Viagens

O melhor guia de viagens, escapadinhas, aventuras e retiros a partir de Lisboa

Quinta do Figo Verde: amor, tendas  e uma caravana
Viagens

Quinta do Figo Verde: amor, tendas e uma caravana

Em podendo, era clonar o Ben e a Ana. Bricolagem, jardinagem, canalização, electricidade, energia solar, permacultura, astronomia ou culinária – são poucos os assuntos que não dominam. Quando não sabem, lêem, perguntam ou pesquisam na internet. Foi nesta última que Ben deu com um terreno no Vale, perto de Arcos de Valdevez, numa altura em que vivia aborrecido na Holanda e procurava um novo sítio para morar. Um amigo sugeriu-lhe Portugal, por ter cá o pai a morar há vinte anos. Ben pegou no carro e pôs-se a caminho. Entrou pelo Norte, vindo de Espanha, e não desceu muito (na verdade, desceu pouco desde então, pois nunca foi ao Algarve, por exemplo, mas está a fazer por isso). Estava em Novembro de 2011 quando comprou o terreno, e em Janeiro de 2012 montou literalmente a tenda na área onde fica actualmente a Quinta do Figo Verde. O irmão veio ajudá-lo durante um ano e, juntos, começaram a limpar o mato e a dar forma ao que é hoje um turismo rural sustentável.

Quinta Nova: aqui tudo o que luz é Douro
Hotéis

Quinta Nova: aqui tudo o que luz é Douro

A paisagem do Douro é uma obra-prima cuja autoria é debatível. É verdade que o rio fez a parte mais difícil do trabalho, ao moldar a paisagem, a desenhar as elegantes curvas do terreno e a formar um vale que parece um compridíssimo anfiteatro para assistir às exibições das quatro estações do ano. Mas há a somar a isto a intervenção humana, que esculpiu degraus nas montanhas e os ajardinou (o termo é muito errado, mas deixem-nos ser líricos) com videiras. Toda esta parceria entre homem e mãe natureza já seria espectacular por si só, mas acontece que daquele chão saem alguns dos melhores vinhos do mundo. Haverá pedaço de terra mais abençoado que este?

Solar Egas Moniz: a nossa casa de campo imaginária
Hotéis

Solar Egas Moniz: a nossa casa de campo imaginária

Antes de mais, um esclarecimento: este não é o solar do neurocirurgião e prémio Nobel da Medicina em 1949. O descobridor da arteriografia cerebral era de Estarreja, viveu em Lisboa e dele não se conhecem casas solarengas. O Egas Moniz que dá nome a este solar é outro: Egas Moniz de Ribadouro, aio de D. Afonso Henriques. Curioso que um nome tão invulgar (quantos “Egas” conhecem?) sirva dois notáveis portugueses. Este solar, perto de Penafiel, apropria-se do nome de Egas Moniz, o nobre, por estar perto do Mosteiro de Paço de Sousa, fundado por Godo Trutesindo Galindes, ascendente do famoso aio. Ora convenhamos que Solar Egas Moniz soa muito melhor do que Solar Trutesindo Galindes. Mas há mais: o aio do primeiro rei de Portugal está sepultado nesse mesmo mosteiro.

Quinta da Mata: uma casa solarenga
Viagens

Quinta da Mata: uma casa solarenga

O pôr-do-sol, esse cliché. Todos os dias há um destes fenómenos e todos os dias nos surpreendemos com ele. É como se duvidássemos da mecânica celeste. Na Serra do Brunheiro, perto de Chaves, o recolher do astro-rei é um espectáculo digno de ser visto. E a Quinta da Mata funciona como uma espécie de anfiteatro: como se a casa, as janelas, a natureza e a perspectiva ampla tivessem sido moldadas de propósito para aquele momento.

A Serenada: vinhos e descanso
Viagens

A Serenada: vinhos e descanso

A Serenada é um mimo. A sério. Quer dizer não um mimo de profissão, mas um miminho em plena Serra de Grandôla, aquele género de lugar que costumamos dizer situar-se "no meio do nada". Mas há rede wi-fi, uma vista maravilhosa, passeios pedestres para fazer pela herdade, vinho do bom. E aqui chegamos ao ponto fulcral, vir para A Serenada é passar o fim-de-semana a beber vinho feito aqui, cujas vinhas podemos tocar. A piscina é o outro ponto central da unidade: dá para dar umas braçadas e é daquelas que se perdem sobre o infinito, sabe? Tudo o que se quer. 

Porta de Embarque Time Out

Os cinco melhores mercados de Londres
Viagens

Os cinco melhores mercados de Londres

Já existem mercados em Londres desde pelo menos a Idade Média - e felizmente para nós, com o tempo inconstante desta cidade, alguns deles são cobertos. Os gostos mudaram-se ao longo dos tempos e agora os mercados de Londres têm de tudo um pouco, desde agricultores e mercados de moda a uma série de mercados dedicados à comida de rua. Os mercados locais também são de se visitar, mas vamos dedicar-nos aos maiores e mais famosos mercados de Londres, por agora. De flores no Columbia Road Flower Market a comida gourmet em Borough, estes são os mercados a visitar em Londres.  

Dez monumentos em Paris que tem mesmo de ver
Viagens

Dez monumentos em Paris que tem mesmo de ver

A Torre Eiffel, o Arco do Triunfo, a catedral de Notre-Dame, o Louvre... Estamos de acordo, mas os monumentos obrigatórios em Paris não se ficam por aí. Dizemos-lhe dez monumentos que devia conhecer na capital francesa e que provavelmente, até agora, não estavam na sua lista de prioridades. E não somos nós que dizemos, é a Time Out Paris.

Oito lugares a não perder em Barcelona
Viagens

Oito lugares a não perder em Barcelona

Dizemos-lhe oito lugares a não perder em Barcelona, mas a lista completa da Time Out Barcelona contempla 50 paragens obrigatórias. É difícil fazer uma lista com todos os monumentos (museus, parques, praças, jardins, achados arqueológicos, edifícios reconhecidos, mercados...) que uma cidade tem. Mas os nossos colegas de Barcelona fizeram um esforço para nos darem os lugares imprescindíveis, tanto para turistas como para todos os que vivem na cidade. 

Praias paradisíacas no Algarve

Praia da Culatra – Olhão

Praia da Culatra – Olhão

Para a ilha da Culatra, na Ria Formosa, só se vai de barco. Uma vez lá, junto à pequena aldeia piscatória vai encontrar pescadores atarefados a desembaraçar redes e a esvaziar os covos que usaram para apanhar polvos. Se continuar a caminhar para o coração da ilha, vai encontrar bons restaurantes com peixe fresco e as casas caiadas dos cerca de 600 habitantes, decoradas com emblemas de clubes de futebol. E se continuar a caminhar para a outra extremidade da ilha, vai descobrir uma praia, com longo areal, quase deserto, e umas belas ondas imponentes.

Praia do Barranco – Sagres

Praia do Barranco – Sagres

Está rodeada por arbustos de zimbro, é abrigada por rochas calcárias e é tão bonita que custa explicar. O areal é curto, mas as águas acalmam numa pequena baía e o mar mais parece uma piscina. É óptima para o paddle surf (muito na moda), ou simplesmente para ficar para ali a boiar, sem se apoquentar muito com o resto do mundo. É famosa entre os mergulhadores dada a grande diversidade de espécies marinhas que se escondem entre as rochas no fundo do mar. O acesso é feito por um caminho de terra batida que segue 4,6 km para Sul, a partir da aldeia da Raposeira.

Praia dos Salgados – Albufeira

Praia dos Salgados – Albufeira

Fica na continuação do areal da Praia Grande e para lá chegar é preciso atravessar a Herdade dos Salgados, o empreendimento turístico associado ao campo de golfe. Mas vale bem a caminhada. Além dos muitos veraneantes que enchem os céus de parapentes, a avifauna é outro dos pontos fortes desta praia, uma das zonas do Algarve com mais espécies de aves diferentes. Tem ainda um grande parque de estacionamento mesmo junto à costa. 

Praia Verde – Castro Marim

Praia Verde – Castro Marim

Esta praia é um postal e uma das jóias da coroa algarvia. Situada entre as praias da Alagoa e do Cabeço, está abrigada por um pinhal manso que confere à paisagem um tom esverdeado – daí o nome da praia. O areal é extenso, por isso vai poder esticar a toalha, abrir as cadeiras, enterrar o chapéu de sol e montar o pára-vento à sua vontade, sem ter ninguém a reclamar por espaço vital ao seu lado. A areia é branca, a água é límpida e junto ao mar há um poço a que chamam romano. Mas não se deixe enganar pelo nome que lhe deram: a construção é de meados do século XX e faz parte das ruínas de uma povoação que ali existiu.

Praia da Arrifana – Aljezur

Praia da Arrifana – Aljezur

É uma das praias mais concorridas da costa oeste do Algarve, mas joga num campeonato bem diferente dos areais de Albufeira. Fica numa enseada, protegida por altas escarpas, e tem o casario da aldeia que lhe dá nome a servir-lhe de enquadramento (aproveite para encher o seu Instagram com boas fotos). O areal estende-se por 500 metros e termina, a sul, na conhecida Pedra da Agulha, uma rocha vertical erguida na água. E claro, é famosa pelas boas ondas que atraem surfistas e bodyboarders de todos os cantos do mundo.

Descobrir a Costa Alentejana

O melhor da costa alentejana
Viagens

O melhor da costa alentejana

Fomos descendo, com vagar. Andando, parando, descobrindo, ouvindo quem sabe e assentando tudo. Sempre assim, no gerúndio, num presente distendido sem pressa nem prazo de validade, como tudo deve ser vivido na costa alentejana. De Melides à Zambujeira do Mar, resiste ainda um paraíso manso feito de pequenos segredos para partilhar. E até para nós, que nos gabamos de conhecer cada palmo desta linha de mar, foi uma surpresa encontrar tanta coisa boa a dar à costa. Eis o melhor da costa alentejana em sete paragens. E com um bónus: os melhores hotéis onde ficar.  

Os melhores hotéis da Costa Alentejana
Hotéis

Os melhores hotéis da Costa Alentejana

Turismos rurais, hotéis de charme e até um glamping no meio do nada mas perto de tudo. Sozinho ou acompanhado, com miúdos ou sem miúdos. Eis oito hotéis na Costa Alentejana onde pode ficar.

O melhor de Sines
Coisas para fazer

O melhor de Sines

Pode até nem ser o local mais procurado da costa alentejana, mas não fica atrás do resto dos ícones. Perca-se pelas praias, mas principalmente pelos restaurantes de Sines para uma verdadeira epopeia gastronómica. Vá por nós e faça-se à estrada. 

O melhor de Melides
Coisas para fazer

O melhor de Melides

130 kms. É apenas isso que separa Lisboa desta aldeia de areais extensos. Apetece-lhe fugir da cidade? Dizemos-lhe as melhores coisas que pode fazer em Melides

As melhores praias na Zambujeira do Mar
Viagens

As melhores praias na Zambujeira do Mar

São (só) 212 quilómetros que separam Lisboa de um paraíso de águas cristalinas, areias soltas e formações rochosas imponentes. A Zambujeira do Mar tem uma costa rasgada e vincada, perfeita para quem gosta de explorar segredos. Acabaram-se as desculpas – calce as sandálias e faça-se à estrada.