Os Ballets Russes: Modernidade após Diaghilev

Arte
Os Ballets Russes: Modernidade após Diaghilev

"Os Ballets Russes: Modernidade após Diaghilev" passa em revista os tempos em que as peças do director artístico russo deixavam a sociedade de então entre o choque e o espanto. Dividida por três locais - a Galeria Millennium, o Palácio Foz e o Museu Nacional do Teatro e da Dança - pode ser vista até ao final de Setembro. "Modernismos e Modernidade dos Ballets Russes" reúne na Galeria Millennium uma série de trajes do museu Dansmuseet, assim como desenhos de Nijinsky, aguarelas de Rodin, porcelanas de Meissen e outros artefactos de gente que obriga a enrolar a língua e a carregar nos érres. Há ainda uma instalação de Vasco Araújo que junta 150 desenhos. Além disso, André E. Teodósio apresenta no Palácio Foz a performance "2018" a 13 de Julho, pelas 17h30, e, no dia seguinte, pelas 16h. Por sua vez, o Museu Nacional do Teatro e da Dança mostra cartazes, folhetos, fotos, gravuras de Almada Negreiros (o português escreveu sobre a companhia quando esta passou por Portugal entre 2 de Dezembro de 1917 e Abril de 1918) e outros materiais que se relacionam com a vinda dos Ballets Russes ao nosso país.

 

LiveReviews|0
1 person listening