Os novos bares em Lisboa que tem mesmo de conhecer

Juntamos a sede de conhecer novidades à vontade de beber cocktails e deixamos-lhe uma lista (em constante actualização) dos novos bares que abriram em Lisboa nos últimos meses.
Café Klandestino
Duarte Drago
Por Editores da Time Out Lisboa |
Publicidade

Juntamos a sede de conhecer novidades à vontade de beber cocktails e deixamos-lhe uma lista (em constante actualização) dos novos bares que abriram em Lisboa nos últimos meses. A noite lisboeta está bem viva e a prova disso são os novos hóspedes que vão aparecendo – e ainda bem. As novidades são das mais diversas espécies, dos cocktails e seus derivados à creveja artesanal. Nesta página espere sempre isto: os bares mais frescos da cidade. Por agora, estes são os novos bares em Lisboa que tem mesmo de conhecer. E se lhe dizemos isto é porque fomos lá, experimentámos e aconselhamos vivamente. Já decidiu onde é que vai beber um copo?

Recomendado: Os melhores bares de Lisboa

Os novos bares em Lisboa que tem mesmo de conhecer

Palheta
Duarte Drago
Bares

Palheta

icon-location-pin Cais do Sodré

O Palheta, no Cais do Sodré, promove boas conversas, bons cocktails e boa música. O projecto liderado por Francisco Martins abriu em Junho e tem uma bela colecção de vinis de MPB, jazz, música cubana, africana, aos quais se junta o piano Yamaha, que é a estrela da companhia e que pode ser tocado tanto por clientes habituais como por artistas em iniciativas de música ao vivo (que costumam decorrer ao domingo). A decoração é aquele antigo-que-é-cool e os cocktails tanto há os clássicos como os de autor. É mandar Palheta, no fundo. 

Café Klandestino
Duarte Drago
Bares

Café Klandestino

icon-location-pin Intendente

Situa-se na Rua do Benformoso, antes de chegar ao Largo do Intendente, e é o novo bar de cocktails da cidade, com especial queda para o café. A maioria dos seus cocktails têm café de alguma maneira e o seu conceito é baseado no contrabando de café entre Portugal e Espanha, nos anos 50. O projecto, aberto em Julho, é de João Resende, que antes de aqui estar tinha estado a trabalhar em Barcelona, onde conheceu um dos seus sócios: o espanhol Antonio Romero. O terceiro elemento da sociedade do Café Klandestino é o irmão de João, Marcelo Resende.  

Publicidade
Toca da Raposa
©Arlindo Camacho
Bares

Toca da Raposa

icon-location-pin Chiado

Constança Cordeiro veio de Londres, onde esteve a aprender tudo o que sabe sobre mixologia, para abrir o seu próprio bar, onde todos os cocktails têm ingredientes frescos portugueses. Há mesas e serviço de sala para umas 30 pessoas, mas a peça central é uma ilha em mármore onde se sentam 12 pessoas, como numa mesa de jantar com espaço suficiente para se conseguir falar com a pessoa do lado que se acabou de conhecer, ou ignorá-la olimpicamente. Abriu em Junho. 

Bacchanal
Manuel Manso
Bares

Bacchanal

icon-location-pin Cais do Sodré

Na Roma Antiga, o bacanal era uma celebração em honra de Baco, deus do vinho, que por norma acabava em quilómetros de orgias e promiscuidade. Mas neste novo Bacchanal a ideia não é essa – a não ser que se queira enrolar com o vinho, com vinhos vários. Aí sim. E a avaliar pelos expositores do novo bar de Victor Cordeiro (que também é o proprietário do Loucos de Lisboa, no Príncipe Real), é bem possível que acabe a envolver-se com vinhos de inúmeras castas e de todas as regiões vinícolas portuguesas. Situado no Corpo Santo, vizinho de bares como o Copenhagen, o Cais do Pirata, o Viking ou o Jamaica, este projecto foi instalar-se numa antiga drogaria de 1918, que já há bastante tempo estava fechada e defunta,  e deu-lhe nova vida. Sim, é um bar com decoração de drogaria e vinho do bom. Feito. 

Publicidade
Mercearia -1
Fotografia: Arlindo Camacho
Noite, Cafés/bares

Mercearia -1

icon-location-pin Estrela/Lapa/Santos

O espaço já era conhecido de muita gente, mas entretanto ganhou outra clientela. Os donos da Mercearia do Campo, na Rua Saraiva de Carvalho, uma mistura entre garrafeira, mercearia e restaurante com esplanada, abriram em Março um novo bar na cave. Chama-se Mercearia -1 e já era um sonho antigo de Bruno Carvalho e João Agria. Além da carta de vinhos (a partir dos 9,5€ a garrafa), há cerveja artesanal (Musa, Dois Corvos, Bolina, Passarola e d’Ourique, a cerveja do bairro) e cocktails clássicos “com um twist” – ou não fossem os donos bartenders –, sangria (12€/1 litro de tinta ou branca, 15€ de espumante), aguardente e vermutes.

Mais bares em Lisboa

Bares

Três sítios para beber cocktails com flores

O simbolismo das flores é praticamente infinito. São perfume, são presente, são decoração. O que é certo é que nestes cocktails que aqui sugerimos as flores não são apenas meros adereços, tornando-os mais frescos e bonitos, vá. Ou seja, em nenhum destes casos as flores são chamadas por mero acaso. Paulo Gomes no Red Frog, Fernão Magalhães no Pesca e Constança Cordeiro na Toca da Raposa são a prova de tudo isto. Sabem o que fazem, tal como não fazem nada por acaso. Mas o melhor é conversarmos menos e bebermos mais.  Recomendando: Sete cocktails para beber este Verão  

Duarte_Drago
Bares

Sete cocktails para beber este Verão

É verdade que este Verão se anda a fazer difícil, mas também não é por isso que não o vamos viver como tal, com direito a férias, (mais) uns copos ao final da tarde, que acaba a prolongar-se noite dentro. E estes copos, que aqui lhe sugerimos, são copos a sério. Ou seja, são cocktails de autor, criados por alguns dos melhores bares de cocktail da cidade, sempre com ingredientes frescos e com o objectivo de amenizarem o calor que, a espaços, se vai ocupando de Lisboa. Uns são mais fumados, outros mais frutados, outros mais alcóolicos. Há opções para todos os gostos. São sete os cocktails que recomendamos para este Verão, do Red Frog à Toca da Raposa, passando pelo CINCO lounge ou pelo Ferroviário.  Recomendando: Os melhores bares de Lisboa

Publicidade
Esta página foi migrada de forma automatizada para o nosso novo visual. Informe-nos caso algo aparente estar errado através do endereço feedback@timeout.com