Os melhores novos restaurantes em Lisboa

Abrem à velocidade a que nascem cogumelos. Damos-lhe um guia dos melhores novos restaurantes em Lisboa

Arlindo CamachoZenith Brunch&Cocktails

Já ouvimos o comentário irónico "o que Lisboa estava a precisar era de mais um hotel"; mas nunca ouvimos o mesmo em relação a restaurantes. Venham eles e com a maior diversidade possível: queremos toda a comida do mundo, chefs a abrir fine dining ou conceitos mais democráticos, restaurantes vegan e vegetarianos ou a boa comida portuguesa. A restauração floresce a grande velocidade em Lisboa. Fizemos-lhe um guia com os melhores novos restaurantes em Lisboa abertos nos últimos dois meses. Não se sinta desactualizado.

Os melhores novos restaurantes em Lisboa

Soão

Ao lado do Cinema City de Alvalade, uma enorme cabeça dourada sopra os ventos quentes e secos vindos do Oriente – o soão –, há candeeiros em papel de arroz com caracteres chineses e um mapa-mundo de seda. Esta taberna asiática conta com dois pisos com ambientes distintos, muita atenção ao pormenor, pratos de seis países da Ásia, cocktails de autor e cerimónias do chá.

Ler mais
Alvalade

Cantina Zé Avillez

O 14.º restaurante de José Avillez em Lisboa tem duas salas e uma esplanada com vista para o jardim recém-remodelado no Campo das Cebolas. A cozinha é “portuguesa familiar”, num registo de “cantina contemporânea”, um estilo que até agora o chef apenas apresentava, com algumas semelhanças, no Café Lisboa e na Taberna, dentro do Bairro do Avillez. 

Ler mais
Grande Lisboa
Publicidade

Amélia Lisboa

A namorada do Nicolau Lisboa chama-se Amélia e é uma dama da alta sociedade que decidiu ter o seu próprio negócio, na mesma linha do do namorado, na Baixa, conhecido pelo brunch todos os dias e pelas panquecas. O café da Amélia é em Campo de Ourique. A comida anda ali entre o saudável e o instagramável, mas aqui com “mais capricho” e muito mais opções na carta.

Ler mais
Campo de Ourique

Unique Sushi Lab

A cozinha japonesa em Lisboa já evoluiu dos combinados básicos apenas com salmão, atum e peixe branco, por isso o sushiman brasileiro Johnny Keep não receou quando pôs niguiris de amêijoa japonesa, de enguia braseada com ovo de codorniz ou de ouriço mar na carta do Unique Sushi Lab, um restaurante japonês a três passos da Avenida da Liberdade. A carta tem entradas como o ceviche de peixe branco com azeite trufado, que acompanha com chips crocantes de batata doce ; tem uma selecção de pratos quentes, desde a massa no wok a três opções de ramen, uma das quais com bife kobe dentro do caldo fumegante e combinados especiais do chef.

Ler mais
Avenida da Liberdade/Príncipe Real
Publicidade

Zenith Brunch&Cocktails

Fernando Sá e Thiago Silva abriram o Zenith no Porto em Maio de 2017 com mesas carregadas de comida em pratos instagramáveis e com cocktails a acompanhar - sem menus e com a ideia de mostrar que "brunch é mesmo uma refeição, como o almoço e o jantar, e não é um pacote" A norte foi um sucesso tal que o trouxeram para Lisboa, para o pé da Avenida da Liberdade. 

Ler mais
Avenida da Liberdade/Príncipe Real

Cucurico

Esta churrasqueira resolve o problema daqueles que só gostam de pernas, só de asas ou só de peitos de frango. Os frangos são assados numas imponentes grelhas de carvão no centro da sala e são servidos inteiros, em metades ou em doses da parte preferida da ave. Se o sal com que os bichos são assados sabe a pouco, peça molho barbecue, picante ou sweet chilli. 

Ler mais
Alcântara
Publicidade

Dogs

Algumas portas ao lado da sua loja Brigadeirando, Carol Henke abriu um altar aos cachorros quentes: o Dogs. As salsichas vêm do norte de Portugal e a decoração, onde não faltam neóns, da vizinha Retroshop. A ementa é um verdadeiro canil, com cachorros de todas as raças: do rafeiro ao pastor alemão, com direito até a um cão de loiça (a versão vegetariana do cachorro).

Ler mais
Alcântara

KIN Martim Moniz

O restaurante asiático do TOPO Martim Moniz tem um imponente dragão chinês no meio da sala, três áreas diferentes, néons e muito vermelho e azul a dar temperatura ao espaço. A carta, em papel e com ilustrações a combinar com os quadros pendurados na parede, tem baos de wasabi ou de porco (4€), três opções de pad thai, com tofu (12€), frango (13€) ou camarão (14€), um nasi goreng (arroz frito indonésio misturado com vegetais e ovo) de tofu (10€) ou frango (12€) ou um prato para quem não é tão fã de comida asiática, um naco da vazia grelhado com molho tigre, feito com soja, sésamo, coentros, gengibre e alho, e arroz tailandês perfumado (13€). Há também um bom pho, com fatias de bife de lombo (11€) e a sopa do tom yum (14€). No bar há seis cocktails com álcool (8€) e três sem (4€), servidos em canecas com motivos asiáticos e com um biscoito da sorte chinês.

Ler mais
Martim Moniz
Publicidade

Cervejaria Sem Vergonha

É uma cervejaria-marisqueira que não quer ter formalismos e tanto dá para uma imperial e um pires de tremoços ou prato de ostras como para uma refeição completa. O menu é muito completo, dos petiscos ao marisco (que vem dos viveiros do Guincho), pratos de peixe fresco e de carne. Melhor, tem uma esplanada grande e um miradouro (ainda) calmo, com vista para o Tejo.

Ler mais
Lisboa

Café Janis

O Café Janis ocupou o espaço da antiga salsicharia vienesense Hansi e quer ser um "all day café" – um espaço híbrido que é tanto café de pequenos-almoços como restaurante e bar, com uma forte vertente vegetariana. Têm um prato de cenouras glaceadas com avelãs e amêndoas torradas e ervas, umas alcachofras grelhadas e servidas com maionese de trufa  ou um tártaro verde, com abacate, alcaparras, chalotas e mostarda dijon. Há ainda as típicas tábuas de queijo e enchidos para acompanhar com copos de vinho ou a famosa club sandwich, com pão ligeiramente torrado e recheada com frango assado, queijo emental, pancetta crocante, ovo, maionese e batatas fritas caseiras a acompanhar.

Ler mais
Cais do Sodré
Publicidade

The Darjeeling Express

Mirza tem pais indianos, cresceu em Lisboa a aprender esta cultura e a comer pratos indianos com inspiração moçambicana, já que a mãe nasceu nesse país. Abriu o Darjeeling Express no Alto dos Moinhos com uma carta concisa, pensado para take away e com a comida que Mirza se habituou a comer em casa. Há, por exemplo, caril de lentilhas amarelas servido com ovo estrelado, o seu brunch domingueiro ou da ressaca quanto está em casa com a família. Há ainda caril de lentilhas verdes com limão, o de camarão, com a suavidade do leite de coco, característica moçambicana, ou o caril à Darjeeling, com carne de vitela cozida durante duas horas em água e uma hora em molho de tomate, gengibre e especiarias, feito de véspera para que os sabores evoluam.

Ler mais
Sete Rios/Praça de Espanha

Café Belga

Serve especialidades belgas caseiras a toda a hora mas não é um restaurante nem um bar. É um Café Belga. O belga Miguel Avelar abriu um lugar para os pratos típicos e cervejas deste país na Mouraria. As batatas fritas são o ex-líbris da casa, comem-se com tudo e são feitas segundo as regras belgas. “Não são fritas em óleo mas antes com banha de vaca. São feitas em dois banhos e com duas temperaturas diferentes”, explica. São elas que acompanham o filet american, um bife tártaro de vaca, a carbonade flamande, uma carne estufada com cerveja ou o boulet liégeois, uma almôndega enorme feita num molho à base de pêra e maçã, meio agridoce.

Reservar agora Ler mais
Santa Maria Maior
Publicidade

Sora Lella

O Il Matriciano al Mare fechou para dar espaço a esta pizzaria. Não se fixe nas más notícias porque agora a carta daquele italiano dedicado ao peixe está no Il Matriciano, ali bem perto. Na Sora Lella, que pediu o nome emprestado a uma actriz italiana, comem-se pizzas ao estilo romano, com massa ligeiramente mais alta e crocante. As combinações de ingredientes ganharam nomes de italianos famosos e podem juntar-se até quatro numa só pizza de meio metro (de 22€ a 24€). Juntam-se uns antipasti como os arrosticini, espetadas de ovelha típicas de Abruzzo (10€), e está feita a refeição para uns três ou quatro.

Ler mais
Chiado/Cais do Sodré

Restaurantes por zona em Lisboa

Os cinco melhores restaurantes no Bairro Alto

Corremos o Bairro Alto e cruzámo-nos com mais de 100 restaurantes pelo caminho, mas apenas cinco marcam presença no Guia de Restaurantes Time Out 2018. De cozinha de autor ao novo restaurante israelita, estes são os cinco melhores restaurantes no Bairro Alto. Recomendado: Os melhores restaurantes na Lapa e na Madragoa

Ler mais
Por Mariana Correia de Barros

Os melhores restaurantes em Belém

A fome arranja-se facilmente com uma corrida pelo passeio que acompanha a margem do rio, ou mesmo com umas pedaladas de bicicleta. Uma paragem talvez para a observação de turistas junto dos Jerónimos e dos Pastéis de Belém ou até para uma voltinha no Museu Berardo. Deixe as selfies com vista para a ponte 25 de Abril para depois e comece a pensar em talheres. Esta lista dos melhores restaurantes de Belém começa numa estrela Michelin e muita atenção ao produto e acaba numa tasca com a estrela benfiquista nas paredes e muito foco na dobrada. Recomendado: 10 museus a não perder em Belém e arredores

Ler mais
Por Catarina Moura
Publicidade

Os melhores restaurantes na Baixa

Mal-amada pelos lisboetas e idolatrada pelos turistas, a Baixa continua a ter vários restaurantes que merecem a sua atenção – quer ande à procura de boa comida portuguesa, de um japonês diferente dos congéneres ou daqueles clássicos que mantêm a qualidade há anos. Estas são as nossas escolhas dos melhores restaurantes na Baixa.   

Ler mais
Por Mariana Correia de Barros

Comentários

0 comments