Global icon-chevron-right Portugal icon-chevron-right Lisboa icon-chevron-right Os novos bares em Lisboa que tem mesmo de conhecer

Os novos bares em Lisboa que tem mesmo de conhecer

Juntamos a sede de conhecer novidades à vontade de beber cocktails e deixamos-lhe uma lista dos novos bares que abriram em Lisboa

bares
Duarte Drago
Por Editores da Time Out Lisboa |
Publicidade

Juntamos a sede de conhecer novidades à vontade de beber cocktails e deixamos-lhe uma lista (em constante actualização) dos novos bares que abriram em Lisboa nos últimos meses. A noite lisboeta está bem viva e a prova disso são os novos hóspedes que vão aparecendo – e ainda bem. As novidades são das mais diversas espécies, dos cocktails e seus derivados à cerveja artesanal. Nesta página espere sempre isto: os bares mais frescos da cidade. Por agora, estes são os novos bares em Lisboa que tem mesmo de conhecer. E se lhe dizemos isto é porque fomos lá, experimentámos e aconselhamos vivamente. Já decidiu onde é que vai beber um copo?

Recomendado: Os melhores bares de Lisboa

Os novos bares em Lisboa que tem mesmo de conhecer

Twelve (Eleven)
Duarte Drago
Bares

Twelve

icon-location-pin São Sebastião

No topo do Eleven, no Parque Eduardo VII, o Twelve é o novo rooftop da cidade, mas como projecto “pop-up” só dura até Setembro. Os responsáveis são a Avlnche, uma plataforma artística independente francesa, especializada em “pegar em espaços urbanos subutilizados e dar-lhes vida de forma criativa”, explicam. Foi isso que fizeram em cima do Eleven, de maneira a criar “um oásis”, “o último rooftop secreto”. Secreto não diríamos, mas o espaço está reservado a, no máximo, 150 pessoas. Na programação, conta com concertos e DJ sets intimistas com curadoria do produtor Bruno Paiva, mas também actividades desde aulas de yoga, terapia do som e técnicas de respiração a live talks e mostras de arte e design. Além de uma ementa de petiscos criada pelo chef Joachim Koerpe (uma estrela Michelin), que inclui, por exemplo, escabeche de atum fresco, o bar do Twelve tem um menu de cocktails preparado pela equipa Flamingo Boémio, com preços entre os 8 e 12€, e cerveja artesanal Musa.

bares
Manuel Manso
Bares

Black Sheep

icon-location-pin Chiado/Cais do Sodré

Lisboa ganhou uma nova ovelha negra. Chama-se Black Sheep e tem espaço suficiente para caberem mais de uma centena de referências de vinhos de produtores nacionais independentes – ovelhas negras do negócio, chamemos-lhe assim. Todas as semanas há cerca de 14 vinhos diferentes a copo (os preços variam entre os 3,50 e os 6,50€) e as garrafas também estão disponíveis para levar para casa. Além disso, há sempre dois cocktails por semana: um fixo, o bastante elogiado Negroni, com um vermute mais intenso, e outro que varia. Para acompanhar, há petiscos como azeitonas, hummus de feijão branco feito por Brian, uma tábua com queijos e enchidos e um queijo de cabra com marmelada. Se não encontrar lugar, não se preocupe: está em plena Praça das Flores e pode levar o copo para o banco de jardim.

Publicidade
Musa da Bica
©Inês Félix
Bares, Cervejaria artesanal

Musa - Bica

icon-location-pin Cais do Sodré

Se em Marvila, na fábrica e taproom, o foco continua a ser a cerveja artesanal e a programação musical, com espaço que sobra para concertos e DJ sets, a nova Musa, bastante mais pequena, no espaço da antiga Tasca da Tijúlia, com um balcão e algumas mesas corridas, quer explorar a relação entre a cerveja e a comida. Leonor Godinho, que veio do Feitoria, no Altis Belém, é a responsável pela cozinha, com petiscos que “puxam pela cerveja”. Para o menu desta nova Musa inspirou-se “na vertente artesanal” da marca. “Tentamos fazer ao máximo os nossos próprios fermentados. Fazemos o nosso pastrami, a nossa mostarda e estamos a tentar seguir essa filosofia artesanal”, conta. Todas as semanas há uma salada e uma “fritaria” – por exemplo, puntillitas –, além dos habituais petiscos do menu, servidos a partir das 16.00. Há pãezinhos de queijo e malte (2€) e de chouriço e malte (2,5€) para picar e também bolinhas de falafel de tremoço (3,5€), com molho de iogurte e menta. Para empurrar, há 15 torneiras de cervejas Musa, incluindo a recém-lançada Low Me Tender, mais leve, com 2,5% de álcool, resultado de uma parceria com a cervejeira espanhola Majara. A ideia é que, em breve, e ao contrário do que acontece em Marvila, haja também cervejas de outras marcas, nacionais e internacionais.

Meat Me
©Inês Félix
Restaurantes

Meat Me

icon-location-pin Grande Lisboa

O nome do novo projecto do grupo Sea Me dedicado ao mundo da carne, no Chiado, entre o Teatro São Luiz e o São Carlos, é um convite: Meat Me. Mas a carne não é o único argumento a justificar a romaria. Há, também, uma mezzanine com um bar luxuoso. Cadeirões em pele, prateleiras carregadas de bourbon ou whiskey, além de uma carta de cocktails clássica onde vai encontrar criações de autor, que não seguem as últimas tendências de cocktelaria – são bebidas com bastante álcool, pesadas, com muitos xaropes caseiros.

Publicidade
Red Frog
Inês Félix
Bares

Monkey Mash

icon-location-pin Avenida da Liberdade

O Red Frog tem um novo irmão exótico. Chama-se Monkey Mash e é o novo bar dos mesmos donos, no espaço do antigo Fontória. Em soft-opening desde Março, tem um ambiente descontraído e cocktails tropicais. Ao contrário do Red Frog, os copos são simples e as bebidas centram-se em “cana, agave e exotic spirits”, conta Paulo Gomes, o cérebro dos cocktails dos dois bares. Conte com bebidas a saber a Verão como o Monkey Daiquiri (8,5€), com rum, amendoim e banana, o Batucada no Leblon (9€), um high ball com cachaça, pisco e menta e morango, o Chance The Rapper (9,5€), com mezcal e sour fumado, ou um Horchata Sour (9,5€). No futuro haverá uns snacks especiais para petiscar e a sala privada com um laboratório poderá funcionar para eventos como workshops ou team buildings. 

Covil
Manuel Manso
Bares

O Covil

icon-location-pin Lisboa

Inspirado na cultura celtibera e lusitana, este bar em Arroios, um espaço ideal para um bom início de noite, é provavelmente o único sítio em Lisboa onde vai encontrar hidromel à pressão – e fique a saber que é uma boa alternativa para quem já está enjoado de sidra. Tanto Margarida Malheiros como Rui Bajouca, os fundadores, gostavam da bebida ancestral, especialmente deste hidromel que agora servem em garrafa ou à pressão, da marca Apiagro, empresa de apicultores de Torres Vedras, e que já é uma espécie de bebida oficial do bar. Outra das preocupações é respeitar a cultura celtibera e a dos antigos povos nórdicos e germânicos e por isso mesmo existe uma pequena biblioteca (ainda em crescimento) sobre o tema, comida e festas temáticas.

Mais bares em Lisboa

Donna Taça
Duarte Drago
Bares

Os melhores bares de vinho em Lisboa

Lisboa foi eleita um dos melhores destinos vínicos do ano no último número da Wine Enthusiast, revista de referência internacional no sector vitivinícola. Entre elogios à intersecção entre a “preservação do património” e a “bem-vinda mudança”, destaca-se “a posição de Lisboa ao longo do Atlântico” e as vinhas de Colares, com castas como Ramisco para “tintos saborosos” e Malvasia para “brancos salinos”.

musa
Fotografia: Francisco Santos
Bares

Os melhores bares de cerveja em Lisboa

Os alfacinhas estão a assistir ao milagre da multiplicação de marcas, estilos e sítios para beber cerveja artesanal, em garrafa ou à pressão, com tira-gostos clássicos a acompanhar ou o melhor da gastronomia internacional. Entre bares, garrafeira, fábricas e brewpubs, há cada vez mais e mais variados projectos ligados à cerveja em Lisboa. 

Publicidade
Damas
Fotografia: Inês Calado Rosa
Bares, Cafés/bares

Os melhores bares com música ao vivo em Lisboa

Se há música, e sobretudo se há música ao vivo, a conversa é acessória. Os sítios que abaixo lhe sugerimos têm o nosso selo de garantia, digamos assim. Ou seja, é certo que vai encontrar uma acentuada programação musical (quase sempre de qualidade).

Publicidade