Global icon-chevron-right Portugal icon-chevron-right Lisboa icon-chevron-right Os novos bares em Lisboa que tem mesmo de conhecer
Noite, Bares, O Bar Mais Triste da Cidade
©Gabriell Vieira O Bar Mais Triste da Cidade

Os novos bares em Lisboa que tem mesmo de conhecer

Juntamos a sede à vontade de conhecer novidades e deixamos-lhe uma lista dos novos bares que abriram em Lisboa nos últimos meses.

Por Clara Silva
Publicidade

A noite lisboeta está a recuperar e a prova disso são os novos hóspedes que vão aparecendo – e ainda bem. As novidades são das mais diversas espécies, com boa música, cocktails e seus derivados ou até cerveja artesanal. Nesta página espere sempre isto: os bares mais frescos da cidade. Por agora, estes são os novos bares em Lisboa que tem mesmo de conhecer. E se lhe dizemos isto é porque fomos lá, experimentámos e aconselhamos vivamente. Já decidiu onde é que vai beber um copo?

Recomendado: Está pronto para voltar a sair à noite? Guiamo-lo passo a passo

Os novos bares em Lisboa que tem mesmo de conhecer

Noite, Bar, O Bar Mais Triste da Cidade
Noite, Bar, O Bar Mais Triste da Cidade
©Gabriell Vieira

O Bar Mais Triste da Cidade

Bares Santos

O Bar Mais Triste da Cidade tem o whisky, o piano e a tristeza como ingredientes principais, se bem que a decoração é tudo menos triste. “A ideia é que fosse um espaço de sing along, [daqueles para] cantar músicas tristes e que de repente já está tudo alegre a cantar”, diz a responsável, Camila Prado Fonseca. “Com tanta limitação isso foi adiado até melhores dias e agora estamos a trabalhar com músicos que tocam piano mais clássico, mais sossegados. Há música ao vivo de quarta a sábado, entre as 20.00 e as 22.30, e a garrafeira foi escolhida a dedo, com whiskies que começam nos nove euros e vão até aos 27 euros, incluindo bebidas mais difíceis de encontrar, como o James Martin. Só há um cocktail, a margarita de poejo, a oito euros, e ostras para petiscar.

Noite, Bar, Beets
Noite, Bar, Beets
©DR

Beets

Noite Cafés/bares Chiado

Junta o melhor de dois mundos: o hip-hop d’O 36, bar no Bairro Alto, e a comida do Vegan Junkies, restaurante de fast food vegan perto do Campo Mártires da Pátria. Os dois projectos continuam, mas têm desde o final de Abril esta joint venture no número 9 da Rua da Oliveira ao Carmo, perto do Quartel do Carmo, com um restaurante, o Plant Base, e um bar, o Beets. No restaurante, o destaque vai para as pizzas vegan. Já o bar, tem o mesmo conceito d’O 36, com “hip-hop e arte urbana a tomarem conta do espaço”, dizem os responsáveis. Está decorado com um mural colorido de AKACorleone, “com alusões ao 36 e alguns pormenores” que também importaram do irmão mais velho. Quanto às bebidas, conte com cocktails de autor inspirados em artistas hip-hop, uma parceria com a Fritz Kola e “outros goodies refrescantes”. Aos fins-de-semana há live acts de DJs, entre as 19.00 e as 22.30. Uma lufada de ar cool.

Publicidade
Noite, Bar, Lulu, um Pub Bonito
Noite, Bar, Lulu, um Pub Bonito
©DR

Lulu, um Pub Bonito

Noite Cafés/bares Santos

Ao mesmo tempo que abriam o pequeno Bar Mais Triste da Cidade, os responsáveis pelo Flat, no mesmo quarteirão de Santos, inauguravam em Maio o Lulu, um Pub Bonito. Se a temática no Bar Mais Triste da Cidade é a melancolia, com noites ao piano regadas a whisky, o Lulu é um bar “para senhoras, mulheres, meninas, raparigas e para todos os outros que gostem delas”, lê-se na descrição do Instagram. A inspiração é a actriz Louise Brooks (a Lulu) e esses loucos anos 20 do passado, que agora se podem repetir. Os cocktails de autor têm nomes de mulheres como Jane Fonda (com rum, licor de figo e café, por 9 euros) ou Cyndi Lauper (rum, ananás e stout, também por 9 euros) e de cantoras nacionais como Ágata (moscatel, laranja, ananás e espumante, por 7 euros) e Lena d’Água (medronho, mel e manjericão, por 8 euros). Há pratos como o Duck & waffle, de pato confitado, ovo de codorniz frito e waffle, aquele que acham que seria “o prato preferido – compulsivo – de Louise”. O bar terá também uma zona de DJ, que em breve se poderá tornar um bom sítio para dançar na cidade.

Noite, Bar, A Viagem das Horas
Noite, Bar, A Viagem das Horas
©DR

A Viagem das Horas

Noite Cafés/bares Lisboa

Vinhos, tapas, plantas e vinil. São estes os pilares de A Viagem das Horas, o novo bar de Arroios, com uma esplanada na Rua José Ricardo. O fundador é Ricardo Maneira, mais conhecido na noite por DJ Rykardo, que aqui junta várias paixões num ambiente familiar. Os produtos foram escolhidos a dedo, como os queijos vegan, à base de caju ou amêndoas, que vieram de longe, da Artisan & Chef’s Table, em Aljezur, ou os produtos comprados ali mesmo ao lado, no Mercado de Arroios ou na padaria Terrapão. À quarta-feira há happy hour, com um prato ou sobremesa e copo de vinho a um preço especial. Todas as semanas lançam uma playlist no Spotify que merece ficar debaixo de olho e de ouvido, como a do “começo”, a marcar a inauguração do bar, ou a de homenagem a Miles Davis, a propósito do seu aniversário, no passado dia 26 de Maio. É um bar onde também pode comprar plantas, da Bago Plant Shop, com várias escolhas e preços, sendo a mais cara a monstera deliciosa (48 euros).

Copo cheio

Garrafeira Estado d'Alma
Gabriell Vieira

Cinco garrafeiras em Lisboa para encher o copo

Compras Lojas de bebidas alcoólicas

Ah, o prazer de ouvir a rolha a saltar da garrafa, aquele ecoar que se prolonga no ouvido e  que é sinónimo de vinho a escorregar pela goela. Ah, o gosto que dá perder minutos, horas, em frente a prateleiras com garrafas empilhadas. Ir a uma garrafeira pode ser quase terapêutico.

Recomendado

    Também poderá gostar

      Publicidade