A Time Out na sua caixa de entrada

Procurar
Museu Nacional do Azulejo
Mariana Valle Lima

Coisas para fazer em Lisboa este mês

Quer aproveitar a cidade e não sabe por onde começar? Descubra as melhores coisas para fazer em Lisboa este mês.

Publicidade

Janeiro carrega ainda alguma programação festiva - afinal, há quem mantenha o espírito natalício pelo menos até ao Dia de Reis. Este mês, a cidade enche-se de motivos para sair de casa com programação cultural convidativa, mas sempre com cautela, já que a pandemia e respectivas restrições continuam à espreita. Nos teatros não faltam peças, no cinema filmes e, fora de portas, a animação nas ruas também promete preencher a cidade ainda iluminada. Para não perder pitada nem ficar sem ideias para ir escapando à rotina, reunimos dezenas de planos para aproveitar agora que o Inverno já se faz sentir. Fomos à procura das melhores coisas para fazer em Lisboa este mês e encontrámos mais de duas mãos cheias de exposições, concertos, espectáculos, workshops e até eventos gratuitos. Aproveite e viva a cidade ao máximo.

Recomendado: As melhores coisas para fazer este fim-de-semana em Lisboa

 

Coisas para fazer este mês em Lisboa

  • Arte
  • Chiado

O Museu Nacional de Arte Contemporânea acolhe uma reprodução à escala de parte da casa E.1027, da arquitecta Eileen Gray. Além de poderem descobrir a arquitectura do espaço, os visitantes podem interagir com as 15 peças de mobiliário originais da autora. Esqueça o “não tocar”: esta exposição quer aproximar o público do design e da arquitectura na forma mais literal do termo. Para ver até Fevereiro.

  • Coisas para fazer
  • Exposições
  • Beato

No Museu Nacional do Azulejo quebra-se o silêncio sobre a história das grandes ceramistas portuguesas. Até Junho, os corredores do convento em Lisboa enchem-se de obras de Bela Silva, Lurdes Castro, Vieira da Silva ou Joana Vasconcelos, entre outras autoras portuguesas que contribuíram para o desenvolvimento da cerâmica desde o pós-guerra até à actualidade.

Publicidade
Bryan Adams
  • Música
  • Pop
  • Parque das Nações

Bryan Adams adora Portugal, Portugal adora Bryan Adams e isso pode explicar o facto do concerto do artista canadiano no Altice Arena já estar esgotado. Adams volta ao palco que pisou em 2019, desta vez a propósito da digressão "So Happy It Hurts", de promoção ao álbum do mesmo nome.  

  • Arte
  • Belém

O atelier português OCUBO tem uma nova versão do seu Magical Garden. Chama-se Magical Garden – Alice e promete evocar algumas das mais famosas e mirabolantes personagens do fantástico mundo criado por Lewis Carroll em Alice no País das Maravilhas, como o Coelho Branco, o Gato Risonho, a Lagarta Azul ou a Rainha de Copas.

Publicidade
  • Coisas para fazer
  • Aulas e workshops
  • Estrela/Lapa/Santos

Os nomes BTS e Blackpink dizem-lhe alguma coisa? São dois exemplos das mais proeminentes bandas de K-Pop, o termo que abrevia o género de música pop coreana. O Museu do Oriente preparou um workshop dedicado a este fenómeno global que já se estende além da música. Nesta viagem sem sair do sítio, vai aprender as letras das canções e o seu significado, mas também conhecer outros aspectos da cultura coreana, da gastronomia à tradicional cerimónia do chá. 

  • Arte
  • Cascais

Paula Rego é a artista portuguesa contemporânea mais reconhecida do mundo. Em “Coleção Casa das Histórias Paula Rego”, apresentam-se vários dos seus trabalhos de pintura, desenho e gravura, incluindo algumas peças nunca antes vistas publicamente, tal como O cerco (1976). A exposição, que se estende ao longo de sete salas no museu monográfico dedicado à artista, fica patente até Junho.

Publicidade
  • Coisas para fazer
  • Beato

O Curso de auto-edição da Oficina do Cego, um histórico da edição independente em Portugal, está de volta. É a oportunidade para pôr em prática uma ideia para um livro, um projecto de edição duma revista, uma fanzine, uma colecção de ilustrações, postais… ou até um baralho de cartas. Para qualquer questão ou esclarecimento adicional sobre este curso e outros workshops de artes gráficas, basta contactar a Oficina do Cego através de e-mail: geral@oficinadocego.pt.

  • Arte
  • Lumiar

O Museu Nacional do Traje tem uma colecção de centenas de leques (mais de 300), uma das mais importantes do país, e apresenta uma exposição temporária que aos leques junta chapéus. Vieram do Museu da Chapelaria, em São João da Madeira, onde também está patente a mesma exposição, embora com diferentes objectos, como requintados leques, chapéus, toucados e acessórios para a cabeça oriundos de todo o mundo.

Publicidade
  • Coisas para fazer
  • Exposições
  • Santa Maria Maior

Alfredo Cunha é um consagrado fotojornalista que se notabilizou pelas icónicas fotografias do 25 de Abril, como o retrato de Salgueiro Maia no Largo do Carmo, um símbolo da revolução. Mas a sua lente registou muitas outras histórias de Portugal. Como a histórica romaria de Santo António no lugar de Mixões da Serra, em Vila Verde, onde vive desde 1995. Agora, no Museu de Lisboa – Santo António pode ver mais de duas décadas de imagens de uma tradição que leva os devotos ao Santuário de Santo António de Mixões da Serra com as suas vacas, cavalos, cabras, cães, gatos e pombas para serem abençoados e permanecerem de boa saúde.

  • Filmes

Este ciclo em exibição no Cinema Nimas dá a conhecer três raridades dos estúdios da Nikkatsu, o mais antigo grande estúdio japonês. Até meados de Janeiro pode ver obras dos realizadores Kôzaburô Yoshimura, Tomu Uchida e Tomotaka Tasaka, como Mulheres de Ginza, Cada Um Na Sua Cova e O Menino da Ama, todos filmes do ano de 1955.

Publicidade
  • Arte
  • Alfama

Na Casa da Liberdade – Mário Cesariny está a exposição individual de Ivo Bassanti, PopArt & Freedom. Com curadoria de Carlos Cabral Nunes, director artístico da Perve Galeria, as peças expostas reflectem uma forte influência do movimento pop e da cultura de liberdade expressa nas cores intensas e nas diversas narrativas neo-libertárias presentes nas obras expostas.

  • Arte
  • Fotografia
  • Intendente

Muitos ainda se lembram de como era Lisboa no início dos anos 80, num país onde a democracia tinha praticamente acabado de chegar. Para esta exposição que inaugura no Arquivo Municipal de Lisboa, o jornalista e crítico cinematográfico José Vieira Mendes seleccionou um conjunto de imagens por si registadas entre 1982 e 1983, com a sua primeira câmara fotográfica, uma reflex 35 mm que ainda guarda consigo. Para recordar, ou descobrir, uma Lisboa de outras modas, fotografada a preto e branco, entre o Cais das Colunas, o Cais do Sodré ou a Feira da Ladra.

Publicidade
  • Arte
  • Belém

Nascido em 1961 em Bruxelas, filho de alemães, Carsten Höller licenciou-se em Fitopatologia e especializou-se em Ecologia Química, antes de se dedicar exclusivamente à arte. O seu trabalho explora e vira do avesso o conhecimento científico, reflectindo-se em instalações de grande escala, muitas vezes com recurso à tecnologia. Esta exposição monográfica reúne uma vasta série de obras que produzem luz e escuridão. Esculturas com lâmpadas, projecções e elementos arquitectónicos, que abrangem um período que vai de 1987, altura em que Höller ainda trabalhava como cientista, até aos dias de hoje.

  • Coisas para fazer
  • Exposições
  • Parque das Nações

O direito humano à água e ao saneamento foi reconhecido pela ONU em 2010. Mas, para cerca de um terço da população mundial, um gesto tão banal como abrir uma torneira e ter água potável continua a ser um sonho impossível. É urgente torná-lo realidade: eis o que diz a exposição do Pavilhão do Conhecimento, que convida as famílias a experimentar e a descobrir as múltiplas facetas da disponibilidade e uso deste bem essencial.

Mais que fazer

  • Coisas para fazer

São dezenas de coisas grátis para fazer em Lisboa: afinal não queremos que deixe de aproveitar o melhor que a cidade tem apenas por ter a carteira mais vazia. Há muito para fazer à borla em Lisboa. Não acredita? Então espreite a lista que se segue. Não se vai arrepender. Já lhe dissemos que é grátis?

  • Coisas para fazer

É normal que um alfacinha, de gema ou não, se sinta um peixe fora da água no Inverno. Só que não precisa de ficar triste só porque o céu está a chorar. Encare a precipitação com calma e faça planos impermeáveis às condições meteorológicas. Tente passar entre os pingos da chuva com estas ideias que ajudam a, no mínimo, tolerar a precipitação em Lisboa. Desde testar a pontaria contra uma horda de zombies virtuais a ir jogar bingo, há muitos planos dentro de portas. Quem diria que, afinal, a chuva pode ter os seus encantos?

Recomendado
    Também poderá gostar
      Publicidade