A Time Out na sua caixa de entrada

Procurar
Cine Society
Cine Society

Os melhores ciclos de cinema ao ar livre em Lisboa

Não se esqueça de aproveitar as noites quentes de Verão com sessões de cinema ao ar livre em Lisboa. Anote estes ciclos e preencha a agenda.

Escrito por
Editores da Time Out Lisboa
Publicidade

Os dias estão mais quentes e as noites tendem a ficar agradáveis demais para serem passadas em frente à televisão. Aproveite e vá arejar para um cinema ao ar livre em Lisboa, com vista para as estrelas no ecrã e no céu – é um programa perfeito quer esteja sozinho ou acompanhado, mesmo que às vezes seja aconselhável uma manta. Por isso, não hesite: arranje o melhor lugar e vista um casaco se a noite ficar fresquinha. Vale sempre a pena trocar o escurinho do cinema pelo céu estrelado para assistir a grandes filmes ao ar livre.

Recomendado: O melhor do Verão em Lisboa

Os melhores ciclos de cinema ao ar livre em Lisboa

  • Filmes
  • São Sebastião

Com curadoria de Olivier Hadouchi, este ciclo propõe o aprofundamento da reflexão sobre heranças, memórias e identidade que as obras dos 21 artistas, nascidos e criados em contexto pós-colonial, suscitam na exposição “Europa Oxalá”. O programa, que se realiza em seis sessões, contempla a exibição de filmes como Article 15 bis (2000), Dansons (2003), La Parade de Taos (2010), Matongé (2015), Barbés (2019), Bab Sebta (2019), Karingana – Os mortos não contam estórias (2020) e Face au silence (2002–2014).

  • Filmes
  • Lumiar

Na Quinta das Conchas, de quinta a sábado, as noites quentes de Verão vão voltar a ter vista para as estrelas e para o ecrã. O CineConchas já tem datas marcadas para esta edição: de 30 de Junho a 16 de Julho. Vão ser mais de duas semanas de cinema ao ar livre, pelas 21.45. O programa, integrado nas Festas de Lisboa, é vasto e para todas as idades, pronto a servir qualquer freguês. Pode assistir a alguns dos filmes mais badalados do último ano, como Mais uma Rodada, de Thomas Vinterberg, Belfast, de Kenneth Branagh, Duna, de Denis Villeneuve, ou, para os mais novos, Os Croods: Uma Nova Era, de Joel Crawford.

Publicidade
  • Filmes
  • Campo Grande/Entrecampos/Alvalade

A antiga expressão “fui ver um filme ao piolho” referia-se a sessões de cinema popular, a preços acessíveis, em espaços modestos. O primeiro “piolho” foi o Salão Lisboa que funcionou entre 1916 e 1971 na Rua da Mouraria e é em sua homenagem que o Alvalade Cineclube organiza este ciclo de cinema, fora das suas portas. Uma mostra itinerante que “devolve o cinema aos bairros de Lisboa, a espaços de partilha, convívio e felicidade”. A programação, que decorre de 2 a 23 de Julho por vários espaços da cidade, inclui quatro filmes, com uma sessão por dia, sempre às 22.00 e ao ar livre. A entrada é gratuita.

  • Filmes
  • Chiado

Chris Wood e Phil Ilic, ambos ingleses, conheceram-se a fazer escalada na Arrábida. Conversa puxa conversa e lá se aperceberam que são dois cinéfilos com vontade de proporcionar experiências cinematográficas à população lisboeta. Aquilo que começou como sessões de cinema para amigos em casa de Phil tornou-se o Cine Society, o cinema ao ar livre que invadiu Lisboa no Verão de 2017 e que promete mais noites quentes para 2022. Os auscultadores são individuais e permitem a qualquer pessoa ir, por exemplo, buscar um cocktail sem perder o fio à meada no enredo.

Publicidade
  • Filmes
  • Xabregas

A Arroz Estúdio abriu as portas da sua casa para sessões de cinema ao ar livre na zona industrial do Beato. A programação, que se prolonga pelo menos até 30 de Agosto, inclui desde filmes de culto a clássicos alternativos: O Amor É um Lugar Estranho (12 Jul), Pulp Fiction (19 Jul), Grease (26 Jul), Drive (2 Ago), Cães Danados (9 Ago), Cisne Negro (16 Ago), O Grande Lebowski (23 Ago) e O Grande Hotel Budapeste (30 Ago). A entrada custa 7,90€ e é reservada a sócios, mas isso resolve-se facilmente com 3€, o preço da anuidade que lhe dá acesso a todos os eventos da associação cultural.

  • Coisas para fazer

Finalmente uma boa desculpa para ir a Barcarena. As sessões de cinema ao ar livre decorrem todos os sábados, de Julho a Setembro, na Fábrica da Pólvora. A programação inclui a exibição de O Bom Patrão, de Fernando León de Aranoa (9 Jul); August Rush, de Kirsten Sheridan (16 Jul); Nada a Declarar, de Dany Boon (23 Jul); Homem-Aranha: Sem Volta a Casa, de Jon Watts (30 Jul); Bem-Vindo ao Norte, de Dany Boon (6 Ago); O Rei Leão, de Jon Favreau (13 Ago); O Menino Nicolau, de Laurent Tirard (20 Ago); Jojo Rabbit, de Taika Waititi (27 Ago); e Uma Fuga Para A Liberdade, de Taika Waititi (3 Set).

Viva o Verão na cidade

  • Restaurantes

Passamos o Inverno a sonhar com elas. Ao primeiro raio de sol primaveril voltamos a corrê-las, ansiosos, e durante o Verão instalamo-nos confortavelmente (ainda que com todos os cuidados que os tempos agora exigem), porque não queremos outra coisa a não ser esplanadas. Quiosques, terraços, esplanadas de rua, interiores, enfim, as opções abundam consoante a vontade e também pode contar com sítios para abanar o corpo nestas que são as melhores esplanadas em Lisboa (e não só).

  • Coisas para fazer

Somos fãs do básico (mas sempre mágico) pôr-do-sol na praia e nesse campeonato não há falta de sítios onde “estacionar” a tarde toda. Além de Lisboa, onde a luz é rainha mesmo no Inverno, tem sempre Sintra, Cascais ou a bendita Costa da Caparica. Mas não podendo fugir para o mar é de arranjar soluções. Não se preocupe: já fizemos a selecção por si. São pouco mais de meia dúzia de sítios onde o pôr-do-sol não desilude e onde não vai encontrar grandes multidões.

Publicidade
  • Bares

Calor pede bebidas com os amigos, mas é difícil manter os níveis de hidratação quando muito bares continuam encerrados. Outros conseguiram abrir a tempo do Verão – alguns pela primeira vez. Seja em hotéis, restaurantes ou até no rooftop de uma universidade, opções não faltam para os dias de calor.Ao pôr-do-sol ou depois de uma tarde de praia, remate com um cocktail na mão.

Recomendado
    Também poderá gostar
      Publicidade