerta...

Lagum
icon-location-pin Avenida da Liberdade
Lagum

Formados em 2014 e oriundos de Belo Horizonte, Brasil, Lagum são um dos maiores fenómenos da música brasileira da...

Sam The Kid
icon-location-pin Santa Maria Maior
Sam The Kid

Um dos maiores nomes do hip-hop português está de volta aos concertos em nome próprio: Sam The Kid sobe ao palco do Coliseu...

Cozinhas do Mundo: Itália - Pasta Fresca
icon-location-pin Cais do Sodré
Cozinhas do Mundo: Itália - Pasta Fresca

Todos os meses, o chef Miguel Mesquita conduz as viagens gastronómicas da Academia Time Out por diferentes cozinhas do mundo. Este mês traz...

Taste of Portugal: Pastéis de Nata
icon-location-pin Cais do Sodré
Taste of Portugal: Pastéis de Nata

O Pastel de Nata é o clássico mais amado da pastelaria portuguesa e um clássico da programação da Academia. Descubra a...

Às Crianças
icon-location-pin Grande Lisboa
Às Crianças

Esta produção do Teatro ABC.PI é composta por três Contos Negros para os Filhos dos Brancos, de Blaise Cendrars: “O...

Sara Serpa
icon-location-pin Belém
Sara Serpa

O que traz Serpa – há alguns anos radicada em Nova Iorque
– a Lisboa é o disco Close Up (2018, Clean Feed), inspirado pelo filme...

Masterkids: Risotto
icon-location-pin Cais do Sodré
Masterkids: Risotto

A equipa da Academia Time Out tem uma missão: ensinar a fazer o melhor Risotto de sempre. Neste Masterkids começamos pelo caldo, o sufritto e...

Battles
icon-location-pin Cais do Sodré
Battles

A banda nova-iorquina de rock experimental apresenta Juice B Crypts no Jamerson Urban Routes.

icon-chevron-right
icon-chevron-right

O melhor de Lisboa, bairro a bairro

Parque das Nações
Coisas para fazer Parque das Nações

Esqueça o sentimento de culpa caso decida refastelar-se numa das mesas que se seguem. É que depois do repasto não faltam quilómetros e mais quilómetros de áreas verdes para fazer a digestão a preceito. Para os mais atléticos, aconselhamos a saltar cedinho da cama ou a aproveitar o melhor da vista ao cair do dia. Em plena zona oriental da cidade, o Parque das Nações é um convite descarado à boa vida, com opções gastronómicas, culturais, desportivas e de lazer. Aproveite o melhor de um bairro que é para toda a família.   Recomendado: As melhores coisas para fazer à beira rio

Alvalade
Coisas para fazer Alvalade

Alvalade é um bairro a ter em conta sempre que falamos do melhor da cidade. 

Santos e Madragoa
Santos e Madragoa

Um jardim pronto, cafés da moda, gelados a chamar pelo Verão, restaurantes imperdíveis e muito mais. Venha daí por Santos e Madragoa.

Chiado
Chiado

Corremos o bairro de uma ponta à outra e reunimos o melhor do Chiado nesta lista. Lojas, restaurantes, hotéis. Estas são as melhores coisas para fazer no Chiado.

Avenida de Roma
Avenida de Roma

Dez sítios que fazem da Avenida de Roma um dos melhores bairros para viver em Lisboa.

Baixa
Baixa

Finte as armadilhas para turistas e descubra pérolas históricas e um fresquíssimo hype traçado a régua e esquadro que quer devolver a Baixa aos lisboetas.

Lx Factory
Lx Factory

Peças de decoração, oficinas criativas, jogos com temática burlesca, vista para o Tejo, noites encantadas e muito mais. Explore esta cidade dentro da cidade com as nossas sugestões de coisas para fazer na Lx Factory.

Príncipe Real
Príncipe Real

Por muito que se conheça e palmilhe o bairro, há sempre qualquer coisa para descobrir.

Alcântara
Alcântara

Se passa por lá sempre que ruma ao ocidente da cidade, desta vez pare e descubra o melhor de Alcântara.

Graça
Graça

Dos restaurantes aos bares, este bairro tem um encanto especial. Descubra o melhor da Graça

icon-chevron-right
icon-chevron-right

Não perca, já nas bancas

A Time Out desta semana
Coisas para fazer A Time Out desta semana

Lisboa tem mais de duas mil ruas, fora travessas, becos, avenidas, praças, calçadas, azinhagas, estradas e escadinhas. Desse vasto universo que são os arruamentos da cidade, escolhemos dez, apenas dez ruas, que consideramos ser as mais surpreendentes. Não têm a fama da Rua Augusta, nem a movida da Rua Cor-de-Rosa ou o charme da Avenida da Liberdade. Mas têm muito mais do que dão a entender, acredite. Outra surpresa é o Sítio de Gente Feliz, que fica num grupo recreativo, para os lados de Porto Salvo, e não é bem um restaurante. Uma refeição custa 20 euros e nosso crítico Alfredo Lacerda deu-lhe 5 estrelas. E como não há duas sem três, depois de 12 anos e quando ninguém esperava, Sam The Kid sobe ao palco do Coliseu de Lisboa esta sexta-feira, acompanhado de orquestra e de Orelha Negra. Fomos a Chelas falar com um dos maiores rappers portugueses. Não perca ainda as nossas ofertas 2 por 1. 

Olhá Time Out Miúdos 2019!
Notícias Olhá Time Out Miúdos 2019!

O mundo é o bairro da minha infância. O bairro onde crescemos – com o café onde vamos buscar o pão todas as manhãs, o parque onde baloiçamos quase até tocar com os pés no céu e a costureira que nos trata das bainhas desfeitas de tanto brincar – é o nosso mundo até ultrapassarmos fronteiras e ganharmos mais mundo. Em Lisboa, cada bairro é um mundo de possibilidades para as famílias explorarem juntas, com cada vez mais atracções e actividades para os miúdos crescerem. Ficarem a postos para o mundo lá fora. É isso que pode descobrir nas páginas deste guia de sobrevivência para pais alfacinhas. Mas há mais, muito mais: as estreias de cinema que não podem perder até ao final do ano, as melhores gelatarias da cidade para se lambuzarem, as lojas e marcas que juntam estilo a sustentabilidade, ideias para apagar as velas em grande, escapadinhas a menos de uma hora de Lisboa (o mais difícil vai ser enfiá-los no carro...) e até um livro de actividades com 20 curiosidades sobre os animais do Jardim Zoológico. Time Out Miúdos, já nas bancas.  3€ + As melhores coisas para fazer com crianças este mês em Lisboa

Time Out 2POR1: as ofertas desta semana
Coisas para fazer Time Out 2POR1: as ofertas desta semana

Todas as semanas, a Time Out Lisboa tem as melhores ofertas da cidade a preço de saldo. Venha descobri-las e, aconteça o que acontecer, não perca o 2por1 desta semana. + A Time Out desta semana

Guia dos melhores restaurantes de Lisboa
Notícias Guia dos melhores restaurantes de Lisboa

Saíram 16, entraram 36, mas ficaram os mesmos. Podia ser o princípio de uma adivinha bem engendrada ou o final de uma conta mal feita, mas é apenas o resumo desta edição do Guia de Restaurantes de Lisboa da Time Out. Este ano, além dos 150 melhores restaurantes e das 25 melhores tascas, acrescentamos 20 apostas. São casas que não abriram há tempo suficiente para entrar nestas contas e que não tivemos tempo oportunidade de criticar, mas que já experimentámos ou que, por experiência, apostamos que vão valer a pena. Porquê fazer esta ginástica? Recapitulemos então. Os críticos da Time Out visitam os restaurantes anonimamente e pagam pelas suas refeições - o mesmo é dizer, como qualquer cliente – e, na melhor parte dos casos, repetem a visita antes de se pronunciar. Acresce que nenhum restaurante é criticado antes de cumprir três meses de porta aberta e, por princípio, nenhum é aclamado com cinco estrelas ou despachado com apenas uma sem que um segundo crítico subscreva essa avaliação. Já sabia de tudo isto? É provável que sim. Estes últimos 470 caracteres são descaradamente copiados do guia do ano passado. Mas podiam também ter sido roubados à edição do ano anterior a esse ou à de outro antes ainda. Porque há onze anos que a Time Out faz questão de repetir esta cartilha em tudo o que faz e de a respeitar sem cedências. O que é que isso vale? Ainda e sempre, é a si que cabe dizer.   Os guias do Porto e de Lisboa Fotografia: Inês Félix     O que temos, contas redondas

icon-chevron-right
icon-chevron-right

Cinema e televisão

Os piores e melhores Joker do cinema e da televisão
Filmes Os piores e melhores Joker do cinema e da televisão

Chega esta semana aos cinemas portugueses o filme Joker, de Todd Phillips, com Joaquin Phoenix no papel do escarninho e cruel vilão de Gotham City e um dos principais inimigos de Batman. Phoenix é o mais recente de um punhado de actores, uns mais conhecidos e famosos do que outros, a interpretar o Joker na televisão e no cinema, vindo juntar-se a nomes como Adam West, Jack Nicholson ou o malogrado Heath Ledger. Assinalando a estreia deste filme, o primeiro em que o Joker tem todo o protagonismo, elaborámos a nossa lista dos piores e melhores intérpretes da personagem. Recomendado: As estreias de cinema que não pode perder

Joaquin Phoenix: “Quero que o Joker nos ponha a pensar”
Filmes Joaquin Phoenix: “Quero que o Joker nos ponha a pensar”

Joker, o filme mais esperado do Outono, revela o processo de transformação de um comediante falhado, Arthur Fleck, no temido psicopata de Gotham. A força motriz do enredo é Joaquin Phoenix, cuja arrepiante interpretação prenuncia já um Óscar. O próprio actor tem a reputação de ser algo arisco – “a maior parte do tempo, estou só a tentar chegar ao fim das entrevistas”, confessa. No entanto, o homem com que nos deparamos é directo mas descontraído, e interessado em conversar sobre como é encarnar um supervilão do Universo DC. É preciso gostar de uma personagem como o Joker para a interpretar?Este tipo foi abusado fisicamente quando era criança. É difícil não sentir empatia por alguém que passou por algo assim. Esse tipo de experiência altera o cérebro, a forma de pensar. E fez-me mudar a minha visão da personagem. No início, só queria que ele se lixasse. Como é que se preparou para este papel? Estudou distúrbios mentais?Vi alguns vídeos e li dois livros. A ideia é que os responsáveis por assassínios políticos e em massa têm personalidades semelhantes. Até 1963, tinham sido identificadas duas categorias: a dos extremistas políticos racionais e a dos loucos. Depois, o leque aumentou. De repente, havia quem só ansiasse por atenção e notoriedade. No contexto do filme, isto pareceu-me interessante. Por um lado, Arthur é um tipo ansioso e introvertido que quer desaparecer, por outro, a personagem que adopta, o Joker, é um narcisista que deseja ser visto e reverenciado. Muito se fa

Os melhores filmes com Joaquin Phoenix
Filmes Os melhores filmes com Joaquin Phoenix

Há quem o compare a Marlon Brando e quem diga que é o melhor actor norte-americano do momento. Ou pelo menos um dos melhores. Eis Joaquin Phoenix visto através de oito das suas maiores interpretações – incluindo as três que lhe valeram nomeações para os Óscares – e dirigido por realizadores como Gus Van Sant, Ridley Scott ou Paul Thomas Anderson. Na semana em que chegou às salas Joker de Todd Phillips, protagonizado pelo actor e premiado com o Leão de Ouro em Veneza, recordamos alguns dos melhores filmes com Joaquin Phoenix. Recomendado: Entrevista a Joaquin Phoenix: “Quero que o Joker nos ponha a pensar”

Seis séries para ver em Outubro
Filmes Seis séries para ver em Outubro

Outubro chega e, entre estreias há muito esperadas como Watchmen e regressos antigos (olá Walking Dead!) ao ecrã, é o filme que dá continuação a Breaking Bad que nos está a deixar mais ansiosos. Afinal, o que aconteceu a Jesse Pinkman depois daquele final épico? Mal podemos esperar, mas estamos com medo. Faz sentido voltar a uma série que já tínhamos arrumado no panteão televisivo? Por outro lado, saudamos a aposta da RTP na ficção nacional. Depois de Sara, Sul parece merecer a nossa atenção. Seja como for, damos-lhe uma ajuda e organizamos-lhe a agenda. Eis as séries a não perder em Outubro. Recomendado: As melhores séries do momento

Os desenhos animados que estamos desejosos que cheguem ao cinema
Filmes Os desenhos animados que estamos desejosos que cheguem ao cinema

Títulos como Frozen II: O Reino do Gelo ou A Ovelha Choné: A Quinta Contra-Ataca, são sem dúvida duas das longas-metragens de animação mais aguardadas e apetecíveis que vão chegar aos cinemas portugueses até ao final deste ano. Mas há muitas outras, até uma vinda da China, Bráulio e o Mundo dos Gatos, e outra em co-produção entre o Reino Unido, o Canadá e o México, Cranston Academy: Monster Zone. Ou Abominável, com o Abominável Homem das Neves em grande destaque, ou ainda Armados em Espiões, uma paródia ao cinema de espionagem e aos filmes de 007. Recomendado: Os melhores eventos infantis em Lisboa para os próximos tempos  

Os piores e os melhores filmes de 'Star Wars'
Filmes Os piores e os melhores filmes de 'Star Wars'

Será O Império Contra-Ataca, realizado por Irvin Kershner em 1980, o melhor de todos os filmes de Star Wars? E será mesmo A Ameaça Fantasma (1999), de George Lucas, o pior? E onde se encaixam Rogue One (2016), de Gareth Edwards, e o mais recente Han Solo (2018), creditado a Ron Howard, no meio disto tudo? Antes da estreia de A Ascensão de Skywalker, o derradeiro capítulo da mais recente trilogia de Star Wars, com realização de J. J. Abrams,  respondemos a estas e outras perguntas com uma lista onde cabem todos os filmes da série. Recomendado: As melhores personagens de Star Wars

Isto é um absurdo! Os 50 anos dos Monty Python
Filmes Isto é um absurdo! Os 50 anos dos Monty Python

Esteve para se chamar Owl Stretching Time, Vaseline Review ou Bun, Wackett, Buzzard, Stubble and Boot, mas os seis autores da série, John Cleese, Graham Chapman, Terry Jones, Michael Palin, Eric Idle e Terry Gilliam, acabaram por escolher Monty Python’s Flying Circus, porque, diz a lenda, “Monty Python” fazia lembrar um agente artístico manhoso. Em Portugal chamou-se Os Malucos do Circo, e o primeiro episódio, que passou na BBC a 5 de Outubro de 1969, faz agora 50 anos, começava com um velho náufrago, a chegar à praia
com dificuldade e a balbuciar “It’s...”, seguindo-se a voz off de John Cleese a dizer o nome do programa, enquanto passava o genérico animado por Terry Gilliam e se ouvia a marcha militar Liberty Bell. Intitulada Whither Canada?, esta primeira emissão incluía um sketch em que Mozart apresenta um concurso de mortes de personalidades históricas, aulas de italiano para italianos, porcos invisíveis a guinchar e a piada mais engraçada do mundo. Os Monty Python tinham entrado em cena. E ao longo de quatro temporadas, três filmes (Monty Python e o Cálice Sagrado, A Vida de Brian, O Sentido da Vida) e vários discos e livros, fizeram aquilo a que um professor de filosofia de Oxford, num ensaio muito sério que escreveu sobre o grupo nos anos 80, chamou “um corte epistemológico sísmico no humor e na comédia em geral”. Dizer que os Monty Python revolucionaram o humor na TV e no cinema é ficar muito aquém do que eles fizeram. O sexteto operou uma ruptura radical e históric

Espectáculos de stand-up na Netflix que vale a pena a ver
Filmes Espectáculos de stand-up na Netflix que vale a pena a ver

Às vezes rir é mesmo o melhor remédio para suportar todos os males do mundo e os comediantes são uma espécie de novos pregadores dos tempos modernos. Com um verdadeiro séquito de seguidores, falam de temas muito sérios enquanto arrancam gargalhadas e ajudam a pôr as coisas em perspectiva. Nomes como Ricky Gervais, Daniel Sloss, Sarah Silverman ou Dave Chappelle são incontornáveis na comédia, cada um com a sua especialidade, e o material que trazem a palco continua a esgotar salas. Eis os espectáculos de stand-up na Netflix que vale a pena a ver. Recomendado: Filmes de animação que não pode perder na Netflix

Sete séries para ver no Halloween
Filmes Sete séries para ver no Halloween

O Halloween mete medo. É natural, por isso, que a data seja associada ao terror. Seja nas máscaras, nas festas, nos filmes ou nos programas televisivos que vemos. Mas há outros géneros, outras séries, que também fazem sentido nesta altura do ano. Foi a pensar nisso e nos seus planos para o chamado dia das bruxas que escolhemos estas sete séries. Mais ou menos assustadoras, com ou sem piadas, são perfeitas para ver no Halloween, ou antes – e até depois. O que interessa é que valem a pena o tempo investido. Recomendado: Os melhores filmes de Halloween, com muito terror e algum humor

Todos os filmes de Quentin Tarantino, do melhor ao pior
Filmes Todos os filmes de Quentin Tarantino, do melhor ao pior

Leonardo Di Caprio, Brad Pitt e Margot Robbie são os principais intérpretes de 'Era Uma Vez em... Hollywood' – a nova realização de Quentin Tarantino, passada na Hollywood de finais dos agitados anos 60 e durante uma era de ouro do cinema americano – que chega esta semana às salas de cinema de Portugal. Nesta lista dos restantes filmes que Tarantino assinou até agora, desde que se estreou em grande estilo com Cães Danados, em 1992, apresentamos uma classificação dos mesmos em ordem decrescente, que abre com Jackie Brown e Pulp Fiction e encerra com Django Libertado e Sacanas sem Lei.  Recomendado: Clássicos de cinema para totós

icon-chevron-right
icon-chevron-right

Arte e Cultura

Os melhores eventos em Lisboa em Outubro
Coisas para fazer Os melhores eventos em Lisboa em Outubro

Já se sabe que o Outono traz consigo o frio e os dias começam a ficar cinzentos, no entanto isso não é desculpa para se fechar em casa. Vá antes jogar xadrez na Padaria do Povo ou limpar a cabeça para a Mata da Machada. E porque não ouvir Jazz à Quinta nos Recreios da Amadora ou assistir a um concerto. Não está convencido? Tenha paciência que vai ver que encontra mais coisas para fazer. Ainda estão marcados muito poucos eventos em Lisboa em Outubro, mas isso é normal.  Recomendado: O melhor dos bairros em Lisboa

A agenda cultural de Lisboa que não pode perder
Coisas para fazer A agenda cultural de Lisboa que não pode perder

Pode odiar muitas coisas em Lisboa, até reconhecemos que a nossa cidade tem uma série de defeitos, mas se há coisa de que não se pode queixar é da agenda cultural. É ela que o obriga a sair porta fora quando a vontade de saltar do sofá é igual a zero. Os programadores culturais acabam-lhe com a letargia do corpo para poder aproveitar a cidade ao máximo, sobretudo no que diz respeito às exposições espalhadas por museus e galerias de Lisboa e aos espectáculos de teatro, dança ou comédia.   Aproveite o recheio desta agenda cultural de Lisboa e faça-se ao piso. Recomendado: Coisas para fazer em Lisboa em Setembro

Seis exposições em Lisboa a não perder nos próximos meses
Arte Seis exposições em Lisboa a não perder nos próximos meses

A agenda de exposições em Lisboa vai de vento em popa. Há seis, pelo menos, que não pode mesmo perder. Pode deitar o olho (e meter a mão na consciência) numa exposição que retrata 16 homens em papéis normalmente associados a mulheres, em Marvila, ou aventurar-se a descodificar quem é o misterioso Banksy e pensar sobre as suas reivindicações. Já o Palácio Anjos, em Algés, recebe uma mostra da fotógrafa Renate Graf, enquanto a Cordoaria Nacional exibe Fernando Lemos. E Sarah Affonso tem a sua obra exposta em duas exposições, uma no Museu do Chiado e outra no Museu Calouste Gulbenkian. Recomendado: Exposições em Lisboa para visitar este fim-de-semana

Estas exposições gratuitas em Lisboa valem a visita
Arte Estas exposições gratuitas em Lisboa valem a visita

Preza a arte mas custa-lhe dar dinheiro por ela? Aliás, custa-lhe dar dinheiro para a poder ver? Uma entrada num museu ou numa galeria sai-lhe quase sempre dos bolsos, mas ainda há exposições gratuitas em Lisboa para quem anda sempre à procura de uma borla. Das duas uma: ou aproveita aqueles dias em que os museus promovem entradas gratuitas ou segue estas nossas sugestões de exposições onde não pagará nem um cêntimo para apreciar uma obra de arte – o mais provável é acabar o dia a descobrir novos artistas.  Recomendado: Conheça estes museus grátis em Lisboa e arredores

‘O Fantasma da Ópera’ não vai ser o espectáculo de que está à espera
Notícias ‘O Fantasma da Ópera’ não vai ser o espectáculo de que está à espera

Le Fantôme de l'Opéra, de Gaston Leroux, é um romance gótico francês, ofuscado pelo sucesso da sua adaptação a teatro musical, que bateu o recorde de permanência na Broadway e continua em palco até hoje, desde a primeira vez em cena, em 1986. Este ano, chega a Portugal em versão concerto. Antes da estreia, bate-se texto, fazem-se marcações e ensaia-se muito. Os primeiros ensaios com todo o elenco arrancaram em Julho, na Igreja de São Jorge de Arroios. No salão da paróquia, decorado com cadeiras verdes e um cortinado amarelo-torrado, é difícil imaginar a grandiosidade que se espera da estreia da versão em concerto d’O Fantasma da Ópera, em Outubro e Novembro, no Coliseu do Porto e no Campo Pequeno, em Lisboa, respectivamente. Acompanhados apenas por um piano portátil Roland FP-4, os artistas focam-se nas indicações do encenador e tentam apurar as cenas o melhor possível, embora o resultado final inclua um dispositivo cénico de fazer cair o queixo, com mais de uma centena de nomes em palco. O responsável pela produção é Armando Calado, que também tem formação musical e não hesita em cantar durante os intervalos. A partir dos bastidores, filma tudo com o seu iPad, para mais tarde poder oferecer aos artistas um registo em vídeo. A acompanhá-lo, sentado atrás da cadeira do encenador e cenógrafo Pedro Ribeiro, está o resto do elenco. No meio do salão, em frente ao piano, Sofia Escobar e Bruno Almeida treinam as marcações feitas. Duarte Drago Sofia Escobar interpreta Christ

Exposições de fotografia para ver em Lisboa
Arte Exposições de fotografia para ver em Lisboa

Os museus e galerias da cidade são os locais perfeitos para encher a agenda de final de tarde ou fim-de-semana. Se é fã de fotografia tem mesmo de deitar o olho – ou a lente, se quiser registar o que já foi registado por outros – a estas exposições. Damos a nossa palavra de como são paragem obrigatória. Da Lisboa registada por Joshua Beloniel, pioneiro na reportagem fotográfica portuguesa, passando pelas imagens surrealistas do designer Fernando Lemos, até à fotografia contemporânea desde que foi implementada a moeda única na Europa. Pode ver de tudo nestas exposições. Recomendado: Próxima objectiva: cursos de fotografia em Lisboa

Próxima objectiva: cursos de fotografia em Lisboa
Coisas para fazer Próxima objectiva: cursos de fotografia em Lisboa

De dia, de noite, às voltas, a subir ou a descer. A arte fotográfica para amadores não se esgota nos filtros do Instagram. Para revelar o seu lado artístico, explore a sua veia mais objectiva com estes cursos de fotografia em Lisboa: se não conseguir entrar já na próxima turma (nos casos em que se aplica), pode sempre esperar pela próxima edição do curso ou do workshop, uma vez que acontecem regularmente. Vá lá, esqueça a lente dos smartphones de uma vez por todas e brilhe nas redes sociais com fotografias que parecem profissionais.  Recomendado: Exposições de fotografia para ver em Lisboa

icon-chevron-right
icon-chevron-right

Música

Canções de Halloween para ouvir sem medos
Música Canções de Halloween para ouvir sem medos

Apesar de não ser uma tradição portuguesa, o Halloween é cada vez mais celebrado por estas bandas. Se é daqueles que assinalam a data, esta playlist é para si. Se não, também pode ser. É verdade que uma ou outra canção, como o "Monster Mash" de Bobby “Boris” Pickett & The Crypt-Kickers, praticamente só faz sentido neste contexto, mas as outras são boas em qualquer altura. Algumas até têm uma relação muito ténue com o Halloween, apesar de ao longo dos anos se terem tornado clássicos da época e entrarem frequentemente em listas de canções de (e para o) Halloween. Recomendado: Os melhores filmes para o Halloween

Adeus Verão, olá festivais de Outono
Música Adeus Verão, olá festivais de Outono

Falamos habitualmente deles na altura do calor, mas cada vez mais os festivais acompanham-nos ao longo de todo o ano. O mês de Outono começa com o Santa Casa Alfama, que enche (ainda mais) o bairro de Alfama de fado, e termina com o Super Bock em Stock e música indie na Avenida da Liberdade e nas ruas paralelas. Pelo meio, há ainda o barreirense OUT.FEST, o Jameson Urban Routes ou o Misty Fest. Eis os festivais de Outono a não perder em Lisboa e arredores nos próximos meses. Aponte na agenda. Recomendado: Concertos em Lisboa

Concertos gratuitos de Jazz & Clássica em Outubro
Música Concertos gratuitos de Jazz & Clássica em Outubro

Sendo Outubro mês tradicionalmente associado às colheitas, é natural que a safra de concertos gratuitos seja farta: uma trintena. O mês abre com as comemorações do Dia Mundial da Música que, no Museu da Música, assumem a forma de um banquete de peças para cravo do período barroco, servido pelo chef Ketil Haugsand. À oferta pontual de “borlas” somam-se três eventos de maior envergadura: o Festival Jovens Músicos, na Fundação Gulbenkian, que dá a ouvir, entre os dias 3 e 5, os novos talentos que estão agora a despontar na música clássica e no jazz; a programação “secundária” do Festival SeixalJazz (entre os dias 17 e 26), que decorre no SeixalJazz Clube (a antiga fábrica Mundet) e dá a conhecer novos valores do jazz nacional; e o festival Sons de Outono, que leva música (sobretudo antiga) a várias igrejas do concelho de Almada. Recomendado: Sete obras clássicas perdidas e achadas

Billie Eilish, o novo fenómeno da pop, regressa para o NOS Alive
Notícias Billie Eilish, o novo fenómeno da pop, regressa para o NOS Alive

A jovem artista que, ainda a 4 de Setembro deixou 20 mil pessoas em êxtase num concerto apoteótico na Altice Arena, é o mais recente nome confirmado no cartaz do festival. Actua a 10 de Julho em Algés. Independentemente do que se pense sobre ele, When We All Fall Asleep, Where Do We Go? é um dos discos do ano: é um fenómeno que pôs críticos, melómanos e a indústria a coçar a cabeça sobre o futuro da pop global. A culpa é de Billie Eilish e da sua abordagem à música, à moda, à política e aos humores da adolescência. Há poucas semanas, a 4 de Setembro, a cantora foi recebida numa Altice Arena completamente esgotada, por uma multidão de crianças e jovens, para surpresa dos poucos adultos na sala. A promotora Everything Is New percebeu o recado e apostou na norte-americana para encabeçar um dos dias do NOS Alive, em 2020. Billie Eilish actua a 10 de Julho no Passeio Marítimo de Algés, ficou a saber-se nesta sexta-feira. É o terceiro nome a ser confirmado para o festival, depois de anunciado o regresso dos portugueses Da Weasel (11 de Julho) e de Taylor Swift (10 de Julho), que se vai estrear em Portugal com este concerto. Será uma oportunidade para a artista, de 17 anos e a primeira nascida neste milénio a chegar ao número 1 da Billboard, alargar a sua base de admiradores no país. A pop aglutinadora que compõe e produz com o irmão Finneas O'Connell está longe de ser dirigida apenas para o público jovem que já a segue e debita de cor cada verso das canções nos seus concertos.

As melhores canções sobre amizade
Música As melhores canções sobre amizade

É muito, mas mesmo muito fácil escorregar nas armadilhas lamechas que uma conversa sobre a amizade acarreta. Mas é uma das melhores coisas que faz o mundo girar (pronto, já escorregámos). Também podemos falar sobre como é preciso regar uma amizade para que não murche, ou frases tão discutiveis como por vezes necessárias como “as crises não afastam os amigos, apenas seleccionam” ou “todas as riquezas do mundo não valem um bom amigo”. E por aí fora. Na verdade, o que queríamos mesmo era que usasse esta lista para fazer uma homenagem ao seu melhor amigo num karaoke. Não se esqueça de mandar o vídeo. Recomendado: Dez lojas para comprar discos de vinil em Lisboa

Norman Fucking Rockwell!: O Grande Disco Americano de Lana Del Rey
Música Norman Fucking Rockwell!: O Grande Disco Americano de Lana Del Rey

★★★★★ O sonho americano nunca existiu. Ou melhor, existiu, mas nunca passou disso mesmo, de um sonho. Algo distante e inatingível, próximo da realidade, ainda que irreal, ao mesmo tempo esquivo e fantasmagórico. Isto na melhor das hipóteses. Os cínicos dirão – e com razão – que o sonho americano nunca passou de propaganda. Não deixa de ser curioso, e não há-de ser por acaso, que o título do novo álbum de Lana Del Rey alude precisamente a um dos propagandistas desse sonho, o ilustrador Norman Rockwell. Afinal, desde o início que ela canta sobre a América e respectivas mitologias. O seu corpo de trabalho sempre foi anacrónico, olhando e idealizando o passado (sobretudo a idílio americano das décadas de 50 a 70) ao mesmo tempo que o enquadrava e aproximava do nosso presente. Esta tensão e este anacronismo, transversais à sua música desde o primeiro momento, pareciam postiços quando ela começou a dar que falar no início da década. Contudo, à medida que a internet foi esbatendo a distância entre passado e futuro – hoje tudo acontece e pode ser experienciado ao mesmo tempo – tornaram-se cada vez prescientes. Simultaneamente, o maior engajamento político da cantora desde a eleição de Donald Trump forçou-a a confrontar certas ideias do que foi, é e pode ser aquele país. É neste contexto que surge Norman Fucking Rockwell!, o seu sexto álbum de originais e o quinto por uma multinacional. Liricamente, soa narcísico e solipsista, centrado em paixões e experiências vividas numa Califó

Seis obras-primas clássicas que ficaram por acabar
Música Seis obras-primas clássicas que ficaram por acabar

“Ars longa vita brevis” reza um aforismo latino (com origem grega) que costuma ser traduzido literalmente como “a arte é longa e a vida breve” e que chama a atenção para o facto de ser necessário muito tempo, disciplina e determinação para adquirir e dominar a “arte”, sendo esta entendida no sentido lato de “técnica, conhecimento” – quer diga respeito à composição musical, à ginástica nas barras paralelas ou à preparação de sushi. Em tempos em que os cuidados de saúde e o poder da medicina eram incipientes, a esperança média de vida era mais breve e as doenças mais debilitantes, pelo que aconteceu que vários compositores partiram deste mundo sem conseguir concluir a obra que tinham em mãos. Mas também houve obras que foram deixadas a meio por o compositor não conseguir dar-lhes concretização satisfatória, ou por se ter desavindo com quem as tinha encomendado ou simplesmente por se ter enfadado delas. Há também obras que nos chegaram incompletas por se terem perdido partes da partitura, mas essas não fazem parte desta lista. Recomendado: Sete óperas que ficaram por acabar

Anna Calvi: "Ainda há muito por que lutar"
Música Anna Calvi: "Ainda há muito por que lutar"

Anna Calvi é galvanizante na busca da sua liberdade. No álbum Hunter, desafiou as convenções de género, confrontou a sua sexualidade e soltou-se da dicotomia masculino/feminino. Neste terceiro disco descobriu uma forma mais feroz de usar a sua mestria musical para comunicar algo urgente. A sua música é elevada pela habilidade gutural da sua voz de veludo negro e pela forma como extrai fúria das cordas de uma guitarra. Numa luxuriante lascívia, Hunter é uma declaração poderosa que desmantela as ideias normativas que cercam a sexualidade e o género. Sem medo de ser vulnerável, pois isso torna-a mais poderosa. Sem medo de mergulhar no escuro, pois é onde brilha mais.   Hunter foi lançado há quase um ano. Como é que o álbum e os seus temas em torno da sexualidade, feminismo e género têm sido recebidos? Estou feliz com a forma como o álbum foi recebido, mas, pelo menos na Grã-Bretanha, houve um aumento de homofobia desde o Brexit. Ainda há definitivamente muito por que lutar. As pessoas hoje falam mais abertamente sobre género e sexualidade. Tens algum receio que isso possa tornar-se apenas uma moda, algo para capitalizar? Não me preocupo com isso, porque é uma coisa boa para as crianças LGBTQ+ haver mais representação nos media. Haverá sempre pessoas que tentam ganhar dinheiro com qualquer movimento. O mais importante é sentirmos que temos uma voz. Sentiste falta dessa representação quando eras mais nova? Sinto que a Patti Smith me deu muita força enquanto crescia, e sempr

Entrevista a João Maia: "“Fascinou-me o ‘antes’ da fama do Variações"
Filmes Entrevista a João Maia: "“Fascinou-me o ‘antes’ da fama do Variações"

João Maia esteve quase 20 anos até conseguir filmar a vida de António Variações, aliás, António Joaquim Rodrigues Ribeiro, barbeiro de profissão, que passou como um meteoro pela música portuguesa entre finais dos anos 70 e começo da década de 80, deixando nela uma voz, uma figura e um estilo únicos e indeléveis. O realizador (estreante) de Variações falou à Time Out. Recomendado: 25 filmes portugueses obrigatórios

Seis guitarristas de jazz portugueses que precisa de ouvir
Música Seis guitarristas de jazz portugueses que precisa de ouvir

A guitarra fez um longo caminho no jazz, de discreta auxiliar rítmica (demasiado discreta, antes de ser amplificada) até à disputa do primeiro plano com saxofones e trompetes. A história da guitarra jazz teve três notáveis pioneiros em Eddie Lang, Django Reinhardt e Charlie Christian, mas nenhum deles poderia adivinhar os papéis que o instrumento seria capaz de desempenhar quando associado a pedais de efeitos e outra parafernália electrónica. De todos os instrumentos usados no jazz, a guitarra foi o que mais sofreu as influências do rock, contribuindo para enriquecer a linguagem do jazz – os três primeiros guitarristas portugueses desta lista são exemplo dessa frutuosa permeabilidade entre géneros musicais. Recomendado: Os oito melhores sítios para ouvir jazz em Lisboa

icon-chevron-right
icon-chevron-right

As melhores escapadinhas

Roteiro perfeito em Tavira: relaxar, comer, visitar, repetir
Coisas para fazer Roteiro perfeito em Tavira: relaxar, comer, visitar, repetir

Tavira estende-se ao longo do rio Gilão, que chega ao mar através das entradas das lagoas do Parque Natural da Ria Formosa, onde se incluem todas as praias do concelho. Encantadora, esta cidade-postal distingue-se de outros destinos no Algarve pelas ruas estreitas, casas tradicionais caiadas de branco e um céu onde raramente aparecem nuvens. Fundada por fenícios, que construíram uma espessa muralha na colina hoje designada de Santa Maria, da qual ainda restam vestígios, Tavira é ainda fruto de influências romanas, islâmicas e cristãs e a sua história foi marcada tanto por momentos de prosperidade como de declínio e estabilidade. Lições de história à parte, fomos à procura do melhor da cidade, mas também do concelho, de Cabanas de Tavira a Santa Luzia, a autodenominada “Capital do Polvo”. Este é o roteiro perfeito: onde ficar e onde ir, desde os espaços culturais a não perder e as praias mais paradísiacas aos melhores restaurantes e ao sítio certo para dançar até de madrugada ou, se preferir, beber um copo e pôr a conversa em dia. Recomendado: Descobrir a Ria Formosa: guia essencial para um dia de passeio

Descobrir a Ria Formosa: guia essencial para um dia de passeio
Viagens Descobrir a Ria Formosa: guia essencial para um dia de passeio

A Quinta dos Perfumes, um agroturismo de luxo em Cabanas de Tavira, foi o ponto de partida para uma visita à cidade. Em apenas 10 minutos de bicicleta chegámos ao porto de recreio com destino marcado para o centro da cidade. Por lá, vimos Tavira com olhos de ver, descobrimos a arquitectura do centro histórico, sentámo-nos a comer o peixe mais fresco da região e ainda embarcamos num tuk tuk que nos levou pelas salinas e por uma visita guiada pela pesca de atum. Recomendado: Quinta dos perfumes: na paz das laranjeiras

Três passeios na natureza para ir com a família
Viagens Três passeios na natureza para ir com a família

A Primavera anda a brincar às escondidas e agora que chegámos àquela fase transitória em que é perfeitamente aceitável sair de casa de camisola de gola alta e sandálias, é também altura de começar a pensar em programas ao ar livre. Haverá sempre esplanadas para ocupar, pedaços de relva para se sentar e zonas ribeirinhas para ficar a ver as vistas e apanhar um solinho mas para quem, como nós, sofre de bicho-carpinteirite, é preciso muito mais para sentir que se aproveitou bem o tempo. Podíamos sugerir que subisse até ao Gerês para se maravilhar com o Parque Nacional mais bonito de que há memória mas os 405 km que separam Lisboa do destino não são especialmente motivadores para escapadinhas rápidas. Bem mais perto da capital há muito verde para explorar e muitas actividades para o entreter a si e à sua família – pensava que nos tínhamos esquecido dos miúdos, não era? Pois que não. Nestes parques que sugerimos encontra entretém para todas as idades e programação para um dia inteiro de passeio. Há programas de aventura, passeios de bicicleta por paisagens intocadas e até visitas culturais ao ar livre. Agarre na mochila, calce os ténis, prepare as pernas e venha daí.Recomendado: Três quartos de hotel onde tem de dormir uma vez na vida

Três quartos de hotel onde tem que dormir uma vez na vida
Hotéis Três quartos de hotel onde tem que dormir uma vez na vida

Quando se finaliza a reserva para uma escapadinha, o sentimento que predomina é mais ou menos este: ir, estar, fazer o menos possível e aproveitar para pôr o sono em dia. Como boa declaração de intenções que é, muitas vezes acaba por ser só isso mesmo, uma ideia idílica que rapidamente se transforma num plano completamente ao lado. A pessoa vai para não se cansar mas depois há os passeios a cavalo, as provas de vinho, os workshops de pintura de azulejos, as visitas à quinta pedagógica, os almoços e jantares naquela tasca que o cunhado do primo garantiu ser a melhor da região e quando se dá por ela já são horas de voltar a casa e descanso nem vê-lo. Isto não é vida para ninguém. Às vezes é preciso parar. Relaxar. Dormir, sobretudo.  Cumpra finalmente o desejo de tirar uns dias para não sair da cama. Nestes três quartos de hotel encontra a desculpa perfeita para desligar, morrer para a vida e ressuscitar ao terceiro dia.

Vilalara Thalassa Resort: o paraíso existe e tem vista para o mar
Hotéis Vilalara Thalassa Resort: o paraíso existe e tem vista para o mar

O Vilalara Thalassa Resort mudou a paisagem e a oferta turística do Algarve ao estacionar o primeiro resort de luxo numa falésia em cima do mar. Já lá vão 50 anos.  Imaginar o Algarve há 50 anos é um daqueles exercícios de memória que a maior parte de nós não consegue completar. Somos filhos dos anos 70, 80  e 90, conhecemos o sul do país já como estância balnear, epicentro da movida estival e anfitrião dos Verões mais loucos de Portugal. Longe, portanto, da região desertificada e profundamente rural que sobrevivia quase em exclusivo da pesca e da agricultura. Foi só nos anos 60, ainda no rescaldo da ditadura, que o país (e o resto da Europa) começou a despertar para o potencial turístico do Algarve. Praias de areia branca e mar cristalino, temperaturas acima da média todo o ano, gastronomia rica em peixe e marisco frescos e muito, mas mesmo muito, território por explorar. Recomendado: Três hotéis termais em Portugal para ficar de molho

Três hotéis termais em Portugal para ficar de molho
Hotéis Três hotéis termais em Portugal para ficar de molho

– Vamos aproveitar os feriados da Páscoa para ir dar uma volta?– Não posso, já tenho coisas combinadas. – Vais de férias?– Vou para as termas. – A sério? Esta conversa podia remeter para meados do século passado com interlocutores que seriam, seguramente, pessoas de meia-idade, mas não foi assim que aconteceu. A troca de ideias deu-se entre duas pessoas com menos de 30 anos e deixou, como se percebe, uma delas num misto de espanto/desilusão/preconceito. Termas não é cool, nunca foi, e só agora é que a hotelaria parece estar a despertar para o fenómeno. Quem vai religiosamente todos anos às termas jura a pés juntos que é das melhores coisas de sempre e que não há tratamento de spa que consiga bater um banho de imersão com massagem ou as piscinas com jactos aquecidas a 36°C. Imagine-se sete dias de molho a cuidar de si. De repente não parece assim tão descabido tirar uns dias para ir às termas. Calha bem, já que a época termal acaba de abrir, mesmo a tempo de uma Páscoa alternativa. Na rota das águas milagrosas encontrámos três hotéis termais para onde íamos já outra vez.Recomendado: Spas em Lisboa - é possível relaxar na cidade

Alentejo Màrmoris Hotel & Spa: coração de mármore
Hotéis Alentejo Màrmoris Hotel & Spa: coração de mármore

Quem vê de fora não imagina o que esconde o seu interior. A sobriedade do Alentejo Màrmoris Hotel & Spa, o antigo lagar da Cooperativa dos Olivicultores de Vila Viçosa, é um contraste absoluto daquilo que encontramos para lá das portas: uma ode ao mármore, em tons brancos e pretos com apontamentos dourados aqui e ali. Mas nem por isso o ambiente é frio, desde logo porque somos recebidos de tal forma que nos sentimos imediatamente aconchegados. E começa logo no check-in, onde nem precisamos de perder tempo. Tudo o que temos de fazer é escolher a bebida de boas-vindas que nos vai acompanhar para a sala comum onde virão depois ter connosco com o quarto já atribuído. Se dúvidas existissem, o tom fica estabelecido: a atenção e o conforto do hóspede são a prioridade deste hotel que não parece ter 44 quartos, espalhados por três pisos, tal é a tranquilidade e o sentimento de exclusividade – mesmo num fim-de-semana cheio de famílias e crianças desejosas de mergulharem na piscina interior aquecida (mas lá chegaremos). Não é por acaso que o Alentejo Màrmoris Hotel & Spa, de portas abertas desde 2013, entrou para a reputada lista dos Small Luxury Hotels of the World. 

Grand House: os loucos anos 20 no Algarve
Hotéis Grand House: os loucos anos 20 no Algarve

Em 1999, o anúncio televisivo do atum Ramirez mandava-nos para a cozinha para testar novas receitas para além de rissóis, saladas e sandes com “a carne do mar”. O século XXI entretanto tornou-se profícuo no desenrascanço culinário e os arrozes e massas tornaram-se o destino óbvio da conserva de atum. Com isto tudo perdemos o rumo deste texto e demos por nós no site da marca a vasculhar o separador de receitas só para percebermos que dá para fazer bacalhau no forno com as postas em conserva, batatas recheadas com sardinhas em azeite ou, o que mais nos impressionou, ervilhas estufadas com carpaccio de polvo – o de lata, entenda-se. Recomendado: Escapadinhas de Lisboa – os melhores novos turismos

Viagem ao centro da Terra no Torel 1884
Hotéis Viagem ao centro da Terra no Torel 1884

Em A Viagem do Elefante, José Saramago conta a história de Salomão, um elefante nascido em Goa a viver em Lisboa, em meados do século XVI, que D. João III decide oferecer ao primo, Maximiliano da Áustria, como presente de casamento. A história é real com uns pozinhos de ficção, que o autor decidiu juntar ao enredo para atacar, entre outras coisas, a necessidade que Portugal tinha, na altura, de parecer bem no contexto europeu, mostrando e ofertando as riquezas usurpadas – perdão, trazidas – das geografias longínquas por onde o império ia passando. Recomendado: Os melhores hotéis no Porto

Dá Licença: o maior elogio à arte e à natureza
Hotéis Dá Licença: o maior elogio à arte e à natureza

Se me dão licença, tomo a liberdade de começar este texto com um relato na primeira pessoa. A tentativa tosca de manter a distância para não corromper a ética que se exige à prática jornalística obrigar-me-ia a ser uma mera espectadora de uma das melhores experiências que tive o privilégio de viver, e isso, sendo perfeitamente possível, não é o que quero fazer.  O Dá Licença, antes de ser o sítio magnífico que é, era para ser só uma casa de férias de Victor Borges e Frank Laigneau, que procuravam um pequeno refúgio no campo para onde pudessem fugir quando a vida em Paris se tornasse demasiado frenética. Acabaram por se mudar definitivamente para a antiga Herdade das Freiras, em Estremoz, depois de assistirem àquele que dizem ter sido o pôr-do-sol mais inspirador que viram na vida. De repente viram-se a braços com uma propriedade de 120 hectares com três edifícios, um olival a perder de vista, muito mato por desbravar e um potencial tremendo para dar vida à ideia acabadinha de surgir: criar uma casa aberta onde se reunissem arte e natureza nas suas formas mais puras e que pudesse ser vivida como uma viagem sensorial pelas artes e ofícios numa perspectiva simultaneamente utilitária e contemplativa.

Cerdeira Village: a criatividade mora aqui
Hotéis Cerdeira Village: a criatividade mora aqui

As previsões apontam para queda de neve na Serra da Estrela, o que significa que as estradas até à Torre vão estar cortadas. Portugal padece deste mal de não saber funcionar com condições climatéricas extremas (chove, há inundações; neva, cortam-se acessos; está calor, deixa de haver água), mas como também é um país que sabe, como nenhum outro, viver em negação permanente, todo o santo ano lá vai disto de mandar as pessoas à Serra da Estrela como se fosse possível lá chegar. Ora não é direito do cidadão comum poder ir à Serra sem ter de pernoitar no carro à beira da estrada? Pois é. Recomendado: Paraísos perto de Lisboa

Volta a Coimbra em 24 horas
Viagens Volta a Coimbra em 24 horas

Coimbra demorou a acordar para a modernidade e viveu a última década entretida com a ideia confortável de ser uma cidade de estudantes virada para a movida nocturna. Os bares de shots e bebidas baratas com selecção musical duvidosa, néons e público acabadinho de atingir a maioridade tomaram conta do centro histórico e assim se foi vivendo até a cidade perceber que, sendo maioritariamente da população universitária, também é dos outros todos. A procura turística disparou nos últimos dois anos e com ela apareceram uma série de negócios que, juntamente com os clássicos, deram novo fôlego à vida “coimbrinha”. Traçamos-lhe o roteiro ideal pela cidade dos estudantes, terminando invariavelmente já de manhã. Só lamentamos não termos tido tempo para mais.

icon-chevron-right
icon-chevron-right

Os melhores hotéis em Lisboa

Os 19 melhores hotéis com spa em Lisboa
Hotéis Os 19 melhores hotéis com spa em Lisboa

Férias nem sempre são sinónimo de apanhar um avião e estender a toalha num areal qualquer por este mundo fora ou calcorrear uma grande capital europeia de manhã à noite, com medo de voltar para casa sem se ter visitado todos os highlights do momento. Por vezes convém aproveitar aqueles dias fora do escritório para simplesmente relaxar. Encoste-se para trás, coloque o pepino nos olhos, vista um confortável roupão e aprecie a música zen nos melhores hotéis com spa em Lisboa. Não se vai arrepender: afinal, são várias as razões para trocar o vale dos lençóis por estes hotéis. Recomendado: Os melhores hotéis românticos em Lisboa

Os 14 melhores hotéis com piscina em Lisboa
Hotéis Os 14 melhores hotéis com piscina em Lisboa

Meter água é das expressões mais cobiçadas durante as semanas e meses que se seguem. No fundo, sempre que o sol aparece e o tempo aquece. A cidade está cheia de fabulosos tanques, para se banhar em grande estilo e espreguiçar à vontade. Há muito para aproveitar nos hotéis de Lisboa sem precisar para isso de fazer check-in. Um mergulho nas piscinas, é só uma delas. Estes são os melhores hotéis com piscina em Lisboa. Seja para um, dois ou três mergulhos. Tudo o que quiser. Acredite que nem se vai lembrar que a praia existe. Recomendado: Os melhores hotéis em Lisboa

Hotéis bons e baratos em Lisboa
Hotéis Hotéis bons e baratos em Lisboa

Hotéis em Lisboa há muitos e difícil é arranjar uma boa pechincha. Andámos à caça de hotéis baratos em Lisboa e descobrimos oito bons, com preços entre os 50 e os 70 euros por noite. Se o preço não for um problema, espreite os melhores hotéis de luxo em Lisboa. E se vier em clima de romance, vale a pena espreitar os melhores hotéis românticos em Lisboa.

Os melhores hotéis em Lisboa
Hotéis Os melhores hotéis em Lisboa

Passa por cá a correr ou vem para ficar? Quer namorar ou fazer amigos? Traz a família toda a reboque ou chega só e abandonado? Saiu-lhe o Euromilhões ou já está a contar tostões? Seja qual for o seu perfil de turista e o seu ideal de férias, juntámos os melhores hotéis em Lisboa para todos – nenhum com menos de 9 na pontuação atribuída pelos hóspedes no Booking. Escolha o seu preferido e faça bom proveito.

Tivoli Palácio de Seteais: à noite no museu
Hotéis Tivoli Palácio de Seteais: à noite no museu

Alerta excêntricos, criados de um dia para o outro ou não: uma das grandes novidades do Tivoli Palácio de Seteais é o programa “Own a Palace for a Day” (30 mil euros), que, como o próprio nome indica, permite que o hotel de luxo em Sintra seja vosso por um dia. Todo vosso: os 30 quartos (incluindo a impressionante suite diplomática e os cinco quartos deluxe), os salões cheios de frescos e outras obras de arte impecavelmente recuperadas e restauradas pela Fundação Ricardo Espírito Santo, os jardins ao estilo francês e a piscina com vista para o mar de um lado e para o Palácio da Pena e o Castelo dos Mouros do outro.

Regresso ao passado: o Maxime renasceu como hotel
Hotéis Regresso ao passado: o Maxime renasceu como hotel

"Já fui aqui tão feliz". As palavras são de um antigo cliente do bar, que, entrando porta adentro, foi assolado por boas memórias. Quem conta o episódio é António Gonçalves, administrador do Grupo Hotéis Real, cadeia que não só devolveu o Maxime a Lisboa (embora reinventado) como ampliou a experiência. E ampliar a experiência significou ocupar os pisos superiores do edifício, outrora com escritórios e onde agora encontramos 70 quartos standard (um deles para pessoas com mobilidade reduzida) e mais cinco temáticos com 25 metros quadrados cada. Já subimos o elevador. Vale a pena voltar atrás: a experiência começa logo à entrada com um peepshow. Numa parede, encontra um pequeno buraco a que vai querer dedicar um segundo ou dois: é que ao espreitar vemos uma criação da artista Diana Coelho, profissional do cruzamento entre as artes performativas e visuais, que aqui nos diz que as paredes têm ouvidos. Ao espreitar por esse buraquinho vemos um vídeo com caras bem conhecidas: Humphrey Bogart ou Sean Connery, sentados à mesa e rodeados de bailarinas. Uma peça inspirada em factos verídicos por alturas da II Guerra Mundial, quando Lisboa era um ninho de espiões e as bailarinas vendiam informações de uns a outros. Logo a seguir, não uma cara mas uma peça também conhecida dos antigos clientes. O grande balcão do Maxime está lá, aquela que chegou a ser a maior barra da Europa não foi a lado nenhum, num espaço que acumula como bar e restaurante (liderado pelo chef Luca Bordino) e onde se

Neya Hotel Lisboa: pegada e dormida ecológica
Hotéis Neya Hotel Lisboa: pegada e dormida ecológica

Preparado para uma estadia ecológica no meio da cidade?  Carimbado com selos de sustentabilidade e ecologia, o Neya é um eco-hotel que aquece a própria água, faz reciclagem de resíduos e tem bicicletas para os hóspedes. Quem dorme por aqui vai carregar o peso das responsabilidades sociais e ambientais – e ninguém fica ilibado no que toca ao futuro do planeta. 

12 novos hotéis em Lisboa
Hotéis 12 novos hotéis em Lisboa

Cama, mesa e roupa lavada pode ser um objectivo de vida tão válido como sonhar com uma casa no campo ou um saudoso emprego das 9 às 5. Pernoitar num hotel pode ajudar a alcançar a meta, ou sonho, de não ter de fazer a cama, de preparar uma refeição ou de engomar a roupa. E a cidade está cheia deles, alguns ainda a cheirar a novo. O mais recente inaugurou no início de Outubro e renova uma das mais antigas casas dedicada ao burlesco de Lisboa: o Maxime, na Praça da Alegria. Recomendado: Os 18 melhores hotéis com SPA em Lisboa

Os melhores hotéis românticos em Lisboa
Hotéis Os melhores hotéis românticos em Lisboa

Que Lisboa é a cidade mais romântica já nós sabíamos, mas que tinha tantos hotéis para levar as escapadinhas românticas a um novo nível foi uma surpresa. Seja com pequenos-almoços na cama ou vistas de cortar a respiração, os melhores hotéis românticos em Lisboa não desiludem.

Os melhores hotéis de luxo em Lisboa
Hotéis Os melhores hotéis de luxo em Lisboa

Dos clássicos incontornáveis que já pertencem à história da cidade, aos mais recentes que apostam no design ou no conceito boutique, estes são os melhores hotéis de luxo em Lisboa. Destinados a um público alvo muito específico, com sangue azulado a correr-lhe nas veias, estes hotéis nasceram e existem para todos os que se recusam a abdicar dos seus caprichos.

icon-chevron-right
icon-chevron-right