O melhor guia de Lisboa

Restaurantes, bares, concertos, exposições, lojas, eventos e muito mais na agenda de Lisboa

Grátis em Lisboa esta semana
Coisas para fazer

Grátis em Lisboa esta semana

Trazemos-lhe cinco sugestões para aproveitar, à borla, tudo o que a cidade tem para oferecer esta semana.

Depois das seis
Coisas para fazer

Depois das seis

Esta semana, começamos e terminamos ao som de música. Pelo caminho, tanto paramos em Belém como damos um salto ao Parque das Nações. 

Plantar uma árvore, escrever um livro e fazer um filho em Lisboa
Coisas para fazer

Plantar uma árvore, escrever um livro e fazer um filho em Lisboa

Dizem que são estas as três coisas que devemos fazer em vida, sem falta. As sementes também se plantam em livros e em, enfim, óvulos. No Dia Mundial da Árvore imortalizemos a nossa breve passagem pelo planeta Terra. De preferência, sem sair de Lisboa. 

A Time Out desta semana
Blog

A Time Out desta semana

A Primavera é o planeta a avisar que vem aí o Verão. "Humanos, vão despindo esses casacos, acabem de ver a última temporada da vossa série preferida, preparem essas curvas para a praia e troquem o café com leite quentinho pelo sumo detox verdinho . Tomem lá mais uma hora de sol e saiam de casa – chegou ao fim a vossa hibernação."  Em Lisboa, a nova estação pede esplanadas, miradouros e quiosques, pede cocktails, happy hours e piqueniques, pede gabardines para as águas mil, chapéus para os primeiros raios UV e anti-histamínicos para as alergias. Na Time Out desta semana, damos-lhe tudo o que precisa para viver a Primavera na cidade em grande e ter a resposta na ponta da língua – "Ok, planeta: estamos a postos." Mas nem só de ar livre se faz a revista desta semana: a Time Out Lisboa volta hoje a ter listas de cinema, depois de centenas de leitores nos dizerem que tinham saudades de nos consultar para saber onde e quando iam ver o quê. Não queremos que ninguém comece a Primavera amuado por isso, refresque-se (ou aconchegue-se, já que a previsão meteorológica ainda está presa ao Inverno) no escurinho do cinema, connosco debaixo do braço. Fique ainda a conhecer o melhor do Lumiar, bairro anfitrião da Lisbon Week deste ano, e saiba tudo sobre a reabertura do MAAT, as corridas na cidade, a nova Ó! Galeria (que não está sozinha e abriu A Mula, cheia de marcas portuguesas) e os chefs que vão a casa fazer-lhe a papinha toda.       Boa semana. E boa Primavera.

O roteiro pelo festival do Skrei
Restaurantes

O roteiro pelo festival do Skrei

Até ao final de Abril há bacalhau fresco especial da Noruega, a.k.a. Skrei, em algumas das grandes cozinhas de Lisboa e do Porto. À boleia do SkreiFest, fazemos o roteiro por alguns sítios onde pode provar o rei-bacalhau nas próximas semanas.

Últimas notícias

Ofertas 'Dois por Um' com a Time Out desta semana – 22 a 28 de Março
Blog

Ofertas 'Dois por Um' com a Time Out desta semana – 22 a 28 de Março

Quem não gosta de um "leve dois, pague um"? Todas as semanas, a Time Out Lisboa tem cinco ofertas do melhor da cidade a preço de saldo. Descubra os restaurantes, lojas, espectáculos ou experiências desta edição e corra para as bancas.  

Apague as luzes, acenda as velas: vem aí a hora do Planeta
Blog

Apague as luzes, acenda as velas: vem aí a hora do Planeta

Em nome do planeta, 60 minutos às escuras em todo o mundo, pede a associação de defesa do ambiente WWF. A iniciativa anual Hora do Planeta é no sábado, 25 de Março, das 20.30 às 21.30 e Lisboa vai ter acções especiais.  O epicentro é no Parque Eduardo VII, onde oito músicos portugueses – Raquel Tavares, Tiago Bettencourt, Matias Damásio, André Sardet, Samuel Úria, Tito Paris, Enoque e Janeiro – vão dar um concerto à luz das velas (as portas abrem às 18.30 mas as velas só se acendem às 20.30 em ponto). A entrada custa 10€ mas reverte tudo para os projectos da WWF.  Cidade fora, não estranhe se vir mais sítios às escuras: na Ponte 25 de Abril só se vão ver os faróis dos carros e a Estação Ferroviária do Rossio, a Torre de Belém, o Mosteiro dos Jerónimos, o Castelo de São Jorge e o Museu da Electricidade também vão estar de luzes apagadas. Em 2016 a Hora do Planeta chegou a 178 países, 9000 cidades. 

Matinés no Roterdão a pedido de muitas famílias
Blog

Matinés no Roterdão a pedido de muitas famílias

A ressaca já não vai ser desculpa para faltar ao almoço de família. Poupe-se para domingo, porque a noite agora começa às seis da tarde. A partir de 9 de Abril, a discoteca Roterdão, no Cais do Sodré vai passar a abrir portas ao domingo à tarde para matinés, uma ideia da actual gerente, Ana Afonso, como resposta aos pedidos de várias famílias. “Em 2016, no início do ano, perguntámos aos nossos clientes e amigos se valeria a pena abrir ao domingo. Referíamo-nos à noite e a resposta foi positiva. No entanto, muitas pessoas sugeriram e pediram a matiné”, explica.  A ideia é começar a dançar a partir das seis da tarde (como tem acontecido noutras matinés, por exemplo nas promovidas pelo Lux, a última com uma festa de homenagem a Grace Jones) e ir para casa por volta das dez da noite, até porque no dia seguinte há que trabalhar.  E não há pausa para jantar? Pelos vistos a discoteca vai servir petiscos: “Tábuas de queijos e enchidos, tostas e sopas frias, etc”, adianta Ana. Para já não há nenhuma festa temática programada (em Janeiro o Roterdão homenageou David Bowie com uma festa de aniversário), a não ser na altura do Festival da Canção. “Na noite da final, esperamos transmitir em directo o concurso televisivo e fazer uma brincadeira tipo quiz do festival”, continua.   Uma boa maneira de passar “o dia seguinte sem olheiras nem cansaço”, diz Ana, depois de uma noitada – que na verdade é uma tardada. Se a coisa correr bem, é provável que as matinés se repitam também às quartas,

Esta colecção de desporto é a cara de Lisboa
Blog

Esta colecção de desporto é a cara de Lisboa

Tem tudo para ser o novo equipamento oficial de todos os desportistas lisboetas e o mais curioso é que a ideia partiu de uma londrina. Depois de ter passado por outras capitais mundiais, Laurie Nouchka assina uma colecção de desporto onde a grande inspiração são as fachadas da cidade. Tudo isto, com apenas uma semana no terreno. “Já tinha passado por Barcelona, Rio de Janeiro, Dubai e Sydney, mas até aqui os estampados tinham sempre partido de grandes monumentos de cada cidade”, conta a designer. Em Lisboa, como já é hábito, a história foi outra. Foram as fachadas mais pitorescas as que chamaram a atenção de Laurie, das cores e dos azulejos e os vasos às portas. O resultado ganhou a forma de ilustração e está agora à vista. Depois de uma primeira visita em Novembro, a inglesa voltou agora para apresentar a colecção à cidade e recorda como tudo começou no dia em que decidiu usar umas leggings com um estampado fora da caixa numa aula de Yoga. “No final da aula, toda a gente vinha perguntar de onde eram”, acrescenta. No que toca à paisagem lisboeta, Laurie confessa que o jardim das Amoreiras, com os prédios rasteiros e o quiosque, foi o que mais lhe ficou na memória. Para já, as peças vão estar à venda no site da designer. Os preços vão dos 75€ (tops) aos 115€ (leggings).

A velhinha livraria Ferin está como nova
Blog

A velhinha livraria Ferin está como nova

Tem 177 anos e é a segunda livraria mais velhinha de Lisboa, mas é simultaneamente a mais recente. A Livraria Ferin no Chiado renasceu esta terça-feira renovada: para além da livraria, o espaço tem agora um um bar, uma secção infantil e quer apostar na venda de autores portugueses traduzidos em línguas estrangeiras, respondendo aos muitos turistas que entram pelo número 72 da rua Nova do Almada. A antiga Ferin torna-se assim a irmã mais nova da Ler Devagar, na LX Factory, não só porque é possível entrar, comer ou beber qualquer coisa, passar os olhos por umas páginas e ir embora, mas também porque foi José Pinho, dono da livraria de Alcântara, que investiu nesta nova Ferin. A livraria fundada em 1840 ponderou fechar por causa de problemas financeiros, avançou a Lusa. José Pinho, que é também coordenador do festival literário Fólio, em Óbidos, pagou dívidas de 80 mil euros, investiu outros 70 mil e não espera que os resultados apareçam já, disse ao Diário de Notícias. Apesar das mudanças que alteram a forma como se vive a livraria, o que sempre foi único aqui vai manter-se: o catálogo específico dedicado à arte, heráldica, história militar e os funcionários de há décadas. A tudo isto acrescentam-se no futuro sessões de conversa à volta dos livros, junto ao bar que recupera a memória de outro espaço velhinho ali bem perto, encerrado no final do ano: as mesas são do Palmeira, que deixa saudades no 69 da Rua do Crucifixo, revelou o DN. R. Nova do Almada, 72. 21 342 4422. Seg-Sá

Mais notícias do Blog

Viva a Primavera

10 sinais de que a Primavera chegou a Lisboa
Coisas para fazer

10 sinais de que a Primavera chegou a Lisboa

Chegou a Primavera – e todos os alfacinhas sabem, mesmo que ainda não tenham aberto o seu Facebook. Descubra aqui 10 sinais de que a nova estação invadiu Lisboa e não perca a Time Out da próxima quarta-feira, com piqueniques, esplanadas, quiosques, cocktails, mercados e tendências da Primavera 2017. 

Esplanadas em Lisboa: petiscar, beber e contemplar
Restaurantes

Esplanadas em Lisboa: petiscar, beber e contemplar

[ES-PLA-NA-DAR] v. | acto de permanecer sentado ao ar livre na companhia de um refresco; forma de socialização que requer apenas duas pessoas e duas cadeiras; técnica de fotossíntese muito popular entre os humanos; modalidade de exibição dos Jogos Olímpicos de 2020 (proposta da Time Out Lisboa no dia em que arranca a Primavera 2017). 

20 tendências de moda para a Primavera
Compras

20 tendências de moda para a Primavera

Vá por nós: sem estas dez peças no guarda-roupa, vai continuar preso ao Inverno. As tendências de moda para a Primavera estão aí e valem cada minuto perdido a tentar encaixá-las no dress code de todos os dias. Elas querem-se com folhos, ombros de fora (os dois ou apenas um) e malas bem grandes. Eles amanham-se com muitas riscas, calções curtos e mochilas dignas de escuteiro. O amarelo não tem género e é o denominador comum da estação.

10 canções pop primaveris
Música

10 canções pop primaveris

Simon & Garfunkel e The Beatles ou os contemporâneos Noel and the Whale e The Divine Comedy inspiraram-se na Primavera para criar algumas das melhores canções pop de sempre. Festeje a chegada da nova estação com os phones nas orelhas e o volume no máximo. 

Chuva de pólen em Lisboa: dicas para aliviar as alergias na Primavera
Saúde e beleza

Chuva de pólen em Lisboa: dicas para aliviar as alergias na Primavera

A Primavera deu um ar de sua graça na segunda, literalmente, e esta semana é de loucura de pólenes em todo o país. É mesmo coisa séria: o primeiro Boletim Polínico da Sociedade Portuguesa de Alergologia e Imunologia Clínica (SPAIC) foi divulgado no início da semana e diz que os níveis de pólenes vão estar muito elevados em Lisboa, culpa das árvores plátano, pinheiro, cipreste e carvalhos e das ervas urtiga e parietária.  Como se safar disto? Há várias maneiras e algumas são mesmo surpreendentes. Compilámo-las todas numa lista para aproveitar os sessenta minutos de sol a mais sem pingos ou comichões no nariz. E não perca a Time Out desta semana: tem piqueniques, esplanadas, quiosques, cocktails, mercados e as peças de roupa imprescindíveis para a Primavera 2017. 

25 filmes românticos para receber a Primavera
Filmes

25 filmes românticos para receber a Primavera

Rodados em Hollywood ou em vários países europeus, na China do pós-guerra ou em Hong Kong, estes 25 filmes têm em comum estar subordinados ao tema do amor e contarem histórias dramáticas, cómicas ou trágicas sobre paixões em diferentes épocas 

Comer e beber em Lisboa

Os pastéis do Rive-Rouge para comer na nova esplanada
Blog

Os pastéis do Rive-Rouge para comer na nova esplanada

O Rive-Rouge, filho mais novo de Manuel Reis, abriu no primeiro andar do Time Out Market em Novembro para dar música a partir das 17.00. Agora dá as boas-vindas à Primavera com uma esplanada com vista para a Praça D. Luís, que abre já esta quinta-feira. É para petiscos e bebidas ao final da tarde no piso de baixo e pezinho de dança no andar de cima, quando já tiver o estômago reconfortado. Por isso, tem uma carta própria, assinada pela chef Manuela Brandão do vizinho Pap’Açorda. Fotografia: Arlindo Camacho     Os pastéis Rive-Rouge são o especial da casa. Parecem pequenas empadas com uma capa vermelha e há de vários sabores: sapateira e pickles, peixe com tomate, aves com juliana de alface, vitela e feijão, legumes, cogumelos ou choco frito com aioli. E também há um para a sobremesa: é recheado com mousse de chocolate e salpicado com purpurinas vermelhas. Na carta há ainda gambas panadas com molho picante, amêijoas à bulhão pato com pão torrado, prego de alcatra no pão, costeletas de borrego panadas ou croquetes de pato com mostarda. Praça D. Luís I (Cais do Sodré). Ter-Dom 17.00-21.00.

Os três melhores sítios para comer panquecas em Lisboa
Restaurantes

Os três melhores sítios para comer panquecas em Lisboa

Acha que a sua receita de panquecas é a melhor do mundo? Dê folga à frigideira lá de casa, rume a um destes três cafés e fique a conhecer as nossas panquecas preferidas em Lisboa. 

Brunch estrelado com vista para Lisboa
Blog

Brunch estrelado com vista para Lisboa

O restaurante em questão é o Eleven, sob o leme do chef Joachim Koerper, e acaba de lançar o primeiro brunch com estrela Michelin de Lisboa. Servido só aos sábados, o preço anda nos 29€ por pessoa com tudo incluído, e o que tem de saber antes de avançar na leitura sobre o infindável número de pratos que vai chegando à mesa ao longo da refeição – afinal isto é um restaurante de alta cozinha e há luxos que não se perdem –, é que convém reservar ou chegar à hora em que começa a ser servido, 12.30 em ponto, para conseguir lugar à janela, nas melhores mesas da sala.  Apesar de ser uma novidade fresquinha no Eleven, não é a primeira vez que servem brunch. "Fizemos uma experiência há oito anos, mas não pegou", conta Miguel Júdice, um dos responsáveis do restaurante. Agora, e pela enchente do último sábado, percebe-se que a situação é 100% inversa.   Ao meio-dia e meia metade da sala do Eleven está pronta para receber o brunch, a outra fica reservada aos almoços convencionais. "É uma forma de dar a conhecer o restaurante de maneira diferente. Mas continuamos a servir almoços ao mesmo tempo." Por mesa posta para receber o brunch entenda-se o seguinte: um cesto com vários pães caseiros, como o de nozes, o de cereais ou o branco, um cesto com croissants, mini bolas de Berlim, mini-madalenas e palmiers, manteiga, uma compota de abóbora caseira e uma de morango.         As festividades começam com um serviço de sumo de laranja natural, café e leite quentes – bom, se for uma pesso

Miguel Castro e Silva: o chef está imparável
Blog

Miguel Castro e Silva: o chef está imparável

Não é uma nem duas, são três novidades que o chef portuense traz aos lisboetas. A sua atenção, sff. Miguel Castro e Silva acaba de se instalar a sério na Gulbenkian e de fazer um extreme makeover à cafetaria do museu. O mesmo sítio onde dá a provar, pela primeira vez, uma linha de pastéis de assinatura, doces e salgados que vai vender também em Londres. Apesar de ser em Lisboa que vai abrir, já em Maio, dois novos restaurantes, um deles a traçar o caminho da cozinha de autor [termo que detesta, mas que deu autorização para ser usado neste texto]. Sim, tudo isso. Conheça cada um dos projectos.   O chef Miguel Castro e SilvaFotografia: Manuel Manso           A Cafetaria do Museu Calouste Gulbenkian Se já havia boas desculpas para passar algumas vezes pelo museu e jardins da Gulbenkian, a instalação definitiva do chef Castro e Silva, já consultor da Fundação há dois anos, veio dar novas razões para lá ir. Abriu a cozinha, agora totalmente à vista de quem lá vai almoçar, importou um bonito serviço de loiça Costa Nova e dividiu a bancada de self-service em duas partes. De um lado há uma imensidão de salgados, como pastéis de bacalhau, rissóis, quiches, saladinhas frias e a nova linha de pastéis do chef; do outro lado alinham-se bolos à fatia, éclaires caseiros e outros doces que fazem equacionar se não é melhor trocar a ordem da refeição convencional para sobremesa-prato-sopa. Mais: tem sempre pratos do dia e uma ementa fixa onde entram alguns nomes conhecidos, como o

Saiba de outros sítios onde comer e beber na cidade

Críticas de restaurantes

Alma
Restaurantes

Alma

O pintor francês Paul Cézanne escreveu: “O dia virá em que uma simples cenoura, alvo de um olhar fresco, dará origem a uma revolução”. O dia não veio ainda. Mas esteve quase. Uma hora à mesa no Alma e chegavam as célebres cenouras assadas de Henrique Sá Pessoa. A acompanhar, bulgur (trigo durum), amendoins, azeite de cominhos e uma rodela de queijo de cabra (belíssimo). De repente, silêncio. Depois, o primeiro “hmmmmm” da noite. E o segundo. E o terceiro. Lembro que as cenouras nos castigam há décadas: no peixe cozido; em purés que nunca fizeram os olhos bonitos; na sopa de cantina; ralada, a acompanhar saladas de snack bar; na infame jardineira. Não é fácil ultrapassar isto. O que Sá Pessoa conseguia, aqui, era a prova derradeira do seu maior talento: extrair o melhor dos produtos (sim, cenoura pode ser uma coisa boa) e acertar sempre nas combinações. Não há uma invenção estapafúrdia, tudo sabe bem. O sabor acima de tudo. Foi, aliás, assim até ao fim. O menu Alma, espécie de best of do chef (90€), inclui quatro snacks, duas entradas, dois pratos principais, mais dois doces e mignardises. Destes, seis eram obras-primas, os outros só muito bons. A abrir o jantar – um sábado, casa cheia – bolachas de tapioca e maionese de ostra rematadas com um shot de gaspacho filtrado, intenso de pepino. Seguiu-se a esferificação de amêijoa à Bulhão Pato, assente numa almofadinha de puré de coentros; ao lado, tempura de pimentos (o polme de tinta de choco fino, crocante, sequíssimo)

A Time Out diz
  • 4 /5 estrelas
A vossa opinião
  • 5 /5 estrelas
Hansi
Restaurantes

Hansi

No outro dia estava num churrasco de rodízio: vaca, porco, peças certificadas (arouquesa, mirandesa...), vários condimentos, gente de muito e bom alimento. A meio da refeição aparecem na mesa umas quantas dessas salsichas de supermercado pré-embaladas. A marabunta entrou em delírio. As pessoas adoram salsichas manhosas. Eu gosto de salsichas manhosas. E isso pode ser dramático para as salsichas de qualidade. Ou seja, isso pode ser dramático para este Hansi. Acontece o seguinte. Se uma salsicha com 80 por cento de gordura e 15 por cento de sal é boa, uma salsicha vienense é ainda melhor. Sei isto desde que me tornei cliente do Kaffeehaus, o café do Chiado com mais jornais e intelectuais de referência. Mas foi no Hansi, irmão mais novo e mais hipster, que tirei o mestrado. Neste pequeno restaurante junto ao jardim D. Luís, ao lado do Mercado da Ribeira, há uma dúzia de variedades de bratwursts, todas importadas do talho do senhor Hubmayer, situado nos arredores de Viena. A salsicha do senhor Hubmayer merece a total confiança dos donos do restaurante, não fosse um deles, Christoph Hubmayer, seu filho. As minhas preferidas são as Lammbratwurst, de borrego, as clássicas Kasekreiner picantes, fumadas e com queijo Emmental infiltrado na carne, e as Berber, estas de tipo Frankfurter, também com Emmental e ainda com umas maravilhosas tiras crocantes de speck, o bacon austríaco (todas a 6,90€). Seja qual for vem dourada e com uma mostarda excelente de estragão, um pouco mais amarg

A Time Out diz
  • 4 /5 estrelas
A vossa opinião
  • 5 /5 estrelas
In Bocca al Lupo
Restaurantes

In Bocca al Lupo

As crianças nem sempre são o melhor que há no mundo, mas resultam muito úteis para a crítica de restaurantes. As crianças mesmo crianças não vão em tendências nem em tops. Não lhes interessa se o restaurante é do chef A ou do chef K. Se a carne é maturada durante 12 dias ou 12 meses. Se o peixe é de aquacultura ou vivia numa gruta das Berlengas. A gente pergunta às crianças: Gostas? E as crianças respondem: “É óptimo”. “É horrível”. Às crianças só interessa o sabor e o prazer. Dito isto, muitas não descartam má comida. Os meus filhos, por exemplo. Quando se trata de pizzas entusiasmam-se com o Mr. Pizza. Eu como uma fatia do Mr. Pizza e meia hora depois acho que aquilo não é uma pizza mas um bocado de óleo com farinha. Por vezes, regurgito. Elas não. O estômago das crianças é uma ETAR. Diferente é achar que lhes sabe tudo ao mesmo. Não sabe. Muitas crianças são, inclusive, provadoras experientes. Sobretudo no que respeita a rodelas de pão assadas. Algumas fizeram o circuito todo das melhores pizzas lisboetas: Mercantina, Casanova, ZeroZero, Lucca, La Finestra, Forno d’Oro. E quase todas têm bem claro o seu Top 10. No currículo dos meus filhos faltava este In Bocca al Lupo, uma espécie de parente afastado das modernas pizzarias lisboetas – porventura a mais italiana de todas, com a particularidade de ser biológica. De início, a rapaziada demonstrou apenas um entusiasmo comedido: o sítio falha em opulência e design, duas coisas que impressionam as pessoas miúdas e graúdas

A Time Out diz
  • 5 /5 estrelas
A vossa opinião
  • 4 /5 estrelas
Nova Ásia
Restaurantes

Nova Ásia

É o chinês mais português da cidade. A dona, filha do fundador, Dihuan Lin, fez cá a escola e responde sem sotaque às questões mais técnicas. Acresce que, em vez do mobiliário de plástico, há madeiras escuras, prateleiras com boas garrafas de vinho e atoalhados de pano – um ambiente confortável e sofisticado mais próximo do bistrô do que da sala-fonte-luminosa-brilhante-fluorescente. De notar, contudo, que a mesa grande redonda, com placa giratória ao centro – uma das grandes invenções gastronómicas que os chineses nos deram – não foi descartada e proporciona bons momentos a famílias alargadas. A fama do restaurante, no entanto, vem do pato – e com inteira justiça. Tem as versões lacado à Pequim (médio 18€), assado à Pequim (pequeno 9€) e o especial à Pequim (para três ou quatro pessoas, 45€). A maior parte das vezes que lá comi, o pato assado vinha suculento por dentro e crocante por fora, com os acompanhamentos do costume: panquecas, alho francês em fiapos e molho Hoisin (feito de pasta de feijão, vinagre e cinco especiarias, mistura anisada que os iniciados acham de sabor farmacêutico mas que se torna num exotismo essencial). O especial à Pequim inclui um caldo excelente com óleo de sésamo e bróculos, febras, a pele (maravilhosa, a lembrar leitão) – tudo de pato, claro – e legumes. Embora não seja uma casa conhecida pelos dim sum, outro prato interessante são os raviolis de porco preto, um aportuguesamento dos guo tai chineses, com recheio de carne moída, alho e cebolo

A Time Out diz
  • 4 /5 estrelas

Hotéis em Lisboa

Os melhores hotéis em Lisboa
Hotéis

Os melhores hotéis em Lisboa

Passa por cá a correr ou vem para ficar? Quer namorar ou fazer amigos? Traz a família toda a reboque ou chega só e abandonado? Saiu-lhe o Euromilhões ou já está a contar tostões? Seja qual for o seu perfil de turista e o seu ideal de férias, juntámos os melhores hotéis em Lisboa para todos. Escolha o seu preferido e faça bom proveito.

Hotéis bons e baratos em Lisboa
Hotéis

Hotéis bons e baratos em Lisboa

Hotéis em Lisboa há muitos e difícil é arranjar uma boa pechincha. Andámos à caça de hotéis bons e baratos em Lisboa e descobrimos oito, com preços entre os 50 e os 70 euros por noite. Se o preço não for um problema, espreite os melhores hotéis de luxo em Lisboa. E se vier em clima de romance, vale a pena espreitar os melhores hotéis românticos em Lisboa.

Os melhores hotéis boutique em Lisboa
Hotéis

Os melhores hotéis boutique em Lisboa

Que em Lisboa não faltam hotéis toda a gente sabe. E que o número de hotéis aumentou consideravelmente nos últimos anos, consequência do hype mundial à volta da nossa cidade, também. Assim, passámos a pente fino tudo quanto é unidade hoteleira para lhe trazer os melhores hotéis de charme em Lisboa.  Considerados o parente rico do Bed&Breakfast e da típica pousada, os hotéis boutique distinguem-se pela personalidade e ambiente acolhedor. Mais pequenos do que os das grandes cadeias internacionais, vivem quase sempre sustentados num projecto arquitectónico diferenciado ou instalados num edifício histórico. O ambiente descontraído, muitas vezes criado pelos proprietários, pretende levar os hóspedes a sentirem-se em casa. Estes são os melhores hotéis boutique em Lisboa – cada um deles, um excelente pretexto para fugir à rotina.

Os melhores bares de hotel em Lisboa
Hotéis

Os melhores bares de hotel em Lisboa

De Alfama a Belém, há boas razões para explorar os hotéis que se seguem. E já sabe que se beber um copo a mais, tem sempre a opção de fazer check in. Estes são os melhores bares de hotel em Lisboa.

Coisas para fazer em Lisboa

Os melhores concertos em Lisboa esta semana
Música

Os melhores concertos em Lisboa esta semana

Por toda a cidade há concertos. Alguns valem mais a pena do que outros, por isso siga as nossas sugestões dos melhores concertos em Lisboa esta semana.

Conheça a Comunidade Hindu por dentro no LisbonWeek
Blog

Conheça a Comunidade Hindu por dentro no LisbonWeek

De 25 de Março a 2 de Abril, o LisbonWeek ocupa o Lumiar com o desejo de que os lisboetas lhe copiem os passos. Mais do que tentar dizer bem o nome do Templo Radha Krishna, é passar por lá e conhecer-lhe os cantos O Templo Radha Krishna é um mundo à parte em plena Lisboa. Entrar no lugar sagrado da Comunidade Hindu de Portugal é uma das propostas mais ousadas do LisbonWeek 2017, que na sua nova edição, a arrancar dia 25 de Março, sugere que rumemos todos ao Lumiar. E se já não é suficientemente exótico conhecer este lugar, com os seus costumes e filosofias, o LisbonWeek garante que não há tempos mortos. Há workshops de yoga, várias modalidades de dança indiana, actividades dedicadas ao chá, um jantar vegetariano – tudo quanto aproxime os alfacinhas desta cultura. Mas pronto, também não precisa de se sentir obrigado, são só ideias. Se a sua onda é mais cinema saiba que há um ciclo que decorrerá entre o Auditório da Biblioteca Municipal Orlando Ribeiro e os Estúdios da Tóbis (sede do ICA). E despache-se porque é das poucas propostas que requer reserva (reservas@lisbonweek.com). A programação passa por filmes portugueses como Balada de um Batráquio, de Leoner Teles, As Cartas da Guerra, de Ivo M. Ferreira, e Os Maias, de João Botelho, entre tantos outros. Depois há concertos, pianos em estações de metro a pedir para serem tocados, visitas culturais de toda a espécie, de igrejas à arte urbana, exposições, tudo. O Lumiar vai a todas.     

50 atracções em Lisboa
Coisas para fazer

50 atracções em Lisboa

Nota prévia: esta é uma lista que tem tudo para crescer em tamanho, não fosse Lisboa uma das melhores cidades do mundo e arredores. Não encare portanto estas paragens como um guia definitivo mas antes como um aperitivo para todas aquelas propostas que ficaram de fora (por agora) deste nosso menu. Opte por calçado confortável e venha daí.  

As marcas portuguesas que tem de conhecer n'A Mula
Compras

As marcas portuguesas que tem de conhecer n'A Mula

Ainda agora abriu e já nos está a mostrar marcas portuguesas de que nunca ouvimos falar. A Mula é a loja que complementa a nova Ó! Galeria, a dois passos do Martim Moniz, e foi buscar o que de melhor e mais criativo se anda a fazer no Norte. Fique de olho nas nossas escolhas.

Yoga para bebés em Lisboa. De pequenino se torce o corpinho
Miúdos

Yoga para bebés em Lisboa. De pequenino se torce o corpinho

Noites mais agradáveis, sucesso escolar, corpos tonificados e mães e pais satisfeitos com estes resultados. A partir dos zero meses de vida, nada como experimentar para fazer a prova dos nove. 

Quatro visitas guiadas no Lisboa por Dentro
Coisas para fazer

Quatro visitas guiadas no Lisboa por Dentro

Se é para aprofundar, que o façamos com estilo, que o façamos perante lugares que merecem essa vistoria. Sobretudo quando não depende da nossa vontade. As quatro visitas que o Lisboa por Dentro promove são uma rara oportunidade de ter a cidade por cima da sua cabeça. No fundo, conhecê-la a um outro nível, estreitar relações, vá. São elas o Aeroporto Humberto Delgado, a Galeria Técnica do Parque das Nações, o Reservatório da Patriarcal e as Galerias Romanas da Rua da Prata. Apesar de estarem disseminadas pela programação do Lisboa por Dentro, que decorre até 8 de Abril, as primeiras visitas arrancam dia 10 de Março com o Aeroporto de Lisboa. Despache-se e telefone, que tudo requer inscrição prévia. Da mesma forma que tudo é entrada livre.  

Mais coisas para fazer na cidade

Filmes e Séries

Novos Olhares na Cinemateca: 13 filmes, oito autores
Filmes

Novos Olhares na Cinemateca: 13 filmes, oito autores

Desta vez, programa cheio com mais de uma dúzia de filmes, divididos por sete autores. Sete maneiras de ver o país e, através dessa visão e das suas personagens, revelarem um pouco de si próprios. Enfim, mais uma jornada na Cinemateca de descoberta do cinema produzido em Portugal pela geração que está a criar a nova cinematografia. 

As 15 melhores séries de comédia de sempre
Filmes

As 15 melhores séries de comédia de sempre

Os rankings são relativos, mas depois de reunirmos um conselho de estado de consultores e loucos de séries televisivas, chegámos a estas 15. Portanto, se vai começar a disparar insultos e a pedir justificações para as suas séries de comédia preferidas não estarem aqui avisamos já que não vai ter sucesso. São estas. E pedimos desculpa a todas as outras. Mais um alerta à tripulação: elas não estão por nenhuma ordem. Ria-se connosco. 

Prémios Sophia: e os nomeados para Melhor Filme e Realizador são…
Filmes

Prémios Sophia: e os nomeados para Melhor Filme e Realizador são…

Os Prémios Sophia são uma festa e uma forma de celebrar filmes e chamar a atenção para um cinema que é diverso, imaginativo, poético, às vezes activista, outras cru e, para o melhor e para o pior, inquieto. Fique a conhecer os nomeados para os galardões de Melhor Filme e Melhor Realizador de 2016.

MONSTRA – 10 dias de animação aos molhos
Filmes

MONSTRA – 10 dias de animação aos molhos

Ele há mestres e experimentalistas, realizadores conhecidos ou quase desconhecidos e muita imaginação, incluindo sexual, espalhada em secções e retrospectivas. Nomeados para Óscar há dois e uma porção de estreias. É um programa cheio. Quem precisar de orientação pode seguir estas 21 pistas. Veja ainda o que não pode perder na MONSTRINHA deste ano. 

As várias versões de 'A Bela e o Monstro'
Filmes

As várias versões de 'A Bela e o Monstro'

Da versão clássica de Jean Cocteau nos anos 40 às adaptações mais recentes, eis as mais conhecidas encarnações cinematográficas do conto de fadas da Bela e do Monstro, sem esquecer as que foram feitas para televisão. Tudo, a propósito da estreia da nova Bela e o Monstro, com Emma Watson. 

Prémios Sophia: E os nomeados para Melhor Actor e Actriz Principal são...
Filmes

Prémios Sophia: E os nomeados para Melhor Actor e Actriz Principal são...

Os Prémios Sophia são uma festa e uma forma de celebrar filmes e chamar a atenção para um cinema que é diverso, imaginativo, poético, às vezes activista, outras cru, para o melhor e para o pior, inquieto. E bem interpretado. O que nos leva até aos nomeados para os galardões de Melhor Actor e Melhor Actriz principais.