A Time Out na sua caixa de entrada

Procurar
Outjazz
©DR

Coisas para fazer em Lisboa este mês

Quer aproveitar a cidade e não sabe por onde começar? Descubra as melhores coisas para fazer em Lisboa este mês.

Publicidade

Outubro chegou carregado de programação cultural. Nos teatros não faltam peças, no cinema não faltam filmes e fora de portas a animação também promete preencher a cidade. Abaixo deixamos-lhe dezenas de planos para aproveitar os últimos tempos antes do frio severo do Inverno chegar, sempre com respeito pela etiqueta respiratória, claro.

Fomos à procura das melhores coisas para fazer em Lisboa este mês. Há exposições, mercados ou concertos e muitas sugestões gratuitas. Temos a receita secreta para ter sempre coisas para fazer em Lisboa, dentro ou fora de portas. Aproveite e viva a cidade ao máximo.

Recomendado: As melhores coisas para fazer este fim-de-semana em Lisboa

 

Coisas para fazer este mês em Lisboa

  • Coisas para fazer

Outono culmina na noite de Halloween. A pensar nisso, fizemos um roteiro especial de sítios que podem ser considerados impróprios para almas mais assustadiças, do centro de Lisboa a Sintra. Mesmo que estejam cheios de gente, os fantasmas, os espíritos, vagueiam à socapa e nenhum virar de esquina é totalmente seguro.

  • Arte
  • Arte contemporânea
  • Belém

Grada Kilomba inaugurou esta obra com uma performance com a produção musical de Kalaf Epalanga e várias gerações das comunidades afrodescendentes como protagonistas. Composta por 140 blocos, que formam a silhueta do fundo de uma nau e desenham minuciosamente o espaço criado para acomodar os corpos de milhões de africanos, escravizados pelos impérios europeus, a instalação de grande escala da escritora e artista multidisciplinar estará patente até 17 de Outubro, na Praça do Carvão do MAAT. Este evento também está integrado no BoCA.

Publicidade
  • Filmes
  • Grande Lisboa

O Alvalade Cineclube está de regresso a partir de Setembro, com o ciclo Ai Portugal, Portugal que espera pelos cinéfilos no Centro Cívico Edmundo Pedro. O cartaz é composto por documentários portugueses que revelam o país contemporâneo, com sessões marcadas para as quintas, de 16 de Setembro a 21 de Outubro. Jorge Pelicano, Miguel Gomes, Stefan Lechner, Cláudia Varejão, Tiago Pereira, Rita Maia e Vasco Viana são os realizadores em destaque.

  • Teatro
  • Chiado

Nesta peça sobre o reencontro entre uma filha e um pai, que estão desavindos há anos, exploram-se temas como a morte, a redenção, a família, a arte, o humorismo e até as refeições de hospital. Ele é um famoso artista plástico, que pôs sempre o seu trabalho à frente da família. Ela é uma comediante de stand-up, que usa quase como terapeuticamente o humor para lidar com o trauma de ter sido abandonada pelo pai. Ele está num quarto de hospital, onde foi internado com um cancro terminal. Ela decide ir despedir-se e não deixar nada por dizer.

Publicidade
  • Música
  • Música ao vivo
  • Alcântara

Está com saudades de passar uma tarde de domingo a ouvir jazz, soul, funk ou hip-hop? Aproveite enquanto o frio não vem em força e desfrute o que resta da 14.ª edição do Somersby Out Jazz que, em Outubro, acontece no Anfiteatro de Pedra, na Tapada da Ajuda. Os bilhetes custam 3€. Os lucros, este ano, revertem totalmente para a União Audiovisual.

  • Teatro
  • Santa Maria Maior

A relação entre os acontecimentos históricos e as suas representações no presente é um dos eixos fundadores do trabalho de Joana Craveiro. Neste regresso ao D. Maria II com o seu Teatro do Vestido, lança um olhar sobre os sonhos e as aspirações da juventude em diferentes épocas. A inspiração provém do romance de Augusto Abelaira, A Cidade das Flores, de 1959, que desde então tem inspirado e levado a reflectir sobre a resistência ou a luta ativa contra os sistemas autoritários – velhos e novos – e a inércia que se instala.

Publicidade
  • Filmes
  • Documentários
  • Lisboa

O festival de cinema documental Doclisboa regressa entre os dias 21 e 31 de Outubro. Depois de uma edição atípica em 2020, este ano o evento volta aos moldes de sempre. Resistência é o mote lançado pela sessão de abertura desta 19.º edição do festival, onde se estreiam filmes internacionais, mas também portugueses, como Eunice ou Carta a Uma Jovem Actriz, longa-metragem de Tiago Durão sobre Eunice Muñoz, ou Jamaika, documentário de José Sarmento Matos sobre as vivências no bairro durante o isolamento provocado pela pandemia. 

  • Arte
  • Desenho e ilustração
  • Grande Lisboa

Depois de uma edição online, o Amadora BD volta a assumir o formato físico e estende-se por três espaços: o Ski Skate Amadora Park, a Bedeteca da Amadora e a Galeria Municipal Artur Boal. O festival internacional de banda desenhada conta, como sempre, com muitas exposições e recebe autores, editores, agentes e coleccionadores de banda desenhada. Mas os destaques do programa são as celebrações dos 80 anos da Mulher-Maravilha e dos 75 anos de Lucky Luke.

Publicidade
  • Teatro
  • Santa Maria Maior

Escrito e encenado por Miguel Fragata, Pranto de Maria Parda parte do texto homónimo de Gil Vicente, que o escreveu no rescaldo de um ano devastador, e é levado à cena em 2021, no rescaldo de um outro ano devastador. Supondo que a designação de “Maria Parda” insinua a ideia de uma mulher negra, este espectáculo propõe-se vaguear pelas ruas de Lisboa à escuta da voz daqueles que a cidade escolheu deixar de lado, hoje, como há cinco séculos. Como se olha para este texto com quinhentos anos à luz das questões do racismo e do feminismo, que ele próprio hoje convoca, e que são prementes?

  • Filmes
  • Grande Lisboa

O Centro Cultural Malaposta apresenta um ciclo de cinema com curadoria do pianista Filipe Raposo. “O desejo é o fio condutor que enlaça os nove filmes propostos, do cinema mudo, com acompanhamento ao piano, ao cinema sonoro”, explica o músico. “O desejo e a construção das grandes cidades, o desejo como exercício de poder e na luta de classes, o desejo na ascensão e queda da humanidade, o desejo e a sexualidade.” Fritz Lang, David Lynch, Vittorio De Sica, Alfred Hitchcock, Charlie Chaplin ou Stanley Kubrick são alguns dos realizadores em destaque, numa programação que inclui dois cine-concertos e várias sessões de entrada gratuita.

Publicidade
  • Arte
  • São Sebastião

A propósito das comemorações dos 700 anos da morte de Dante Alighieri (1265-1321), a Galeria do Renascimento do Museu Calouste Gulbenkian, acolhe Visões de Dante. O Inferno segundo Botticelli, que dará a ver, entre outras coisas, dois excepcionais desenhos sobre pergaminho de Sandro Botticelli (1445-1510) alusivos ao Inferno de A Divina Comédia e também dois manuscritos de Jacopo della Lana e de Boccaccio, cedidos pela Biblioteca Apostólica Vaticana.

  • Coisas para fazer
  • Exposições
  • Belém

“Rapture” é a primeira exposição em Portugal do dissidente chinês Ai Weiwei. É, também, uma das maiores que já fez, ocupando uma área de 4356 metros quadrados e combinando peças inéditas, concebidas com materiais portugueses, e algumas das suas mais mediáticas criações. “É a melhor oportunidade para os portugueses perceberem o que aconteceu ao longo da minha carreira”, considera. “Estão lá muitos trabalhos, em diferentes meios: fotografias, esculturas, instalações, murais, filmes”.

Publicidade
  • Arte
  • Campo Grande/Entrecampos/Alvalade

Organizada em três núcleos, esta exposição dedicada a Bordalo Pinheiro convida a um percurso através da obra do artista, num ensaio que revisita os seus temas de eleição e oferece uma leitura plural e informada do seu talento, criatividade e notável capacidade de trabalho. À luz do presente, procura mostrar-se como o espírito crítico e o humor podem ser os aliados perfeitos para a construção de uma cidadania activa, participada e construtiva.

  • Coisas para fazer
  • Exposições
  • Belém

A história é universal. Uma menina com resposta sempre pronta vê-se de repente, por culpa da sua insaciável curiosidade, rodeada de maravilhas que nunca viu, com um rol de novas perguntas por fazer. Quantos relógios tem o tempo? É possível jogar às cartas com o futuro? E, o grande quebra-cabeças, quem somos de pernas para o ar? A partir das célebres obras de Lewis Carroll, As Aventuras de Alice no País das Maravilhas Alice do Outro Lado do Espelho, a nova instalação imersiva da Fábrica das Artes convida-nos a viver o absurdo conto de fadas, onde tudo se transforma à mercê da nossa imaginação. Do Outro Lado da Toca, no CCB, é possível espreitar por gavetas, sentar-se à mesa com o Chapeleiro e até conviver com flores gigantes.

Publicidade
  • Música
  • Lisboa

A experiência mais autêntica de fado ao ar livre está de volta ao Jardim da Casa onde Amália Rodrigues viveu mais de 40 anos. Conte com a presença das fadistas Ana Sofia Varela, Célia Leiria e Sandra Correia que irão interpretar temas de Amália, acompanhadas pelos músicos João Filipe (viola de fado) e Pedro Amendoeira (guitarra portuguesa). Se quiser pode marcar uma visita à Casa-Museu antes do espectáculo, para uma experiência bem mais completa.

  • Arte
  • Belém

O Instituto Italiano de Cultura de Lisboa, em colaboração com o Museu Nacional dos Coches, também organiza uma exposição a propósito do sétimo centenário da morte de Dante. “Dante Plus 700” reúne um grupo de artistas, muito diferentes entre si, que procuram dar vida a uma nova identidade do Sumo Poeta. As linguagens utilizadas pelos artistas vão da pintura a têmpera à utilização de software em 3D, passando pelo desenho geométrico. Algumas das obras estão em realidade aumentada, visíveis através da aplicação gratuita para telemóvel ARIA the AR Platform e animadas pelo estúdio Alkanoids de Milão.

Publicidade
  • Coisas para fazer
  • Santa Maria Maior

“Mulheres e Resistência – ‘Novas Cartas Portuguesas’ e outras lutas” é o nome da exposição no Museu do Aljube que adopta o nome do livro Novas Cartas Portuguesas, de Maria Isabel Barreno, Maria Teresa Horta e Maria Velho da Costa, publicado em 1972 e censurado três dias após o lançamento. O processo conhecido como Três Marias é o ponto de partida para a exposição que se alonga por outras histórias de resistência ao fascismo no feminino, desde os anos 30 do século passado, até ao 25 de Abril de 1974. Em paralelo à exposição, decorre um ciclo de cinema dedicado à luta e à resistência femininas.

Publicidade
  • Arte
  • São Sebastião

A Galeria Principal do Edifício Sede da Fundação Gulbenkian é o palco de Hergé, uma exposição que reúne uma importante selecção de documentos, desenhos originais e várias obras criadas pelo célebre autor de Tintim. Apresentada pela primeira vez no Grand Palais, em Paris, e organizada em colaboração com o Museu Hergé de Louvain-la-Neuve, a mostra revela as múltiplas facetas de uma personalidade artística de referência, da ilustração à banda desenhada, passando pela publicidade, imprensa, desenho de moda e artes plásticas.

  • Arte
  • Fotografia
  • Intendente

Muitos ainda se lembram de como era Lisboa no início dos 80s, num país onde a democracia tinha praticamente acabado de chegar. Para esta exposição que inaugura no Arquivo Municipal de Lisboa, o jornalista e crítico cinematográfico José Vieira Mendes seleccionou um conjunto de imagens por si registadas entre 1982 e 1983 na sua primeira câmara fotográfica, uma reflex 35 mm que ainda guarda consigo. Para recordar, ou descobrir, uma Lisboa de outras modas, registada a preto e branco, entre o Cais das Colunas, o Cais do Sodré ou a Feira da Ladra.

Mais que fazer

  • Coisas para fazer

O Outono já chegou. É claro que, à boa maneira lisboeta, enquanto o sol brilha fingimos que o Verão não foi a lado nenhum, mas chegou o momento de aceitar a realidade de que a estação quente terminou. E de redescobrir as muitas possibilidades para aproveitar os dias na cidade, faça chuva ou sol. Tire notas, aponte ideias, o guia que se segue vai garantir que nunca fica sem coisas para fazer neste Outono, à medida que os dias se tornam cada vez mais curtos.

Recomendado: O melhor do Outono em Lisboa

  • Coisas para fazer

São dezenas de coisas grátis para fazer em Lisboa: afinal não queremos que deixe de aproveitar o melhor que a cidade tem apenas por ter a carteira mais vazia. Há muito para fazer à borla em Lisboa. Não acredita? Então espreite a lista que se segue. Não se vai arrepender. Já lhe dissemos que é grátis?

Recomendado
    Também poderá gostar
      Publicidade