Os melhores restaurantes em Lisboa
Os melhores restaurantes em Lisboa icon-chevron-right
Seis filmes a não perder no Queer Lisboa
Seis filmes a não perder no Queer Lisboa icon-chevron-right
As melhores sandes em Lisboa
As melhores sandes em Lisboa icon-chevron-right

Últimas notícias

“Contos Tradicionais e Contos de Fadas” de Paula Rego ficam expostos mais dois meses
Notícias “Contos Tradicionais e Contos de Fadas” de Paula Rego ficam expostos mais dois meses

Exposição foi vista por 15 mil pessoas desde a inauguração, em Maio. No sábado há festa para celebrar o aniversário da Casa das Histórias Paula Rego. Os...

Freeport expõe obra de arte com 171 metros de comprimento
Notícias Freeport expõe obra de arte com 171 metros de comprimento

Inaugurou esta quarta-feira no Freeport uma instalação inspirada na ligação de Lisboa ao mar e que cobre uma área de 750 m2. Falámos com o norte-americano...

Areeiro já tem dois abrigos para gatos silvestres
Notícias Areeiro já tem dois abrigos para gatos silvestres

É bom ser gato no Areeiro. Pelo menos, melhor do que em muitos outros cantos da cidade. A Junta de Freguesia do Areeiro preocupa-se com os bichanos que ainda...

Exposição amiga dos tubarões junta Oceanário e National Geographic
Notícias Exposição amiga dos tubarões junta Oceanário e National Geographic

São 50 fotografias de Brian Skerry, fotojornalista especializado na vida marinha. Mostram um lado menos conhecidos destes predadores dos mares. Depois de...

Sumaya: é uma mesa libanesa, com certeza
Notícias Sumaya: é uma mesa libanesa, com certeza

O novo restaurante do Príncipe Real é uma selecção do melhor que se come no Líbano: há mezze frios e quentes para partilhar mas também assados e grelhados,...

Cotovia reabre com 19 editoras “marginais” no primeiro andar
Notícias Cotovia reabre com 19 editoras “marginais” no primeiro andar

A livraria alargou horários e diversificou o catálogo, com livros cujas “tiragens minúsculas” os tornam difíceis de encontrar em superfícies maiores. O...

O Outono chegou mais cedo ao Rossio: já há castanhas
Notícias O Outono chegou mais cedo ao Rossio: já há castanhas

Uma veterana vendedora ambulante de Lisboa chegou hoje ao Rossio com sacos e sacos de castanhas para assar. E fomos tirá-las do cartuxo. Faltam quase dois...

B Fachada toca 'Viola Braguesa' no Jameson Urban Routes
Notícias B Fachada toca 'Viola Braguesa' no Jameson Urban Routes

B Fachada entrou nas nossas vidas (e ouvidos) há dez anos, com Viola Braguesa. E para assinalar a data vai tocar o EP de 2008 na íntegra a 26 de Outubro, no...

Lisboa em movimento: cineasta russo capta em vídeo a beleza da cidade
Notícias Lisboa em movimento: cineasta russo capta em vídeo a beleza da cidade

Diz que há imagens que valem por mil palavras. Se tivermos em conta que um frame de vídeo tem pelo menos 24 delas, os três minutos do vídeo que o russo...

Alerta poupadinhos: no fim do mês há feira de pechinchas na Baobá Livraria
Notícias Alerta poupadinhos: no fim do mês há feira de pechinchas na Baobá Livraria

De 25 a 29 de Setembro, a Baobá Livraria, em Campo de Ourique, tem livros infantis manuseados a preço de saldo. A partir de 3 euros, pode levar para casa...

icon-chevron-right
icon-chevron-right

Coisas para fazer em Lisboa

Time Out 2POR1: as ofertas desta semana
Coisas para fazer Time Out 2POR1: as ofertas desta semana

Todas as semanas, a Time Out Lisboa tem as melhores ofertas da cidade a preço de saldo. Venha descobri-las e, aconteça o que acontecer, não perca o 2por1 desta semana. + A Time Out desta semana

O Capitólio vai encher-se de música
Música O Capitólio vai encher-se de música

Se nos anos anteriores o evento se resumiu a apenas um dia, em 2018 há mais tempo para mais estrelas em ascensão. E ainda bem. Serão dois dias bem preenchidos, com três palcos de música, uma zona de streetfood com oito conceitos gastronómicos diferentes e uma zona lounge, com live painting, workshops, demonstrações de realidade virtual e uma pop up store, onde poderá comprar discos e livros dos Novos Talentos FNAC deste ano. Para além disto tudo, no primeiro dia do evento poderão assistir em primeira mão ao documentário Hip to da Hop, de Fábio Silva e António Freitas – basta concorrerem ao passatempo da FNAC. Se acha que não há orçamento para mais um festival, desengane-se: o mote é o livre acesso à cultura. Para não perder nada, fique em cima de toda a programação e de todos os artistas.   21 DE SETEMBRO (SEXTA) 16h30 Gravação de Governo Sombra 17h30 Documentário Hip to da Hop   PALCO PRINCIPAL: 21h00 Madrepaz 22h30 Da Chick 23h45 Benjamim/ Barnaby Keen 01h00 DJ Glue PALCO NOVOS TALENTOS: 20h30 Beni Mizrahi 22h00 Enes ZONA LOUNGE: 20h00 Slam Poetry   - - -   22 DE SETEMBRO (SÁBADO) PALCO PRINCIPAL 19h15 Filipe Sambado 21h00 Feromona 23h00 PAUS 00h30 DJ Carlos Manaça ROOFTOP NOVOS TALENTOS: 16h15 Haema 17h05 Sardinhas Com Bigodes 17H55 Mazarin 18h45 Mystic Fyah 20h15 Strolinflows 22h00 Phoenix RDC

Teatro em Setembro: 12 peças a não perder
Teatro Teatro em Setembro: 12 peças a não perder

Shakespeare não falta a chamada, assim como não faltam Beckett, Strindberg, Claudio Tolcachir, Duncan Macmillan, Nuno Cardoso e a misteriosa Odete, entre outros. Autores de categoria, uns mais, outros menos reconhecida, postos em cena por encenadores e intérpretes, na maior parte dos casos com provas dadas, noutros ansiosos por as prestarem perante o público. Este mês há peças de diferentes géneros, nascidas em diferentes épocas com diferentes intenções. Há umas que é só rir. Mas há também aquelas em que, rindo ou não, é preciso pensar e não apenas ficar ali sentado a fruir. Fruir é, aliás, a palavra-chave. Por isso tenham todo o prazer possível com esta dúzia de peças propostas. Recomendado: Coisas para fazer em Lisboa este mês

18 coisas para fazer com crianças este mês em Lisboa
Miúdos 18 coisas para fazer com crianças este mês em Lisboa

Acabou-se a papa doce. Sete dias por semana entre mergulhos na praia e na piscina? Já chega. É tempo de regresso às aulas e à rotina, de voltar a ir para a cama cedinho e de limitar o número de horas à frente da televisão. Mas se pensa que agora é a vez da agenda infantil na cidade tirar férias, desengane-se. A coisa está animadíssima, com workshops de cozinha, festivais, peças de teatro, ateliers e oficinas, passeios, espectáculos e exposições para preencher todos os fins-de-semana. Em Outubro, estamos de volta com mais dicas para toda a família.   Recomendado: Os melhores passeios com crianças em Lisboa

Oito paragens obrigatórias em Carcavelos
Coisas para fazer Oito paragens obrigatórias em Carcavelos

Em Setembro, com o início das aulas, três mil novos carcavelenses vão chegar ao campus da Nova School
of Business & Economics. Inspirado nas universidades norte-americanas, o novo campus até tem um túnel directo para a praia. É aproveitar enquanto ainda consegue arranjar um espacinho neste areal ou mesa ao almoço num dos restaurantes do paredão. Faça-se à estrada e descubra o melhor de uma das paragens obrigatórias na Marginal: Carcavelos.  Recomendado: As melhores praias da linha de Cascais

25 eventos que não pode perder no Lisboa na Rua
Coisas para fazer 25 eventos que não pode perder no Lisboa na Rua

Mais de duas dezenas de propostas, quase todas elas ao ar livre, quase todas de entrada livre. Um extenso cartaz que o convida a saltitar entre praças, jardins e diferentes bairros da cidade. É assim o Lisboa na Rua, uma iniciativa da EGEAC, que chega esta quinta-feira com mais uma edição farta em música, teatro, cinema, dança, magia e passeios. O conselho que lhe damos é que antecipe a habitual compra de uma nova agenda e comece a tirar notas e a organizar-se, porque a escolha é muita. Damos-lhe boas razões para sair de casa.  Recomendado: Coisas grátis para fazer em Lisboa esta semana

Cinco passeios em Lisboa para fazer esta semana
Coisas para fazer Cinco passeios em Lisboa para fazer esta semana

Bem no centro histórico da cidade ou nos belos arredores, que conduzem os alfacinhas até paragens lá para os lados de Loures, todas as semanas há uma série de passeios em Lisboa e arredores e os dias que se seguem trazem uma programação variada. Temos sugestões para ocupar o seu fim-de-semana. Mas, para não ficar a ver navios, já sabe que o melhor é agilizar o processo de reserva e inscrição nas diferentes actividades (muitas delas esgotam num ápice). Quanto ao kit de sobrevivência, calçado e roupa confortável fazem parte da recomendação da praxe. Combine o melhor dos cenários com a história e o exercício físico e desfrute dos melhores passeios e caminhadas. Recomendado: Os melhores passeios para fazer em Lisboa

Os edifícios mais bonitos de Lisboa e arredores
Coisas para fazer Os edifícios mais bonitos de Lisboa e arredores

Fomos de departamento em departamento da Time Out Lisboa perceber quais os edifícios que, pela sua beleza, conquistam mais adeptos. Houve quem tentasse incluir estádios, mas só vale se a paixão pela arquitectura em causa for verdadeira. E ainda criámos uma batalha de concelhos na firma. A paz foi mais forte e o resultado final está aqui: varremos Lisboa de uma ponta à outra (que é como quem diz do Parque das Nações a Belém) e ainda damos um saltinho a Cascais (dois, na verdade). O Mosteiro dos Jerónimos é uma escolha óbvia; a partir daí, começa o debate do gosto. Recomendado: As melhores obras de design e arquitectura em Lisboa

Setembro: um mês, tantos festivais
Coisas para fazer Setembro: um mês, tantos festivais

O regresso das férias pode ser um pouco menos doloroso graças aos festivais que animam Lisboa ao longo do mês de Setembro, isto tudo depois do marasmo que é habitualmente o mês de Agosto no que toca a estas lides festivaleiras. Lisboa Soa, Queer, Lumina, Chapéus na Rua: todos acontecem este mês. É uma verdadeira rentrée de festivais, com direito a tudo o que a cidade precisa para voltar a entrar no ritmo frenético: cinema, fado, teatro, cerveja, dança ou gastronomia. Não perca o fio à meada e siga as nossas sugestões. Recomendado: Coisas grátis para fazer em Lisboa esta semana

Os 11 melhores cabeleireiros em Lisboa para mudar o visual
Coisas para fazer Os 11 melhores cabeleireiros em Lisboa para mudar o visual

Preparada para se desembaraçar de vários centímetros de cabelo? É hoje que faz aquela madeixa azul ou aquele corte radical? Mesmo que tenha respondido "não" às nossas questões, recomendamos 11 dos melhores cabelereiros em Lisboa para que se possa entregar aos cuidados de quem percebe do assunto. Bem sabemos que uma má história num cabeleireiro pode estragar toda a semana, tal como quando aquele corte fica mesmo bem feito faz toda a diferença, até ganhamos forças para enfrentar os dias. Encontrar um bom cabeleireiro em Lisboa também pode ser uma aventura, ou temos referências ou temos medo de arriscar. Nada tema e descubra estes cabeleireiros em Lisboa. Recomendado: As marcas sustentáveis que tem de conhecer

Lisboa tem um lado burlesco
Noite Lisboa tem um lado burlesco

Pode não ser um roteiro extenso, mas tem estrelas suficientes para o entreter noites a fio. De copo na mão, sentado numa poltrona ou de pé do lado de fora da montra, assista aos melhores (e únicos) espectáculos de burlesco de Lisboa. Entre plumas, lantejoulas e tapa-mamilos, as artistas da Pensão Amor e do Clube Royale têm o material todo. O striptease faz parte do pacote. E não tem de se ficar pelo papel do espectador que grita ou manda uns piropos para cima do palco: pode aprender todos estes truques atrevidos em workshops. Recomendado: Os melhores bares gay de Lisboa

icon-chevron-right
icon-chevron-right

Comer & Beber

Os 21 melhores restaurantes japoneses em Lisboa
Restaurantes Os 21 melhores restaurantes japoneses em Lisboa

A cozinha japonesa apareceu em Lisboa nos anos 1980 mas só nos anos 2000 atingiu o seu boom. Nos últimos anos a oferta de restaurantes tem crescido em larga escala por toda a cidade, em parte por culpa dos buffets de sushi que democratizaram a relação dos portugueses com estas pecinhas de arroz e peixe e cru. Nem tudo o que abriu, porém, tem a qualidade de matéria-prima desejada ou mãos que a saibam tratar como merece. Comida japonesa não é, de todo, só sushi, mas há já umas boas mãos cheias de restaurantes que servem sushi de qualidade e confeccionado com talento, seja ele mais ou menos tradicional. E cada vez mais restaurantes japoneses onde o sushi assume o papel secundário. Prove o melhor da gastronomia daquele país num destes 21 restaurantes japoneses em Lisboa. Recomendado: Nestes restaurantes pan-asiáticos em Lisboa cabe a Ásia toda

Os 11 melhores restaurantes vegan em Lisboa
Restaurantes Os 11 melhores restaurantes vegan em Lisboa

Quanto mais restaurantes vegan aparecem em Lisboa, mais criativa fica esta dieta restritiva. Não há ovos, leite ou manteigas de origem animal – e naturalmente nem vale a pena falar em carne ou peixe – mas estes menus não são um interminável desfile de saladas. Estes são os melhores restaurantes vegan em Lisboa. Animais entram, mas só pela trela. Descubra o que comer nestes dez espaços, mesmo que continue a ser um carnívoro inveterado. Entrada, prato principal e sobremesa. O difícil vai ser resistir a tantos pratos bons e apetecíveis. Carne? Peixe? É que nem se vai lembrar disso. Recomendado: As marcas sustentáveis que tem de conhecer

Três sítios para comer salada de polvo
Restaurantes Três sítios para comer salada de polvo

É uma entrada típica portuguesa em cervejarias, marisqueiras, restaurantes tradicionais... e não só. É petisco caseiro sempre que sobram uns tentáculos de polvo dos mais nobres pratos ora de polvo à lagareiro, ora de arroz de polvo. A salada de polvo fria deve ter os tentáculos do molusco cortados todos mais ou menos do mesmo tamanho, azeite e vinagre que baste, e coentros misturados. Sendo tenrinha e fresca, esta salada, a par de outras frias como a de ovas, é perfeita para começar um final de tarde ou noite antes de uma mariscada daquelas. Atire-se a estas três. Recomendado: As melhores cervejarias em Lisboa

16 restaurantes para jantar e beber um copo sem sair de lá
Restaurantes 16 restaurantes para jantar e beber um copo sem sair de lá

Não precisa de percorrer as capelinhas todas. Nestes restaurantes – e nesta lista vai encontrar desde o fine dining aos sítios onde se serve comida do mundo ou a nossa boa comida portuguesa mais tradicionao ou reinventada – dá para jantar, beber um copo e deixar-se ficar para dançar. Ou fazer o inverso: ir numa de copo afterwork para descontrair e acabar a jantar. São o perfeito dois em um (ou até três em um). Marque mesa num destes sítios e comece e acabe a noite no mesmo sítio. Sempre em bom. Recomendado: 60 restaurantes e bares para jantar e começar a noite

A primeira Ceia de Pedro Pena Bastos
Restaurantes A primeira Ceia de Pedro Pena Bastos

28 anos acabados de fazer e um objectivo bem traçado: juntar pessoas à volta de uma só mesa. Pedro Pena Bastos abre dia 22 de Agosto o Ceia, um restaurante de 14 lugares que fica dentro do Santa Clara 1728, um palacete do século XVIII transformado em pequeno hotel de charme com desenho do arquitecto Aires Mateus. O seu interior é a simbiose perfeita entre as personalidades de Pena Bastos e de João Rodrigues, o mentor deste e de outros projectos da Silent Living, como os alojamentos Casas na Areia, Casa no Tempo ou Cabanas no Rio: simples e elegante. Recomendado: Os melhores restaurantes de cozinha de autor em Lisboa

A delicadeza do ramen japonês chegou ao Chiado
Notícias A delicadeza do ramen japonês chegou ao Chiado

A pequena comunidade japonesa de Lisboa encontrou um restaurante à sua medida no coração do Chiado: o Afuri. Nos poucos dias desde a abertura, a 13 de Agosto, tem sido presença habitual. Afuri é uma marca consolidada em Tóquio, onde tem 11 restaurantes, e que em 2016 começou a expandir-se via Portland. O Instagram do paraíso hipster da América encheu-se imediatamente do yuzu ramen que dá fama ao Afuri, e o mais provável é que as finas texturas deste prato de assinatura comecem a brotar nos telemóveis e a abrir-nos o apetite. O yuzu é um citrino nipónico que dá nome ao ramen e que se acrescenta ao chintan, onde se mergulham rebentos de bambu, ovo temperado, barriga de porco, alga nori e endívia (no caso do Yuzu Shoyu, 14€), ou substituindo a endívia pelo alho francês e o sésamo (Yuzu Ratan, 15€). O chintan é, por sua vez, um caldo de galinha muito leve. É o resultado de uma cozedura lenta, ao longo de oito horas, que serve para separar a gordura da carne numa enorme panela de 160 litros, deixando-a no topo da cozedura. Para o ramen é usado o caldo magro que fica na base, o que lhe confere a sua característica delicadeza. Os noodles (que se sorvem sonoramente; deixem-se de salamaleques e façam barulho) são o único produto que vem para a mesa que não é preparado na casa: é importado de Nova Iorque. Tudo o resto é feito ali, com vista desafogada para o Largo de São Carlos e o 28 a passar à porta, no espaço profundamente remodelado do antigo Rock In Chiado. A esperança da gerênc

Os melhores bares no Cais do Sodré
Noite Os melhores bares no Cais do Sodré

O difícil no Cais do Sodré é decidir em que modo lhe queremos fazer uma visita. Ainda por cima, com novidades sempre a aparecer, como é o caso do novo Palheta e do Bacchanal. Queremos ver-lhe o rosto pelo almoço, despido de universitários barulhentos? Queremos confrontá-lo já com a luz da lua, entre restaurantes mexicanos e italianos? Não. Atenção, não é que não gostemos dessa hipótese, mas a proposta que aqui lhe fazemos é outra: vá com tudo, vá mais tarde, mas vá procurar o copo para colar à sua mão. E perante essa situação, e a lista que encontra em baixo, basta escolher. Uns podem ser considerados cafés, outros discotecas. Mas afinal, na hora de beber um copo, isso não importa nada. Descubra os melhores bares no Cais do Sodré, dentro e fora das fronteiras da rua cor-de-rosa.  Recomendado: Os 50 melhores bares em Lisboa

Os melhores restaurantes chineses em Lisboa
Restaurantes Os melhores restaurantes chineses em Lisboa

Os Golden Visa não melhoraram só o panorama do imobiliário da cidade. A procura de comida chinesa autêntica e regional aumentou a olhos vistos e já não é tudo acompanhado com arroz chau chau, com rebentos de soja lá pelo meio e com a banana fá si de sobremesa. Desde o Martim Moniz até ao Estoril, consegue-se comer de tudo um pouco, mesmo que por vezes tenhamos de entrar em apartamentos alheios. Estes são os melhores restaurantes chineses em Lisboa para todas as carteiras (sim, que esta lista também contempla o fine dining chinês). Recomendado: Os melhores restaurantes japoneses em Lisboa

Os melhores sítios para comer carbonara em Lisboa
Restaurantes Os melhores sítios para comer carbonara em Lisboa

Um restaurante italiano sem uma boa carbonara é como a Fontana di Trevi sem água, a Capela Sistina sem turistas afogueados ou a Praça de São Pedro sem turistas ansiosos para ver o Papa. Mas desengane-se quem pensa que é fácil encontrar um bom exemplar da receita clássica italiana em Lisboa – se lhe apresentarem um prato de massa com natas, fuja logo a sete pés. Para lhe facilitar o trabalho e não ser uma maçada, reunimos os melhores sítios em Lisboa para comer uma carbonara autêntica e conseguir acabar a refeição a dier: Mamma mia! Che buono!  Recomendado: As melhores pizzarias em Lisboa

Os melhores sítios para beber um copo ao fim do dia em Lisboa
Coisas para fazer Os melhores sítios para beber um copo ao fim do dia em Lisboa

Os dias grandes, as filas pequenas, o trânsito mais manso e as principais vias desimpedidas de Agosto transmitem um sinal a todos os lisboetas: não faz qualquer sentido ir directo do trabalho para casa. Se não foi de férias nem anda a aproveitar uma das melhores praias de Portugal, damos-lhe 42 razões para adiar o jantar e aproveitar o Verão na cidade, ao ar livre e sempre com um copo cheio à frente. Nesta lista, vai encontrar dez novidades, seis cocktails, quatro restaurantes, 13 clássicos, quatro sítios fora do radar e cinco ideias para fugir da cidade. Quem não gosta desta matemática?  Recomendado: O melhor do Verão em Lisboa

Os melhores restaurantes peruanos em Lisboa
Restaurantes Os melhores restaurantes peruanos em Lisboa

A cozinha peruana é uma das que mais curiosidade desperta na cidade: o Qosqo foi pioneiro desta gastronomia ali para os lados da Sé e o chef Kiko com A Cevicheria criou o buzz máximo em torno dos pratos do Peru. Entretanto o grupo Portugália abriu o Segundo Muelle, o chef peruano Diego Muñoz juntou-se ao império Avillez e abriu uma Cantina dentro do Bairro e até aprendemos o que é a cozinha nikkei. Mas há mais palavras-chave para além do ceviche que deve conhecer quando entrar num restaurante peruano (e esqueça essa ideia de ser tudo comida crua): as causas, ou causitas, são pratos em que o ingrediente principal é a batata; os tiraditos são fatias de peixe, finas, ao estilo carpaccio, mas temperadas com diferentes molhos, ají é uma malagueta com muitas variedades; anticuchos são espetadas na brasa; chicharrón são pedaços de carne ou peixe panados e os tacu tacu pastéis feitos com arroz e feijão e vários recheios possíveis.  Pelo meio, brinda-se com pisco sours, cocktails que juntam aguardente de uva pisco com limão.  Siga o roteiro dos melhores restaurantes peruanos em Lisboa. Recomendado: Onde comer os melhores ceviches em Lisboa

Yasuke: um restaurante japonês com sushi sem confusão
Notícias Yasuke: um restaurante japonês com sushi sem confusão

“Rolos de sushi com muito molho não é fusão, é confusão”, diz José Jailton Santos, o sushiman à frente do Yasuke, um restaurante japonês em Alcântara que junta o melhor do sushi tradicional com outros pratos quentes típicos, como o sukiyaki ou o ramen. Neste restaurante com muitos lugares sentados e uma longa fila ao balcão, mesmo em frente ao mestre de sushi, não há cá rodízios nem buffets. José Jailton trabalha o carapau, cavala, atum, robalo, dourada ou pregado, o polvo e o choco, sem esquecer nunca o salmão (o preferido dos portugueses), em sashimi, taças de chirashi ou combinados a partir de 16 peças. Mas a ideia é, a partir das próximas semanas, seguir a linha mais tradicional japonesa e servir as peças de sushi tradicional num menu omakase: o número de peças é fixo (16), assim como o preço (19€) mas o que é servido é sempre uma surpresa, a cargo do chef. Este menu típico japonês é servido só ao balcão, em frente ao chef, e terá, por norma, peças fora do menu normal. E segue todas as regras certinhas, sem molhangas e respeitando o peixe ao máximo: “é só o bolinho de arroz, o wasabi entre o peixe e o arroz, e no limite pode colocar uma coisinha ou outra mas não há muito molho”, reforça. Fotografia: Manuel Manso   José Jailton já está em Portugal há 15 anos, abriu o restaurante Tsuki no Rato e passou pelo Coral Sushi e pelo The Oitavos, mas antes viveu e trabalhou directamente com japoneses no Brasil, onde aprendeu também os pratos quentes. O menu tem uma secção d

icon-chevron-right
icon-chevron-right

O melhor do Time Out Market

10 razões para voltar ao Time Out Market em Setembro
Coisas para fazer 10 razões para voltar ao Time Out Market em Setembro

No mês que marca a rentrée, há muitas coisas para fazer em Lisboa – de peças de teatro a programas com os mais novos, de ciclos de cinema ao ar livre a concertos para todos os gostos. O Time Out Market não tira férias e tem uma agenda animada para Setembro, onde não faltam workshps de cozinha para todas as idades, festas, aulas de dança e, claro, muito para experimentar nos restaurantes do food hall. Este mês, rume ao Cais do Sodré e explore o melhor do Mercado da Ribeira. Se ficar desorientado com a diversidade da oferta, guie-se por esta lista de 10 razões para voltar ao Time Out Market em Setembro.  Recomendado: Aproveite enquanto não chega o Outono para experimentar os cocktails de Verão do Time Out Bar   

Os workshops da Academia a não perder em Setembro
Coisas para fazer Os workshops da Academia a não perder em Setembro

É o mês do regresso a Lisboa e do regresso às aulas, razão para a agenda da Academia Time Out estar bem recheada em Setembro. Aqui não precisa de livros ou cadernos novos, basta ter vontade de pôr a mão na massa. A rentrée gastronómica da escola de cozinha do Time Out Market conta com cursos de sabores do mundo do Vietname, do Peru ou da Coreia, sem esquecer pratos tradicionais portugueses incontornáveis, como os pastéis de nata ou de bacalhau. Os miúdos não foram esquecidos e para eles também há aulas de volta dos tachos. O chef do Mercado convidado é Alexandre Silva e o livro no centro das atenções no workshop Cook a Book é Apetites, de Anthony Bourdain. Toca a vestir o avental. Recomendado: Concertos em Lisboa em Setembro

Quatro saladas para experimentar
Restaurantes Quatro saladas para experimentar

Há quem considere um crime obsceno pedir uma salada num lugar recheado de tentações gastronómicas. Mas no food hall do Mercado da Ribeira, entre dezenas de restaurantes, há comida para todos (incluindo quem sofre de intolerâncias alimentares ou alergias), pelo que não podiam faltar opções verdes – que obviamente não se resumem a pratos de alface. Se está a fazer uma dieta, ou se simplesmente tem desejos de algo mais fresco e leve, escolha uma destas quatro saladas do Time Out Market, de restaurantes tão surpreendentes como a Manteigaria Silva ou o Ground Burger. Recomendado: Time Out Market - o melhor dos próximos dias

Refresque-se com os melhores gelados
Restaurantes Refresque-se com os melhores gelados

Em dez mil metros quadrados de Mercado há muita coisa para fazer, comer e beber. Mas com a temperatura a aumentar lá fora, o que é que sabe mesmo bem? Um gelado, pois claro. Neste campeonato, entre os mais de 30 restaurantes no food hall do Time Out Market destaca-se obviamente o Santini, uma das melhores gelatarias da cidade (e também uma das mais antigas!). Mas há outros refrescos para experimentar, escondidos nas cartas dos chefs.  Esqueça a dieta e resfresque-se com os três melhores gelados do Time Out Market.  Recomendado: Cocktails de Verão no Time Out Market

Cocktails de Verão
Bares Cocktails de Verão

Diz a tradição que no Inverno os cocktails devem aquecer e no Verão arrefecer, mas já nada é que como era (nem sequer o tempo), por isso em qualquer estação do ano o que interessa é estar a par das tendências. Para este Verão, o Time Out Bar, no food hall do Time Out Market, apresenta a sua colecção de cocktails: vai encontrar copos picantes, tradicionais, frescos ou até com vegetais. Celebre a estação quente e faça tchim tchim no Time Out Market, no Cais do Sodré.  Recomendado: Os workshops de cozinha da Academia Time Out a não perder em Agosto  

Comida para todos
Restaurantes Comida para todos

Dez mil metros quadrados. Dezenas de restaurantes. Chefs famosos e premiados. O Time Out Market pode ser um verdadeiro tormento para os mais indecisos. Mas podemos aumentar ainda mais o grau de dificuldade na hora de escolher o que comer no Mercado da Ribeira, no Cais do Sodré: alergias, intolerâncias e regimes alimentares especiais, vegan ou vegetarianos. E agora? Andámos de restaurante em restaurante, falámos com chefs, picámos daqui e dali – tudo para encontrar os melhores pratos para todos (até para os mais gulosos que não passam sem uma boa sobremesa). Recomendado: Time Out Market - o melhor dos próximos dias  

Tudo sobre os três novos restaurantes
Restaurantes Tudo sobre os três novos restaurantes

O quarto aniversário do Time Out Market não trouxe só festa: veio acompanhado de algumas novidades de peso, que tornam o Mercado da Ribeira ainda mais apetecível. O Ground Burger, com os melhores hambúrgueres da cidade, é uma das novidades. A carne certificada Black Angus e as batatas com alho e alecrim da loja original da Avenida António Augusto Aguiar, com vista para os jardins da Gulbenkian, vieram animar o Cais do Sodré – incluindo ao domingo, quando o restaurante está fechado. A pizzaria ZeroZero, com casa no Príncipe Real e no Parque das Nações, instalou-se também no food hall do Time Out Market, com os best-sellers da casa: as pizzas Diavola, Salsiccia e provola affumicata e Prosciutto crudo di Parma 18 mesi e funghi.    Para acabar em grande, conte com o puro chocolate artesanal, com 70% a 100% de cacau, de Bettina Corallo.  Recomendado: O melhor do Time Out Market nos próximos dias  

icon-chevron-right
icon-chevron-right

Bilheteira Time Out

Jimmy Carr - The Best Of Ultimate Gold Greatest Hits
icon-location-pin Avenida da Liberdade
Jimmy Carr - The Best Of Ultimate Gold Greatest Hits

Ao contrário da maior parte das bandas de rock dos anos 70, não são muitos os humoristas com suficiente material para uma digressão de greatest hits. Mas Jimmy Carr tem um catálogo tão vasto e recheado de piadas arriscadas e bem afiadas que se pode dar ao luxo de escolher as melhores para as datas de "The Best Of, Gold, Ultimate, Greatest Hits Tour".  É uma presença regular na televisão britânica e um dos comediantes (de stand-up e não só) mais atarefados do país: sempre em digressão, sempre a escrever e ainda assim com tempo para apresentar uma série de programas na televisão, como 8 Out of 10 Cats ou The Big Fat Quiz of the Year. Além disso, o seu riso de cano entupido reconhece-se a um quilómetro de distância.

Rodrigo Leão
icon-location-pin Santa Maria Maior
Rodrigo Leão

O compositor português Rodrigo Leão continua a celebrar os seus 25 de carreira a solo. Ao Casino Estoril leva uma versão revista e actualizada do espectáculo de Os Portugueses, que junta algumas das suas mais populares canções em português e temas instrumentais.

Mallu Magalhães
icon-location-pin Santa Maria Maior
Mallu Magalhães

Um pote de doce caseiro para barrar nas torradas. A música de Mallu Magalhães sempre foi isto, doses de açúcar amoroso dissolvido em ânsias privadas, em ginásticas interinas. E bom, diga-se que em Vem, disco do ano passado (e)levado agora ao Coliseu, não perde a ternura narrativa. Isso nem um milímetro, está lá tudo, como sempre esteve. O que está e não estava é um confronto com a realidade, um entendimento menos sonhador do que é a vida. Estão lá os tropeções, as festas a que não foi, as fraldas que mudou a horas de televendas. Se o imaginário de Mallu perdeu fantasia (e isso não tem que ser mau, nem bom, é apenas isso), o leque sonoro é maior do que nunca: é samba cheio de confiança, é jazz de chinelos flip-flop, é rock coqueiro, é fado com sotaque. Mallu, como todos, cresceu. O seu toque de midas foi o facto de perceber que a vida não são só contos de fadas e chicletes e ainda assim continuar a achar-lhe piada. Isso sim, é heróico.

OUT.FEST 2018
icon-location-pin Grande Lisboa
OUT.FEST 2018

O OUT.FEST – Festival Internacional de Música Exploratória do Barreiro é um dos mais valorosos festivais portugueses. Com um cartaz abrangente e de vistas largas, onde rock marginal, jazz libertário e electrónica experimental se cruzam e complementam.

icon-chevron-right
icon-chevron-right

O melhor de Lisboa, bairro a bairro

Parque das Nações
Coisas para fazer Parque das Nações

Esqueça o sentimento de culpa caso decida refastelar-se numa das mesas que se seguem. É que depois do repasto não faltam quilómetros e mais quilómetros de áreas verdes para fazer a digestão a preceito. Para os mais atléticos, aconselhamos a saltar cedinho da cama ou a aproveitar o melhor da vista ao cair do dia. Em plena zona oriental da cidade, o Parque das Nações é um convite descarado à boa vida, com opções gastronómicas, culturais, desportivas e de lazer. Aproveite o melhor de um bairro que é para toda a família.   Recomendado: As melhores coisas para fazer à beira rio

Alvalade
Coisas para fazer Alvalade

Alvalade é um bairro a ter em conta sempre que falamos do melhor da cidade. 

Santos e Madragoa
Santos e Madragoa

Um jardim pronto, cafés da moda, gelados a chamar pelo Verão, restaurantes imperdíveis e muito mais. Venha daí por Santos e Madragoa.

Chiado
Chiado

Corremos o bairro de uma ponta à outra e reunimos o melhor do Chiado nesta lista. Lojas, restaurantes, hotéis. Estas são as melhores coisas para fazer no Chiado.

Avenida de Roma
Avenida de Roma

Dez sítios que fazem da Avenida de Roma um dos melhores bairros para viver em Lisboa.

Baixa
Baixa

Finte as armadilhas para turistas e descubra pérolas históricas e um fresquíssimo hype traçado a régua e esquadro que quer devolver a Baixa aos lisboetas.

Lx Factory
Lx Factory

Peças de decoração, oficinas criativas, jogos com temática burlesca, vista para o Tejo, noites encantadas e muito mais. Explore esta cidade dentro da cidade com as nossas sugestões de coisas para fazer na Lx Factory.

Príncipe Real
Príncipe Real

Por muito que se conheça e palmilhe o bairro, há sempre qualquer coisa para descobrir.

Alcântara
Alcântara

Se passa por lá sempre que ruma ao ocidente da cidade, desta vez pare e descubra o melhor de Alcântara.

Graça
Graça

Dos restaurantes aos bares, este bairro tem um encanto especial. Descubra o melhor da Graça

icon-chevron-right
icon-chevron-right

Não perca, já nas bancas

A Time Out desta semana
Coisas para fazer A Time Out desta semana

O ano começa agora. Não o civil, mas o lectivo, aquele que realmente conta para as nossas contas. É em Setembro que tudo muda – o ano, o plano, a vontade. Talvez porque os mergulhos, as sestas, as viagens por aí, todo esse tempo distendido no gerúndio das férias se preste melhor a conspirar futuro do que a azáfama do presente em Dezembro. É em Setembro que se regressa e recomeça. E é a pensar nisso que todos os anos por esta altura a Time Out lança a sua edição mais académica, com uma selecção de cursos, disciplinas e oficinas para a época seguinte. Este ano não foi diferente, mas este ano é que vai ser. Melhore na cozinha, tente origami, arrisque sushi, mergulhe na meditação, no fundo do mar, nos cocktails, estude fotografia, serigrafia, cinema, faça yoga, faça música, faça tricot, dance no salão, surfe na prancha, aprenda xadrez, experimente golfe, dedique-se à pesca, à jardinagem, à olaria, à cerâmica, à retrosaria, meta-se no macramé e na lingerie, aprenda a adormecer os miúdos e a ganhar tempo para si. Esta edição dá-lhe estas e outras ideias para aprender coisas novas, ousar outras experiências, descobrir mais caminhos – e, de caminho, quem sabe até mudar de vida. Feliz ano novo. Mais razões para não ficar em casa? Aproveite o nosso 2por1. Esta semana vale uma refeição no Sangiovese, um pode de brownie da Miss Browmie, um gelado da Grom, uma bebida no The Couch e um corte de cabelo no 244 Avenida.

Praias de Portugal: Guia Verão 2018
Coisas para fazer Praias de Portugal: Guia Verão 2018

De alto a baixo, são 850 quilómetros de areal. Não o corremos todo de uma vez. Fomos correndo. Bem vistas as coisas, levou anos, mais de uma década. As revistas que lhe dizem tudo sobre a sua cidade sempre fizeram questão de lhe dizer também como fugir dela. E todos os anos lhe foram oferecendo centenas de páginas avulsas sobre as grandes zonas de praia do país. Minho, Douro Litoral, Aveiro, Oeste, Sintra, Cascais, Caparica, Arrábida, Costa Alentejana, Algarve: mal o tempo fica de feição, mergulhamos a fundo em todos estes lugares com alguma edição especial da Time Out Lisboa ou da Time Out Porto. Desta vez, a equipa reuniu todos esses quilómetros de areia, sol e sal num livrinho pensado para o guiar à beira-mar, de norte a sul de Portugal. Nele apontamos o caminho e damos apontamentos sobre as 170 melhores praias que fomos correndo. São dez anos de Verão no porta-luvas do seu carro. À venda numa banca perto de si em qualquer parte do país por 4,90€.

Estrada Nacional 2: Guia 2018/2019
Coisas para fazer Estrada Nacional 2: Guia 2018/2019

Quando pensamos em férias, pensamos em praia. Quando pensamos em road trips, pensamos numa viagem longa pela costa Alentejana. Ou, os mais ambiciosos, numa ida aos EUA para fazer a route 66. Em Portugal, quando pegamos no carro é para ir de A a B - não é para percorrer o alfabeto todo. Podemos dizer, armados em chatos, que não há cultura de fruição rodoviária em Portugal. Podemos. Mas não podemos dizer que nos faltam oportunidades para percorrer grandes extenções de alcatrão. Sobretudo quando temos entre nós uma das maiores e mais antigas estradas do mundo: a Estrada Nacional 2. São 738 quilómetros que fatiam o país ao meio, mas que ainda não existem enquanto roteiro turístico - é só alcatrão, uns marcos quilométricos à beira da estrada, umas faixas a promover este itinerário e nada mais. Este guia da Time Out quer convidar toda a gente a fazer-se à estrada, a conhecer a EN2 e a explorar Portugal. É, também, uma forma de promover o interior do país e fazer com que a expressão "interior do país" deixe de significar apenas desertificação, esquecimento e pobreza. Há muitos "portugais" dentro de Portugal e estão todos unidos por uma linha de setecentros e tal quilómetros que vai de Chaves a Faro. Da próxima vez que pensar em férias, pense na EN2.  À venda em todo o país.PVP:3,90€.

O Melhor dos Açores: Guia 2018-2019
Coisas para fazer O Melhor dos Açores: Guia 2018-2019

Os Açores são certificados pela natureza. Esta ideia feliz serve de mote à promoção de um destino que durante muito tempo escapou à mira do turismo de grande porte. Ainda há dois anos, quando lançámos a primeira edição deste guia, era um pouco assim. Os turistas viam-se menos, os guias nem vê-los. Tudo isso foi mudando rapidamente e hoje as ilhas recebem já muito mais gente do que exportam. Mas os açorianos insistem em manter um licenciamento que levou milhares de anos a garantir e os Açores continuam certificados pela natureza. Na expedição deste ano, certificámo-nos disso. Impressiona o cuidado com que aqui se abraça um turismo que se agiganta, a forma extremosa como toda a gente cuida ainda e sempre de cada pedaço desta terra como se fosse o seu quintal. Num tempo em que o turismo precisa de repensar caminhos, talvez valha a pena fazer um desvio de 1500 km em busca de ideias. Nós trazemos de lá mais umas quantas que guardamos para si nesta terceira edição da Time Out mais ocidental da Europa. Garantimos-lhe que nada do que pode encontrar nestas 80 páginas é menos do que inesquecível. Mas o melhor é mesmo ir lá certificar-se disso. À venda em todo o país.PVP: 3,90€.

icon-chevron-right
icon-chevron-right

Cinema e televisão

Filmes em cartaz esta semana
Cinemas Filmes em cartaz esta semana

Tanto cinema, tão pouco tempo. Há filmes em cartaz para todos os gostos e feitios. Das estreias da semana aos filmes que, semana após semana, continuam a fazer carreira nas principais salas. Saiba que filmes estão em que cinemas, e quando é que os pode ver. E, se não souber o que escolher, leia as nossas críticas.

MOTELx 2018: um festival que mete medo
Filmes MOTELx 2018: um festival que mete medo

Promete quem produz que esta 12ª edição do MOTELx – Festival Internacional de Cinema de Terror, entre 4 e 9 de Setembro, no Cinema São Jorge, será "provocadora e fervilhante". A verdade é que o programa, embora ainda incompleto, anuncia um conjunto de filmes, produzidos no último par de anos, que são o reflexo da produção contemporânea, alguns até já com o lastro da passagem por um ou outro festival amparados por críticas elogiosas. E ainda há espaço para lembrar o segundo centenário da criação de Frankenstein por Mary Shelley. Passámos o cartaz a pente fino e encontrámos uns quantos filmes a não perder. Recomendado: Frankenstein aos 200 anos

O Ku Klux Klan no cinema
Filmes O Ku Klux Klan no cinema

De O Nascimento de uma Nação, de David Wark Griffith, em 1915, a Django Libertado, de Quentin Tarantino, de 2012, o Ku Klux Klan tem aparecido em vários filmes, alguns deles surpreendentes. É o caso de The Black Klansman, um policial de acção de série B rodado em 1966, durante o movimento dos Direitos Civis e quando esta organização racista ainda tinha força nos EUA, sobretudo no Sul, ou de Brotherhood of Death, de 1976, onde três soldados negros que combateram na guerra do Vietname pegam em armas, na vila natal a que regressaram, para enfrentarem o Klan. Na estreia do novo filme de Spike Lee BlacKkKlansman: O Infiltrado, recordamos oito filmes sobre o Ku Klux Klan. Recomendado: Filmes em cartaz esta semana

Cinema alternativo em Lisboa esta semana
Filmes Cinema alternativo em Lisboa esta semana

Se é daqueles que não deixa passar uma estreia, pode espreitar aqui os filmes em cartaz esta semana, mas se é um verdadeiro cinéfilo (ou um aspirante a), deve ter em mente que algumas pérolas do cinema escapam às grandes salas. São clássicos para ver e rever – ou apenas filmes fora da rota comercial – e por isso fora dos grandes centros comerciais.  Todas as semanas damos-lhe três sugestões de cinema alternativo em Lisboa, habitualmente fora das grandes salas. Não perca a oportunidade de ver (ou rever) alguns filmes obrigatórios, grandes clássicos ou filmes fora da rota comercial. Recomendado: Filmes em cartaz esta semana

Papillon: Memórias do cárcere
Filmes Papillon: Memórias do cárcere

No dia 30 de abril de 1969 foi publicado em frança um livro que se tornaria no mais vendido do ano e num best-seller à escala mundial. Papillon vinha assinado por Henri Charrière, contando a história real deste arrombador de cofres que em 1931 tinha sido preso e injustamente acusado do assassínio de um proxeneta. Condenado a 10 anos de trabalhos forçados, Charrière (a alcunha de Papillon devia-se a uma borboleta que tinha tatuada no peito) foi enviado para uma colónia penal na Guiana Francesa, onde as condições eram duríssimas, e tornou-se no amigo e protector de Louis Dega, um célebre e rico falsário condenado à mesma sentença. Papillon tentou sempre evadir-se e chegou a ser transferido para a Ilha do Diabo como castigo. Em 1945, conseguiu finalmente fugir com sucesso, chegando à Venezuela, onde se instalou, casou, abriu restaurantes e se tornou numa celebridade local. Em 1970, na sequência do sucesso do livro, o governo francês amnistiou Charrière, que em 1973, ano da sua morte, publicou Banco, a continuação de Papillon. Entretanto, e após um longo trabalho de investigação, o jornalista e escritor francês Gerard de Villiers lançou Papillon Épinglé, onde postulava que apenas uma pequena parte de Papillon correspondia à verdade. O resto  seria uma mistura de ficção, de histórias colhidas de outros condenados com quem Charrière havia convivido e plágios de uma obra de  um outro ex-presidiário, La Guillotine  Sèche, de René Belbenoît, publicada em 1938 e caída no esqueciment

Dez filmes de super-heróis (mais ou menos) esquecidos
Filmes Dez filmes de super-heróis (mais ou menos) esquecidos

Não é por serem menos conhecidos, menos vistos e menos populares e comerciais que Super-Homem, Batman, Homem Aranha, Homem de Ferro, Super Mulher, os X-Men ou Flash que super-heróis mais modestos, mais discretos (e mesmo desastrados ou falhados) como Blankman, Steel, os que compõem o grupo dos Homens Misteriosos ou a Supergirl, a bonita e corajosa prima de Super-Homem, não merecem que recordemos que também existem, e que foram e muitos casos injustamente subvalorizados pelos críticos e pelos espectadores. Por isso, fomos buscar uma dezena de filmes onde eles mostram o que valem.   Recomendado: Sete séries de televisão clássicas com super-heróis

Os melhores filmes de comédia para ver na Netflix
Filmes Os melhores filmes de comédia para ver na Netflix

O humor, já se sabe, varia muito de pessoa para pessoa. Mas, independentemente disso e com ou mais ou menos gargalhadas, comédias como A República dos Cucos, de John Landis, Monty Python e o Cálice Sagrado, de Terry Gilliam e Terry Jones, ou A Vida de Brian, de Terry Jones, podem e devem ser vistas (e revistas) por toda a gente. E, apesar de a oferta de bons filmes de comédia na Netflix em Portugal ainda ser muito limitada, estes e mais uns quantos filmaços estão disponíveis actualmente no popular serviço de streaming. Recomendado: As melhores comédias românticas de sempre

Uma breve história dos tubarões no cinema
Notícias Uma breve história dos tubarões no cinema

Antes de Tubarão, de Steven Spielberg, se ter estreado, em 1975, os tubarões no cinema eram apenas figurantes em filmes de aventuras, de acção, de guerra ou nos de 007, onde habitavam as piscinas e os lagos decorativos dos vilões e comiam quem eles lá atiravam para dentro. O blockbuster de Spielberg, baseado num livro de Peter Benchley, não revolucionou apenas o modelo económico das estreias da indústria cinematográfica americana para o Verão.  A fita, que explora de modo magistral o nosso medo primordial da ameaça que se esconde na vastidão dos mares, trazendo-a para perto das praias,  mudou também radicalmente a representação dos tubarões no cinema (e depois na televisão), que a partir daí, na imaginação popular, se transformaram em monstros marinhos de serviço, esfomeados sobreviventes dos tempos pré-históricos. E passaram a manifestar-se das mais variadas formas, algumas realistas, mas a maior parte das vezes fantasistas. Quando não mesmo delirantes, como o testemunha a franquia Sharknado.  E agora temos Meg: Tubarão Gigante, de Jon Turteltaub, que põe Jason Statham e uma equipa de biólogos marinhos a combater um Megalodonte, um tubarão gigante extinto há milhões de anos, mas que Hollywood, e o dinheiro dos seus investidores chineses, ressuscitaram nesta superprodução. No entanto, esta não é a primeira vez que um Megalodonte aterroriza os mares. Antes da fita de Turteltaub houve pelo menos duas séries B de terror, daquelas que vão directamente para vídeo, em

Dez filmes com monstros marinhos
Filmes Dez filmes com monstros marinhos

O megalodonte do filme de Jon Turteltaub, que chega aos cinemas portugueses na quinta-feira, tem como antecessores toda uma colecção de monstruosidades dos oceanos. Tanto podem ser tubarões invulgarmente grandes como polvos e criaturas pré-históricas que sofreram mutações, orcas vingativas ou ainda criaturas desconhecidas dos homens, e que se manifestam sempre de forma nada pacífica e fartam-se de matar, mastigar e até incinerar gente. Estão todos representados nesta selecção de fitas de ficção científica e de terror, em títulos como Behemoth, o Monstro Marinho, O Tubarão, Orca – A Fúria dos Mares, Terror nas Profundidades ou A Plataforma. Recomendado: Cinquenta dos melhores filmes clássicos de sempre

Os melhores filmes para toda a família
Miúdos Os melhores filmes para toda a família

Estes filmes não são para crianças. São filmes para toda a família. Seja pequena ou numerosa, toda a família tem de ver (ou rever) estes 18 títulos obrigatórios para filhos, pais e até avós. Há filmes para todos os gostos e muitas décadas: do "fabuloso" technicolor de O Feiticeiro de Oz à recortada animação de Coco, passando por clássicos como Música No Coração ou Sozinho Em Casa. Não vai arrepender-se se optar por filmes mais antigos. Mesmo se isso significar aventurar-se por ficção-científica que já perdeu actualidade, mas não perdeu o pé no que importa: uma boa história. Recomendado: Os filmes de animação mais esperados até ao fim do ano

icon-chevron-right
icon-chevron-right

Arte e Cultura

Oito espectáculos a não perder na Festa do Teatro de Setúbal
Teatro Oito espectáculos a não perder na Festa do Teatro de Setúbal

São 31 para comemorar 20. A Festa do Teatro de Setúbal, que chega este ano às vinte edições, tem
 31 espectáculos em cartaz. Isto e mais concertos, exposições, conversas. “O festival tem essa função 
de proporcionar, a um preço reduzido, uma oferta diversificada de espectáculos de qualidade nacionais e internacionais a que de outra forma dificilmente se teria acesso”, explica José Maria Dias, director artístico, que garante que as gentes de Setúbal merecem a resiliência de quem, longe da realidade lisboeta, faz isto há vinte anos. Venham mais vinte. Recomendado: Fim-de-semana perfeito em família

O que esperar da próxima temporada no São Luiz
Notícias O que esperar da próxima temporada no São Luiz

2018-2019 é do São Luiz. Ou seja, é de todos nós. No próximo ano o São Luiz celebra 125 anos. Falámos com a directora artística, Aida Tavares, sobre o que tem de estar atento na temporada que aí vem.   É Agosto e as bilheteiras estão encerradas, os teatros repousam. Bom, o São Luiz nem tanto, pelo menos a avaliar pelos andaimes espalhados pelo edifício. Isso e a disponibilidade da directora artística, Aida Tavares, para antecipar uma temporada que se avizinha especial. É que a 22 de Maio de 2019 o São Luiz celebra 125 anos e há, naturalmente, muita programação específica. É também o último ano deste mandato de Aida, que acaba em Fevereiro. Puxe do lápis e sublinhe o que lhe interessa. 125 anos de São Luiz São anos e anos de arte. 125, mais precisamente. E no São Luiz essas velas estarão acesas durante todo o ano de 2019, isto é, atravessam as duas próximas temporadas do teatro municipal. A programação terá vários moldes e abordagens. Uma delas, garantia de Aida Tavares, é a maior aposta em espectáculos portugueses: “Temos bastantes encomendas que têm que ver com essa relação com os 125 anos.” O Teatro Praga vai fazer um espectáculo musical a apresentar de 10 a 19 de Maio, onde vai recuperar a memória do teatro, não só do São Luiz , mas  do teatro em geral.  Outro episódio que será um dos destaques da temporada é Ocupação, espectáculo do Teatro do Vestido, de Joana Craveiro: “A Joana Craveiro vai fazer um espectáculo onde vai ocupar todas as salas do edifício e que vai ref

Exposições em Lisboa para visitar este fim-de-semana
Arte Exposições em Lisboa para visitar este fim-de-semana

Acha que não se passa nada em Lisboa este fim-de-semana? Temos mais de duas mãos cheias de exposições para provar que está bem enganado. Queremos ajudar a tornar os próximos dias mais culturais, sozinho ou com a família toda atrelada (sim, há exposições kids friendly). Com tantos museus e galerias na cidade, não há como não ter o que ver. Não queremos que se perca e por isso dizemos-lhe quais as exposições a que deve prestar atenção em Lisboa, ainda por cima o calor está aí, não há desculpas para não sair de casa.  Recomendado: Exposições que tem de ver até ao fim do ano em Lisboa

Descubra onde moram casas-museu na Grande Lisboa
Museus Descubra onde moram casas-museu na Grande Lisboa

Tenham ou não o termo "casa" no nome, estes museus têm em comum o facto de exibirem o acervo de antigos e ilustres inquilinos ou proprietários. Sejam de pintores, poetas, cantores, advogados, aristrocratas ou pintores, há muito para conhecer e aprender nestas verdadeiras casas abertas ao público. Pelo meio vai poder travar conhecimento com pérolas como a cómoda que fazia parte do quarto de Fernando Pessoa, a quase intocada casa de Amália Rodrigues ou a morada de um decorador que privou não só com a fadista como com Coco Chanel, Maria Callas, Truman Capote e Henry Kissinger. Recomendado: Conheça estes museus grátis em Lisboa e arredores

icon-chevron-right
icon-chevron-right

Música

Concertos em Lisboa em Setembro
Música Concertos em Lisboa em Setembro

Setembro é um mês muito peculiar. Por um lado, queimam-se os últimos cartuchos do Verão. Por outro, é a altura da rentrée, do regresso à rotina que é também o regresso dos concertos em Lisboa. Para além de festivais como o Lisb-On, a Festa do Avante! e o Santa Casa Alfama, há uns quantos concertos que valem mesmo a pena, como os de Feist, Beach House, Mercury Rev ou Low. Mas nada que chegue aos calcanhares das duas datas, esgotadíssimas, dos U2 na Altice Arena. A mais institucional banda rock do mundo vem apresentar o álbum do ano passado, Songs of Experience. Recomendado: As dez melhores salas de concertos de Lisboa

Concertos gratuitos de Jazz & Clássica em Setembro
Música Concertos gratuitos de Jazz & Clássica em Setembro

Após o merecido repouso estival – ou após digressões por outras paragens –, muitas orquestras começam a aquecer os motores para a temporada de 2018/19 e algumas das primeiras aparições fazem-se em concertos gratuitos associados ao Festival Cantabile, ao Lisboa na Rua e ao Festival de Sintra. Enquanto as folhas outonais não começam a cobrir a calçada, esta lista de sugestões permite-lhe ouvir música ao vivo, sem gastar um cêntimo, um pouco por toda a cidade – de Belém às Avenidas Novas, passando pelo Bairro Alto e pela Avenida da Liberdade. Recomendado: 12 pianistas de jazz portugueses que precisa de ouvir

Animal Collective: "Os corais são quase alienígenas"
Música Animal Collective: "Os corais são quase alienígenas"

As canções dos Animal Collective e as filmagens subaquáticas dos Coral Morphologic confluem em Tangerine Reef, um álbum audiovisual com preocupações ambientalistas. Falámos com Brian Weitz, ou Geologist, sobre o novo disco, a ausência temporária de Panda Bear, a política (anti)ambiental do actual governo americano. E recifes de coral. O Tangerine Reef é o vosso primeiro álbum longo sem o Panda Bear. Porque é que ele ficou de fora? Originalmente, isto ia ser só um concerto, depois é que evoluiu para um disco. E não fazia sentido ele estar a vir para os Estados Unidos só por um concerto. Quando os Animal Collective estão parados, entre as digressões e as sessões de estúdio, o Noah passa o máximo tempo possível em casa com a família, em Lisboa, e também é quando trabalha nos discos a solo de Panda Bear. Acho que quando começámos a compor estas canções ele estava a fazer o disco dele, A Day With The Homies. A formação dos Animal Collective está sempre a mudar. A base são vocês os quatro, mas nem todos tocam em todos os discos. Quais são as vantagens de trabalhar assim? Remove a pressão. É raríssimo que quatro amigos estejam em sintonia, e de acordo em relação ao que querem fazer, ao longo de 20 anos. E a flexibilidade dos alinhamentos evita que haja ressentimentos quando alguém não quer fazer isto ou aquilo. Tenho a certeza de que muitas bandas se separam porque alguém precisa de uma pausa ou quer fazer outra coisa durante uns tempos. No caso dos Animal Collec

10 motivos para se apaixonar por Mahler
Música 10 motivos para se apaixonar por Mahler

Gustav Mahler (1860-1911) deixou uma obra relativamente breve, pois faleceu com apenas 50 anos e boa parte do seu tempo estava tomado pelos afazeres como maestro e director da Ópera da Corte (Hofoper) de Viena, pelo que só nas férias de Verão podia consagrar-se à composição. O espectro de géneros a que se dedicou foi também invulgarmente limitado: sinfonias e canções, para voz e piano e ou voz e orquestra. Não deve ver-se nesta escolha um sinal de conservadorismo ou estreiteza de espírito – a perspectiva de Mahler sobre o que deveria ser uma sinfonia era muito abrangente, como ficou bem explícito na famosa resposta que deu ao compositor finlandês Jean Sibelius que cultivava um conceito de sinfonia regido por regras austeras e uma lógica interna muito coerente: “Não! A sinfonia deve ser como o mundo, deve abarcar tudo”. E. com efeito, nas sinfonias e canções de Mahler está o mundo inteiro. A Sinfonia n.º 4 em Lisboa Fundação Gulbenkian, sexta-feira 7 de Setembro, 20.00, 30-90€

Iguanas: canções de aqui e de agora
Música Iguanas: canções de aqui e de agora

“É mesmo importante falar do B. Referir o B Fachada”, atira Lourenço Crespo. Estamos na Tasca dos Canários, no Bairro Alto, a falar sobre o concerto desta sexta na Fábrica Musa, já com o gravador desligado, mas para Lourenço – Nacho, para os amigos – o mais importante é sublinhar a importância e influência de B Fachada sobre uma geração de músicos. A geração de Lourenço e Leonardo Bindilatti, ou Leio, o seu cúmplice em Iguanas. “Porque ele falava connosco sobre canções, a importância das canções.” E eles prestaram atenção a essas conversas, como se percebe por Lua Cheia, o segundo álbum dos Iguanas, lançado em Maio e distinguido com cinco estrelas nas páginas da Time Out. Um disco de canções de aqui e de agora.   O Lua Cheia chegou cinco anos depois do anterior Doce. Por que é que estiveram tanto tempo parados? Leonardo Bindilatti: Não estivemos parados. Demorou mais tempo porque temos outros projectos. Mas foi só por causa disso. Lourenço Crespo: Sim. Sabes que ele gravou montes de coisas e é o baterista de Putas Bêbadas. Eu também gravei o meu disco com ele. E toquei com o Éme. Fomos fazendo outras coisas. LB: E fomos compondo ao longo desse tempo. LC: De vez em quando. Até que chegou uma altura  em que a gente se concentrou uns meses e esteve mesmo a acabar o disco, a compor tudo. Estavam a falar de outros projectos e de tocarem com outras pessoas. Como é que isso influencia o que vocês acabam por fazer enquanto Iguanas? LB: Acho que não influencia (risos). LC: De

Dez compositores que tiveram mortes invulgares
Música Dez compositores que tiveram mortes invulgares

O que é habitual é que os compositores levem vidas pacatas sentados ao piano a compor e que morram de velhice ou, no período Romântico, de tuberculose. Mas houve gente que teve mortes muito pouco ortodoxas. Desde acidentes de bicicleta (caso de Ernest Chausson) a punhaladas (Jean-Marie Leclair e não só), queda de móveis (Charles-Valentin Alkan), sentinelas demasiado zelosas (Anton Webern) ou até pequenas feridas de aspecto inócuo que acabam por gerar infecções mortais (por exemplo, Aleksandr Scriabin ou Jean-Baptiste Lully) – foi assim que uns quantos grandes compositores viram a sua carreira abruptamente interrompida. Recomendado: Os melhores concertos de jazz e clássica em Lisboa esta semana 

12 pianistas de jazz portugueses que precisa de ouvir
Música 12 pianistas de jazz portugueses que precisa de ouvir

Madeleine Albright, secretária de Estado da administração Clinton, ficou célebre por ter denominado os EUA como a “nação indispensável”. Durante várias décadas, também o piano foi visto no meio jazzístico como “o instrumento indispensável”: a mão esquerda do pianista pode fazer de “secção rítmica”, a direita ocupar-se da melodia, e não é preciso mais nada; já os outros instrumentos do jazz tiveram de esperar até à década de 1960 para que se tornasse aceitável que pudessem apresentar-se a solo. Por outro lado, foi preciso esperar quase tanto tempo – até ao início dos anos 50 – para que o saxofonista Gerry Mulligan ousasse apresentar-se regularmente com formações que dispensavam o piano. Nos nossos dias, o piano já não é “indispensável”, mas continua a estar na primeira linha e é mais frequente que seja o pianista o compositor e o líder de um combo de jazz do que outro instrumentista. Recomendado: Os oito melhores sítios para ouvir jazz em Lisboa

Festival Fnac Live dá música ao Capitólio
Notícias Festival Fnac Live dá música ao Capitólio

O festival Fnac Live regressa a Lisboa entre 21 e 22 de Setembro. O Capitólio foi o lugar escolhido para esta edição, mais uma vez com entrada livre. A cantora portuguesa Da Chick é o maior nome avançado para o primeiro dia. Além dela, actuam Benjamim e Barnaby Keen, Madrepaz, Enes, Beni Mizrahi e DJ Glue. Será também exibido o filme Hip to da Hop, de António Freitas e Fábio Silva. Os PAUS, que este ano editaram o álbum Madeira, são os cabeças de cartaz do segundo dia. Estão ainda confirmados os Feromona, Filipe Sambado, Sardinhas Com Bigodes, Mazarin, Mystic Fyah, Haema e DJ Carlos Manaça. + Concertos em Lisboa em Setembro

icon-chevron-right
icon-chevron-right

As melhores escapadinhas

Cinco sítios para comer na ilha da Madeira
Viagens Cinco sítios para comer na ilha da Madeira

A Madeira, além de ser um jardim à beira-mar plantado, é uma das regiões portuguesas mais ricas no que toca à variedade de coisas que se podem pôr no prato. A lista é longa: milho frito, peixe-espada (ou só espada como chamam os madeirenses), espetadas (em espeto de metal ou pau de louro), lapas, bolo do caco barrado em manteiga e alho, e um sem-fim de frutas a juntar aos ícones da ilha, a banana e o maracujá (não estranhe se encontrar pêra-meloa, banana-pêra ou maracujá-tomate à venda no Mercado dos Lavradores, no centro do Funchal). Siga as nossas sugestões e saiba onde reservar mesa para logo.  Recomendado: Lisboa exótica, nove lugares que parecem o estrangeiro

Guia de Praias de Portugal
Coisas para fazer Guia de Praias de Portugal

Estas são as melhores praias de Portugal. De alto a baixo, são 850 quilómetros de areal. Não o corremos todo de uma vez. Fomos correndo. Mas reunimos todos esses quilómetros de areia, sol e sal num guia pensado para o orientar à beira-mar. Pelo meio, descubra ainda os restaurantes e bares de praia para se pôr à sombra a petiscar e a beber um copo. Encontre-nos também nas bancas e guarde-nos no porta-luvas. Recomendado: Guia de Viagens

O melhor da Costa Alentejana
Viagens O melhor da Costa Alentejana

Fomos descendo, com vagar. Andando, parando, descobrindo, ouvindo quem sabe e assentando tudo. Sempre assim, no gerúndio, num presente distendido sem pressa nem prazo de validade, como tudo deve ser vivido na Costa Alentejana. De Melides à Azenha do Mar, com paragens em Vila Nova de Santo André, Sines, Porto Covo, Vila Nova de Milfontes, Almograve e Zambujeira do Mar, resiste ainda um paraíso manso feito de pequenos segredos para partilhar. E até para nós, que nos gabamos de conhecer cada palmo desta linha de mar, foi uma surpresa encontrar tanta coisa boa a dar à costa. Eis o melhor da Costa Alentejana. E com um bónus: os melhores hotéis onde ficar.   Recomendado: Guia de praias de Portugal

O melhor do Algarve
Viagens O melhor do Algarve

Restaurantes (novos, clássicos, premiados ou de hotel), esplanadas, bares, discotecas, lojas, hotéis e – claro – praias, muitos e muitos quilómetros de areia para estender a toalha e mergulhar, sem olhar para o relógio, como convém em tempo de férias. O nosso posto avançado de observação no Algarve juntou um conjunto de coisas que não pode perder a sul este Verão. De Barlavento a Sotavento, há muitas novidades para explorar na estação quente, além dos clássicos onde vale sempre a pena voltar para comer bem, dançar ou dormir entre idas à praia. Recomendado: Ficou por Lisboa? Descubra já o melhor do Verão na cidade. 

As melhores praias na Zambujeira do Mar
Viagens As melhores praias na Zambujeira do Mar

São (só) 212 quilómetros que separam Lisboa de um paraíso de águas cristalinas, areias soltas e formações rochosas imponentes. A Zambujeira do Mar tem uma costa rasgada e vincada, perfeita para quem gosta de explorar segredos. Acabaram-se as desculpas: faça a mala, vista o fato de banho, calce as sandálias e faça-se à estrada. Aqui não faltam areais selvagens e secretos onde pode estender a toalha. E para aproveitar o melhor que a zona tem para oferecer, nada como se deixar ficar por ali durante uns bons dias. Nestes hotéis, o difícil vai ser querer vir embora. Recomendado: Os melhores restaurantes na Zambujeira do Mar

Hotel dos Templários: (palavras) cruzadas à beira da piscina
Viagens Hotel dos Templários: (palavras) cruzadas à beira da piscina

Não se trata do templo de Salomão, erguido em Jerusalém pelo rei que lhe deu o nome (e mais tarde destruído pelo polissílabo mais divertido que tivemos de decorar nas aulas de História, Nabucodonosor II), mas os antigos cavaleiros da Ordem de Cristo certamente que o iriam defender. O Hotel dos Templários, mesmo no centro de Tomar, tem quatro estrelas e uma valiosa cruz, a da ordem militar que foi criada para proteger os peregrinos cristãos na sua caminhada até Jerusalém – e que, actualmente em Portugal, é uma ordem honorífica presidida por Marcelo Rebelo de Sousa.

Descubra nove coisas para fazer em Tróia este Verão
Viagens Descubra nove coisas para fazer em Tróia este Verão

Tróia tem praias de sonho (espreite as melhores na língua de 30 km que a localidade à Comporta), mas não só. Há muitas outras razões para passar por lá este Verão. Se está a planear as férias grandes, um fim-de-semana ou mesmo uma escapadinha boomerang (faz-se bem, quer de carro, quer de ferry), descubra tudo o que há para fazer, de actividades originais para toda a família nas ruínas romanas a compras e street food na zona da marina. Estenda a toalha, mergulhe e, nos intervalos, explore o melhor de Tróia.  Recomendado: Restaurantes na Comporta e em Tróia

O melhor da Costa Alentejana
Viagens O melhor da Costa Alentejana

Fomos descendo, com vagar. Andando, parando, descobrindo, ouvindo quem sabe e assentando tudo. Sempre assim, no gerúndio, num presente distendido sem pressa nem prazo de validade, como tudo deve ser vivido na Costa Alentejana. De Melides à Azenha do Mar, com paragens em Vila Nova de Santo André, Sines, Porto Covo, Vila Nova de Milfontes, Almograve e Zambujeira do Mar, resiste ainda um paraíso manso feito de pequenos segredos para partilhar. E até para nós, que nos gabamos de conhecer cada palmo desta linha de mar, foi uma surpresa encontrar tanta coisa boa a dar à costa. Eis o melhor da Costa Alentejana. E com um bónus: os melhores hotéis onde ficar.   Recomendado: Guia de praias de Portugal

O melhor do Algarve
Viagens O melhor do Algarve

Restaurantes (novos, clássicos, premiados ou de hotel), esplanadas, bares, discotecas, lojas, hotéis e – claro – praias, muitos e muitos quilómetros de areia para estender a toalha e mergulhar, sem olhar para o relógio, como convém em tempo de férias. O nosso posto avançado de observação no Algarve juntou um conjunto de coisas que não pode perder a sul este Verão. De Barlavento a Sotavento, há muitas novidades para explorar na estação quente, além dos clássicos onde vale sempre a pena voltar para comer bem, dançar ou dormir entre idas à praia. Recomendado: Ficou por Lisboa? Descubra já o melhor do Verão na cidade. 

Nove coisas para fazer no Algarve até ao final de Agosto
Viagens Nove coisas para fazer no Algarve até ao final de Agosto

Embora seja difícil de imaginar, nem sempre a palavra composta Verão-no-Algarve é sinónimo de praia e horas passadas de papo para o ar num imenso colchão de areia. Quer esteja à procura de emoções fortes, de soluções para relaxar, de aumentar os seus conhecimentos sobre arte e dança ou apenas a desesperar por um ar condicionado com uma temperatura estival dos Países Baixos, criámos uma agenda a pensar em todos os que vão passar as duas próximas semanas na região mais a sul do país. Eis nove coisas para fazer no Algarve antes que o mês de Agosto acabe. Recomendado: Agosto em Lisboa: 21 coisas para fazer antes que o mês acabe

Cinco razões para visitar Lanzarote
Viagens Cinco razões para visitar Lanzarote

Vale a viagem: três exposições a não perder fora de Lisboa
Arte Vale a viagem: três exposições a não perder fora de Lisboa

O Palácio Cadaval, em Évora, recebe até 25 de Agosto uma grande exposição dedicada à arte africana. "Évora África" reune 30 artistas vindos de, entre outros, Moçambique, Senegal, África do Sul, Costa do Marfim, Mali, República Democrática do Congo ou Angola. "African Passions" mostra alguns dos melhores artistas africanos contemporâneos como Chéri Samba e JP Mika, da República Democrática do Congo, o fotógrafo Omar Victor Diop, do Senegal, a veterana Esther Mahlangu, princesa de uma tribo da África do Sul. Além disso, presta ainda homenagem ao icónico fotógrafo maliano Malick Sidibé., que morreu em 2016.  Mais a norte, as ruas de Matosinhos enchem-se de fotografias icónicas da National Geographic, enquanto, ainda mais acima, a Bienal de Cerveira celebra 40 anos, mantendo-se como o certame mais antigo da Península Ibérica. 

icon-chevron-right
icon-chevron-right

Registe-me

Receba o melhor do sua cidade directamente no seu email.
Loading animation
Obrigada e bem-vindo à Time Out! Pode alterar as suas preferências a qualquer momento ou cancelar a sua subscrição, clicando no link de preferências que se encontra no topo dos nossos emails.
Ups - algo correu mal. Por favor tente novamente

Os melhores hotéis em Lisboa

Os 18 melhores hotéis com spa em Lisboa
Hotéis Os 18 melhores hotéis com spa em Lisboa

Férias nem sempre são sinónimo de apanhar um avião e estender a toalha num areal qualquer por este mundo fora ou calcorrear uma grande capital europeia de manhã à noite, com medo de voltar para casa sem se ter visitado todos os highlights do momento. Por vezes convém aproveitar aqueles dias fora do escritório para simplesmente relaxar. Encoste-se para trás, coloque o pepino nos olhos, vista um confortável roupão e aprecie a música zen nos melhores hotéis com spa em Lisboa. Não se vai arrepender: afinal, são várias as razões para trocar o vale dos lençóis por estes hotéis. Recomendado: Os melhores hotéis românticos em Lisboa

Os 20 melhores hotéis boutique em Lisboa
Hotéis Os 20 melhores hotéis boutique em Lisboa

Lembra-se de quando a sua avó dizia que ia à boutique? Na altura, em tempos que a fast-fashion não dominava o mundo, uma ida a uma loja de roupa era um evento com direito a um francesismo. Algumas décadas depois, o requinte do termo alargou-se à hotelaria, passando a nomear pequenos hotéis de luxo, quase sempre discretos e com uma arquitectura de autor ou de matriz histórica. Os hotéis boutique distinguem-se também pelo ambiente acolhedor e pela descontracção que leva os hóspedes a sentirem-se em casa (mesmo estando a dividir um T15 com pessoas que não conhecem). Espreite a nossa lista com os 20 melhores boutique-hotéis de Lisboa.  Recomendado: Os 14 melhores hotéis com piscina em Lisboa

Os novos hotéis em Lisboa
Hotéis Os novos hotéis em Lisboa

Cama, mesa e roupa lavada pode ser um objectivo de vida tão válido como sonhar com uma casa no campo ou um emprego das 9 às 5 – o saudosismo por estes dias vai além das lojas de produtos tradicionais portugueses, o elogio do vintage ou a dieta da avó: há quem queira recuperar a tradição de outros tempos, em que o horário era para cumprir e os emails não chegavam fora de horas. Utopias laborais à parte, dormir num hotel pode cumprir o objectivo inicial de não ter de fazer a cama, nem de preparar uma refeição ou engomar a roupa. E Lisboa está cheia deles, alguns ainda a cheirar a novo.  Recomendado: Os 14 melhores hotéis com piscina em Lisboa

Os 13 melhores hotéis com piscina em Lisboa
Hotéis Os 13 melhores hotéis com piscina em Lisboa

Meter água é das expressões mais cobiçadas durante as semanas e meses que se seguem. No fundo, sempre que o sol aparece e o tempo aquece. A cidade está cheia de fabulosos tanques, para se banhar em grande estilo e espreguiçar à vontade. Há muito para aproveitar nos hotéis de Lisboa sem precisar para isso de fazer check-in. Um mergulho nas piscinas, é só uma delas. Estes são os melhores hotéis com piscina em Lisboa. Seja para um, dois ou três mergulhos. Tudo o que quiser. Nem se vai lembrar que a praia existe. Recomendado: Os melhores hotéis em Lisboa

Hotéis bons e baratos em Lisboa
Hotéis Hotéis bons e baratos em Lisboa

Hotéis em Lisboa há muitos e difícil é arranjar uma boa pechincha. Andámos à caça de hotéis baratos em Lisboa e descobrimos oito bons, com preços entre os 50 e os 70 euros por noite. Se o preço não for um problema, espreite os melhores hotéis de luxo em Lisboa. E se vier em clima de romance, vale a pena espreitar os melhores hotéis românticos em Lisboa.

Os melhores hotéis para beber um copo e lavar a vista
Hotéis Os melhores hotéis para beber um copo e lavar a vista

É um desperdício se sofrer de vertigens, porque vale a pena escalar alguns andares para aproveitar o cenário em frente. 

Os melhores hotéis em Lisboa
Hotéis Os melhores hotéis em Lisboa

Passa por cá a correr ou vem para ficar? Quer namorar ou fazer amigos? Traz a família toda a reboque ou chega só e abandonado? Saiu-lhe o Euromilhões ou já está a contar tostões? Seja qual for o seu perfil de turista e o seu ideal de férias, juntámos os melhores hotéis em Lisboa para todos – nenhum com menos de 9 na pontuação atribuída pelos hóspedes no Booking. Escolha o seu preferido e faça bom proveito.

Eurostars Museum: o hotel das descobertas
Hotéis Eurostars Museum: o hotel das descobertas

O acesso aos quartos é com cartão, mas a localização é a chave. O passado da cidade ribeirinha ecoa na estrutura do novo Eurostars Museum, um hotel de cinco estrelas plantado junto à margem do rio de onde Vasco da Gama e seus companheiros partiram à conquista do mundo. + Já pode visitar os achados arqueológicos deste hotel que também é um museu

Os melhores hotéis com spa em Lisboa
Hotéis Os melhores hotéis com spa em Lisboa

Seja para um apontamento particular ou para passar um fim-de-semana completo, estes hotéis têm a receita ideal para esquecer a loucura da cidade. Encoste-se para trás, coloque o pepino nos olhos e aprecie a música zen nos melhores hotéis com spa em Lisboa. Não se vai arrepender. Afinal são várias as razões para trocar o vale dos lençóis por estes hotéis.

Os melhores hotéis românticos em Lisboa
Hotéis Os melhores hotéis românticos em Lisboa

Que Lisboa é a cidade mais romântica já nós sabíamos, mas que tinha tantos hotéis para levar as escapadinhas românticas a um novo nível foi uma surpresa. Seja com pequenos-almoços na cama ou vistas de cortar a respiração, os melhores hotéis românticos em Lisboa não desiludem.

icon-chevron-right
icon-chevron-right