Global icon-chevron-right Portugal icon-chevron-right Porto icon-chevron-right 31 coisas incríveis para fazer no Porto

31 coisas incríveis para fazer no Porto

A Invicta é uma cidade cheia de surpresas. Para que tire o melhor partido dela, aqui tem uma lista com 31 coisas incríveis para fazer no Porto

Por Editores da Time Out Porto |
Publicidade

Somos absolutamente apaixonados por esta cidade. Pelas suas ruas estreitas e casas coloridas, pelos seus miradouros com vistas de cortar a respiração, pelas suas galerias cheias de arte antiga e contemporânea, pelos seus jardins e museus, e pelos seus restaurantes com comida tradicional ou do mundo. A Invicta é uma caixinha de surpresas, mas estas nem sempre se revelam ao primeiro olhar. É preciso descobri-las. Para que nada lhe escape, aqui tem uma lista com 31 coisas incríveis para fazer no Porto. Leia-a com atenção e partilhe-a com quem mais gosta.

Fez alguma coisa desta lista que tenha adorado? Pode partilhá-la no hashtag #TimeOutDoList e taggar @TimeOutEverywhere.

Sabe como é que a Time Out selecciona as melhores coisas para fazer no mundo inteiro? Espreite aqui.

31 coisas incríveis para fazer no Porto

1
O Diplomata - Panquecas
©João Saramago
Restaurantes, Cafés

Comer panquecas no Diplomata

icon-location-pin Galerias

O que é? É um dos sítios mais concorridos da Baixa portuense para começar o dia. A razão? As boas panquecas que aqui se fazem, umas das melhores da cidade.

Porquê ir? Além de serem altas, fofas e muito saborosas, o cliente pode escolher a massa das panquecas que preferir. Tem seis opções. Pode ser simples, de chocolate, de aveia, vegan, de mirtilos ou de bolacha Oreo. Quanto às coberturas, há de tudo um pouco. Desde fruta fresca, granola, bolas de gelado e cremes de Nutella ou de manteiga de amendoim.

A não perder: A panqueca salgada, com queijo, bacon e manteiga de alho e ervas (3€), ou a panqueca da temporada, com ingredientes que vão variando (3,50€).

2
Torre dos Clérigos
© DR
Atracções, Monumentos e memoriais

Subir ao topo da Torre dos Clérigos

icon-location-pin Baixa

O que é? É um dos maiores (senão o maior) ex-líbris da cidade. E o passeio pela Invicta não fica completo sem uma visita a este monumento. É como ir a Roma e não visitar o Papa, diga-se.

Porquê ir? O projecto para uma torre sineira foi apresentado pelo arquitecto Nicolau Nasoni em 1753. As obras arrancaram no ano seguinte e demoraram nove. Contas feitas, a inauguração aconteceu em 1763, depois de ter sido colocada a cruz de ferro no topo e a imagem de São Paulo no nicho sobre a porta. Em estilo barroco, esta torre foi construída numa rua desnivelada. Parabéns ao artista.

A não perder: Uma das melhores vistas sobre a cidade está no topo desta torre com 75 metros de altura, mas para desfrutar dela vai ter de subir 225 degraus. Vai valer a pena, vai ver.

Publicidade
3
escadaria da livraria lello
© Edgar Jiménez
Compras, Livrarias

Conhecer a Livraria Lello — que inspirou o Harry Potter

icon-location-pin Galerias

O que é? É uma das livrarias mais emblemáticas do país e do mundo. Está mesmo no centro do Porto e faz parte do seu património histórico.

Porquê ir? Nasceu em 1906 no número 144 da Rua das Carmelitas. E ali ficou até hoje, com a arquitectura neogótica que a caracteriza, a madeira talhada, as colunas douradas e os tectos ornamentados que formam um cartão-de-visita único. Mas este edifício histórico não é só para admirar, chegam a sair cerca de 300 mil livros por ano das altas estantes distribuídas pelos dois pisos.

A não perder: Se é fã da saga Harry Potter, saiba que esta livraria serviu de cenário inspirador à autora J.K. Rolling, que viveu no Porto. A entrada custa 5€, mas pode ser descontada na compra de um livro.

4
vida portuguesa
© Marco Duarte
Compras

Regressar ao passado com A Vida Portuguesa

icon-location-pin Galerias

O que é? Tal como o nome indica, esta loja, no coração da Baixa, vende apenas produtos de marcas, algumas delas centenárias, 100% portuguesas.

Porquê ir? O número 20 da Rua das Galerias de Paris é o sítio perfeito para quem não quer levar para casa ímanes como recordações. Pelos dois andares desta loja, a variedade é muita e vai dos brinquedos da era pré-electrónica ao estacionário. A par disto, também vai encontrar fragrâncias, ourivesaria, roupa e iguarias diversas.  

A não perder: Por lá vai poder comprar alguns clássicos portugueses, como os sabonetes Confiança, as conservas Minerva e a pasta dentífrica Couto.

Publicidade
5
Claus Porto
© João Saramago
Compras

Fique mais cheiroso com a Claus Porto

icon-location-pin Flores

O que é? A Claus Porto é uma marca de sabonetes e fragrâncias portuense que sobreviveu a monarquias, repúblicas, ditaduras e revoluções. Tem mais de 130 anos.

Porquê ir? A primeira coisa que vê ao entrar neste espaço, onde em tempos funcionou o Museu das Marionetas do Porto,  é a loja. É lá que vai poder comprar todos os produtos da marca, desde os clássicos sabonetes, até aos cremes de corpo e às colónias. No segundo piso encontra uma galeria onde está contada, através de desenhos feitos à mão, litografias, fotografias e recortes de jornais, a história da marca ao longo de quatro gerações.

A não perder: No terceiro e último andar são organizados, todos os meses, workshops onde pode aprender como se fazem os produtos da marca. Além disso, aos sábados, há serviço de barbearia tradicional.

6
Chocolataria Equador
© DR
Compras

Prove bombons, trufas e tabletes na Chocolataria Equador

icon-location-pin Flores

O que é? A Chocolataria Equador é uma marca, 100% portuguesa, de chocolate artesanal. Na Invicta tem lojas na Rua Sá da Bandeira, na Rua das Flores e na Rua Sousa Viterbo.

Porquê ir? Há mil e uma razões para querer fazer uma visita às lojas da Chocolataria Equador, como deve imaginar. Mas os bombons, as trufas, as favas de cacau torradas, as tabletes de chocolate e o chocolate quente são, claro, as principais. Repare nas bonitas ilustrações e no design das embalagens, também lá feitas, que cobrem os doces.

A não perder: Nesta loja, além de venderem chocolate, também o harmonizam com café ou vinho do Porto. Se quiser experimentar, há provas especiais (12,50€) que incluem três vinhos e três chocolates.

Publicidade
7
Adega São Nicolau
© Cláudia Paiva
Restaurantes, Português

Peça uns filetes de polvo com arroz do mesmo na Adega São Nicolau

icon-location-pin Ribeira

O que é? É um dos melhores restaurantes de comida tradicional portuguesa da cidade, onde os pratos são feitos com a perícia e o amor de antigamente.

Porquê ir? Há muitos motivos, mas o atendimento carinhoso, bem ao estilo portuense, a concorrida e peculiar esplanada nas escadas de São Nicolau e a proximidade ao rio são algumas das características que fazem deste restaurante um verdadeiro sucesso de bilheteira.

A não perder: Os bolinhos de bacalhau acabados de fritar que chegam à mesa mal se senta (1€), os filetes de polvo com arroz do mesmo (15,50€) e a famosa língua de vaca estufada com ervilhas (12,50€). Mas há outros. O difícil vai ser escolher.

A Time Out diz
8
Santiago
© João Saramago
Restaurantes, Cervejarias

Prove a melhor francesinha da cidade no Café Santiago

icon-location-pin Santa Catarina

O que é? Para nós, o melhor sítio da cidade para comer francesinha, a tão adorada sandes à moda do Porto.

Porquê ir? Tem-se tornado, ao longo de vários anos, o sítio de eleição para portuenses e turistas quando o objectivo é devorar uma francesinha feita com ingredientes de alto gabarito. Dica: vá cedo ou vá com paciência para esperar na fila.

A não perder: A Francesinha Santiago é feita com mortadela, salsicha fresca, linguiça, bife, fiambre, queijo, ovo e batata frita cortada à mão (9,75€). E é regada, claro, com o molho que lhe dá fama. E vida.

Publicidade
9
Época
©José Saramago
Restaurantes, Vegetariano

Experimente kimchi caseiro no Época Porto

icon-location-pin Cedofeita

O que é? É um restaurante vegetariano cheio de pratos saborosos, gulosos (sim, é possível), e criativos, que ganha adeptos a cada dia.

Porquê ir? Se acha que a comida vegetariana é toda em tons de verde e sabe sempre ao mesmo, o Época é o sítio ideal para se converter num verdadeiro adepto de comida vegetariana. Os pratos são confeccionados com produtos da época, como o nome indica, e o espaço é decorado ao estilo nórdico, muito clean e cheio de luz natural.

A não perder: A incrível malga de arroz integral salteado com uma redução de soja, kimchi caseiro, cogumelos salteados, ovo estrelado, coentros frescos e amendoim tostado (8€), bem como os ovos turcos, estrelados e servidos com iogurte grego temperado (6€).

A Time Out diz
10
Ribeira - Vista de Barco
©João Saramago
Coisas para fazer, Caminhadas e passeios

Dê um passeio na Ribeira do Rio Douro

icon-location-pin Baixa

O que é? É uma das zonas mais antigas da cidade e uma das mais bonitas também. A paisagem sobre o rio e os barcos rabelos que cruzam as águas fazem as delícias de turistas e locais.

Porquê ir? Perca-se nas ruas estreitas do Porto, cheias de subidas e descidas, casas coloridas e recantos caricatos. Carregue a bateria da câmara e do telemóvel porque vai ser quase impossível não querer registar tudo o que por aqui vai ver. Também tem bons restaurantes, bares e lojas onde vale a pena entrar.

A não perder: Conheça a Casa do Infante, para ficar a saber mais sobre a evolução histórica desta zona da Invicta, ou dê um salto ao belíssimo Palácio da Bolsa

Publicidade
11
jardim do morro
© Diego Delso
Atracções, Parques e jardins

Veja o pôr-do-sol deitado na relva do Jardim do Morro

icon-location-pin Vila Nova de Gaia

O que é? Fica perto do tabuleiro superior da ponte D. Luís e é um fantástico miradouro para a zona histórica do Porto. Mas não só. Como o nome indica, também é um bonito espaço verde.

Porquê ir? Caminhar a partir do centro do Porto até este jardim é uma boa forma de ficar a conhecer a cidade. O tabuleiro superior da ponte D. Luís garante-lhe uma vista panorâmica mas, no jardim, consegue concentrar-se na paisagem portuense que vale por si só. A proximidade à serra do Pilar também é um ponto a favor.  

A não perder: Um pôr-do-sol deitado na relva, uma visita a um dos mercados que acontecem neste espaço e uma viagem de teleférico são sempre boas ideias.

12
Caves Sandeman
©DR
Museus, História

Conheça a história do vinho do Porto na Cave Museu Sandeman

icon-location-pin Vila Nova de Gaia

O que é? Primeiro foi uma cave, agora é uma cave/museu. Os responsáveis pelas caves Sandeman criaram um museu que contextualizasse e contasse a história desta marca de Vinho do Porto.

Porquê ir? Vir ao Porto e não fazer uma visita a uma das caves de Vinho do Porto é como ir a Paris e não ver a Torre Eiffel. Este edifício de granito, construído em 1797, alberga uma impressionante colecção de pinturas, fotografias, cerâmicas e garrafas antigas, de uma das marcas de vinho do Porto com mais impacto internacional. Todos os anos fazem mais de 150 mil visitas.

A não perder: A explicação sobre o Don, o mítico e misterioso senhor de preto do logótipo criado em 1928, vestido com a típica capa dos estudantes portugueses e o sombrero espanhol. E, claro, um ou dois cálices de vinho do Porto (Preço das visitas: entre 10 e 40€).

Publicidade
13
Galeria da Biodiversidade
© João Saramago
Coisas para fazer, Exposições

Viaje até ao fundo do mar na Galeria da Biodiversidade

icon-location-pin Porto

O que é? Fica na Casa Andresen, no Jardim Botânico, e é o primeiro Centro Ciência Viva dedicado à biodiversidade.

Porquê ir? Primeiro, pela viagem científica e artística que esta galeria proporciona, uma vez que neste espaço a arte cruza-se com a biologia e a história natural, estimulando uma série de experiências sensoriais. Depois, aproveite e perca-se no Jardim Botânico que inspirou várias obras da escritora portuguesa Sophia de Mello Breyner Andresen.

A não perder: O esqueleto de uma baleia encontrado em 1937, a muito realista escultura em cera de Charles Darwin e os dois pontos dedicados às selfies.

14
jardim palácio de cristal
©Ana Matos
Atracções, Parques e jardins

Passeie nos Jardins do Palácio de Cristal

icon-location-pin Massarelos

O que é? É um dos espaços mais icónicos da Invicta para passear. São oito hectares de jardim que acolhem o Palácio de Cristal.

Porquê ir? Já desde o século XIX, data em que foram projectados pelo arquitecto paisagista alemão Émille David, que as gentes se passeiam por estes jardins. Hoje em dia, pode contar também com famílias de pavões. Este destino verde é paragem obrigatória para os viciados em miradouros estratégicos com vista panorâmica para o Douro e a cidade.

A não perder: A vista panorâmica, a Biblioteca Municipal Almeida Garrett, o Museu Romântico da Quinta da Macieirinha e o próprio Palácio, que tem sempre boas exposições.

Publicidade
15
Museu Nacional Soares dos Reis
© DR
Museus, História

Procure pel'O Desterrado no Museu Nacional Soares dos Reis

icon-location-pin Cedofeita

O que é? É um dos mais relevantes museus do país e o primeiro museu público, ainda que com outro nome e morada.

Porquê ir? O museu conta com uma vasta colecção de pintura dos séculos XVI ao XX, cerâmica, escultura, gravura, joalharia, ourivesaria, têxteis e vidros. Pelas paredes deste museu vai encontrar quadros de grandes artistas portugueses, como Henrique Pousão, Silva Porto, António Carneiro, Aurélia de Souza ou Amadeo de Souza Cardoso. Além disto, a instituição também recebe exposições temporárias.

A não perder: Quando visitar o museu, admire a obra “O Desterrado” (1872), do artista que deu nome à casa. A paragem é obrigatória. Os preços rondam os 2,50€ e os 5€.

16
ó galeria
©Cláudia Paiva
Arte, Galerias

Descubra a ilustração portuguesa com a Ó! Galeria

icon-location-pin Cedofeita

O que é? É uma loja/galeria, essencial no roteiro de ilustração portuense, que serve de rampa de lançamento e espaço de maturação para jovens artistas, locais e internacionais.  

Porquê ir? Além de obras originais, neste espaço vai encontrar prints, livros, t-shirts, tote bags, entre muitas outras coisas que vai querer levar consigo para casa. Mariana A Miserável, Ana Seixas, David Penela, Angela Dalinger, Maria Imaginário e Tina Siuda são alguns dos ilustradores que dão cor às paredes deste espaço, no quarteirão mais artístico da cidade.

A não perder: A Ó! Galeria fica em Miguel Bombarda, o quarteirão das artes. Já que aqui está, aproveite e conheça as muitas galerias que há na zona.

Publicidade
17
Leitaria da Quinta do Paço
© Cláudia Paiva
Restaurantes, Cafés

Peça um éclair na Leitaria da Quinta do Paço

icon-location-pin Baixa

O que é? É uma das pastelarias mais conhecidas do Porto, muito por causa dos seus óptimos éclairs. Todos os dias são feitos 2500 e o número duplica ao fim-de-semana.

Porquê ir? A Leitaria da Quinta do Paço nasceu em 1920, em Paços de Ferreira, como fábrica de lacticínios e até hoje continua a respeitar a tradição. O seu chantilly, por exemplo, continua a ser feito apenas com nata batida e açúcar, tal como acontecia nos anos 50. O resultado é um éclair estaladiço por fora, por causa da massa choux, e muito doce e cremoso por dentro, à conta do chantilly.  

A não perder: Experimente o clássico, o nosso favorito, mas há mais, como o éclair de limão, o de chocolate negro, o de frutos vermelhos, o de caramelo e o crocante (entre 1€ e 1,50€).

18
Coração de Alecrim
© João Saramago
Compras

Faça compras sustentáveis na Coração Alecrim

icon-location-pin Cedofeita

O que é? É uma loja onde tudo o que é local, feito à mão, vintage e sustentável ganha protagonismo.

Porquê ir? Porque vai poder comprar várias coisas, desde acessórios e roupa, a decoração, plantas e mobiliário. A dona, Rita Dixo, faz upcycling a partir de lixo urbano ou objectos danificados e produz peças que depois são vendidas na loja. Lá também vai encontrar uma das portas mais bonitas e instagramáveis da cidade.

A não perder: Conheça o Local Food Lab, com uma cozinha, um terraço e uma sala/biblioteca onde às quintas-feiras há jantares temáticos, por marcação, com convidados de diversas áreas.

Publicidade
19
Aduela
Bares, Cafés/bares

Aproveite para esplanadar na Aduela

icon-location-pin Baixa

O que é? É uma das esplanadas preferidas dos portuenses (e dos turistas) para um copo ao final do dia que, muitas vezes, se prolonga pela noite dentro.

Porquê ir? O sol dá nas horas mais desejadas, entre as 13.00 e as 18.00, ideal para um almoço leve e uma tarde em boa companhia. No que aos snacks diz respeito, o Aduela tem tábuas de queijos e tostas abertas que valem muito a pena. Um bónus? Nesta esplanada os animais são bem-vindos, por isso, traga o seu amigo de quatro patas.

A não perder: A boa oferta de vinhos desta casa e as conservas nacionais que aqui se servem. Há para todos os gostos. Desde sardinhas em tomate, a filetes de sardinha em azeite.

20
A Pérola do Bolhão tem mais de 100 anos
©MV
Compras, Mercearia de bairro

Compre tudo o que precisa (e o que não precisa) na Pérola do Bolhão

icon-location-pin Santa Catarina

O que é? Uma mercearia tradicional, fundada em 1917, que começou por ser uma loja dedicada ao chá, ao café e às especiarias. Entretanto alargou a oferta e agora destacam-se os enchidos, o queijo da Serra e as frutas cristalizadas.

Porquê ir? A imponente fachada, ao estilo Arte Nova, chama a atenção de quem passa e merece sempre ser apreciada. Mas é o recheio que o faz ter sempre vontade de voltar. Aqui encontra quase tudo o que precisa, como biscoitos, amêndoas, azeites, muitos vinhos e enchidos, tudo num ambiente familiar.

A não perder: A charcutaria, os frutos secos e o bacalhau devem sempre ser considerados numa ida à Pérola do Bolhão.

Publicidade
21
Fundação Serralves
©Fundação Serralves
Coisas para fazer, Centros culturais

Torne-se especialista em arte contemporânea com uma visita à Fundação de Serralves

icon-location-pin Porto

O que é? Uma das instituições nacionais mais importantes, detentora de um valioso património histórico e cultural, composto pelo Museu, projectado por Álvaro Siza Vieira, pela Casa de Serralves, um exemplar da arquitectura Art Déco, e pelo Parque.

Porquê ir? O Parque de Serralves, com a sua grande diversidade de espaços, harmoniosamente interligados, é uma referência no património da paisagem em Portugal. Numa visita, além de poder contactar com a natureza e apreciar a diversidade arbórea e arbustiva, pode conhecer esculturas, expostas em permanência, que integram a Colecção da Fundação.

A não perder: Além das exposições itinerantes, há muitas outras permanentes e isso faz com que Serralves seja uma boa ideia em qualquer altura do ano.

22
Bonaparte Downtown
© João Saramago
Bares

Peça uma cerveja no Bonaparte Downtown

O que é? Tem um irmão mais velho na Foz, mas este, aberto em 2016, rapidamente se tornou num dos bares mais concorridos da Baixa.

Porquê ir? Porque a luz baixa, as paredes decoradas com antiguidades e as boas bebidas, elementos que fazem lembrar um pub britânico, tornam-no no local ideal para juntar os amigos à conversa, antes ou depois do jantar. Para beber, há cervejas internacionais, como a Erdinger (alemã) e a Guinness (irlandesa), uma boa carta de whiskeys e vários cocktails.

A não perder: Todas as semanas servem uma cerveja artesanal de pressão diferente. E são uma boa opção para ver jogos de futebol, enquanto se trinca qualquer coisinha.  

Publicidade
23
Snack Bar Gazela
© João Saramago
Restaurantes

Coma o melhor cachorro-quente do Porto no Snack-Bar Gazela

icon-location-pin Santa Catarina

O que é? É um ponto de paragem obrigatório na cidade. Aqui fazem-se os melhores cachorros quentes do Porto, que reúnem ao balcão gente de todas as idades e profissões.

Porquê ir? Porque há mais de 50 anos que a arte dos cachorrinhos é aprimorada neste espaço. Só para ter uma pequena noção, num dia normal servem-se 300 cachorrinhos. O pão é fino e estaladiço, a salsicha e a linguiça são de grande qualidade, e o queijo é derretido para amparar os enchidos. No final, é tudo pincelado com manteiga e molho picante (3,40€).

A não perder: Acompanhe o seu cachorrinho com um ou dois finos bem frescos e vá ver um espectáculo ao Teatro Nacional São João que fica mesmo ao lado.

24
Teatro Nacional São João - Fachada
© DR
Coisas para fazer, Centros culturais

Veja uma peça no Teatro Nacional São João

icon-location-pin Santa Catarina

O que é? É uma referência no panorama cultural da cidade. Em conjunto com o Teatro Carlos Alberto e o Mosteiro de São Bento da Vitória serve de palco aos principais espectáculos culturais.

Porquê ir? Se os espectáculos que acolhe não lhe parecerem razão suficiente, pode sempre visitar este teatro pela arquitectura ornamentada e imponente que o caracteriza. Foi oficialmente inaugurado a 13 de Maio de 1798, sob o nome de Real Teatro de São João, por D. João VI.

A não perder? Esteja atento a possíveis visitas guiadas que o levam a conhecer a sala de espectáculos, a sala de ensaios, os camarins e as zonas técnicas.

Publicidade
25
Jardim das Virtudes
©João Saramago
Atracções, Parques e jardins

Reúna os amigos no Jardim do Passeio das Virtudes

icon-location-pin Baixa

O que é? Este jardim fica nas traseiras do Palácio da Justiça e desenvolve-se em socalcos. É aqui que mora a maior Ginkgo Biloba de Portugal, uma árvore com cerca de 35 metros.

Porquê ir? Assim que o dia começa a aproximar-se do fim, os portuenses reúnem-se neste jardim, um dos mais concorridos da Invicta, para dois dedos de conversa. Não se admire se por lá encontrar malta de todas as idades, a tocar instrumentos musicais e a admirar uma das vistas mais bonitas sobre o rio Douro.

A não perder: Junte um ou dois amigos, peça uns finos nos bares em redor e aprecie o bonito pôr-do-sol. As fotografias vão ser um sucesso nas suas redes sociais.

26
Euskalduna Studio - Dashi de Cavala
©Marco Duarte
Restaurantes, Cozinha contemporânea

Marque mesa no Euskalduna Studio

icon-location-pin Bonfim

O que é? Um restaurante de autor com poucos lugares, cozinha aberta e um menu que vai mudando consoante a época e os clientes.

Porquê ir? Porque é uma verdadeira experiência para o palato. E não temos medo de lhe dizer que esta degustação, composta por dez momentos (80€), vai, seguramente, tornar-se num dos jantares da sua vida. Os lugares ao balcão são os preferidos, porque têm uma vista privilegiada para a cozinha. Fica a dica.

A não perder: Os pratos nunca são os mesmos, mas garantimos que é tudo imperdível, por isso, não perca tempo e marque o seu lugar neste restaurante. Há lista de espera mas até isso vai tornar-se irrelevante quando lá chegar.

A Time Out diz
Publicidade
27
Maus Hábitos
©João Saramago
Arte, Arte contemporânea

Vá ver um concerto ao Maus Hábitos

icon-location-pin Santa Catarina

O que é? É um dos espaços mais eclécticos da Invicta, onde se junta a música, a arte, a comida, a bebida, os cafés e as festas.

Porquê ir? Por várias razões. Este espaço, mesmo em frente ao Coliseu do Porto, é uma espécie de produtor cultural, com uma consciência artística, sempre de portas abertas à cidade. Desde Janeiro de 2011 que acolhe concertos, peças de teatro, exposições, residências, copos ao final do dia e festas pela noite dentro.

A não perder: Vá ao Vícios de Mesa, o restaurante do Maus Hábitos, com muitas opções vegetarianas: das pizzas em forno a lenha ao falafel, passando pelas saladas e lasanhas.

28
Casa da Música
© Cláudia Paiva
Música, Música ao vivo

Assista a um concerto na Casa da Música

icon-location-pin Boavista

O que é? É um dos locais mais icónicos da cidade, que recebe concertos de vários géneros musicais. Tem um restaurante no topo e um café no rés-do-chão.

Porquê ir? Há sempre coisas a acontecer na Casa da Música, que tem uma programação dinâmica e inovadora, e que beneficia dos agrupamentos residentes, como a Orquestra Sinfónica, Remix Ensemble, Orquestra Barroca e Coro. O espectro musical que encontra por aqui vai da música clássica às tendências urbanas de vanguarda.

A não perder? Conheça esta obra do arquitecto Rem Koolhaas. As visitas guiadas têm um preço de 10€ por pessoa. O melhor? O valor reverte na compra de um bilhete para um concerto na Casa da Música.

Publicidade
29
Terminal 4450 - Black Angus
© João Saramago
Restaurantes, Steakhouse

Visite o paraíso dos carnívoros: oTerminal 4450

icon-location-pin Leça da Palmeira

O que é? É, nada mais, nada menos, um dos melhores restaurantes de carne do Grande Porto. Fica em Leça da Palmeira e é o spot ideal para carnívoros.

Porquê ir? Primeiro, pela alta qualidade das carnes que lá se servem. Depois, por todo o cenário involvente. Instalado num terminal de navios, todo o conceito gira em torno disso: entra-se por uma manga, há malas à entrada do restaurante e a carta é um passaporte.

A não perder: As papas de sarrabulho (3,50€), o Black Angus com arroz de fumeiro, aros de cebola e esparregado (42€/2 pessoas) e o Decadente de Chocolate, um bolo com três texturas (4,50€).

A Time Out diz
30
The Royal Cocktail Club
© Marco Duarte
Bares

Brinde com um cocktail de autor do The Royal Cocktail Club

icon-location-pin Galerias

O que é? O The Royal Cocktail Club é um bar especializado na arte da coquetelaria, abrigado num edifício com mais de 100 anos, na Baixa.

Porquê ir? Porque as estrelas da casa são os cocktails de autor, idealizados e preparados por quatro bartenders com bastante experiência neste cartório: Daniel Carvalho, Tatiana Cardoso, José Mendes e – o mais conhecido e premiado – Carlos Santiago. Contudo, as opções tradicionais não ficam à porta e há também alternativas sem álcool, os chamados mocktails.

A não perder: No piso inferior, onde só é admitida a entrada através de reserva, há jogos de tabuleiro que envolvem álcool (claro), boa disposição e amigos.

Publicidade
31
Plano B
© Plano B
Noite, Bares abertos de madrugada

Comece a noite no Plano B

icon-location-pin Galerias

O que é? É um local de visita obrigatória no roteiro da noite portuense. Fica nas Galerias de Paris e tem uma agenda de concertos preenchida à qual vale a pena estar atento.

Porquê ir? Primeiro porque no piso de cima há um bar com grandes sofás e cadeirões que convidam a um copo e a dois dedos de conversa com os amigos. E depois, porque no piso inferior, ao qual se acede através de uma grande escadaria, há duas pistas de dança que passam estilos de música diferentes.

A não perder: As festas temáticas que aqui acontecem com regularidade, o público heterogéneo e as noitadas que duram até à seis da manhã.

Mais coisas para fazer no Porto

Boa-Bao
© Marco Duarte
Restaurantes, Restaurantes

Os melhores novos restaurantes no Porto

Pratos para partilhar, criações assinadas por grandes chefs e espaços com rodízio brasileiro são algumas das sugestões na lista dos melhores novos restaurantes no Porto. No centro da cidade, na Foz ou do outro lado do rio, o Grande Porto oferece cada vez mais opções para quem gosta de comer bem. Por isso, já sabe, da próxima vez que marcar um jantar de amigos e alguém sugerir um espaço novo, dê uma vista de olhos nesta lista, sugira um dos restaurantes e faça um brilharete. Em alguns deles até pode beber um copo no final da refeição e aquecer para o resto da noite. Recomendado: Os melhores restaurantes para beber cocktails no Porto

Camisaria Porto
©Marco Duarte
Compras

10 lojas históricas no Porto

Num Porto cada vez mais virado para o turismo, em que vários estabelecimentos antigos fecham para dar lugar a hostels, apartamentos turísticos ou negócios turista-friendly, é preciso não esquecer quem cá esteve sempre a fazer a diferença, ao longo dos anos. Estas são as 10 lojas históricas no Porto que tem mesmo de conhecer. Por dentro e por fora. 

Publicidade
Teleférico Gaia
©Marco Duarte
Atracções, Torres e miradouros

As melhores vistas no Porto

A equipa da Time Out aproveitou o céu limpo dos dias de Verão para registar as melhores vistas no Porto, vistas essas de cortar a respiração. Das clássicas e fotogénicas, às secretas e improváveis, venha conhecê-las connosco. 

Publicidade