Global icon-chevron-right Portugal icon-chevron-right Lisboa icon-chevron-right Os melhores novos restaurantes em Lisboa
Burger Champ
Gabriell Vieira Double Grill, com dois hambúrgueres de 100 gramas, queijo cheddar, presunto pata negra desidratado, cebola crispy e molho de churrasco

Os melhores novos restaurantes em Lisboa

Depois de um período de interregno, culpa de quem nós sabemos, volta a haver novos restaurantes em Lisboa. Fazemos-lhe um guia das novidades.

Por Inês Garcia
Publicidade

Depois de uma pausa no crescimento, culpa de quem nós sabemos e não deve ser aqui nomeado, a restauração volta a florescer na capital. E é mesmo caso para dizer: venham eles. Queremos toda a comida do mundo, chefs a abrir restaurantes de fine dining ou conceitos mais democráticos com caldinhos, snacks, japoneses a ensinarem-nos que esta gastronomia não é só peixe cru e sushi ou boa comida portuguesa. Ou até comida que nos trata da alma e traz bom astral. Queremos ficar sentados no restaurante a conversar e apreciar as vistas ou pegar e levar para casa. Fizemos-lhe um guia com os melhores novos restaurantes em Lisboa abertos nos últimos meses. Não se sinta desactualizado e marque já mesa – é só escolher a gastronomia que mais lhe apetece hoje.

Recomendado: Os melhores restaurantes em Lisboa

Os melhores novos restaurantes em Lisboa

CoCasa
CoCasa
Gabriell Vieira

1. CoCasa

Restaurantes Chiado/Cais do Sodré

A CoCasa fica na Bica e todos os dias tem uma programação diferente. De dia é um cowork com café de especialidade da Buna e com um menu de saudável e simples, à noite tem pop-ups de novas marcas de comida: há Beauty’s Burgers, hambúrgueres grandes e gulosos, Bonitas Burritos, burritos “ao estilo californiano”, kebabs vegan feitos com raiz de aipo marinada e servido em pão pita caseiro, ostras portuguesas ou pizzas napolitanas. Aqui existe também um co-work (que pode alugar ao dia, semana ao mês, escolhendo o tipo de secretária) e uma loja de plantas, a Janvier Plants.

Salta
Salta
DR

2. Salta

Restaurantes Avenida da Liberdade/Príncipe Real

O Salta, um projecto de quatro amigos de infância, quer ser uma “experiência gastronómica sensorial”. No primeiro piso há lugares ao balcão e umas quantas mesas, com direito a espreitar os cozinheiros em acção, no piso debaixo há uma sala mais discreta e espelhada e um pequeno pátio. A ementa é um mix das experiências dos quatro, mas com uma forte influência da América Central e Ásia. Tem happy hours com cocktails, pratos e petiscos a preços especiais durante toda a semana.

Publicidade
Sophia Natural Italian
Sophia Natural Italian
Gabriell Vieira

3. Sophia Natural Italian

Restaurantes Italiano Cais do Sodré

Do papel de parede à loiça, das receitas ao modo de servir, no restaurante Sophia Natural Italian tudo faz lembrar a casa da avó. Italiana, claro, e de seu nome Isabella. É esta a figura criada pelo grupo Capricciosa para celebrar a abertura do novo espaço na Praça Dom Luís I, no Cais do Sodré, onde servem pizzas, pastas e risotos, tudo baseado em receitas tradicionais adaptadas a um estilo mais saudável.

Burger Champ
Burger Champ
Gabriell Vieira

4. Burger Champ

Restaurantes Hambúrgueres Avenidas Novas

Depois de 15 anos a trabalharem em Luanda, os irmãos Luís e o Juan Castilho decidiram regressar às origens, em Lisboa, e trazer consigo parte do seu legado na restauração. O Burger Champ abriu na rua Dona Filipa de Vilhena, no Campo Pequeno, e dá a provar os hambúrgueres que fizeram sucesso em território angolano. Há dez hambúrgueres diferentes para provar, todos com pão produzido artesanalmente na casa e com carne 100% black angus maturada.

Publicidade
Palms Blitz
Palms Blitz
Mariana Valle Lima

5. Palms Blitz

Restaurantes Grande Lisboa

O restaurante abriu no Verão de 2020 na Costa da Caparica com uma imagem rosa berrante e arte nas paredes, mas esta temporada deixou o tex mex para trás e tem o húngaro David Liptay aos comandos, usando apenas o forno e o fogo para dar a provar pizzas, pratos vegetarianos gulosos e banana splits. A acompanhar tudo isto, há uma interessante carta de vinhos biológicos e produzidos de forma natural, bem como sidras artesanais. Perfeito para passar a ponte e ir ver o pôr-do-sol.

Eat, Pray, Love
Eat, Pray, Love
Gabriell Vieira

6. Eat, Pray, Love

Restaurantes Cais do Sodré

O Eat, Pray, Love é o novo morador do número 27 da Travessa do Carvalho, no Cais do Sodré. Serve “comida flexível”, ou seja, pratos maioritariamente vegetarianos, mas também garantem opções para agradar ao avô mais tradicional ou à tia alérgica ao glúten. O espaço, que pertence ao grupo que detém O Bom, O Mau e o Vilão e o Le Chat, tem uma carta extensa com opções de brunch, pratos de almoço e jantar, bem como uma longa lista de vinhos. Por agora o menu é fixo, mas o objectivo é começar a mudar e respeitar os produtos da época.  Spicy green eggs, ovos com espargos assados e caju spicy, o Hi Pot Pad Thai, pot pad thai de noodles com frutos secos, legumes, frango ou tofu, a Pumpk'in, abóbora assada com frutos secos, requeijão, caril verde, mel e caju ou a Burrata-ta-ta, burrata com frutos secos, tomate cherry, salada e manjericão são algumas das opções.

Publicidade
Veramente
Veramente
Gabriell Vieira

7. Veramente Pizza & Vino

Restaurantes Italiano Chiado/Cais do Sodré

Quando no Verão de 2018 viajou por Portugal, Igor Penna, natural da região Piemonte, no Norte de Itália, soube que o seu destino passaria pelo nosso país. Foi depois dessa viagem que o cozinheiro e pizzaiolo decidiu fixar-se em Lisboa e começar tudo de novo. Em Abril deste ano abriu o Veramente Pizza & Vino, um restaurante tipicamente italiano, que serve pizzas, enchidos e vinho italiano. A atenção recai sob as pizzas de fermentação lenta que saem da cozinha. A massa é fina e os rebordos arredondados, com uma textura suave, que pode experimentar, por exemplo, na pizza Diavola (14,50€), com salame picante spianata, mozzarella fior di latte, tomate San Marzano e beringela. Se preferir, peça a tábua de enchidos tavola mista (21€), recheada a burrata, presunto de Parma, mortadella, queijos gorgonzola e grana padano, com focaccia caseira a acompanhar, feita com a mesma massa utilizada nas pizzas.

The Dog
The Dog
Gabriell Vieira

8. The Dog

Restaurantes Avenidas Novas

Finos, príncipes, cachorrinhos. A terminologia clássica para os portuenses pode ser algo desconhecida dos alfacinhas, mas é coisa para mudar com a nova casa na Avenida Marquês de Tomar, em Lisboa: o The Dog, especialista em cachorros e pregos, abriu para nos teletransportar para o Porto num instantinho. A estrela da casa é a baguete fininha e pequena prensada com uma salsicha e linguiça fresca, queijo derretido e um molho simples pincelado por cima, picante qb (3,60€). Deve acompanhar com batata frita caseira, cortada em palitos finos (1,80€) e o difícil é pedir apenas um. Há também bons pregos.

Publicidade
Yamatai
Yamatai
Gabriell Vieira

9. Yamatai

Restaurantes Lisboa

Marisa Cerqueira, uma das antigas proprietárias do Dinastia Tang, abriu um restaurante de comida japonesa tradicional com um toque de modernidade no Saldanha. A carta foi pensada e trabalhada por um chef-consultor brasileiro com ascendência japonesa e tem combinados de sushi mas também katsu domburi ou pratos quentes como o nabe-yaki udon, um caldo quente com massa udon. À sobremesa, os mochis japoneses. Tudo isto servido num espaço que se quer minimalista, com o fundo preto do restaurante a contrastar em harmonia com os tons claros das madeiras das mesas, destacando-se uma cerejeira em flor.

Bômau
Bômau
Bômau

10. Bômau

Restaurantes Avenida da Liberdade/Príncipe Real

A história do Bômau começou lá fora, entre a Índia, a Dinamarca e os Estados Unidos. Pelo meio muitas outras viagens e experiências à mesa, até inaugurar na Rua Alexandre Herculano. Multicultural e saudável, este novo restaurante é na verdade um “laboratório de foodies para foodies”. Desde peixinhos da horta até hambúrgueres de feijão preto ou peixe com erva-príncipe, há uma aposta clara em opções vegetarianas, sem dispensar as especiarias nem os bons molhos. Mas o menu inclui muitas outras propostas, inclusive saladas biológicas e pratos onde os cogumelos NÃM são a estrela.

Publicidade
Javá
Javá
DR/Javá

11. Javá

Restaurantes Cais do Sodré

O 8Building, antigo edifício dos CTT no Cais do Sodré, tem uma data de restaurantes no rés-do-chão, mas então e lá em cima? Para chegar ao Javá, terá de entrar à confiança e procurar o elevador panorâmico, que o leva até ao último piso. Chegado ao topo, é toda uma nova vista da cidade que se abre para si, no que será o rooftop do Verão, certamente. Pierre e Margaux, responsáveis por outros espaços da cidade, criaram uma decoração que é sóbria e tropical-urbana ao mesmo tempo, com muitas plantas e mesas a puxar ao parisiense, candeeiros de vidro e luzinhas. A zona interior é ampla e bem decorada, com veludos azuis escuros, mas o ex-líbris é o terraço, com lugares altos numa espécie de balcão para o Tejo, e mais mesas para juntar os amigos. Há menu de brunch à la carte aos fins-de-semana e outro de jantares durante a semana, com sabores mediterrânicos cozinhados no fogo.

Casa de Pedra
Casa de Pedra
Fotografia: Mariana Valle Lima

12. Casa de Pedra

Restaurantes Marvila

A antiga “ruína abandonada”, que Roberta Medina visitou pela primeira vez há mais de uma década, já tinha sido reabilitada para eventos privados, mas só agora abre verdadeiramente ao público, com duas esplanadas e programação cultural para todos. Na oferta de restauração, a aposta é em propostas leves e rápidas, como massas, pizzas e saladas. Destacam-se ainda as cestas de piquenique (60€-66€ para até quatro pessoas), disponíveis aos sábados e domingos com tudo o que é preciso para ir piquenicar para o extenso relvado do Parque da Bela Vista.

Publicidade
Borogodó
Borogodó
Gabriell Vieira

13. Borogodó

Restaurantes Brasileiro Alcântara

O novo negócio de Carolina Henke – que, de brigadeiro em brigadeiro, continua a tomar de assalto a LX Factory – teve uma primeira (ainda que muito curta) vida na Casa Pau-Brasil, onde funcionava como complemento à Livraria da Travessa. Agora, num espaço só seu que dantes pertencia ao Café na Fábrica (também de Carolina), com direito a uma esplanada abençoada pela luz de Lisboa, o Borogodó promete fazer, mais do que jus ao nome, verdadeiro furor. A começar pela ementa, que cruza comida tradicional portuguesa com iguarias do outro lado do Atlântico. Do polvo no forno à tapioca com carne seca, não faltam opções para provar e repetir.

Povo
Povo
Ana Viotti

14. Povo

Restaurantes Português Cais do Sodré

O Povo levou uma lufada de ar fresco e tem agora Bernardo Agrela como chef consultor e Vítor Charneca aos comandos da cozinha. A ideologia do espaço mantém-se – casa de fados descontraída – e os petiscos também, mas aperfeiçoou-se a obra e deixou-se pipis, pica-paus ou pratos de bacalhau para trás. A toda a hora há sandes de ovas , bifanas à moda do Porto, pratos de queijo Monte da Vinha ou de enchidos bem como salgadinhos. Seguem-se os pratos de peixe, com uma surpreendente tainha curada (não torça o nariz ao peixe pobre e prove); e os de carne, onde está o xerém com língua ou a espetada de borrego (a piscar o olho e homenagear os kebabs do East Mambo de Agrela) com salteado de abóbora. Aos sábados à tarde há “TACHADAS”, um espaço de partilha onde vão acontecer desde intervenções musicais a torneios de dominó. 

Comer o mundo em Lisboa

chutnify
©Francisco Santos

Os melhores restaurantes indianos em Lisboa

Restaurantes Indiano

Uma das primeiras referências dos portugueses no que respeita à cozinha étnica foram os restaurantes indianos. E não há como os contornar. Nos restaurantes desta lista não faltam chamuças, caris ou pães naan quentinhos. Cada um com as suas especialidades, um mais moderno e perito em fazer dosas (que são uns crepes gigantes); outros mais clássicos e prontos para darem aos comensais o que querem. E, no meio disto tudo, quase numa categoria à parte, um par de goeses que operam uns furos acima da competição, o Jesus é Goês e o Tentações de Goa. Benditos. Não tenha medo e prepare as papilas gustativas para ver se aguentam esta viagem pelos melhores restaurantes indianos em Lisboa. Se tiver dúvidas, aqui também lhe dizemos como comer picante como um indiano.

Avenida SushiCafé
©DR

Os melhores restaurantes para comer sushi em Lisboa

Restaurantes Japonês

Quando falamos de sushi, é provável que ainda encontre algumas pedras no caminho: há quem continue a torcer o nariz ao peixe cru e quem ainda tenha dificuldades em separar o trigo do joio — que é como quem diz, em destacar o bom trabalho de sushimen sérios. Uma coisa é certa: a base tem de ter o peixe bem fresco, trabalhado em fatias de sashimi, em rolos com alga ou sem alga, temakis e por aí fora, sempre com um arroz bem temperado. Nesta lista também vai encontrar opções de sushi de fusão, que apesar de ser diabolizado por muitos é bem aceite junto de algumas pessoas com a mente aberta. 

Publicidade
Borogodó
Fotografia: Gabriell Vieira

As melhores esplanadas em Lisboa

Restaurantes

Passamos o Inverno a sonhar com elas. Ao primeiro raio de sol primaveril voltamos a corrê-las, ansiosos, e durante o Verão instalamo-nos confortavelmente (ainda que com todos os cuidados que os tempos agora exigem), porque não queremos outra coisa a não ser esplanadas. Receitamos-lhe inúmeras doses para repor os níveis de vitamina D: das novidades do ano aos sítios para ver navios, para comer fora ou para rebolar na relva. Quiosques, rooftops, esplanadas de rua, interiores, enfim, as opções abundam consoante a vontade e também pode contar com sítios para abanar o corpo nestas que são as melhores esplanadas em Lisboa (e não só).

Recomendado

    Também poderá gostar

      Best selling Time Out Offers
        Publicidade